sábado, 31 de dezembro de 2011

SER CRIADOR É SER PARTE DE DEUS - OSHO

Presto Graças ao autor desta imagem

SER CRIADOR É SER
PARTE DE DEUS


A vida somente é vida quando o amor arde dentro de você, quando a chama do amor é tão brilhante que começa irradiar a sua volta, a se espalhar para os outros, a ser sentida pelas pessoas - seu amor se torna quase tão tangível que as pessoas poderiam tocá-lo.

Assim, ele não é uma benção só para você, mas também para todas as outras pessoas.

Um homem verdadeiro é sempre um enriquecimento para o mundo, para a existência; ele contribui muito. Se você não pode contribuir com alguma coisa, nunca será bem-aventurado.


É por meio da contribuição com algo para a existência que você participa da obra do criador, pois você mesmo se torna um criador. Ser criador é ser parte de Deus - não há outro jeito.

Osho, em
"Meditações Para o Dia"




Graças à fonte:


OVÓIDES ASTRAIS - GESIEL ALBUQUERQUE - ARTIGO

Rendo Graças ao autor desta imagem




 
OVÓIDES ASTRAIS


Digo-lhes, com profunda convicção e total discernimento, que estes implantes são realmente terríveis e asquerosos. Ao contrário do que muita gente pensa, os ovóides são, raramente, espíritos endividados, tomados pela culpa ou pelo remorso, o que os leva a perder a sua forma perispiritual e a transformar-se num corpo oval... e toda aquela história que vocês estão acostumados a ler. Saibam! Não se trata disso.

Os ovóides são ferramentas construídas pelos covardes ETs Zetas que, no silêncio e na invisibilidade, buscam implementar todas as formas de roubo de energia e de controle mental. Repito, estes seres são extremamente covardes e, literalmente, sem coração. A maioria deles trabalha de forma mercenária para entidades perversas da quarta dimensão, implantando objetos e sequestrando os alvos escolhidos. Em troca, recebem cápsulas de energia produzida pelas baixas emoções e prazeres humanos. Os zetas vêem estes fluidos como verdadeiros "manjares dos deuses", servindo-lhes de alimento rico em nutrientes para o seu organismo. Eles ingerem estas substâncias como autênticos viciados em drogas pesadas, injetando-as em algumas partes do corpo.

A pessoa imantada por um ovóide sente, nas primeiras semanas, tonturas muito intensas iguais às típicas bebedeiras tomadas numa balada. O indivíduo vê o mundo rodar literalmente e passa a notar a sua energia sendo drenada como numa tubulação de água, vazando intensamente. Concomitantemente a isso, há ocorrências de náuseas e de enjôo por qualquer coisa, levando a um desconforto estomacal e à falta de apetite. Sempre que o alien faz a manutenção desta ferramenta, todas estas sensações se manifestam no implantado, juntamente com o estado depressivo, uma sensação de vazio na alma e vontade de morrer. Tais manifestações perduram por umas duas semanas.

Geralmente, os ETs colam estas peças oviformatadas bem em cima das têmporas, ou em um dos lados da cabeça. Há casos em que eles as grudam nos chacras do umbigo ou do coração. Pode haver, também, a colocação delas próximo à região do cerebelo, ou ainda, com muita freqüência, nas costas. Não é difícil, porém, encontrá-los grudados na genitália ou no ânus.

O ovóide vai debilitando a vítima que, sem energia, sente-se enfraquecida e pode chegar à morte em pouco tempo. Isso depende muito dos intentos dos seus implantadores em relação ao implantado. Caso este possua algum merecimento espiritual, poderá ser encaminhado aos hospitais sagrados para que estas armas elipsoidais, que o enfraquecem tanto, sejam retiradas. Também depende do grau de envolvimento e merecimento da pessoa; às vezes, ela passa anos infestada por estes oviformes sem nunca suspeitar de nada.

O indivíduo ovoidizado apresenta estados depressivos mórbidos, quase incuráveis, inexplicáveis ao crivo da medicina e às opiniões alheias. Mesmo indo ao médico, nunca será detectado algo mais sério em seu organismo. Se houver, não estará relacionado ao ovóide ou terá sido preexistente à sua imantação. Entretanto, com o passar do tempo, a perda de energia e outras formas de ataque provocam distúrbios em órgãos do corpo físico, levando a vítima a adoecer e, até, a morrer.

Os alvos dos implantadores são, geralmente, desertores das fraternidades tenebrosas do mundo astral ou trabalhadores da luz, capturados em emboscadas milimetricamente planejadas pelas altas inteligências na arte de fazer o mal. No entanto, não há um padrão específico para estes ataques, qualquer um pode ser vítima destas armas ovaladas. Para isso, basta que o seu fluido vital apresente alguma "qualidade interessante" para os ETs, e eles farão tudo para sugá-lo.

Este implante assemelha-se muito a uma "água-viva" grudada ao corpo energético. Em estágios mais avançados, parece um polvo cheio de tentáculos enfiados na cabeça do hospedeiro. Com o tempo, desenvolve ramificações que vão se aprofundando nos corpos energéticos, à procura de energia cada vez mais escassa, assim como uma planta espichando as suas raízes para o interior da terra em busca de água.




Por
Gesiel Albuquerque





Dedico Graças à fonte:

O CANTO DAS NÚPCIAS DE LUZ CHEGOU - MARIA - 31-12-2011 - COM ÁUDIO

Rendo Graças ao autor desta imagem
 
 
 
 
MARIA
31/12/2011
 
 
 
 
O CANTO DAS NÚPCIAS
DE LUZ CHEGOU
 
 
Eu sou MARIA, Rainha dos Céus e da Terra.

Meus Filhos bem amados, eu rendo Graças pela nossa Comunhão.

Eu rendo Graças pela sua Presença e pelo seu acolhimento.
 
Eu venho, então, a vocês, pela terceira vez (ndr: ver as intervenções dos dias 17 e 24 de dezembro últimos).

Uma série de elementos foi comunicada a vocês, pelo Comandante dos Anciãos (ndr: O.M. AÏVANHOV), no momento em que vários de vocês começam a me ouvir, a me ouvir chamá-los, para a Luz, para a Unidade e para a Verdade.

E em que outros de vocês se preparam para me ouvir chamá-los.

Muitas coisas atuam, em vocês.

Muitos elementos atuam, sobre esta Terra e em seus Céus.
A partir deste momento, nós entramos, vocês e nós, nos tempos cruciais em que deve se desenvolver e se revelar, na Consciência, a Verdade absoluta do seu Ser.
Então, é claro, como disse o Comandante, isso pode se traduzir, em vocês, por coisas, em um primeiro momento, nem sempre felizes.

Porque, como sempre, o que lhes é desconhecido e o que é desconhecido, nesta Dimensão, podem chamar e fazer ressoar, na Consciência, o medo e a ansiedade.

Mas, muito rápido, Alegria estará presente.

Porque, quaisquer que sejam os jogos e os papeis que desejam desempenhar alguns de seus Irmãos e Irmãs, no medo e na oposição à Luz, lembrem-se de que a Luz está aí e de que ela os rega na FONTE.

E que ela é seu alimento e sua resposta.

Disso, vocês tomam consciência, cada vez mais.

Então, vão para o seu desconhecido porque isso é a sua Verdade.

Muitos sinais estão em vocês.

Muitos sinais estão em seus Céus.

Eu os enunciei e anunciei a vocês.

Eles se realizaram.

Resta, agora, percorrer os tempos de suas Núpcias de Luz e da Ascensão coletiva da Terra.

Esta, nesse tempo crucial, começa a revelar-se, em sua inteligência, em sua compreensão, em sua vivência.

Qualquer que seja sua consciência, vocês que irão me ler, que irão me ouvir, que irão Vibrar, ou não, às minhas palavras, lembrem-se de que vocês são a Eternidade.

E de que a Eternidade, que põe fim ao efêmero, refere-se também ao que vocês desempenham como papel, nesta vida, que não é a verdadeira Vida.

O Templo foi construído.

Ele abrigou, em vocês, o desdobramento da Luz e o Estado de Ser, dando-lhes a viver espaços novos e tempos novos, levando a novos Céus e a uma nova Terra.

Estes novos Céus e esta nova Terra serão, para cada um de vocês, diferentes.

Porque vão se revelar, nesse tempo crucial, muitos elementos, em vocês, além de nossas palavras que podemos dar-lhes, além de toda leitura (pela própria experiência da sua consciência e pelo Apelo que eu realizo, em vocês, ou que realizam outras Estrelas entre as doze Estrelas).

Eles apenas estão aí para Revelá-los e para Despertá-los, de maneira definitiva, à sua Eternidade.

Então, em vocês, realiza-se seu Futuro, aquele que diz respeito à Eternidade da sua Luz.

Então, em vocês, prepara-se o Reencontro com o CRISTO.

A partir desse momento crucial deste instante, os vinte e quatro Anciãos se reúnem, agora, em Conclave, em sessão plena, permitindo, assim, a travessia desta Porta Estreita, ao nível coletivo.

Isso é anunciado pela Estrela, preparando para viver a Estrela, em vocês.

Essas Núpcias de Luz são as Núpcias da Terra: aquela da sua Elevação e da sua Ascensão.

Naturalmente, existem, ainda, elementos resistentes à superfície desta Terra, na consciência do homem, na consciência de muitos Irmãos e Irmãs.

Mas o trabalho se realiza, e o que vocês vivem como abordagem da sua Eternidade, pelo meu apelo, que é pessoal, prepara, é claro, meu apelo coletivo.

Novamente, não busquem a data, mas, a título individual, o que vocês vivem prefigura o apelo coletivo da Luz, para cada Irmão, para cada Irmã, para cada alma, que está encarnada ou não, neste sistema solar.

Então, regozijem-se.

Vão, cada vez mais, para sua Humildade, para sua Simplicidade, para sua Transparência.

Nada parem.

Deixem-se penetrar pela Luz e pela sua Inteligência porque ela não é outra senão vocês mesmos.

Levando-os a se desfazer de todos os seus hábitos, de todos os seus sofrimentos, de todas as suas ansiedades.

Preparando sua Casa para os tempos coletivos que se anunciam, neste momento crucial.

A intensificação, para aqueles que o vivem, da percepção de suas Vibrações, traduz-se, para sua Consciência, pelo que foi chamado de Deslocalização.

E isso vai se tornar, para vocês, cada vez mais flagrante, a partir do momento em que vocês respondem, individualmente, ao meu apelo.

Que isso seja minha voz que os chama, pelo seu primeiro nome.

Que isso seja os sinos que tinem nos seus ouvidos, e os carrilhões, ou, ainda, o Coro dos Anjos.

Tudo isso contribui para o seu Acordar e para o seu Despertar, a fim de que a Eternidade do seu instante pessoal e individual os conduza à majestade da Graça.

A fim de nunca mais ter sede.

A fim de nunca mais duvidar.

A fim de nunca mais esperar.

Porque vocês poderão dizer, em vocês, que Tudo está consumado, restando, ainda, aguardar o cumprimento coletivo desta Terra e do conjunto da humanidade Una.

Então, é claro, ao redor de vocês, do mais próximo ao mais distante, cada ser escolheu, com toda Liberdade, onde deve colocar-se sua Consciência, nesse processo coletivo.

Resta-lhes estar atentos ao meu Apelo.

Resta-lhes estar atentos à minha voz, ao Canto dos Coros Celestes, porque eles vêm, realmente, Despertá-los e Acordá-los para prepararem-se para o momento coletivo da Terra.

Porque, vocês mesmos prepararam a Terra pela sua ação de Ancoradores e de Semeadores de Luz.

Dessa maneira, como lhes disse o Comandante dos Anciãos, durante este ano que transcorreu, sobre esta Terra, tudo foi realizado, no Interior de vocês.

A Estrela que anuncia a Estrela chega, então, no momento mais oportuno.
O Conjunto dos sinais vai, em vocês, fazê-los viver e compreender a realidade da Unidade, a realidade da Luz que vocês são.

Então, naquele momento, progressivamente, vocês sairão do sonho.

Vocês irão despertar em outro espaço, em outro tempo, em outro lugar.

E, não, vocês não estão sonhando: isso é a estrita Verdade.

Isso é sua maneira, para a Luz, de render-lhes Graças pela sua ação, de render-lhes Graças pelo seu trabalho de Abandono à Luz, pelo seu estado de Ser que, quaisquer que sejam os obstáculos, quaisquer que sejam as dúvidas, quaisquer que sejam os períodos mais ou menos difíceis, conduzem-nos a este dia novo, nesse tempo crucial onde a Cruz, em sua majestade e em seu aspecto glorioso, manifesta-se, em vocês e em seus Céus.

Resta-lhes, sempre, Despertar-se, ainda mais.

Isso corresponde ao processo matinal em que, em algumas manhãs, vocês acordam, talvez, mais ou menos nebulosos, levando algum tempo para retomar a consciência de sua limitação e da sua fragmentação.

Agora, o processo do seu Despertar e do seu Acordar torna-se, totalmente, ao oposto, porque é, nesses momentos, em que eu os chamo, e em que ressoa o Coro dos Anjos (ou o Canto dos carrilhões e dos sinos) quando vocês estão lúcidos.

É nesses momentos que vocês se Despertam, realmente.

Então, respondam ao Apelo.

Com uma grande Humildade.

Com uma grande Simplicidade.

Deixem-se traspassar.

Deixem-se penetrar pela Luz a fim de que o resto da sua pessoa se torne, na totalidade, clara, na totalidade, Transparente, na totalidade, Unificada.

Então, a Vibração do Estado de Ser irá alcançá-los em sua Graça, quer vocês vão ao seu Corpo de Estado de Ser, ou quer vocês permaneçam aqui, plenamente presentes a vocês mesmos, sobre esta Dimensão.

Vocês saberão, então, que o momento coletivo (da Terra) do meu Apelo se precisa e está, agora, muito próximo.

Então, vão na Alegria.

Vão na Paz.

Vão na Unidade e na Simplicidade.

Que o seu olhar se torne límpido.

Que os seus gestos se tornem límpidos.

E, sobretudo, Amem-se uns aos outros como Ele os Amou.
Vejam tudo com o mesmo Amor.

Vejam tudo com a mesma constância.

Vejam tudo com a mesma Graça.

Estejam totalmente presentes a vocês mesmos, especialmente nos momentos em que a Luz os chama, pela minha Voz ou pela Voz de uma das 12 Estrelas ou, ainda, pelo Canto da Luz, o Canto do Céu e da Terra, o Canto da Alma e do Espírito.

O Canto das Núpcias de Luz chegou até vocês.

Para aqueles de vocês que não participaram como Ancoradores e Semeadores de Luz (porque a opacidade impediu Vibrar, neles, pelo medo ou por quaisquer outras razões que sejam), hoje, isso vai se abrir, para vocês, dando-lhes a viver, se vocês tiverem confiança, na totalidade, seu Acordar e seu Despertar.

Dando-lhes, então, a Graça da criança que descobre um mundo maravilhoso que é aquele da Unidade, aqui mesmo, neste corpo, sobre esta Terra.

Então, vocês serão, a cada dia, cada vez mais numerosos a viver esta Graça porque o tempo da Graça individual, agora, tornou-se (neste instante crucial) o tempo da Graça coletiva onde ninguém poderá ignorar, dentro de pouco tempo, o Apelo da Luz e a Graça do Despertar e do Acordar.

É tempo, também, de reconfortar aqueles que, ao redor de vocês, não conhecem a Luz, aqueles que estão (pelas leis deste mundo) confinados, ainda mais, na Ilusão, em sua personalidade, em suas resistências.

Sejam, para eles, um farol.

Deem-lhes a compreender, com Simplicidade, com palavras simples, com Humildade, o que é a Luz.

Sua Presença, desde já, será, para eles, o meio de interrogar-se e, talvez, de me ouvir, antes do momento coletivo.

Porque, quanto mais vocês forem numerosos a me ouvir, quanto mais vocês forem numerosos a ouvir o Canto do Céu e da Terra e o Canto da Luz, melhor esse momento coletivo irá desenrolar-se.

Deste modo, restam-nos dois encontros (ndr: nos dias 07 e 14 de janeiro de 2012).

Durante essas duas semanas do seu tempo terrestre, vocês irão constatar a amplificação e a clareza (cada vez mais límpida) do meu Apelo, pelo seu primeiro nome.

Vocês não estarão sonhando.

Sou eu quem os chama, um por um, preparando-os, desta forma, preparando seu Templo para acolhê-Lo: Ele, que se tem, doravante, no centro dos vinte e quatro Anciãos.

O Sol está pronto.

O conjunto do sistema solar aguarda, agora, a boa vontade da Terra.

Ela, também, está pronta.
Tudo está, então, pronto para viver o que é para viver, a fim de finalizar o Despertar e o Acordar, a saída da Ilusão, a entrada na verdadeira Vida.

Tenham um pensamento claro.

Tenham, se vocês Vibram, um Coração puro, para o conjunto desta Terra, que ainda muitos dos meus Filhos não estão prontos para viver isso, por falta de conhecimento ou, ainda uma vez, por medo.

Mas isso não tem importância porque vocês estão aí e vocês são, de algum modo, nossos retransmissores, para a Graça.

Sua memória, também (aquela de outros lugares e não das suas encarnações), suas lembranças de sua origem, suas lembranças de Luz (bem antes da encarnação), vão, para cada um de vocês, voltar ao seu modo, trazendo, aí também, uma Pedra de Luz ao seu Despertar.

Estejam vigilantes, estejam atentos, estejam à escuta porque eu os chamo e eu irei chamá-los, cada vez mais nitidamente.

Eu virei aquecer seu Coração, eu virei preparar, se tal for sua escolha, sua Dissolução na Luz, dando-lhes a viver no espaço de suas noites, de seus Alinhamentos, os instantes de Graça que, jamais, vocês vivenciaram.

Tudo isso contribui para este momento coletivo que está próximo e iminente.

Nós estamos com vocês porque nós somos vocês.

Tudo isso, vocês irão vivê-lo.

Vocês podem também nos chamar, vocês podem também nos pedir a Graça e a Luz porque não há mais obstáculo à nossa comunicação e, sobretudo, à nossa Comunhão.

Isso irá se tornar cada vez mais evidente, a partir do momento em que sua consciência se focar sobre nós e na Luz.

Vocês não poderão mais duvidar.

Vocês não poderão mais ter dúvida sobre o que quer que seja do que nós lhes dissemos, dos encontros que nós lhes demos, a fim de Vibrar ou de Comungar, na Graça.

Nós estamos, doravante, no quarto ano, que vai iniciar, desde as Núpcias Celestes, instalando, durante o período até o seu mês de julho deste ano, a maior probabilidade do seu momento coletivo.

Então, estejam na Alegria.

Mas estejam totalmente Presentes a vocês mesmos.

Estejam totalmente Presentes à Luz.

Estejam totalmente Presentes à nossa Comunhão, às nossas diversas formas de comunicação, que isso seja conosco, mas, também, entre vocês e, sobretudo, com vocês mesmos.

Vocês sairão daí, nesses instantes, nesses momentos, com a Alegria no Coração.

A Dúvida jamais poderá habitá-los porque, naquele momento, a personalidade (seu mental, suas emoções) apenas poderá se apagar diante da majestade.

Eu terminarei aí minhas palavras.

Eu os convido a me escutar e, sobretudo, a me ouvir, individualmente.

Porque, se vocês prestarem atenção à minha voz, ou ao som de nossa Comunhão, vocês irão fortalecer nossa conexão e eliminar toda distância entre vocês e nós.

Vocês irão viver, então, contatos, cada vez mais intensos, cada vez mais verdadeiros, e cada vez mais Luminosos, com vocês mesmos, com seus Irmãos e suas Irmãs encarnados, e, também, conosco.

Então, nós iremos dançar, juntos, a Ronda da Unidade.

Preparem-se.

Preparem-se, na Humildade, na Simplicidade.

O momento chegou de vocês Despertarem, na totalidade, de despertar, em vocês, o que os Arcanjos chamaram de sua dimensão de Semente Estelares.

Tudo isso lhes retorna porque os véus da Ilusão foram dissolvidos, permitindo-lhes, se vocês estiverem atentos e se vocês se desviarem de algumas falhas que podem restar, ainda, em qualquer personalidade humana, mesmo a mais pura, então vocês irão reforçar o que vocês são, na Verdade.

Não há esforço a fazer.

Não há trabalho a efetuar.

Há, apenas, que escutar.

Há, apenas, que ouvir.

Há, apenas, que perceber.

E isso é possível, para cada um de vocês, de hoje em diante.

Como lhes disse o Comandante dos Anciãos, meu apelo é dirigido para toda a humanidade, e não mais somente aos Ancoradores e Semeadores de Luz, que ativaram suas três Lareiras ou uma das três Lareiras, mas, sim, a cada Irmão, a cada Irmã, encarnado, que se digna em me escutar e a me ouvir, preparando, assim, o apelo coletivo.

Eu vou, agora, deixá-los.

Eu voltarei dentro de uma semana, no mesmo dia, no mesmo horário, e aí, desta vez, eu responderei, talvez, às perguntas que vocês tiverem, em relação a este apelo, o fato de escutar e de ouvir.

Eu lhes transmito todo o meu Amor, que é o Amor de vocês.

E eu lhes digo: até dentro de uma semana.

Que a Luz os preencha de Graça.

Porque vocês são a Graça.
 
Comunguemos.

Até breve.

... Efusão Vibratória / Comunhão ...
 
 
 
 
Áudio da Mensagem em Francês

Link para download: clique aqui
 
 
 
Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui
 
 
 
 
Mensagem de MARIA,
pelo site Autres Dimensions
em 31 de dezembro de 2011
 
 
 
 
 
Rendo Graças às fontes deste texto:
Tradução: Zulma Peixinho
Áudio:http://mensagensdeamor.webpt.net
 
 
 
 
 
 

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

FESTEJOS NATALINOS - O.M.AÏVANHOV - FRAGMENTOS

Dedico Graças à Krüger pela imagem
 
 
 
 
 
 
 
 
O SIGNIFICADO DOS
FESTEJOS NATALINOS


Pergunta: qual é a simbologia das festas de Natal?

Natal [NOEL] quer dizer o quê?

NO-EL, isso quer dizer ‘Sem os Elohim’.
NO-EL, é a festa sem Elohim, ou seja, sem a Luz.

Vocês veem como as coisas foram invertidas.
Mas é preciso colocar as coisas no seu contexto.

Quando vocês dizem a alguém « Feliz Natal » [‘Joyeux Noël’], vocês desejam a ele(a) um feliz dia Sem Luz.

É tão simples como isso.

E se tem denominado esse o dia do nascimento do Cristo, o que é arquifalso, em Verdade.

Vocês têm se revestido de palavras que significam o contrário, ao nível Vibratório, do que vocês creem.

Quando vocês desejam ‘bom ano’, vocês desejam Bom Anou [‘bon anou’].

Quem é Anou?


É Yaldébaoth [demiurgo].
Portanto, vocês festejam Yaldébaoth que aprisiona vocês por mais um ano.

Da mesma forma, quando vocês festejam seu Aniversário, vocês festejam Anou, vocês agradecem a ele por ter aprisionado vocês em seu corpo.

E aliás, tudo é feito, naquele dia, para que vocês não estejam na Luz, não é?

Através do álcool e de todas as carnes e todos os alimentos em abundância que vocês comem naquele dia.

De que maneira vocês pretendem estar na Luz, naquele dia, quando esse dia era antes de tudo a festa do renascimento do Sol?


Vocês têm uma visão geral das coisas como elas são modificadas
para vocês e tudo é assim.

Pergunta: há um sentido sagrado nas grandes festas religiosas como Natal [“Noël”]?

Primeiramente, Natal [“Noël”] não é uma festa sagrada.

É uma festa satânica, na totalidade: “NO EL”:
eu já expliquei.


O Natal está diretamente associado às festas pagãs que são festas de adoração a Yahvé (ou a Ya, ou a Yaldébaoth, aos Arcontes).

Não é, certamente, a festa do nascimento de CRISTO.

Portanto, não é uma festa sagrada.

Eu iria mesmo mais longe.

Toda comemoração, qualquer que seja, mesmo um acontecimento feliz, o mais feliz da sua vida, vocês têm desejo de vivê-lo.

Portanto, vocês o comemoram.

Mas, comemorar, é recorrer ao passado.
Isso os afasta do presente, qualquer que seja esta comemoração.

E isso os afasta da Deslocalização e isso os afasta do Estado de Ser porque vocês mantêm o confinamento.

Na comemoração, do aniversário ou da morte, é a mesma coisa: vocês mantêm o apego.

Vocês se aprisionam ainda mais.


O que vocês têm de comemorar é a Vida, a Luz e o Amor.
E, isso, é a cada sopro.

Isso é tudo.



Trecho da mensagem do venerável OMRAAM (Aïvanhov),
pelo site Autres Dimensions
em 05 de novembro de 2010 e 27 de dezembro de 2011







QUESTÕES - ARCANJO ANAEL - 29-12-2011 - COM ÁUDIO

Rendo Graças ao autor desta imagem
 
 
 
 
ARCANJO ANAEL
29/12/2011
 
 
 
 
QUESTÕES
 
 
Eu sou ANAEL, Arcanjo.
 
Bem amados Filhos da Luz e bem amadas Sementes Estelares, a Abertura da Porta Estreita, e sua Passagem da Porta Estreita, coloca-os frente a vocês mesmos, em sua própria Transparência, entre personalidade e Estado de Ser, levando-os a viver em meio a uma Consciência diferente, ampliada, levando-os a conscientizar, em vocês, o que deve sê-lo.

Eu trarei às suas interrogações as respostas e os esclarecimentos que lhes pareçam, e que nos pareçam, necessários.
 
Pergunta: eu tenho a impressão de reviver algumas resistências. Por quê?
 
Bem amado, para todo ser humano, atualmente, Ancorador e Semeador de Luz, existe um princípio de confrontação.

Esse princípio de confrontação coloca-os, cada um e cada uma, frente a vocês mesmos, não mais em relação à sua personalidade e às zonas de sombra, mas, bem diretamente, entre a personalidade e sua totalidade, e o Estado de Ser e sua totalidade.

A personalidade será, sempre, opacidade e resistência, qualquer que seja seu grau de refinamento, qualquer que seja seu grau de pacificação.

O Estado de Ser, quanto a ele, é Transparência.

O princípio de opacidade e de Transparência encontra-se em tudo o que vocês têm a viver.

Dessa maneira, aquele que está inscrito, em consciência, em meio à sua personalidade, vai ser afetado, conforme o caminho que lhe é próprio, por um conjunto de ressonâncias.

Que essas ressonâncias estejam ligadas ao seu ambiente pessoal, de pessoas ou, ainda, de ligações hipotéticas ou reais, referentes, por exemplo, como você exprimiu, à noção de família.

Esta noção de opacidade e de resistência da personalidade (ainda uma vez, qualquer que seja seu grau de purificação e de pacificação) vai traduzir-se, na pessoa, por um sentimento de mal-estar e por um sentimento de sufocamento.

Isso é um apelo para ignorar, para não lutar, para não se opor, mas, bem mais, para se estabelecer em meio à Transparência do Estado de Ser.

Porque a Transparência do Estado de Ser está consciente de todas as suas interrogações, mas não pode apresentar interface de reação ou de projeção, quaisquer que sejam, com relação tanto à família como a uma pessoa, qualquer que seja, do seu ambiente.

Deste modo, o que resistir, fará sofrer, sempre, o que existir em meio à personalidade.

Esta tomada de consciência destina-se, simplesmente, a levá-lo (como a levar cada um) a não ser, justamente, esta personalidade, mas, sim, ao que a Consciência, pelo processo nomeado Deslocalização, os faz sair da fragmentação, da opacidade e da resistência, a fim de estabelecê-los em meio à Transparência.

Porque, em meio à Transparência, nenhuma pessoa, nenhuma ligação, suposta ou real, pode afetar o Ser que você é, quando você está estabelecido em sua própria Luz.

Assim, o que lhes é, hoje, mostrado, é a demonstração do seu estado de Ser: Estado de Ser ou personalidade.

Não se trata de resolver conflitos vindos de um passado.

Não se trata mais de ver o que pode afetá-los, mas, sim, de transcender isso, não por reação, mas, muito mais, como um novo posicionamento da sua consciência, em meio à Graça.

Ou seja, de estabelecer-se na Transparência onde absolutamente nada, nem de sua personalidade, nem do seu ambiente, nem das ligações, reais ou supostas, pode afetar o que vocês são, porque a Transparência do Estado de Ser não pode ser afetada pelo que quer que seja pertencente, justamente, à personalidade.

E eu diria, para isso, que todos os meios são bons, para cada um de vocês, a fim de que a Inteligência da Luz faça a demonstração do seu posicionamento de consciência, justamente, em meio a este mundo onde vocês estão.

Vocês estão localizados ou vocês estão deslocalizados?

Vocês estão fragmentados ou vocês estão Unificados?

O conjunto das circunstâncias das suas vidas, durante este período, chama-os, não a uma vigilância, mas, sim, a uma conscientização do seu estado: Transparência ou não Transparência.

A partir do momento em que a consciência se posiciona na Unidade, naquele momento, o que quer que possa existir em meio à personalidade (sofrimento do passado ou sofrimento do presente, projeção no passado ou projeção no futuro), nada mais disso (que são apenas jogos da personalidade) pode afetar sua consciência, confirmando, assim, seu estabelecimento no Estado de Ser.

O conjunto de circunstâncias que vocês têm a viver são desafios, justamente, destinados a demonstrar-lhes o lugar onde vocês se colocam.

E ser Transparente (ou se tornar Transparente) não é uma atitude, mas, sim, aceitar tornar-se outra coisa que a personalidade que resiste a uma pessoa, a uma circunstância ou a uma condição, quaisquer que elas sejam.

Isso pode passar por relacionamentos familiares.

Isso pode passar por uma pessoa que os colocam, vocês mesmos, em resistência e na reação.

Aquele que está Transparente não pode ser afetado por qualquer pessoa ou por qualquer circunstância que seja.

Quem é afetado?

Isso permanecerá sempre o que vocês chamam de personalidade: a consciência limitada e fragmentada que apenas existe, justamente, porque há afecção, qualquer que seja.

Não há que ver.

Não há que julgar.

Há, apenas, que constatar e se elevar, em consciência, nos espaços do Estado de Ser, pelo próprio princípio nomeado Deslocalização, permitindo extrair-se da ilusão da personalidade, de seus jogos de sofrimento, de seus jogos de reação.

Não há melhor maneira de desvencilhar-se, de desidentificar-se de qualquer problema porque os problemas, quaisquer que sejam, não têm de ser identificados como exteriores ou interiores, porque eles irão se situar, de qualquer modo, sempre e eternamente, em meio à ilusão nomeada personalidade.

A Transparência é o princípio do que existe no ar.

O ar jamais está parado e jamais para.

Ele se contenta em Ser.

A Luz passa através do ar.

Uma onda passa através do ar.

O ar carrega a onda, ele Vibra, mas não é modificado em sua consistência e em sua natureza.

A partir do momento em que você está sendo alterado (por uma emoção, por um pensamento, por uma Vibração mesmo), isso assinala, simplesmente, que há opacidade e não Transparência, levando-o não a se julgar, não a se retirar, mas, sim, a estabelecer-se em um outro estado de Ser que é aquele do Estado de Ser.

Trata-se, de algum modo, de uma injunção amorosa da Luz para estabelecê-lo além das zonas de sombra da personalidade, de suas próprias zonas de opacidade, de suas próprias zonas de resistência.

Desde que há reação, qualquer que seja, no corpo ou na manifestação, há, necessariamente, presença e ação de uma personalidade, qualquer que seja.

Aquele que está estabelecido no Estado de Ser (que é, eu os lembro, sua finalidade, se tal for sua aspiração) não pode ser afetado por qualquer palavra que seja, por qualquer situação que seja e por qualquer distúrbio desse corpo que seja.

É assim que vocês realizam seu aprendizado da Deslocalização.

Enquanto vocês estão localizados, enquanto vocês são persuadidos de ser este corpo, de ser esta história, de uma maneira ou de outra, vocês não podem viver a Transparência.

É a isso que os chama a sua experiência.

É a isso que os chama a Luz, de hoje em diante.

Enquanto existe em vocês uma zona de resistência ou uma zona de interrogação, isso vem, evidentemente, da personalidade, já que o Estado de Ser, a Deslocalização da Consciência Unificada, não permite a interrogação, mas é resposta, em seu princípio imanente e emanante.

A personalidade vai esperar, sempre, ser reconfortada dizendo-lhe que ela tem razão.

O problema não é ter razão ou ter culpa, o problema é elevar-se além deste estado.

Enquanto o eu estiver presente, independentemente do que for vivenciado (pela experiência de Alinhamento ou pela experiência dita espiritual), a personalidade vai apreender-se do que é vivenciado, como uma justificativa para o Estado de Ser.

Aquele que está estabelecido no Si (ou que está se tornando) não pode ser afetado por qualquer ruído que seja, por qualquer palavra que seja, ou por qualquer situação que seja.

Esse é o objetivo.

E isso não pode ser resolvido por qualquer fuga ou por qualquer isolamento.

Porque o que pede isso não pode ser, em caso algum, a Transparência do Estado de Ser, mas é apenas a tradução da opacidade da personalidade.
 
Pergunta: quais são os efeitos da utilização do computador?
 
Bem amada, eu completarei o que foi dado, desde o verão passado (inverno, no hemisfério sul), por aquele que se chama IRMÃO K (ndr: canalização de 07 de julho de 2011) com relação à falsificação do Eixo ATRAÇÃO / VISÃO.

Tudo o que o olho vê, neste mundo, não é a Verdade.

Tudo o que é transmitido pelo que vocês chamam de virtual ou de tela apenas faz reforçar a opacidade da personalidade.

Enquanto vocês são seduzidos por uma imagem (mesmo aquela de um corpo, mesmo aquela de um cinema, de um filme) e, com mais razão, veiculada por uma tela (portadora, ela mesma, de uma certa onda, colorida, mas distorcida), além de um período de tempo (que é variável para cada um e que é eminentemente específico a cada um), provoca um aumento em sua opacidade.

Traduzindo-se, de maneira cada vez mais perceptível, mais ou menos rapidamente, por uma diminuição Vibratória fazendo-os entrar, cada vez mais, nas zonas de resistência.

Naturalmente, para cada um de vocês, o limite é diferente.

Naturalmente, para cada um de vocês, o fato de poder suportar isso é diferente, mas, em última análise, qualquer que seja o ponto de onde vocês partem (quanto à sua tolerância), vocês se dão conta, muito rapidamente, de que todo o princípio de visão afasta-os da Verdade e, então, fortalece a personalidade.

Isso é inexorável.

O mundo onde vocês estão é um mundo de ondas.

O mundo onde nós estamos, que se aproxima do seu, é um outro mundo de ondas.

As ondas que vocês frequentam, que vocês conhecem e que se traduzem, mesmo, pelo seu corpo, são construídas na Dualidade, na ação e reação.

O mundo que nós propomos a vocês é um mundo de ondas Unificadas onde a Transparência é a regra, onde não existe qualquer alteração ligada à percepção.

O que não é totalmente o caso no que se refere aos seus sentidos, no que se refere aos seus hábitos, quaisquer que sejam.

O objetivo da Ascensão, de maneira preliminar, para vocês, Ancoradores e Semeadores de Luz, é realizar um novo hábito.

Onde estão seus hábitos?

Eles estão nos princípios desta vida desse mundo, ou eles estão prestes a se estabelecer no Estado de Ser?

Em resumo, vocês passam mais o tempo em meio à Unidade, ou vocês passam mais o tempo em meio à personalidade?

É este princípio que está em andamento e que está em operação, no Interior de vocês como sobre este mundo.

Dessa maneira, então, cabe a vocês, respeitando sua liberdade, compreender e viver o efeito das diferentes ondas deste mundo em relação à onda da Luz.

Isso diz respeito, é claro, tanto às atrações, quaisquer que sejam (visuais ou outras, sensoriais ou outras), referindo-se também aos seus hábitos de consumo (visual, alimentar, viciante ou outro).

O limiar de tolerância irá se tornar, para cada um de vocês, cada vez mais baixo, com relação aos seus hábitos.

Cabe a vocês decidir, agora mais do que nunca: vocês querem ser Luz ou vocês querem manter as resistências e as opacidades?

A Pureza está a caminho.

Ela não é uma palavra em vão.

Ela não é um objetivo tardio.

Ela não está ligada ao novo mundo e ao estabelecimento da Consciência nesse novo mundo que chega, mas ela está bem presente, para trabalhar, em vocês, a partir de agora.

Esse é o trabalho realizado por MARIA durante as cinco semanas que ela lhes anunciou (ndr: intervenções dos dias 17, 24 e 31 de dezembro de 2011, e dos dias 07 e 14 de janeiro de 2012).

Não há melhor preparação do que se tornar totalmente Puro, totalmente Transparente.

Não por uma vontade deliberada da personalidade para se Purificar, mas, sim, pelo estabelecimento da sua consciência em meio à onda nova, colocando-os em defasagem em relação à onda antiga.

Existe, então, um limiar ou um limite, que é encontrar para cada um de vocês, enquanto tendo, desde já, consciência (se isso já não é fato) de que este limiar e este limite serão reduzidos, cada dia um pouco mais, até o momento em que vocês estarão na Pureza, quaisquer que sejam as atividades, quaisquer que sejam as reações porque vocês não serão mais referidos pelas atividades ou pelas reações.

Naquele momento, sua Consciência será deslocalizada.

Existem, para cada um de vocês, zonas particulares da consciência, colocando-os frente a esse princípio de Pureza.

Eu lembro que a Pureza não tem que ser decidida exteriormente (senão isso seria uma coação ou uma vontade pessoal), mas, sim, que ser confrontada pela própria experiência.

Deste modo, um vício, qualquer que seja, confronta-os ao seu próprio limite em relação ao vício.

Eu falo, por vício, tudo o que é, de maneira ampliada, chamado de hábito, qualquer que seja este hábito.

A onda da personalidade, a frequência Vibratória da personalidade afasta-se, cada vez mais, da frequência do Estado de Ser.

Isso representa, para vocês, o seu ‘choque da humanidade’.

É o choque do ser humano, em vocês.

Vocês são seu sofrimento?

Vocês estão identificados ao seu passado ou vocês estão identificados ao Ser que vocês são, além da ilusão deste mundo?
 
Pergunta: há uma diferença entre jogar os jogos no computador ou em outro suporte?
 
Completamente, pela própria onda emitida pelo que vocês chamam de tela.

Eu os remeto, para isso, ao que disse IRMÃO K (ndr: canalização de 07 de julho de 2011) com relação à noção de tela, e ao que disse, em particular, a Estrela NO EYES (ndr: canalização de 26 de agosto de 2011) com relação à virtualidade.

Existe uma noção de medida, mas esta medida é infinitamente pessoal.

Entretanto, lembrem-se de que o limiar de tolerância irá se tornar cada vez mais tênue, não os chamando a tornarem-se intolerantes, mas a viver a experiência da diferença de onda (mesmo em meio às suas atividades ordinárias deste mundo) referente ao estado no qual vocês estão.

Independentemente do que vocês façam, vocês estão na Unidade ou vocês estão na opacidade?

A resistência de cada um, e o limiar de tolerância de cada um, é, obviamente, profundamente diferente, mas, aí também, qual é a finalidade?

Aquele que joga, joga sozinho.

Aquele que fuma, fuma sozinho.

Aquele que compartilha uma refeição, partilha-a com os outros.

Aquele que bebe sozinho não é aquele que bebe em grupo.

O princípio está aí.

Vocês irão constatar, por vocês mesmos, os efeitos, sobre sua consciência, de tal atitude ou de tal outra atitude.

Vocês estão na alegria ou vocês não estão na alegria?

No conjunto das ações que vocês realizam (mesmo uma atividade doméstica tomando o seu dia, na sua totalidade), vocês estão na alegria ou vocês não estão na alegria?

É preferível, e de longe, sentir prazer (se tal é o seu desejo) de vez em quando, mas não de maneira regular.

O hábito e a regularidade provocam, no ser humano (devido à sua conformação de ondas Vibratórias, energéticas e de consciência), um afastamento da Unidade.

É isso que lhes aparece cada vez mais claramente.

É isso que está prestes a se revelar, neste momento mesmo.

A melhor maneira, hoje, de esvaziar o mental é estar no Estado de Ser e não mais provir o mental.

O que vocês vivem, atualmente, nada tem a ver (e vocês o vivem) em relação ao que era para viver desde seis meses.

A intensificação da onda do Amor e da Luz leva-os a reposicionarem-se, em suas vidas, e em vocês.

É muito mais simples realizar a seguinte experiência: passar 24 horas apenas pensando na Luz e apenas mantendo a Vibração do seu Ser, qualquer que seja a elevação, independente do que vocês façam, e vocês irão constatar, muito depressa, que o que é contrário à Luz não pode ser mantido.

A onda da personalidade puxa-os para a opacidade, mas, também, para a resistência e para o sofrimento.

A onda da Luz move-os para o Amor e para a Alegria.

Tudo o que vocês têm que reencontrar (como pessoas, como energias, como situações), desde pouco tempo e, sobretudo, desde a primeira intervenção de MARIA (em 17 de dezembro de 2011), destina-se apenas a fazê-los tomar consciência do que resiste, em vocês, não em relação às suas problemáticas, quaisquer que sejam, para resolver, mas do que resiste, em vocês, ao estabelecimento na Luz e na Unidade.

Levando-os, nem a julgar, nem a condenar, nem a avaliar, mas, simplesmente, para estar lúcido a fim de se tornar Transparente.

Porque existe, além dessas reações e dessas ressonâncias, um estado do seu Ser onde apenas existe a paz, o silêncio: aquele da Transparência.

Aguardando outras perguntas, eu irei resumir o sentido de suas interrogações, e do que eu digo, a isso: durante os anos anteriores ou os meses anteriores, ou até mesmo nas décadas anteriores dependendo de quem vocês são, havia um jogo da Luz permitindo, primeiramente, revelar, em vocês, as zonas de sombra, levando-os a experimentar alguns estados da consciência e de Vibrações.

Hoje, tudo isso deve ser transcendido.

Tudo isso deve ser superado.

É o próprio princípio do que nomeou o Comandante dos Anciãos, a Deslocalização (ndr: intervenção de O.M. AÏVANHOV de 27 de dezembro de 2011).

Se vocês estão deslocalizados, vocês vivem a Unidade.

Vocês não são, portanto, nem esse corpo, nem suas percepções, nem sua história, nem seu futuro, nem seu passado, nem o humor que vocês manifestam.

Ora, enquanto vocês estão identificados a uma das partes do que eu acabo de nomear, vocês não podem viver a Deslocalização.

Esta Deslocalização não deve ser experimentada, unicamente, durante alguns estados de Alinhamento, durante alguns trabalhos Vibratórios que vocês fazem, mas, sim, se tornar seu cotidiano e seu costume, vindo substituir os hábitos distorcidos da personalidade, ligados à sua própria história, aos seus próprios humores, às suas próprias emoções, e às suas próprias reações.

Não há alternativa.

Na imagem, vocês chegam ao topo da montanha, mas vocês não são aquele que está no topo da montanha.

Vocês são muito mais do que isso porque vocês são a própria montanha.

Vocês são a totalidade do criado, a totalidade dos Universos, em sua Consciência.

A desidentificação desse corpo é indispensável, de hoje em diante.

Isso não irá impedi-los de agir, de ser e de fazer, mas irá lhes dar um olhar novo sobre sua vida, sobre sua Consciência e sobre o que vocês são, principalmente.
 
Pergunta: fazer a experiência da Deslocalização equivale a viver a Consciência Unificada?
 
Não há correlação, nem sobreposição, entre o acesso à Consciência Unificada (ou seja, ao Estado de Ser fora desse corpo) e a Deslocalização que, ela, se vive, é claro, nesse corpo.

O processo de Deslocalização resulta, de algum modo, de uma desidentificação, mas não de uma saída desse corpo.

A Consciência pode se expressar em outra pessoa, em uma árvore, em um sol, em uma estrela, mas ela está, no entanto, sempre inscrita na realidade desse corpo.

Isso não é a mesma coisa que viver a Consciência Unificada fora desse corpo.
 
Pergunta: quais são os sinais que podem mostrar que vivemos a Deslocalização?
 
Não há sinais.

Há, simplesmente, a vivência, ou não, da Deslocalização.

Sua consciência não é mais esse corpo.

Ela é o outro.

Ela é o Universo.

Ela é a folha da grama.

Ela é o pássaro.

Os únicos sinais, para aqueles que a vivem, são a intensificação das Vibrações, a intensificação dos sons e, é claro, as modificações concomitantes da Consciência, ou no sentido da resistência, ou no sentido da Transparência.

Bem amados Filhos da Luz, bem amadas Sementes de Estelares, é tempo, agora, para mim, de deixá-los Viver e Ser.

Permitam-me saudá-los pela Consciência e pela Presença da Graça de nossa Comunhão.
 
Eu lhes digo,
até muito em breve e até hoje à noite para as Radiâncias.

... Efusão Vibratória / Comunhão ...
 
 
 
 
Áudio da Mensagem em Francês

Link para download: clique aqui
 
 
 
Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui
 
 
 
 
Mensagem do ARCANJO ANAEL,
pelo site Autres Dimensions
em 29 de dezembro de 2011
 
 
 
 
 
Rendo Graças às fontes deste texto:
Tradução: Zulma Peixinho
Áudio:http://mensagensdeamor.webpt.net
 
 
 
 
 
 

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

VOCÊ PODE USAR O MEDO PARA MEDITAR - OSHO


Rendo Graças ao autor desta imagem

VOCÊ PODE USAR O MEDO
PARA MEDITAR


Dê vazão ao medo, não brigue com ele.
Observe o que está acontecendo.
Continue observando.

Quando a sua observação se tornar mais penetrante e intensa, o corpo tremerá, a mente se agitará, mas lá no fundo você será consciência, que é apenas uma testemunha, que só observa. Ela permanece intacta, como uma flor de lótus na água. Só quando você atinge esse ponto pode chegar ao destemor.

Mas esse destemor não deixa de ter medo, esse destemor não é valentia. Esse destemor é uma constatação de que você é dois: uma parte de você morre e uma parte de você é eterna.

Essa parte que vai morrer sempre vai ter medo, e a parte que não vai morrer, que é imortal, não tem por que ter medo. Então surge uma profunda harmonia.

Você pode usar o medo para meditar.
Usar tudo que você tem para meditar, de modo que vá além.




Osho, em
"Saúde Emocional: Transforme o Medo, a Raiva
e o Ciúme em Energia Criativa"



Dedico Graças à fonte:

PROTOCOLO: DESLOCALIZAÇÃO DA CONSCIÊNCIA

 
 
 
 
      PROTOCOLO:     

DESLOCALIZAÇÃO
DA CONSCIÊNCIA

Informações transmitidas por O.M. AÏVANHOV, em 27de dezembro de 2011
Uma segunda intervenção completará esta, até meados de janeiro de 2012.

Para pôr em ação o princípio e a função de Deslocalização da Consciência.
Para favorecer o Trabalho no Branco, a desidentificação, consciente, do corpo.

PRINCÍPIO


Diferentes posições e um movimento da cabeça permitem a Revelação da Luz sobre pontos específicos do corpo.

Isso facilita a revelação da multidimensionalidade.

Os Pontos e Zonas citados são desenvolvidos há vários meses pelos diferentes intervenientes.

Vocês encontrarão os detalhes nas rubricas «mensagens a ler» e «protocolos a praticar».

Os Triângulos são desenvolvidos, por exemplo, no protocolo «as Doze Estrelas de Maria».

«Pro memoria», apenas a localização é lembrada abaixo:

Posição 1 – Indiferente


A cabeça é colocada no eixo do corpo, sem movimento (o olhar coloca-se diante de si).

Ponto(s) ativado(s):

- ER da cabeça: na fonte da cimeira da cabeça, no cruzamento da linha que passa pela ponta das duas orelhas e da linha que passa pelo nariz e o occipital.


- ER do peito: no eixo do esterno, em sua parte superior, acima do chacra do Coração, na corcova do esterno, chamada ângulo de Louis.


________________________________________________

Posição 2 - Flexão

A cabeça é inclinada para a frente.

Ponto(s) ativado(s):

- Ponto KI RIS TI (nas costas): entre as omoplatas, a meia altura, sob a quinta vértebra dorsal (Raiz do chacra do Coração).




- Triângulo da Terra (parte traseira da cabeça).


__________________________________________

Posição 3 – Extensão

A cabeça é inclinada para trás.

Ponto(s) ativado(s):

- OD do peito: na ponta do esterno.

- ER do peito: no eixo do esterno, em sua parte superior, acima do chacra do Coração, na corcova do esterno, chamada ângulo de Louis.

- Triângulo do Fogo (à frente da cabeça).


_______________________________________

Posição 4 – Inflexão lateral esquerda

A cabeça é inclinada do lado esquerdo (como se a orelha esquerda fosse colocar-se sobre o ombro esquerdo).

Ponto(s) ativado(s):

- Triângulo da Água (no lado direito da cabeça).


______________________________________

Posição 5 - Inflexão lateral direita

A cabeça é inclinada do lado direito (como se a orelha direita fosse colocar-se sobre o ombro direito).

Ponto(s) ativado(s):

- Triângulo do Ar (no lado esquerdo da cabeça).


_________________________________

Movimento - lemniscata (chamado, também, o símbolo do infinito: )

A cabeça traça um «8», no plano, cujo ponto de cruzamento é a garganta.

Pode-se começar, indiferentemente, para a direita ou para a esquerda.

Se a lemniscate é difícil de reproduzir (a cabeça que vai, no plano, para trás), um movimento leve basta: é a intenção que conta.


Ponto(s) ativado(s):

- OD, ER, UNIDADE e AL do peito e KI-RIS-TI das costas, de modo sincrônico.

Em prática

- Sentado ou em pé,
- os olhos fechados,
- a boca entreaberta,
- a respiração é nasal (inspirar e expirar pelo nariz).

Depois, sigam seu sentir, sabendo que:

- a ordem não tem importância, entre as cinco posições e o movimento de lemniscata.
- as cinco posições e o movimento podem ser praticados independentemente uns dos outros.
- Vocês podem, também, encadeá-los, não importa em qual ordem.
- Centrar-se no movimento ou na posição. Nada mais. Vocês podem, também, dizer, interiormente: «Eu sou UM».
 
 
 
 
Protocolo publicado no site Autres Dimensions
em 27 de dezembro de 2011




Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte:


http://www.autresdimensions.com


QUESTÕES - O.M.AÏVANHOV - 27-12-2011

Rendo Graças ao autor desta imagem
 
 
 
 
OMRAAM MIKHAËL
AÏVANHOV
27/12/2011
 
 
 
 
QUESTÕES
 
 
E bem, caros amigos,
eu estou extremamente contente de reencontrá-los.

Eu lhes transmito, primeiramente, todas as minhas bênçãos.
 
Eu pedi para voltar entre vocês para, se vocês bem quiserem, responder às questões que vocês se colocam.

Vocês sabem que MARIA lhes disse que as Vibrações, e sua Consciência, iriam viver movimentos (digamos) importantes, não é? (ndr: intervenções de MARIA dos dias
17 e 24 de dezembro últimos).

E vocês estão prestes a viver esses movimentos: mesmo se vocês têm a impressão de que tudo está imóvel, tudo se move.

Então, nós iremos responder às perguntas que uns e outros têm para submeter-me.

Se houver necessidade de completar algumas coisas, que não teria sido levantado por suas perguntas, então, naquele momento, eu completarei o que tenho a dizer.

Mas nós iremos, inicialmente, escutá-los, e nos escutar, uns e outros.
 
Pergunta: nos espaços de Comunhão ou durante um sono leve, eu vi um esvaecimento da minha personalidade e do meu corpo, eu ouço diálogos e eu vejo, interiormente, situações que me concernem. Ao que isso corresponde?
 
Então, caro amigo, nos momentos de Comunhão, nos momentos de meditação (como nos momentos, também, em que sua Consciência se modifica), isso chega cada vez mais facilmente, qualquer que seja a maneira que vocês vivam.

Isso vai se traduzir por um processo que se chama Deslocalização da Consciência.

O que isso quer dizer, a Deslocalização da Consciência?

É ser capaz de não mais estar localizado neste corpo, nesta personalidade.

É uma abordagem, se vocês quiserem, em meio a esta Dimensão onde vocês estão, da Multidimensionalidade.

Portanto, é um processo perfeitamente normal.

Nós sempre lhes dissemos que vocês eram Seres (e nós somos, todos, Seres) Multidimensionais.

É somente nesta Dimensão (onde todos nós estivemos, e onde vocês ainda estão) que vocês têm a impressão de estar limitado por em corpo e por uma personalidade.

Todo o trabalho da Luz, do Ancoramento da Luz, do desdobramento da Luz, sobre este mundo como em vocês, tem, por única função, Liberá-los (isso vocês sabem).

O que é a Liberação?

O que é a Liberdade?

É, justamente, não mais estar limitado a este corpo e a esta pessoa.

Quando a alquimia da Luz é realizada no Interior de vocês, então, é claro, abrem-se novos espaços de comunicação.

Nessa Comunhão com a Luz, nessa Comunhão com vocês mesmos, ou com outros Irmãos e Irmãs, vocês têm a possibilidade, agora, de começar a viver, de maneira mais concreta, o que chamamos de Deslocalização.

Dando-lhes a fazer a experiência que vocês não são nem este corpo, nem esta personalidade.

Enquanto isso era uma ideia, enquanto isso era algo que vocês acreditavam, porque fazia parte do que lhes diziam ou do que vocês leram, isso lhes parecia, talvez, inacessível, mas, hoje, vocês fazem a experiência concreta.

É por esse processo que vocês chegarão, no momento oportuno (decidido, eu os lembro, pela Terra, de maneira coletiva), a não mais estar localizados, em Consciência, neste corpo, nesta pessoa e neste mundo.

Para os Ancoradores da Luz, e para todos aqueles que vivem esses processos particulares, é o mecanismo da Ascensão, propriamente falando, que está prestes a acontecer para vocês.

É muito exatamente isso.

A Ascensão consiste em não mais estar identificado, a não mais estar localizado a um corpo, a uma pessoa e a uma vida, tal como vocês vivenciaram aqui.

É muito exatamente o que é, de diferentes modos (e eu penso que nós teremos outras perguntas sobre isso), sua maneira de Viver a Multidimensionalidade.

Porque, qual é o objetivo de fazer esta experiência, além de realizar o Estado de Ser, além de realizar a Ascensão?

Isso lhes dá, de maneira indiscutível, a prova de que vocês não são nem este corpo, nem esta pessoa, nem esta personalidade.

Portanto, é muito, muito bom viver isso.

Isso pode, também, chegar-lhes de maneira menos virulenta (eu diria), em alguns de seus sonhos, em alguns de seus reencontros, à noite, que não são mais perfeitamente sonhos.

Mas que são (eu diria) outra realidade e outro estado da Consciência, que se revelam a vocês.

E isso vai se fortalecer, como lhes disse MARIA, a cada dia e a cada semana (ndr: ver a intervenção de
MARIA de 24 de dezembro).

Ou seja, no momento vindo (coletivo, ou mesmo se seu momento for anterior), vocês não terão qualquer dificuldade, nem qualquer medo para abandonar o que vocês acreditavam ser, até agora, a vida (isto é, este corpo e esta pessoa).
 
Pergunta: eu tive problemas cardíacos, brônquicos, bloqueios do diafragma, crises de taquicardia e de ansiedade que me levaram ao atendimento de urgência onde me disseram que os exames gerais cardíacos e sanguíneos estavam bons. Ao que isso corresponde?
 
Então, caro amigo, isso não é uma urgência médica, é uma urgência espiritual.

Isso significa que todos esses sintomas (e vocês são muitos a vivê-los sobre a Terra), que isso seja as modificações do ritmo cardíaco, que isso seja as dores em diversos pontos, em diversas zonas do peito, que isso seja as dificuldades respiratórias ou os problemas de garganta, estão, muito precisamente, conectados à ativação, eu diria, quase final, da Lemniscata Sagrada.

Correspondendo, às vezes, ao rompimento do pericárdio e, também, à transformação que foi denominada (eu creio) a Passagem, pela terceira vez, da Porta OD.

Então, é claro, a personalidade, ela coloca-se questões porque vai ali ter palpitações, vai ali ter paradas cardíacas, vai ali ter o que vocês chamam de inflamações do pericárdio.

Mas tudo isso está, muito exatamente, em ressonância direta com os processos de Passagem da Porta Estreita e com sua Ascensão.

Como vocês creem que irão Ascensionar?

Portanto, tudo que atinge, ou os brônquios, ou o chakra da garganta, ou o chakra do coração, ou o próprio coração (em seu ritmo ou nas dores torácicas), é estritamente normal no período que vocês vivem.

E isso irá (eu diria) amplificando-se e aumentando.

Mas lembrem-se de que não há qualquer razão para ter ansiedade, porque, gradualmente e à medida que esse processo é desencadeado (se ele é desencadeado para vocês), vocês irão constatar que, se vocês desviam sua Consciência (sua Atenção, sua Intenção) do que vive o coração (ou os brônquios, ou o tórax), vocês irão penetrar, justamente, nesses processos de Deslocalização da Consciência, deste corpo, deste espaço, deste tempo e da sua vida.

É por meio dessas experiências, que vocês realizam, que vocês vivem sua Ascensão.

A garganta é uma zona extremamente importante.

Vocês se lembram, há pouco mais de um ano, houve a Passagem da garganta, que foi dirigida (se podemos dizer) por URIEL: era a Reversão da garganta, a eliminação de algumas Sombras, foi uma Passagem.

Hoje, a Abertura da Porta OD é, também, outra Passagem que vocês fazem.

É a Passagem da consciência dissociada, fragmentada, à Consciência Unificada.

É diferente do que ocorreu durante as Núpcias Celestes, onde alguns deixavam o corpo para ir ao Corpo de Estado de Ser.

Hoje, a Multidimensionalidade vive-se diretamente nesta Dimensão, onde vocês ainda estão.

É o que nós ilustramos (uns e outros, e, também, os Arcanjos), quando nós lhes dissemos que nossa Dimensão, nossas Dimensões, estavam, agora, como encaixadas umas nas outras.

A precipitação das Partículas Adamantinas no manto da Terra, o desdobramento da Luz em meio às suas estruturas, é responsável (é claro) por esses processos corporais, ou por esses processos de consciência, ou (e nós o esperamos, muito em breve, para muitos de vocês) de maneira conjunta.

Vocês constataram que é nos momentos em que há esses processos Vibratórios, extremamente intensos, que, se vocês não entram em resistência (ou seja, se vocês não têm ansiedade para o seu corpo, se vocês não têm ansiedade para a sua pessoa), se vocês eliminam tudo isso, não combatendo, mas mais se concentrando sobre o que vive a Consciência (ajudem-se pelo Som, ajudem-se pelos movimentos da cabeça), vocês poderão Liberar o que pode resistir em vocês, ao nível do corpo ou das ansiedades, como vocês dizem (ndr: as indicações sobre os movimentos da cabeça utilizáveis são dadas por O.M. AÏVANHOV no final de sua intervenção).

Permitindo-lhes viver, de qualquer forma, plenamente, a fase final da ativação da Lemniscata Sagrada, ou seja, a chegada do fluxo (digamos) do ego e da personalidade, e do Plexo Solar, ao Coração.

Dando-lhes a viver a Unidade, a Paz, o Samadhi e, sobretudo, o que é fundamental, a Deslocalização do seu próprio corpo e da sua própria pessoa.

É uma experiência que é, de fato, a aprendizagem da Ascensão, em seu momento coletivo.
 
Pergunta: o que você chama de “ajudar-se da Consciência”?
 
Isso quer dizer que se vocês se extraem da ansiedade para seu pequeno corpo, ou para sua pequena pessoa (porque, quando nós estamos encarnados, todos nós estamos identificados a este corpo, mesmo se as experiências que nós vivemos, alguns Anciãos, as Estrelas e outros, levaram-nos, durante nossa vida, a darmos conta de que nós não éramos este corpo, de que nós não éramos esta limitação, de que nós éramos muito mais do que este corpo, e, no entanto, nós estávamos neste corpo, e foi isso que nós transmitimos, durante nossa vida, cada um à sua maneira), é muito exatamente o que vocês fazem a experiência.

Como vocês querem viver a Ascensão se vocês estão apegados ao seu pequeno coração, à sua pequena angústia, à sua pequena pessoa?

Isso é impossível.

Portanto, a experiência da Deslocalização, a experiência que vai fazê-los Transcender a agonia do medo, da perda desse coração (ou desse corpo, ou da sua vida), é, justamente, naqueles momentos (focando a Atenção, não da angústia, não nos problemas que vive o coração ou a garganta, ou na dor), mas se dizer, naturalmente, que vocês não são esta dor.

E afirmar, naquele momento, como lhes disse RAMATAN: “Eu sou Um” (ndr: intervenção de
RAMATAN de 8 de outubro de 2011) .

Vocês São o Si Realizado.

Naquele momento, vocês irão constatar o quê?

Que vocês se desincrustaram, que vocês se despersonalizaram da dor, das palpitações ou da ansiedade, porque vocês não são isso.

Há um mecanismo habitual, repetitivo, que faz com que o ser humano se identifique, permanentemente, ao que ele vive em seu corpo, que ele é persuadido de ser isso.

Então, é claro, até hoje, vocês vivenciaram (mais ou menos fortemente, e para alguns, ainda não) processos Vibratórios: a ativação dos chakras, das Lareiras, da Kundalini, da Fusão ou da Comunhão, ou o início da Dissolução.

Agora, é preciso ir além, ou seja, que a Consciência deve desidentificar-se, totalmente.

Isso não quer dizer despersonalizar-se.

Isso não quer dizer tornar-se descontrolado.

Isso quer dizer, simplesmente, tomar consciência e viver a experiência, de que vocês não são o que vocês acreditam ser nesta limitação.

É uma coisa pensá-lo, acreditá-lo, é outra coisa vivê-lo.

É isso que vocês estão prestes a viver.

Portanto, o princípio é: quando vocês têm seu coração acelerado, ou quando vocês têm uma dor, qualquer que seja, não é questão de rejeitar a dor ou de negá-la, mas de afirmar que vocês não são isso.

Se o corpo exprime uma dor, um problema de ritmo, uma dor nos dedos dos pés (pouco importa onde isso ocorra), como abstrair-se?

Simplesmente, afirmando o “Eu sou Um”, alinhando-se, naqueles momentos.

E vocês irão constatar que, muito facilmente, vocês irão extrair-se da Ilusão, da pessoa, vocês irão extrair-se da Ilusão deste corpo, e mesmo desta vida.

Nós lhes dissemos (e os orientais nos têm dito desde muito tempo) que este mundo era uma Ilusão.

Vocês têm a possibilidade de vivê-lo, ou seja, de fazer a Verdadeira experiência.

Mas para isso, quando vocês tiverem uma agonia, mesmo da morte, quando vocês tiverem uma dor terrificante (ou qualquer que seja), digam-se: eu não sou esta agonia, eu não sou esta dor.

Não é questão de negá-la, não é questão de colocá-la (como eu dizia, a um dado momento) sob o tapete.

É questão de dizer: “eu sou Um”, “eu sou a Luz”, “eu sou a Consciência pura”.

Naquele momento, vocês irão viver (de maneira, talvez, explosiva, de maneira, talvez, rápida, e, por vezes, mais lentamente, por pequenos toques) os processos de Deslocalização da Consciência que lhes anunciou MARIA.

É exatamente isso.

Durante essas cinco semanas (que já começaram) onde vocês irão abrir a Porta Estreita, vocês irão passar de novo pela garganta, mas não mais pela garganta: vocês irão repassar pelas sete vértebras cervicais.

As sete vértebras cervicais são aquelas que os conduzem ao quê?

Elas conduzem-nos ao seu Céu, ou seja, ao Atlas, ou seja, a viver, na Consciência (e também na ausência do mental, e também na ausência de emoção), a Verdade: isto é, vocês não são nem este corpo, nem esta pessoa, nem esta vida.

Como vocês querem que aconteça a Ascensão se isso não for assim?

Tudo acontece Neste corpo, mas vocês não são este corpo.
 
Pergunta: como articular “vocês não são este corpo” e “estejam alertas sobre o seu Templo”?
 
O que se chama de Templo não é o corpo.

O que é importante (e isso foi dito) não é o Templo: o Templo pode estar vazio, mas o Templo, ele está pleno de sua Presença.

Portanto, nós chamamos sua Atenção sobre as Estrelas, sobre as Portas, sobre os chakras (sobre as Lâmpadas), sobre o Fogo do Coração, sobre a Kundalini, sobre o conjunto do corpo e das Vibrações do Supramental, por qual razão?

Especificamente, para levá-los a compreender que a ‘alquimia’, ela acontece neste corpo, neste Templo.

Mas, o que é importante, não é o Templo, é o que está no Templo, não é?

Não é minha culpa se a visão da personalidade assimila o Templo como um ornamento, não é?

Mas é o que está no Templo que é importante, não é o Templo: o Templo é o que abriga o que está no Interior, não é?

Portanto, vocês não são este corpo, é fácil de dizê-lo, agora: vocês fazem a experiência.

Vocês irão dar-se conta (se isso já não é fato), por vocês mesmos, da cena de teatro na qual vocês estão.

É muito exatamente isso que vocês são Chamados a viver, e que muitos de vocês começam a viver, ou vivem, de maneira cada vez mais certeira, atualmente.

Então, eu digo que muitos seres humanos pensavam, mesmo tendo seguido o que nós dissemos desde alguns anos, que eles iam podem viver a Ascensão e continuar sua pequena vida tranquila (em sua pequena casa, em sua pequena relação afetiva, em sua pequena relação familiar), porque eles iam considerar isso como a única verdade.

Mas isso é tudo, exceto a Verdade.

Isso faz parte do teatro, é um cenário de teatro.

E, agora, vocês fazem a experiência.

Não há melhor maneira de viver isso do que fazer (como dizer) o “luto”.

Mas não é um luto, já que é sair da Ilusão, mas estar prontos para desapegar-se, na totalidade, do que vocês podem crer.

Seus filhos não são seus filhos.

Vocês escolheram, hoje, como companheiro ou companheira, alguém que, em uma vida passada, lhes fez o mais terrível dos males.

Mas mesmo as vidas passadas nada querem dizer, porque, quando vocês se Deslocalizam, que isso seja simplesmente estando ao lado do seu corpo, que isso seja conversando com outras Dimensões, que isso seja indo ao Sol, ou indo a uma outra Consciência que está presente sobre este mundo (pela Comunhão, pela Fusão, pela Dissolução), vocês são obrigados a compreender (mesmo pelo mental, como eu dizia) que vocês não São o que vocês acreditam ser, neste corpo.

O Templo é uma vestimenta.

Que protege o quê?

A Luz que está no Interior.

Mas vocês São a Luz, vocês não são este corpo.

E, no entanto, é neste corpo que isso se realiza a tomada de Consciência.

Portanto, não há, nem paradoxo, nem antinomia.

Simplesmente, isso chega pelo fato de que muitos seres humanos, ainda uma vez, foram persuadidos de que eles iriam viver a Luz enquanto mantendo as condições de vida (digamos) habituais.

Mas isso é (como vocês denominam isso?) a new age [nova era]: é uma visão completamente falsa da Verdade.

Muitos, ainda, são persuadidos de que não haverá Ascensão, e de que a Ascensão é simplesmente viver, em outras condições, a vida deste corpo.

Mas isso é arquifalso.

Nós lhes dissemos que a Terra iria passar para a 5ª Dimensão, então vocês, o que vocês irão fazer?

Eu lhes disse: “eu sou Um”, mas há também: Aqui e Agora.

E para aqueles que não vivem as Vibrações, é preciso reforçar-se na Humildade, na Simplicidade.

Naquele momento, CRISTO virá bater à Porta, sem qualquer problema.

Mas enquanto vocês estão identificados, de uma maneira ou de outra, ao seu corpo, à sua pequena vida, às suas pequenas experiências, ao seu pequeno desenrolar do cenário de teatro, e bem, vocês não podem sair, é tão simples assim.

Nem na Consciência, nem no Estado de Ser.

O que acontece agora não é, realmente, um acesso ao Estado de Ser.

Para aqueles que tiveram a oportunidade de vivê-lo, desde alguns anos, não há problema.

Mas para todos aqueles que, até agora, apenas vivenciaram, em graus diversos, as Vibrações (seja ao nível da cabeça, seja ao nível do sacro, seja ao nível do Coração, ou os três), que vivem momentos de alinhamento onde eles se dissolvem (de alguma forma) na Luz, onde eles vivem momentos de Fusão com a Luz, resta, ainda, outra coisa a fazer, mesmo se a finalidade última (o absoluto, como podem dizer alguns orientais) for esta Luz.

É-lhes preciso, primeiramente, fazer a experiência, aqui mesmo, de que vocês não são este corpo, nem esta vida, nem seus sofrimentos, nem o passado, nem amanhã.

Vocês nada são de tudo isso.

Mas entre dizê-lo, aceitá-lo e vivê-lo, há uma distância enorme, e é esta distância que está prestes a desaparecer.

Então, é claro, espero que não haja muitas questões em relação a dores, em relação a vivências profundamente diferentes do habitual, que podem ir a agonias extremas, é claro, porque a personalidade, ela tem medo de não mais existir.

Mas vocês não são a personalidade.

Os processos e os mecanismos da Luz, hoje, é a Passagem da Porta Estreita, é passar da fragmentação à Unidade.

A Unidade não é uma palavra em vão, é também Fusionar com todas as Consciências, é Dissolver-se com todas as Consciências.
 
Pergunta: em 03 de dezembro último, SRI AUROBINDO disse que algumas pessoas podiam viver a Deslocalização sem jamais ter vivenciado Vibrações.
 
Perfeitamente.

Porque a Vibração é um processo preliminar.

A Vibração permite serem os Ancoradores da Luz, que irradiam a Luz ao redor de si.

Mas, por que alguém que jamais Vibrou (ou então, unicamente ao nível da Coroa da cabeça, de vez em quando) não teria acesso a esta Unidade?

Nós sempre lhes dissemos que para a Ascensão, é claro, a Porta do Coração é fundamental.

Mas alguns seres necessitam ter a prova da Deslocalização para poder começar a Vibrar.

Mas, tudo isso, nós não podíamos dizê-lo antes, porque era preciso que houvesse o máximo de seres humanos vivendo o estado Vibratório (a transformação induzida pela Luz Adamantina) neste corpo, nesta carne.

E, naquele momento, lembrem-se do que nós lhes dissemos: vocês permitiram à Luz assentar-se, literalmente, neste mundo.

Então, agora, é claro, há seres que vão encontrar-se Deslocalizados, sem mesmo ter vivenciado Vibrações do Fogo do Coração ou outras.

Para aqueles, isso corre o risco de ser (o que SRI SUROBINDO havia dito) o Choque da Humanidade, obviamente.

Porque, imaginem um ser humano sem qualquer busca espiritual, sem qualquer conhecimento de tudo isso, e que, de um dia para o outro, encontra-se fora do seu corpo, encontra-se em outros lugares (não em viagem astral, mas em sua Consciência pura).

O que ele vai fazer?

Evidentemente, isso será uma agonia terrificante.

E, depois, pouco a pouco, fazendo a experiência, esta Deslocalização tornar-se-á natural.

Esse é o objetivo.

Porque, se isso se torna natural, naquele momento, que vocês sejam Ancoradores da Luz, Semeadores de Luz, ou que vocês sejam, simplesmente, seres humanos presentes sobre a Terra, vivendo sua pequena vida, vocês irão aperceber-se de que vocês não são este corpo, de que tudo o que vocês acreditaram é apenas um cenário de teatro.

Mas, para isso, é preciso vivê-lo.

E isso é, hoje, possível, mesmo sem a Vibração.

Mas, para isso, é preciso muita Humildade e muita Simplicidade, para compreender, eu diria, rapidamente, a quintessência e não fazer sem parar o iôiô, e disparar, como eu dizia, entre a Consciência fragmentada e a Consciência Unificada, porque isso pode ser muito fatigante e muito desestabilizador.

Vocês imaginam os seres que nada fazem, que começam a deslocalizar-se, enquanto querendo continuar sua pequena vida em seu cenário de teatro.

Isso é muito constrangedor.

É preciso bem diferenciar o fenômeno coletivo que (como eu os lembro) se refere à totalidade da Humanidade, mesmo se o futuro de cada Consciência seja função de sua própria vibração.

Mas viver a Vibração para ancorar e irradiar a Luz, não é a mesma coisa que viver a Dissolução ou a Deslocalização da Consciência.

O processo que antecede esta Deslocalização (naturalmente, há múltiplos sinais, ao nível do corpo), o sinal o mais importante (além do Fogo do Coração e das Coroas Radiantes) é um processo como de entorpecimento e de rigidez do corpo, que permite, durante os Alinhamentos e fora deles, começar a viver a Deslocalização.

Lembrem-se também: durante as Núpcias Celestes, a 12ª etapa das Núpcias Celestes, dizia que depois do som SI, há o Silêncio.

Isso é o que vocês vivem, atualmente.
 
Pergunta: se o baço reage, é preciso ativar as Trilhas que passam por este Ponto?
 
Não, isso quer dizer, simplesmente, que a Luz trabalha, sobretudo, naquele nível.

O baço significa tudo o que está ligado à Atração, ou seja, os apegos.

Nesse momento, em função do que eu disse, vocês passam a Porta Estreita.

Ou seja, é preciso romper o círculo vicioso de tudo o que vocês denominam (e o que nós denominamos, durante nossa vida), apegos.

Nós dissemos, Uns e Outros, (durante nossa vida ou, ainda, agora), que o apego é a pior das coisas que existem.

Porque a Consciência age assim: aí onde vocês colocam sua Atenção, aí está a Consciência.

Se vocês estão apegados, sua Consciência fica presa no apego.

E quando vocês estão presos no apego, qualquer que seja, vocês não são mais vocês mesmos.

Vocês estão no sofrimento.

Porque o apego representa, em última análise (mesmo se vocês o chamam de Amor), unicamente, o medo.

É a falta de amor, mesmo se isso é chamado de Amor, aqui, sobre este mundo.

Qual amor?

Isso vocês sabem: isso foi desenvolvido em várias ocasiões.

O amor humano é apenas o reflexo do medo.

E é por isso que é um amor chamado de apego.

E se vocês sentem os pontos Atração, significa que vocês estão, ainda, bastante apegados.

Mas quando eu digo Apego, não é unicamente às pessoas: bastante apegados, por exemplo, ao seu acesso à Unidade.

É a personalidade que está apegada.

Quando vocês estão na Unidade, vocês não estão apegados a nada.

Portanto, se vocês estão apegados a querer viver uma Vibração que vocês não vivem, se vocês estão apegados para viver a Unidade, vocês não irão vivê-la, é tão simples assim.

Porque, o que é para romper é o apego.

E o apego pode tomar, às vezes, formas muito sutis, digamos.

Não são, unicamente, os apegos grosseiros do medo.

Tudo isso, vocês irão descobri-lo, nesse momento, porque esse é o período.

Não é por nada se MARIA (ndr: intervenções de 17 e de 24 de dezembro) volta todas as semanas, para acompanhá-los no que vocês estão prestes a viver, que vai (como ela lhes disse e como eu lhes digo) ser cada vez mais intenso, ao nível da Consciência.

Quando lhes dizemos para não estar apegados, isso não significa não mais amar, mas é amar de outra forma: é amar na Liberdade, sem ver uma ligação homem / mulher, sem ver uma ligação mãe / filho.

É ver o Espírito que está por trás disso.

É descobrir o palco.
 
Pergunta: por que querer que seu corpo seja puro?
 
É um apego ao corpo, nada mais.

Naturalmente, durante a minha vida, era evidente que não comer carne permitia elevar as Vibrações.

Naturalmente, era evidente que ter bons pensamentos, isso elevava as Vibrações.

Ter maus pensamentos, isso fazia descê-las.

Sentir emoções fazia baixar, novamente, as Vibrações.

Não mais sentir emoções é ser Livre (sem combater).

Portanto, este objetivo de pureza do corpo estava ligado ao próprio confinamento.

Porque o ser humano (que está confinado) tem sede de Liberdade, mesmo se não a compreende, mesmo se não a explica.

Está inscrito no sistema nervoso mesmo do ser.

Mas a busca pela pureza, por vezes, toma um aspecto obsessivo e doentio.

Porque os seres pensam que eles vão poder continuar a ficar no ego espiritual e que, purificando seu corpo, eles vão elevar-se.

Mas isso não é possível.

Porque eles têm medo, justamente.

Esses seres que se comportam assim, ao extremo (e eu o conheci durante a minha vida), ter medo da Sombra, rejeitar a Sombra, tendo medo.

Mas, hoje, vocês não têm mais de ter medo.

Porque, quando vocês estão Deslocalizados, mesmo um pouquinho, vocês começam a ver o teatro: vocês sabem que tudo isso é apenas uma comédia que não existe.

Eu não disse que devia ingerir bebida alcóolica, comer carne, em excesso, não é isso.

Mas o que é importante é o seu Coração, ou seja, é a sua Consciência.

Vocês nunca irão alcançar a Luz sob o pretexto de que vocês não comem carne.

Vocês nunca irão alcançar a Luz sob o pretexto de que vocês não matam uma mosca.

O que deve viver, hoje, a Consciência (o que ela deve, se ela quiser ser Livre) é, justamente, viver esta Deslocalização.

E isso é possível, por tudo o que nós introduzimos (e que vocês vivenciaram), desde a Comunhão e, recentemente, os fenômenos de Dissolução.

Há sempre um equilíbrio.

E o equilíbrio é estar na Unidade.

Não é estar na dualidade excessiva, tampouco.

Porque vocês jamais encontrarão a Unidade através da prática da dualidade, do que quer que seja.

Isso é uma ilusão, crer que, porque vocês irão purificar sua alimentação, que vocês irão purificar seus lugares de vida, que vocês irão purificar suas relações, purificar seu coração, que vocês irão alcançar o Coração.

Isso é falso.

É uma visão da personalidade que resulta, justamente, do quê?

Do medo e do apego.

Isso é bom para aqueles que são persuadidos de que eles devem conservar seu corpo.

Eles estão ainda, totalmente, na 3D.

Mas, hoje, o que lhes pede a Luz é para Ser.

Tão simplesmente.

E, para ser, é preciso parar de querer e parar de fazer.

Isso, nós lhes dissemos, também.

Então, é claro, aquele que está na personalidade vai dizer: “mas como parar de fazer?”.

Ele não pode compreender (como dizia IRMÃO K, como diziam Outros).

É normal: é preciso viver a experiência.

Enquanto vocês não vivem a experiência, vocês circulam em sua bicicleta, confinados em um compartimento redondo e vocês buscam os cantos (ou o centro, é o mesmo).

Hoje, vocês são muito auxiliados.

Aqueles que têm sido Ancoradores e Semeadores de Luz, foram muito úteis e têm muito contribuído, por sua qualidade de Ser.

Mas, hoje, agora, é preciso ir além.

É uma outra etapa que está aberta, no mecanismo final.

Isso foi dito: é a Obra no Branco que termina, agora.
 
Pergunta: eu vejo, às vezes, com os olhos fechados, formas difusas muito brancas e brilhantes, com uma espécie de luminosidade mais acentuada.
 
Isso é, também, um processo de Deslocalização da Consciência.

Quando vocês veem, com os olhos fechados, ou vocês veem cenas astrais ligadas ao 3º olho, ou vocês penetram na Visão do Coração (já que seus olhos estão fechados).

A Luz Branca faz parte da Visão do Coração, é claro.

Que tenha formas geométricas dentro, que tenha coisas que vocês não conheçam, isso são coisas que não são deste mundo: é a Visão do Coração.
 
Pergunta: eu tenho a impressão, durante as meditações, de ser tomada por uma ou pelas duas orelhas, que se tornam vermelhas.
 
Então, isso é, eu que venho fazer cócegas em seus ouvidos (ou qualquer outro Ser de Planos Dimensionais), mas é, sobretudo, o atrito que está ligado ao que chamamos de Antakarana (ou seja, o Cordão Celeste, o Cordão de Luz), que está situado de cada lado das orelhas (sobre o que vocês denominavam, antes, Ampola de clariaudição).

Há atritos.

Do mesmo modo que vocês sentem o Desdobramento da Luz pelas dores, nos Pontos KI-RIS-TI, nos Pontos do peito, nos Pontos Atração, do mesmo modo, ao nível dos ouvidos.

Isso esquenta, isso se esquenta.

Porque, aí também, há uma interpenetração da Luz, primeiramente no Canal Mariano, que vai, também, modificar seus sons (mas, isso, todos vocês o percebem) e modificar, também, o Som do outro lado do Cordão Celeste, do lado do ouvido direito.

Portanto, é um processo normal, em relação às transformações em andamento, que traduzem a acentuação, se podemos dizer, ou a finalização, do Canal Mariano e do Canal de Comunicação com as Outras Dimensões.
 
Pergunta: quando as Vibrações penetram na cabeça, é normal que o corpo mexa, começando pela cabeça, depois o pescoço, depois os ombros, até o sacro?
 
Isso pode ser normal para algumas pessoas.

O processo de integração da Luz (quando chega pelo topo da cabeça, pelos Pontos ER, ou pela Pequena Coroa da cabeça, ou pela Grande Coroa da cabeça), o objetivo da Luz é penetrar o conjunto do corpo, em um caminho descendente, em um caminho de difusão no Coração, mas, também, no conjunto das células, e o corpo pode acompanhar isso por movimentos.

Mas, de maneira geral, a noção de movimento remete à emoção.

Porque a emoção é o que põe em movimento.

Isso quer dizer que a Luz, em seu trajeto de penetração, nesse Templo que é o corpo, encontra algumas vibrações, que não são Vibrações, mas que são da energia emocional ou da energia mental.

A energia mental não é unicamente pensamentos ou ideias.

São, também, energias que circulam no corpo.

Ora, a Vibração não é uma energia.

Ela vem sobrepor-se e transcender, de algum modo, a emoção e o mental (inscritos nos circuitos energéticos).

E isso dá, às vezes, esses movimentos.

É uma Liberação que ocorre.
 
Pergunta: por que a experiência de não mais poder se mexer, acompanhada de pressões no 1º. Chakra e no Ponto OD da cabeça, pode ser vivenciada como uma agressão, com um sentimento de medo e de incapacidade para se abandonar à Vibração, especialmente no Coração?
 
E sim, a Luz é uma agressão para a personalidade, certamente.

E bem, é exatamente a mesma coisa que eu disse anteriormente.

Nós temos, aqui, o caso típico de alguém que vive a Luz.

A Luz desceu, porque ele a assinalou pelo Ponto OD da cabeça (que é o Triângulo da Terra).

Ele a relatou ao nível do sacro.

Portanto, necessariamente, houve a junção com o Coração.

Isso quer dizer o quê?

Que a personalidade ficou aterrorizada.

Ele mesmo disse: ele empregou a palavra agressão.

Mas, obviamente que a Luz é uma agressão, para a personalidade.

É exatamente isso.

Portanto, aí também, é um problema de localização da Consciência.

Se a Consciência se localiza e se focaliza na agressão, ela irá viver a agressão.

Se a pessoa se focaliza no “Eu sou Um” e no Abandono à Luz, o que vai acontecer?

Não haverá mais agressão: haverá Luz.

Porque a pessoa, nesse caso, está um pouco demasiado identificada ao seu corpo.

Lembrem-se: vocês estão sobre este Mundo, vocês não são deste Mundo.

Vocês estão neste corpo, mas vocês não são este corpo.

É uma ilustração perfeita do que nós desenvolvemos, nesse momento.

E vocês veem bem que através do conteúdo de todas as questões, isso gira, sempre (e isso era previsível), ao redor da mesma coisa.

E todas as questões, que nós teremos em seguida, irão, todas, no mesmo sentido, vocês verão.
 
Pergunta: placas vermelhas, inchadas, quentes, com bolhas, protuberâncias, em diferentes locais do corpo, é um fenômeno que pode está associado às evoluções em curso?
 
Sim.

E para esta pessoa, em particular, são placas vermelhas, isso quer dizer que há uma inflamação que se torna visível.

É a estimulação pela agressão da Luz sobre a personalidade.

Portanto, o que é preciso fazer, nesse caso?

É muito simples: ingerir líquido e não mais comer durante uma semana ou quinze dias.

E vocês irão ver que não terão mais agressão.

Porque a personalidade, que se nutre de alimentos, não poderá mais manifestar-se.

O que acontece quando alguém não come (ou porque faz jejum, ou porque está muito doente, porque ela não pode mais de nutrir)?

E bem, a Consciência se expande.

É normal.
 
Pergunta: é normal viver a Unidade e a Alegria da Unidade, sem, no entanto, viver a Visão do Coração, a Visão Etérea ou a Respiração do Coração?
 
É exatamente o que eu disse anteriormente.

Vocês podem, agora, para aqueles que não estavam nas Vibrações, começar a viver a Deslocalização da Consciência.

Vocês saíram, agora, do processo individual, ou seja, do processo de Semeadores e de Ancoradores da Luz.

Através das questões, vocês dão-se conta de que vocês entram em um processo coletivo.

Lembrem-se de que a Luz, ela é Unidade.

Mas que aqueles que estão na dualidade (eu não falo para esta pessoa, mas, de maneira geral, para o mundo que os rodeia) vão reagir cada vez mais violentamente à Luz.

Porque, para ela, é uma agressão.

A personalidade não conhece a Luz.
 
Pergunta: sentir o conjunto dos dois Pontos ER está ligado à finalização da Lemniscata Sagrada?
 
A finalização é ER / ER, naturalmente, mas é também OD.

É o impulso de toda energia do ego, de toda energia emocional e mental que, passando pelos Pontos OD, vai finalizar o ER / ER.

Naquele momento, a Lemniscata Sagrada completa-se, se o podemos dizer, entre o Ponto OD do peito e do Ponto ER da cabeça.

E isso, isso pode ser melhorado (e eu ali voltarei) pelos movimentos da cabeça.

Eu falarei sobre isso ao final das perguntas.
 
Pergunta: qual é a diferença entre a individualidade e a personalidade?
 
A individualidade é a Consciência Pura (que não tem o que fazer da pessoa).

Vocês são um indivíduo em uma pessoa.

A individualidade é o Si.

A personalidade é o Eu: eu, eu, eu, eu, eu.

Mas no Si, não há o eu.

No Si, não há mais corpo, não há mais personalidade.

Lembrem-se do que nós dissemos: enquanto vocês não estão Despertos (nas Vibrações ou na Deslocalização), vocês irão se identificar a este corpo e à sua história de vida, desde o nascimento (ou, se vocês fizeram buscas espirituais, pode ser que vocês tenham tido conhecimento de suas vidas passadas ou, em todo caso, do que se refere a esta matriz).

Vocês são uma personalidade.

A um dado momento (pelas Vibrações, pelo Fogo do Coração, pelos Alinhamentos, pelas Comunhões, pela Deslocalização), vocês dão-se conta de que vocês são bem mais do que uma pessoa.

E de que vocês não são, sobretudo, esta pessoa.

Isso não os impede, na vida diária, de ser uma pessoa, é claro (já que vocês ainda estão encarnados, parece-me).

Mas, cada vez mais, vocês tomam consciência do Si, do indivíduo, que não está limitado por uma forma, por um tempo, por um espaço, por um sofrimento, por uma história, por uma afecção, por emoções, por um mental.

Vocês se tornam a Luz.

Por exemplo, nesse momento, há muitas pessoas, por essa Passagem da Porta Estreita, e por essa nova Passagem da Garganta que se faz pelas 7 Etapas da cabeça (ndr: 7 vértebras cervicais) e nas 5 semanas de MARIA (ndr: intervenções de 17, 24 e 31 de dezembro de 2011, de 7 e 14 de janeiro de 2012), que ainda têm emoções que ressurgem e que vivem sofrimentos.

Mas vocês não são este sofrimento.

Aceitem que vocês não são isso e vocês irão descobrir a Unidade, de imediato.
 
Pergunta: é normal ter a impressão de ter o cérebro como nebuloso?
 
Sim: ele deve desaparecer completamente.

Então, quanto mais ele for nebuloso, mais ele irá tornar-se fluido e melhor isso será.

Lembrem-se de que a Inteligência e o Coração não são a cabeça.

Neste mundo é a cabeça, sim, porque se vocês não têm a inteligência da cabeça, vocês são incapazes de se nutrir, de encontrar trabalho, de ter uma vida, se podemos dizer.

Então, é claro, para muitos de vocês, há como uma névoa na cabeça, vocês esquecem as coisas cotidianas e, aliás, vocês farão bem de esquecer, também, que vocês são uma pessoa e de esquecer todos seus sofrimentos do passado.

Esse é o objetivo.

Porque, descobrir o Si, viver a desfragmentação, a Deslocalização, a Unidade, é não mais ser identificado nem a este corpo, nem a esta história que vocês vivenciaram.

E, isso, é terrível para a personalidade.
 
Pergunta: é normal ter ouvido o som do universo e o coro dos Anjos desde já alguns anos, mas não ouvi-lo mais desde alguns meses?
 
Então, aí, é preciso responder a esta pessoa que se ela ouvisse, permanentemente, o coro dos Anjos, ela faria como MA ANANDA MOYI: ela se coloca em um canto e não se move mais durante dez anos.

Portanto, é perfeitamente lógico, aí também, isso entra no contexto das experiências: a consciência vai e vem.

Alguém que tenha feito uma experiência (em um outro registro) de morte iminente, ela fez a experiência, em um determinado momento.

É como se me perguntasse por que não faz a experiência todos os dias.
 
Pergunta: uma dormência das pernas faz parte dos sintomas da Ascensão?
 
Faz, é claro, parte dos sintomas da Ascensão.

Isso é, ainda uma vez, a resistência entre a Luz Branca e a estrutura física, ou a alquimia da Obra no Branco que se realiza.
 
Pergunta: ao que podem correspondem fenômenos de deterioração da visão?
 
Ao mesmo processo.

Quando vocês são Deslocalizados, em consciência (que vocês estejam no corpo de Estado de Ser ou que vocês estejam Deslocalizados, sobre esta Dimensão), vocês veem, mas será que são seus olhos que veem?

Não, já que vocês não estão mais nesse corpo.

Portanto, isso é perfeitamente normal.

É a mesma resposta que eu posso fazer em relação aos atritos, às dores dos membros inferiores ou superiores, ou à dormência do corpo.
 
Pergunta: e quando se sente o corpo como confinado em uma armadura e deslocado?
 
Plenamente, é o mesmo processo de Deslocalização que começa.

Há quem tenha uma armadura mais sólida do que outras.

Há quem tenha já dissolvido a armadura.
 
Pergunta: como superar o medo da morte?
 
Compreendendo que não somos este corpo.

Aí, mais uma vez, através do que eu digo e das questões (vocês compreendem, agora, pelo menos eu o penso, de maneira muito mais nítida), vocês veem muito bem que é a personalidade que tem medo.

Ela vive processos de Deslocalização, então a pessoa se pergunta.

Por quê?

Porque há uma identificação, ainda presente, a esse corpo, há um apego, que está ainda presente, a esse corpo.

Se o apego não estivesse mais presente, a pessoa seria deslocalizada à vontade.

Ela não teria mesmo mais necessidade de se alinhar, nem de comungar, nem de meditar.

De forma constante, ela poderia passar de um estado a outro.

E é isso o que vai chegar a vocês de maneira cada vez mais fácil e evidente.
 
Pergunta: sentir presenças Vibratórias na nuca ou no ombro esquerdo e ser atravessado por frio intenso, isso pode ser uma comunicação com os outros planos Dimensionais?
 
Sim, está mais perto, nesse caso da Fusão.

Mas enquanto vocês estão no interior do corpo, quando vocês sentem essas presenças, então, vocês têm calafrios, o quente, o frio, vocês sentem uma presença.

Mas se vocês se deslocalizam, naquele momento, o que vai acontecer?

Muito simples: vocês não terão mais qualquer consciência do corpo, mas vocês irão se tornar a Consciência que está ao lado de vocês.

Porque a pessoa que descreve o que ela vive está, ainda, na atenção colocada no centro do corpo e do Coração.

Mas ela não está deslocalizada.

Naquelas condições, vocês podem, muito bem, viver o contato com uma presença que esteja aí.

Mas a outra etapa, é o quê?

É não mais ser esse corpo que vive um contato com outra consciência, mas tornar-se esta outra consciência: “eu sou Um”, “eu não sou esse corpo”, “eu sou a presença que está aí”.
 
Pergunta: eu perco o equilíbrio quando eu faço movimentos lentos de rotação. Por quê?
 
Isso é normal.

A Lemniscata Sagrada é algo que gira.

É uma Vibração que é a parada do movimento do corpo e a colocação em movimento do Estado de Ser, se vocês preferirem, ou do Espírito.

Então, o que acontece naquele momento?

Pode ali ter, durante esses processos de Deslocalização, uma perda das referências temporais espaciais, portanto, sensação de vertigem.

Aí também, é a personalidade que quer, a todo preço, viver o que ela vive, mantendo-se nesse corpo.

Lembrem-se de que todas as experiências que vocês vivem, todas as questões, tratam-se, exatamente, da mesma coisa.

Isso quer dizer o quê?

Que a experiência, diversa e variada, remete-os sempre, finalmente, à mesma coisa: ao que vocês estão identificados.

Mas esse processo é normal.

É um processo, ainda uma vez, de aprendizagem.
 
Pergunta: sentir que o Sol é si mesmo, é uma Deslocalização da consciência?
 
Totalmente.

É uma das múltiplas formas, das formas infinitas, de Deslocalização.
 
Pergunta: mesmo se isso for uma impressão ou uma imagem no Coração?
 
Perfeitamente.

Desde que isso não seja uma projeção.
 
Pergunta: os seres que deixaram este plano estão conscientes das transformações em andamento?
 
Na totalidade.
 
Pergunta: e eles se preparam, como nós, para a iminência do Face a Face com a Luz?
 
Eles estão preparados.

Eles estão, simplesmente, em um estado particular que é, para vocês, o que vocês poderiam chamar de estado de letargia ou de estase, em perfeito Samadhi total, aguardando viver o que é para viver.
 
Pergunta: ouvir pronunciar seu nome na cabeça, do lado esquerdo, mas sem receber mensagem, está associado a um modo de comunicação através do Canal Mariano?
 
Perfeitamente.

Vocês são chamados por uma voz sussurrante, que murmura no seu ouvido esquerdo: é o Canal Mariano que está constituído.
 
Pergunta: nesse caso, como permanecer à escuta?
 
E bem, desde já, não mais estar localizado nesse corpo.

Em 90% dos casos, a presença vai sussurrar seu nome até enquanto vocês deixarem.

Aí, o apelo é um convite Vibratório.

Não é um convite para pronunciar, vocês também, palavras, ou para estabelecer uma comunicação.

Não é um diálogo.

É uma Comunhão, isso é diferente.

A melhor maneira de permanecer à escuta é, aí também, não mais estar identificado a este corpo ou a esta consciência nesse corpo.

Mas, tudo isso, vocês vivem de maneira muito, muito numerosa: que isso seja os cochichos nos ouvidos, que isso seja o fato de ser chamado pelo seu primeiro nome, que isso seja estar, em consciência, no Sol.
 
Pergunta: sentir adormecer os braços e as mãos releva do processo ligado às cervicais que você falou?
 
Plenamente.

Eu darei os meios de liberar isso, no final.
 
Pergunta: por que eu tenho dores antigas que reaparecem?
 
A Luz penetra, em profusão, nesse Templo.

Esse Templo é portador de algumas mágoas, de algumas lembranças.

Quanto mais a Luz entrar, mais as zonas de resistência vão se tornar sensíveis.

Não conscientes.

Elas podem vir do passado.

Portanto, é a alquimia da Luz.

É o que foi chamado de Obra no Branco, porque é preciso tornar-se Branco.

Então, vocês têm, para alguns de vocês, um tipo de ressurgência de sofrimentos do corpo ou de ressurgência de sofrimentos psicológicos.

É o mesmo processo.

Não vale a pena buscar a causa primária, profunda, para combater.

É preciso, simplesmente, estar consciente do que é a ação da Luz.

Naquele momento, aí também, é um convite a quê?

À Deslocalização.
 
Pergunta: ao que corresponde um tinido de sino de cristal percebido no ouvido?
 
Mas é o apelo da Luz, também.

Antes do coro dos Anjos (que é constituído do coro dos Anjos e de Violinos), há os tinidos extremamente agudos, ou de um sino de cristal, ou como alguma coisa que batemos de leve, brevemente, como um som muito agudo.

Isso faz parte dos processos, aí também, da Obra no Branco e do estabelecimento do Canal Mariano.

Das duas coisas.
 
Pergunta: será que isso pode ser também um som muito grave, muito surdo?
 
Não.

O som muito grave e muito surdo, como um zunido, nada tem a ver.

Isso está ligado ao processo de desencorpar [“décorparation”] que nada tem a ver com a Deslocalização.

O desencorpar é um mecanismo que prefigura uma saída no corpo astral e não no Estado de Ser ou na Unidade.
 
Pergunta: qual é hoje o lugar ou o papel da alimentação?
 
O lugar que vocês bem quiserem lhe dar.

O CRISTO disse, e eu repito: “o que é importante não é o que entra em sua boca, é o que sai”.

Agora, se o seu corpo tem limites, é lógico, também, respeitá-los.
 
Pergunta: como diferenciar entre o que relevaria de um limite do nosso corpo, ligado à nossa fisiologia, e de nossos apegos ao corpo?
 
O limite do corpo é o quê?

Isso é, por exemplo, se você é alérgico a um alimento.

E por que querer absorver algo que faz mal ao corpo?

Mas querer se privar de tal tipo de alimento, sob o pretexto de que isso faz baixar as Vibrações, não é a mesma coisa.

É preciso bem diferenciar o que é da ordem da intolerância (ou do que tem efeitos realmente nefastos), do que é a vontade pessoal.

A diferença, ela é muito simples de fazer: há reação ao nível o corpo ou não há reação ao nível do corpo.

Vocês não são esse corpo.

Então, por que o corpo teria necessidade de estar em tal ou tal estado para aceder à Unidade?

Vocês inverteram a problemática.

Ou seja, vocês ainda estão persuadidos de que é preciso ter um corpo puro para aceder à Unidade.

Que história é esta?

O que vocês dizem das Estrelas que estavam doentes o tempo todo e que vivenciaram sua Unidade?

Preocupar-se em ter um corpo puro, ou em comer tal ou tal coisa, é ainda a personalidade que crê nisso.

Eu bem falei de fisiologia.

Se o corpo manifesta uma intolerância, seria preciso ser estúpido para continuar a comer tal coisa.

Mas crer que, porque vocês comem isso ou aquilo, vocês irão aceder à Unidade, é ainda uma visão da personalidade, ou seja, da consciência fragmentada.
 
Pergunta: uma Deslocalização bem sucedida é uma Deslocalização que não teríamos mais consciência, depois?
 
É também uma forma de Deslocalização, mas o objetivo é estar consciente, no final.

Evidentemente, nesse momento, há pessoas que se escondem, porque a personalidade tem medo.

Então, elas vivem momentos de ausência (como vocês dizem), como o sono.

Há um momento (30 segundos, alguns minutos, algumas horas) em que vocês não entendem o que aconteceu: é um processo de Deslocalização.
 
Pergunta: é normal ter um mental ativo quando ele não estava mais? Como fazer?
 
Viver o que é vivenciado e não se projetar como um espectador do que é vivenciado.

Ser, plenamente, a experiência.

Não buscar compreendê-la.

Mas vivê-la.

A compreensão vem depois.

Mas não na época da experiência, é claro.

Porque, se vocês caminham para compreender, no momento em que vocês vivem a experiência, o que acontece?

A experiência cessa, é claro, já que o que quer compreender é o mental.

Por outro lado, se vocês vivem a experiência e se vocês a deixam acontecer, qualquer que seja, nada os impede, depois, de atuar com sua bicicleta (ndr: o mental).

Mas não andem de bicicleta quando vocês vivem alguma coisa assim.
 
Pergunta: por que viver as Vibrações, mas sem contato com a multidimensionalidade?
 
Há processos Vibratórios.

Depois, vocês irão se perguntar: “mas por que eu vivo isso?”.

Há um apego para viver alguma coisa.

Se vocês estão no Abandono à Luz, vocês vivem o processo.

Vocês vivem a experiência.

Vocês saem da localização da pessoa e, aí, vocês reencontram o que há para reencontrar.

Mas, se, no momento em que vocês vivem isso, vocês retesam a atenção dizendo-se: “onde está? onde está?”, e: “porque eu nada vejo?”, evidentemente, isso a nada serve.

Lembrem-se de que, como vocês sabem, mesmo nos momentos de Alinhamento o mais intenso, às vezes, vocês partem.

Às vezes, vocês estão Deslocalizados.

Ou, às vezes, vocês aí permanecem.

Vocês têm o corpo que está completamente adormecido e vocês constatam que, qualquer que seja o estado de Alegria ou de Fogo do Coração, vocês chegam a emitir pensamentos ou a ter uma interrogação mental (como é o caso, aí).

O que isso quer dizer?

Significa que vocês estão, ainda, apesar do que é vivenciado, na interrogação ou na necessidade de compreender.

A necessidade de compreender não é a experiência.

Ela pode ser manifestada depois, mas não durante “Eu sou Um”, “Eu sou o Si”, “Eu não sou este corpo”.
 
Pergunta: sentir carícias no alto da cabeça é um contato com Seres de Luz?
 
Nem sempre.

Isso podem ser contatos, efetivamente.

Mas lembrem-se: são áreas como as orelhas.

É o mesmo processo.

A impressão de afagar, de acariciar, é o Reencontro da Luz com este corpo.

É a conscientização deste Reencontro.

É a Obra no Branco.

É a Luz Branca que deve transmutar a totalidade das células (como dizia SRI AUROBINDO, durante a sua vida).

É o Supramental.

É a ação do Supramental, em vocês.

Todas as questões que vocês colocaram correspondem a isso, sem qualquer exceção.

Não há questão que saiu disso.

Mas isso está muito bem.
 
Pergunta: poderia resumir o que denominamos as diferentes “Obras”: a Obra no Vermelho, a Obra no Branco, a Obra no Amarelo, a Obra do Preto, ...?
 
Isso seria muito, muito demasiado longo.

Eu penso que o Arcanjo JOFIEL, antes das Núpcias Celestes, exprimiu, perfeitamente, isso.

Vocês estão prestes a viver a Obra no Branco.

Portanto, de nada serve incliná-los às Obras que já passaram.

Vivam a Obra no Branco.
 
Pergunta: há um sentido sagrado nas grandes festas religiosas como Natal [“Noël”]?
 
Primeiramente, Natal [“Noël”] não é uma festa sagrada.

É uma festa satânica, na totalidade: “NO EL”: eu já expliquei (ver:
Festejos Natalinos).

O Natal está diretamente associado às festas pagãs que são festas de adoração a Yahvé (ou a Ya, ou a Yaldébaoth, aos Arcontes).

Não é, certamente, a festa do nascimento de CRISTO.

Portanto, não é uma festa sagrada.

Eu iria mesmo mais longe.

Toda comemoração, qualquer que seja, mesmo um acontecimento feliz, o mais feliz da sua vida, vocês têm desejo de vivê-lo.

Portanto, vocês o comemoram.

Mas, comemorar, é recorrer ao passado.

Isso os afasta do presente, qualquer que seja esta comemoração.

E isso os afasta da Deslocalização e isso os afasta do Estado de Ser porque vocês mantêm o confinamento.

Na comemoração, do aniversário ou da morte, é a mesma coisa: vocês mantêm o apego.

Vocês se aprisionam ainda mais.

O que vocês têm de comemorar é a Vida, a Luz e o Amor.

E, isso, é a cada sopro.

Isso é tudo.
 
Pergunta: ao que corresponde, durante Comunhões, a sensação de Vibrações leves e finas em todo o corpo e até cerca de 50 cm ao redor do corpo?
 
Obra no Branco.

Uma Deslocalização.

Consciência Unificada.
 
Pergunta: como uma pessoa que, hoje, sente que está perto de sua Passagem, pode se preparar, ao melhor, para essa Passagem?
 
Então, aí, a resposta está dada: se esta pessoa sente que ela está pronta, ela não tem que se preparar já que ela está pronta.

Não pode haver melhor preparação do que se sentir pronta.

É preciso provar cada minuto da Vida.

Eu não falo da vida deste corpo, desta pessoa.

Mas da Vida: a Essência da Vida, a Luz e o Amor.

Isso é tudo.

Não há outra preparação.

Estar plenamente consciente e estar plenamente no seu Presente, na totalidade, mais do que nunca.
 
Pergunta: as últimas Chaves Metatrônicas serão reveladas antes ou depois do choque coletivo da humanidade?
 
Depois.

Elas serão reveladas àqueles que terão utilidade.

As 5 Chaves (primeiras) Metatrônicas (OD – ER – IM – IS – AL) são a restituição da integridade do DNA do ser humano.

É a possibilidade (que foi enunciada) de reviver a Multidimensionalidade.

É o que vocês vivem agora.

As outras Chaves (as 7 últimas Chaves) são as ferramentas Vibratórias que lhes permitem, não fazer a experiência do Estado de Ser ou da Deslocalização, mas ficar deslocalizados, permanentemente.
 
Nós não temos mais perguntas.
 
Então, eu poderei, agora, dar-lhes alguns elementos, eminentemente práticos, em relação, justamente, a esta Deslocalização e ao acesso à Consciência Multidimensional.

Vocês se lembram, na ordem, vocês tiveram: as Núpcias Celestes, as 9 Etapas, as Passagens da garganta.

E, antes disso, vocês tiveram: as Chaves Metatrônicas, a revelação das 12 Estrelas, dos 12 pontos de Vibração da Coroa Radiante da cabeça.

Em seguida, a Coroa Radiante do Coração.

Depois, isso foi, o Desdobramento da Luz ao longo de algumas Trilhas de Luz.

Nós lhes demos as Trilhas.

A Luz se revela a partir do peito, mas também, a partir da cabeça.

Ou seja, existem Trilhas, de algum modo, entre a cabeça e o Coração, entre a cabeça e o corpo.

Naturalmente, eu não vou falar sobre isso porque isso de nada serve sobrecarregar
.

Mas nós iremos nos servir do seu corpo, que é o Templo, como nós o dissemos no início.

Vocês repararam que, durante os Alinhamentos, sua cabeça, muitas vezes, tende a ir para um lado ou para o outro.

Existem, então, posições, ou movimentos, da cabeça, que vão favorecer o Desdobramento da Luz (um pouquinho como as Trilhas que nós demos e os cristais que lhes foram comunicados).

Vocês poderão favorecer, não mais o Desdobramento da Luz, mas o Desdobramento da sua Multidimensionalidade.

Ou seja, a possibilidade de viver a Deslocalização da Consciência: ou pelo acesso ao Estado de Ser (no Sol), ou exprimindo sua Multidimensionalidade no conjunto deste mundo, além da Comunhão, além da Fusão e da Dissolução.

Isso faz parte, aliás, do que foi comunicado, desde algum tempo, perto de dois anos, por SRI AUROBINDO, sobre o que ele nomeou, ele mesmo, as “Posturas de Integração” (ndr: postura pessoal comunicada por SRI AUROBINDO no contexto das decodificações Corpo / Espírito).

O que é uma “Postura de Integração"?

É o que vai encontrar as linhas de menor resistência para a penetração da Luz no Templo e na Consciência, é claro.

Entre os elementos (eu não falarei sobre as posições das mãos), há alguma coisa de importante: a respiração.

Isso já foi dado há 4 anos (há 3 anos e meio) pelo Mestre RAM.

Eu não voltarei sobre isso (ndr: “
A respiração do Coração”, desenvolvido na coluna “protocolos a praticar”, em 28 de março de 2010).

Mas, vocês têm alguma coisa de fundamental, hoje (e nós não comunicamos, de maneira geral, antes, porque isso pode ser feito desde que MARIA faça suas 5 Intervenções, nesse momento mesmo): conforme a posição da sua cabeça.

Digamos que há 5 posições da cabeça.

Há uma posição que vamos chamar de “indiferente”: a cabeça está orientada sobre o eixo do corpo (ela não se mexe, ela está no centro).

Vocês têm, em seguida: uma posição da cabeça para a frente, uma posição da cabeça para trás (flexão / extensão), uma posição lateral esquerda e uma posição lateral direita (ou seja, inflexão lateral esquerda e inflexão lateral direita) (ndr: flexão = para a frente / extensão = para trás / flexão lateral = a cabeça pende de lado, como colocada sobre o ombro).

Quando vocês movem a cabeça (quando vocês flexionam a cabeça, quando vocês colocam a cabeça em extensão), vocês, talvez, tenham constatado que há zonas do peito que se ativam e isso é perfeitamente lógico.

Por exemplo: se vocês colocam a cabeça em extensão, vocês farão ressoar os pontos OD e o ponto ER do peito.

Vocês colocarão, em ressonância, esta parte da Lemniscata Sagrada.

Portanto, vocês colocarão em ressonância a parte anterior.

Agora, se vocês colocam a cabeça em flexão, o que acontece?

Vocês revelam, na parte de trás da cabeça, o Triângulo da Terra e vocês ativam a coluna Vertebral, a Kundalini e, sobretudo, a zona do ponto KI-RIS-TI.

Se vocês colocam a cabeça em inflexão lateral esquerda, vocês farão ressoar a Porta do peito (denominada AL) e irão favorecer o Desdobramento da Luz sobre esse ponto.

Se vocês colocam a cabeça em inflexão lateral direita, vocês irão favorecer a expressão do Espírito, ou seja, vocês irão revelar (inclinando o Triângulo da Água, situado do lado direito) o lado esquerdo, ou seja, o Triângulo do Ar.

E, ao mesmo tempo, o Triângulo do Ar da cabeça.

E, ao mesmo tempo, sobretudo, o ponto da Porta UNIDADE.

Tudo isso é lógico.

Portanto, segundo as posições da cabeça que vocês irão adotar durante seus Alinhamentos, se vocês têm os olhos fechados, a boca entreaberta, vocês irão fazer o quê?

Vocês irão favorecer, em vocês, a Obra no Branco.

Vocês irão realizar esta alquimia do Fogo do Coração.

A posição indiferente e neutra, ela trabalha sobre ER / ER.

Mas, agora, vocês têm, às vezes, a necessidade de trabalhar sobre a Porta OD ou sobre a Porta KI-RIS-TI.

E, espontaneamente, vocês observam que a cabeça pode se colocar em uma determinada posição (durante seus Alinhamentos como fora deles).

E, em seguida, vocês têm o quê?

Uma vez que vocês tenham colocado a cabeça em uma das posições (ou nas 4 posições), vocês poderão fazer movimentos.

Os movimentos da cabeça foram descritos em muitos yogas.

Vocês têm alguns médiuns (desde já várias dezenas de anos) que receberam os meios de liberar a Passagem posterior da cabeça.

Não mais da garganta, para a frente, mas a Passagem das 7 vértebras cervicais que consiste em traçar, com a cabeça, uma Lemniscata cujo ponto de cruzamento da Lemniscata (do “8”, símbolo do infinito) seria o ponto central da cabeça.

E vocês acionam círculos: vocês desenham um “8”, no plano, com sua cabeça, cujo pivô é, naturalmente, a garganta.

Vocês irão, naquele momento, criar um Desdobramento da Luz, de maneira muito mais intensa do que com as Trilhas ou com os cristais (ou com o que foi dado, neste verão (inverno, no hemisfério sul), por UM AMIGO, por outros Intervenientes).

Vocês irão, então, trabalhar sobre vocês mesmos.

Vocês irão, desta maneira, favorecer a Obra no Branco, em vocês.

Vocês irão favorecer sua Deslocalização.

Eis o sentido de uma das partes do que foi dado nas Posturas de Integração, por SRI AUROBINDO, durante as decodificações.

Retenham, simplesmente, isso: para a frente, para trás, para a esquerda, para a direita.

E, em seguida, a Lemniscata com a cabeça.

Se vocês fizerem isso, vocês irão favorecer a Vibração, mas, também, a Deslocalização da Consciência.

Existe, ao nível do pescoço, uma zona de Passagem (em particular, na região posterior).

Na parte da frente do pescoço, é o quê?

É o ar que passa.

São as emoções.

É a palavra.

É o Verbo.

É o sopro.

O que acontece, ao nível da parte de trás, durante os movimentos da cabeça?

É a Terra, ou seja, é o Sangue da Terra, o próprio corpo.

A Luz, naquele momento, transmuta, na totalidade, o corpo e lhes permite viver a Deslocalização, ou seja, de algum modo, a desidentificação, consciente, do seu corpo.

Tentem.

Façam a experiência.

Eu não posso dizer-lhes melhor, hoje.

Eis o que eu tinha para comunicar a vocês, principalmente no período em que MARIA intervém, neste período de 5 semanas.

Nós estamos no meio, muito exatamente, hoje, dessas 5 semanas.

Este trabalho do corpo é, também, um yoga, se quisermos: isso não é nem o Yoga da Unidade, nem o Yoga da Verdade, nem tudo o que lhes deu UM AMIGO, mas é, simplesmente, a maneira que esse corpo tem para manifestar a Deslocalização da sua Consciência.

Porque vocês irão destrancar (fazendo como eu disse) as Portas: ao mesmo tempo as Portas OD, as Portas ER, a Porta KI-RIS-TI, a Porta UNIDADE e a Porta AL.

Eis o que eu tinha para transmitir a vocês.

Será que está claro?

Não vale a pena provocar torcicolos, hein.

Um movimento leve.

Vocês não são obrigados a fazer grandes “8”, tampouco.

É a intenção que conta.

Vocês fazem esses “8” com a cabeça, mesmo se a reprodução não for perfeita, e vocês irão constatar, naquele momento, a amplificação colossal das Vibrações de OD, de ER, da UNIDADE, de AL do peito e de KI-RIS-TI, de maneira sincrônica (ndr: vocês encontrarão uma apresentação desta prática na coluna “protocolos a praticar”).
 
Nós não temos mais perguntas. Nós lhe agradecemos.
 
Então, caros amigos, eu gostaria, primeiramente, de agradecer muito por todas as perguntas muito inteligentes.

E vocês viram, eu lhes tinha dito, antes, que todas as perguntas iriam ao mesmo sentido.

E porque isso é normal.

São as interrogações que vocês têm, nesse momento.

As respostas, eu dei a vocês.

Mas, a mais bela das respostas, foi o que eu lhes disse no final (ndr: a prática dos movimentos da cabeça).

Vocês vão entender muito rapidamente.

E, talvez, eu voltarei, antes do final das intervenções de MARIA, para tagarelar um pouco com vocês, se vocês bem o quiserem, sempre.
 
Nesse meio tempo, eu lhes transmito todo o meu Amor, todas as minhas Bênçãos e, sobretudo, eu lhes digo: “ótima Deslocalização”.

Até muito breve.
 
 
 
 
Mensagem de OMRAAM MIKHAËL AÏVANHOV,
pelo site Autres Dimensions
em 27 de dezembro de 2011
 
 
 
 
 
Rendo Graças às fontes deste texto:
Tradução: Zulma Peixinho
 
 
 
 
 
 
Related Posts with Thumbnails