quinta-feira, 24 de setembro de 2015

MENSAGENS DE DRAGÕES E ELFOS - SETEMBRO DE 2015 - COM ÁUDIO

Rendo Graças ao autor desta imagem




DRAGÕES E ELFOS
SETEMBRO DE 2015




MENSAGENS


Eu sou Erilim, Dragão, nesse seio e nesse centro aqui, um dos quatro guardiões.

Nós, os quatro mais jovens dos Dragões, em comunhão, em nosso grupo de sete que trabalhamos nesse lugar e nesses tempos, para manter, em estabilidade, a conexão entre o mundo novo que se intercala com o antigo, como apoios e ancoragens, para manter, nesses momentos de fusão intensa de partículas adamantinas e do fogo solar, isso, nesse monto, em nosso grupo, mas, igualmente, em outros lugares e em outros grupos com os quais, hoje, nós estamos religados, daí essa intensidade e essa potência.

Nós estamos felizes, enfim, de poder partilhar esses instantes com vocês, não para fazer-nos conhecer ou ver, simplesmente, de vocês, mas, sobretudo, e aí está o essencial, para permitir-lhes, quando de nossas comunhões, trabalhar, igualmente, seus centros, em seus corpos, para estabilizar, em vocês, nos quatro Elementos, o Fogo, e permitir a junção entre seu corpo de Existência e o antigo, que eu não nomearei.

Nós estamos aqui, igualmente, para partilhar, em comunhão com os Elfos e os povos elementais, a quem eu deixarei o lugar, mas com quem nós partilharemos, todos juntos, um momento de comunhão.

Nós estamos, de fato, efetivamente, conectados com dois, hoje, aqui mesmo, mas, igualmente nos lugares deles e em todos os lugares nessa Terra.

Quer sejam as Ondines, os Elfos, Elementais, quer sejamos nós, os Dragões, nós viemos partilhar e fundir com vocês, oferecer nossas Presenças, para estar em sua Presença, viver esse momento na revelação do Coração.

Nós nos revelaremos na periferia do círculo que implantamos ao redor, bem ao redor de vocês.


fabOs Elfos entre vocês, pela amplificação das partículas adamantinas, desenvolverão um centro vibratório; esse espaço será conectado, é conectado, diretamente, a todos os lugares nessa Terra, assim como aos Círculos de Fogo.

Então, nós nos colocamos ao redor de vocês, e deixamos o Rei dos Elfos exprimir-se, por sua vez.

———————-

Eu sou Erin, Rei dos Elfos, nesse lugar.

Eriane, assim como todos os outros Elfos, numerosos, vieram juntar-se, assim como outros povos elementais.

Nós implantamos uma cúpula de Luz, que amplifica, assim, as partículas adamantinas.

Nós estamos na alegria porque, hoje, é uma reunião de comunhão e de fusão não, unicamente, com o povo dos Dragões, mas, também, com vocês, coisa que pode parecer excepcional, mas que é, nestes tempos, cada vez mais facilitada.

Nós não estamos aí para um simples jogo de ser visto, mas, efetivamente, para, juntos, apreendermos essa reunião, do resultado entre o corpo de Existência e seu corpo, entre o que vocês são, em toda a Eternidade e o efêmero.

Essa reunião em nossa vibração, sustentada pela estabilidade que aportam os Dragões, pode permitir-lhes apreender esse fim, essa renovação, de algum modo, esse contato, não com qualquer medo, mas, efetivamente, na alegria, na alegria e na facilidade, facilidade e simplicidade.

Eu sou Erin, Rei dos Elfos, e vamos colocar-nos ao redor de vocês, entre vocês, com vocês.

Não procurem qualquer contato no exterior, mas, efetivamente, no coração do Coração.

A força, a potência e a radiância dos outros povos nessa Terra, que vêm juntar-se a nós neste instante, será sustentada pela estabilização dos Dragões, que portarão seu Fogo nos quatro elementos, o que reforça, assim, e estabiliza o ponto de ancoragem no coração do Coração.

Nós não vamos continuar em palavras.

Vamos, simplesmente, deixar, agora, trabalhar o que deve sê-lo, abandonar-nos, deixar trabalhar e, eu diria, mais precisamente, simplesmente, em toda simplicidade, oferecer-nos, aqui e agora, simplesmente, oferecer-nos e deixar-nos desaparecer, nesse banho, nesse fluxo de Luz, portados pelos quatro Elementos, bem presentes, deixando, simplesmente, acolher.

Então, de minhas palavras, eu me calo, e deixemo-nos banhar, aqui e agora, em um único Coração.

… Efusão vibratória…

Eu sou Eriane, Rainha dos Elfos, nesse lugar, eu venho, simplesmente, para aqueles que ouvem, ainda, a minha voz, partilhar e fundir com eles, ao mais próximo do coração do Coração.

Partilhar na alegria e na paz esses momentos que nós vivemos, juntos, reunidos como jamais o foi, misturando diferentes povos Elementais, os Elfos e os Dragões, e os Humanos.

Uma reunião das mais insólitas, mas que, no entanto, hoje, tornou-se possível, simplesmente, para fazê-los vibrar, no que vocês são, no outro mundo, na 5D (quinta dimensão).

Simplesmente, para apreender esse tempo, apreendê-lo não no medo, mas, simplesmente, vivê-lo na Alegria e na Paz, o que os convida a soltar, junto a nós ou outros Seres de Luz, o que pode restar de resistência, no plano emocional ou psicológico, pouco importa, simplesmente, portar sua visão não mais nessa ilusão de sofrimento, mas, bem mais, ao que vocês são, na realidade, ao que nós somos: Luz, mas, antes de tudo, a Paz.

Esse tempo de Paz, que vocês todos desejaram, nesse instante, em nossos contatos, agora ou depois, quando vocês recorrerem a nós, que vocês poderão viver, se isso não foi feito, ainda.

Não procurando o hábito de contatar-nos, mas, simplesmente, na necessidade.

Não no prazer de ver-nos, de falar conosco, mas, simplesmente, no respeito de reencontrá-los, de estar com vocês, porque aí está o único objetivo, se podemos dizer.

Então, se vocês estão ainda aí, a escutar a minha voz, então, juntos, vamos nos perder aí, onde não há mais palavras, mais voz, aí, onde vocês não são esse corpo, aí, onde eu não sou Elfo, simplesmente, ao centro, centro do Coração.

… Efusão vibratória…

———————-

Eu sou Erilim, Dragão nesse lugar, vamos colocar-nos acima, amplificando, com nossas asas e nosso Fogo, seus quatro Elementos, seu Fogo, nos quatro Elementos, o que vem, assim, estabilizar a junção de seu corpo de Existência em seu corpo, desenvolvendo, assim, em seu coração, sua chama além, para além, mesmo, desse corpo, o que lhes permite viver as primícias de seu corpo de Existência pelo desenvolvimento desse Fogo.

… Efusão vibratória…

Fogo que age no desenvolvimento de suas asas, o que libera, assim, uma das faculdades principais de seu corpo de Existência.

Eu sou Erilim, eu e os outros Dragões, nós os deixamos banhar-se, alguns instantes, nesse Fogo.

… Efusão vibratória…

Eu sou Erilim, Administrador e Dragão nesse lugar.

Eu me junto aos outros Dragões, para render-lhes graças por esse momento de vivência, todos juntos, em Presença, entre os Elfos e outros povos elementais, conectados, nessa Terra, a vários lugares nos quais nossos irmãos trabalham, igualmente, assim como todos os outros povos.

Para essa passagem do efêmero à Verdade, do efêmero à Eternidade.

A cada instante, quando vocês desejarem, podem vir reencontrar-nos, e é com alegria que nós nos retiramos, deixando o lugar ao Rei dos Elfos que deseja, ele também, render-lhes graças, por suas próprias palavras.

———————-

Eu sou Erin, Rei dos Elfos, e eu rendo graças a todos, por nos terem permitido, todos juntos, viver esse instante de união, na fusão, nessa Paz, nessa Alegria.

Até o momento final da absorção, da absorção desse mundo pela Eternidade, nós continuaremos a trabalhar e continuaremos junto a vocês, se vocês desejarem, a acompanhá-los, preservando em nossos lugares e em alguns lugares, para permitir àqueles para quem os lugares nos quais eles se encontram, atualmente, possam parecer-lhes difíceis, encontrar, junto a esses lugares, junto a nós, um momento de Verdade, de Liberdade e de Eternidade, oferecendo-se, simplesmente, em toda simplicidade.

Eu repito, não façam disso um objetivo, mas, simplesmente, uma ferramenta para mostrar-lhes e fazê-los viver, eu os lembro, unicamente, o que vocês são.

Eu, Eriane, e os povos elementais, rendemos graças a vocês, assim como ao povo dos Dragões, assim como a todos os povos nessa Terra que se uniram nesse instante.

Nós lhes dizemos, então, até breve, e nós os deixamos, cada um, em sua Eternidade.

… Efusão vibratória…









Mensagem de Dragões e Elfos
Setembro de 2015





Rendo Graças às fontes deste texto:
Traduzido para o Português por Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com.br
Áudio:
http://mensagensdeamor.brluz.net


quarta-feira, 23 de setembro de 2015

A ÚLTIMA PROFECIA DE PETER DEUNOV - PETER DEUNOV - COM ÁUDIO

Rendo Graças ao autor desta imagem




PETER DEUNOV
1944

Igualmente conhecido sob o nome espiritual de Beinça Douno, o Mestre búlgaro Peter Deunov (1864-1944) foi um ser de muito alto nível de consciência, ao mesmo tempo em que um incomparável músico, que deu, durante toda a sua vida, um exemplo de pureza, de sabedoria, de inteligência e de criatividade.

Estabelecido, durante anos, próximo a Sofia, onde ele vivia cercado de numerosos discípulos, por sua irradiação, ele despertou para a espiritualidade milhares de almas, tanto na Bulgária como no resto da Europa.

Fascinado por esse personagem fora do comum, Albert Einstein declarou, um dia: “O mundo inclina-se diante de mim, mas eu me inclino diante do Mestre Peter Deunov!”.

Alguns dias antes de sua partida para o outro mundo, e enquanto ele estava em estado de profundo transe mediúnico, ele fez uma extraordinária profecia, a propósito da época conturbada que nós atravessamos hoje, do «tempo do fim», e do advento da nova Idade de Ouro da humanidade.


Eis esse perturbador testamento.

Ele é de uma atualidade tão vibrante, que se chega a duvidar que essas palavras tenham podido ser pronunciadas há quase sessenta anos.

O Mestre Peter Deunov (1864-1944)




A ÚLTIMA PROFECIA DE
PETER DEUNOV


No curso dos tempos, a consciência do homem atravessou um muito longo período de obscuridade.

Essa fase, que os Hindus chamam de «Kali Yuga », está a ponto de ser concluída.

Nós nos encontramos, hoje, na fronteira entre duas épocas: aquela do Kali Yuga e aquela da Nova Era na qual nós entramos.

Uma melhoria gradual produz-se nos pensamentos, nos sentimentos e nos atos dos humanos, mas todos estarão, em breve, submissos ao Fogo divino, que os purificará e que os preparará para a Nova Época.

Assim, o homem se elevará a um grau superior de consciência, indispensável à sua entrada na Nova Vida.

É isso que se entende por «Ascensão».

Alguns decênios escoarão antes que esse Fogo venha, que transformará o mundo, a ele aportando uma nova moral.

Essa imensa onda chega do espaço cósmico, e inundará toda a Terra.

Todos aqueles que tentarem a ela opor-se serão levados e transferidos para outros lugares.

Embora os habitantes desse planeta não se encontrem, todos, no mesmo grau de evolução, a nova onda será sentida por todos e cada um.

E essa transformação tocará não, unicamente, a Terra, mas, também, o conjunto do Cosmos.

A única e melhor coisa que o homem pode fazer agora é voltar-se para o Senhor e, melhorando conscientemente nisso, elevar seu nível vibratório, para encontrar-se em harmonia com essa onda potente que, em breve, vai afogá-lo.

O Fogo de que eu falo, que acompanha as novas condições oferecidas ao nosso planeta, renovará, purificará, reconstruirá tudo: a matéria será refinada, seus cursos serão liberados da angústia, das perturbações, da incerteza, e eles se tornarão luminosos; tudo será melhorado, elevado; os pensamentos, sentimentos e atos negativos serão consumidos e destruídos.

Sua vida atual é uma escravidão, uma prisão pesada.

Compreendam sua situação e liberem-se dela!

Eu lhes digo: saiam de sua prisão!

É, verdadeiramente, desolador ver tantos desvarios, tanto sofrimento, tanta incapacidade para compreender onde se encontra sua verdadeira felicidade.

Tudo o que está ao seu redor vai, em breve, desmoronar e desaparecer.

Nada mais restará dessa civilização nem de sua perversidade; toda a Terra será abalada e mais nenhum traço subsistirá dessa enganosa cultura que mantém os homens sob o jugo da ignorância.

Os tremores de terra não são, unicamente, fenômenos mecânicos, eles têm, também, por objetivo despertar o intelecto e o curso dos humanos, para que eles se liberem de seus erros e de suas loucuras e que eles compreendam que não estão sozinhos no universo.

Nosso Sistema Solar atravessa, agora, uma região do Cosmos na qual foi, em outros tempos, destruída uma constelação que deixou sua parca, seu pó.

Essa travessia de um espaço contaminado é uma fonte de envenenamento não, unicamente, para os habitantes da Terra, mas para todos os habitantes de outros planetas de nossa galáxia.

Apenas os sóis não são afetados pela influência desse ambiente hostil.

Essa região nomeia-se «a décima terceira zona»; chamam-na, também, «a zona das contradições».

Nosso planeta ali permaneceu confinado durante milhares de anos, mas nós nos aproximamos, enfim, da saída desse espaço de trevas, e estamos a ponto de atingir uma região mais espiritual, na qual vivem seres mais evoluídos.

A Terra segue, agora, um movimento ascendente, e cada um deverá esforçar-se para harmonizar-se com as correntes da Ascensão.

Aqueles que recusam submeter-se a essa orientação perderão a vantagem de boas condições que lhes são, doravante, oferecidas para elevar-se.

Eles permanecerão atrás da evolução e deverão esperar dezenas de milhões de anos pela vinda de uma nova onda ascendente.

A Terra, o Sistema Solar, o Universo, tudo se move em uma nova direção, sob o impulso do Amor.

A maior parte de vocês considera, ainda, o Amor como uma força irrisória, mas, na realidade, é a maior de todas as forças!

O dinheiro e o poder continuam a ser venerados como se o curso de sua vida dependesse disso.

No futuro, tudo será subordinado ao Amor e tudo a ele servirá.

Mas é através dos sofrimentos e das dificuldades que a consciência do homem deverá despertar.

As terríveis predições do profeta Daniel, escritas na Bíblia, reportam-se à época que se abre.

Produzir-se-ão inundações, furacões, incêndios gigantescos e tremores de terra que varrerão tudo.

O sangue correrá em abundância.

Haverá revoluções; explosões terríveis ecoarão de numerosas regiões da Terra.

Onde há a terra virá a água e onde há a água virá a terra.

Deus é Amor e, no entanto, trata-se, aí, efetivamente, de um castigo, de uma resposta da Natureza contra os crimes perpetrados pelo homem desde a noite dos tempos contra sua Mãe, a Terra.

Após esses sofrimentos, aqueles que serão salvos – os escolhidos – conhecerão a Idade de Ouro, a harmonia e a beleza ilimitadas.

Mantenham, portanto, sua paz e sua fé, quando vier o tempo do sofrimento e do terror, porque está escrito que nenhum fio de cabelo cairá da cabeça do justo.

Não se desanimem; prossigam, simplesmente, seu trabalho de aperfeiçoamento pessoal.

Vocês não têm ideia alguma do futuro grandioso que os espera.

Uma Nova Terra surgirá, em breve.

Em algumas semanas, o trabalho será bem menos exigente, e cada um terá o tempo para consagrar a atividades espirituais, intelectuais e artísticas.

A questão das relações entre o homem e a mulher será, enfim, resolvida na harmonia: tanto um como o outro terão a possibilidade de seguir suas aspirações.

As relações de casais serão baseadas na estima e no respeito recíprocos.

Os humanos viajarão através dos diferentes planos e cruzarão os espaços intergalácticos.

Eles estudarão seu funcionamento e estarão, rapidamente, aptos a conhecer o Mundo Divino, fundir-se com a Cabeça do Universo.

A Nova Era é aquela da sexta raça.

Sua predestinação é a de preparar-se para acolhê-la, vivê-la.

A sexta raça constituir-se-á em torno da ideia de Fraternidade.

Não haverá mais conflitos de interesses pessoais; a única aspiração de cada um será a de conformar-se à Lei do Amor.

A sexta raça será aquela do Amor.

Um novo continente será formado por ela.

Ela jorrará do Pacífico, para que o Altíssimo possa, enfim, estabelecer Sua permanência nesse planeta.

Os fundadores dessa nova civilização, eu os chamo «Irmãos da Humanidade» ou, ainda, «Filhos do Amor».

Eles serão inabaláveis no bem e eles representarão um novo tipo de homens.

Os homens formarão uma família, como um grande corpo, e cada povo representará um órgão desse corpo.

Na nova raça, o Amor será manifestado de uma maneira tão perfeita, que o homem atual apenas pode apenas, ainda, ter uma ideia muito vaga.

A Terra continua um terreno propício às lutas, mas as forças tenebrosas vão recuar e ela será liberada.

Os humanos, ao ver que não resta mais outro caminho, engajar-se-ão naquele da Nova Vida, aquele da salvação.

Em seu orgulho insensato, alguns continuarão até o fim, a esperar continuar a levar, na Terra, uma vida que a Ordem Divina reprova, mas cada um acabará por compreender que a direção do mundo não lhe pertence.

Uma nova cultura surgirá, que repousará sobre três princípios diretores: a elevação da mulher, a elevação dos humildes, dos frágeis e a proteção dos direitos do homem.

A Luz, o bem e a justiça triunfarão; isso é apenas uma questão de tempo.

As religiões devem ser purificadas.

Cada uma abraça uma partícula do Ensinamento dos Mestres da Luz, mas obscurecida pelo aporte incessante de desvios humanos.

Todos os crentes terão que se unir e pôr-se de acordo sobre um princípio, aquele de colocar o Amor como base de toda crença, qualquer que seja.

Amor e Fraternidade: é essa a base comum!

A Terra será, em breve, varrida pelas ondas extraordinariamente rápidas da Eletricidade Cósmica.

Daqui a alguns decênios, os seres maus e equivocados não poderá suportar sua intensidade.

Eles serão, então, absorvidos pelo Fogo Cósmico, que consumirá o mal que os possui.

Em seguida, eles se arrependerão, porque está escrito que «cada carne glorificará o Senhor».

«A Terra será, em breve, varrida pelas ondas extraordinariamente rápidas da Eletricidade Cósmica».

Nossa mãe, a Terra, desembaraçar-se-á dos homens que não aceitarem a Nova Vida.

Ela os rejeitará como frutos avariados.

Eles não poderão mais, em breve, reencarnar nesse planeta; os espíritos criminosos tampouco.

Apenas permanecerão aqueles que possuírem o Amor neles.

Não há mais lugar sobre a Terra que não esteja sujo de sangue humano ou animal; é preciso, portanto, que ela sofra uma purificação.

E é para isso que alguns continentes atuais serão imersos, enquanto outros surgirão.

Os homens não suspeitam de quais perigos eles são ameaçados.

Eles continuam a perseguir objetivos fúteis e a procurar o prazer.

Aqueles da sexta raça estarão, ao contrário, conscientes da dignidade de seu papel e respeitosos da liberdade de cada um.

Eles se nutrirão, exclusivamente, de produtos do mundo vegetal.

Suas ideias terão o poder de circular tão livremente como o ar e a luz de nossos dias.

As palavras «Se vocês não nascem de novo» aplicam-se à sexta raça.

Leiam o capítulo 60 de Isaías.

Ele se reporta à vinda da sexta raça, a Raça do Amor.

Após as Tribulações, os homens pararão de pecar e reencontrarão o caminho da virtude.

O clima de nosso planeta será, por toda a parte, moderado, e as variações brutais não existirão mais.

O ar voltará a tornar-se puro, assim como as águas.

Os parasitas desaparecerão.

Os homens se lembrarão de suas encarnações passadas e experimentarão prazer de constatar que estão, enfim, liberados de sua antiga condição.

Assim como se desembaraça a videira de seus parasitas e de suas folhas mortas, assim agem os Seres evoluídos para prepararem os homens para servirem ao Deus do Amor.

Eles dão a elas boas condições para crescer e desenvolver-se e, para aqueles que querem, efetivamente, ouvi-los, eles dizem: «Nada temam! Ainda um pouco de tempo e tudo vai arranjar-se; vocês estão no bom caminho. Que aquele que quer entrar na Nova Cultura estude, trabalhe, conscientemente, e prepare-se».

Graças à ideia de Fraternidade, a Terra tornar-se-á um lugar abençoado, e isso não tardará.

Mas, anteriormente, grandes sofrimentos serão enviados para despertar as consciências.

Os pecados acumulados durante milhares de anos deverão ser redimidos.

A onda ardente que emana do Alto contribuirá para liquidar o carma dos povos.

A liberação não pode ser mais atrasada.

A humanidade deve preparar-se para as grandes provas inevitáveis que vêm e que aportarão o fim do egoísmo.

Sob a Terra, algo de extraordinário prepara-se.

Uma revolução grandiosa e absolutamente inconcebível manifestar-se-á, em breve, na natureza.

O Senhor decidiu endireitar o mundo, e Ele vai fazê-lo!

É o fim de uma época; uma nova ordem vai substituir a antiga, uma ordem na qual reinará o Amor sobre a Terra.










Peter Deunov - Declaração sobre o futuro
1944





Rendo Graças às fontes deste texto:
Traduzido para o Português por Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com.br
Áudio:
http://mensagensdeamor.brluz.net



terça-feira, 22 de setembro de 2015

A IGNIÇÃO FINAL DO FOGO DO CORAÇÃO - ORIONIS - SETEMBRO DE 2015 - COM ÁUDIO

Rendo Graças ao autor desta imagem




ORIONIS
SETEMBRO DE 2015




A IGNIÇÃO FINAL
DO FOGO DO CORAÇÃO


Eu sou Orionis.

Eu vim até vocês, hoje, irmãos e irmãs humanos na carne desta Terra.

Minha última vinda remonta a alguns anos, e esse tempo não está aí por acaso, em sua linearidade.

Eu venho como aquele que, há muito tempo, quando do início da falsificação, vigiou para que os acordos entre as forças da Confederação Intergaláctica e as forças opostas à Luz, nesse tempo, respeitem certo número de regras.

Assim, eu fiz parte, até recentemente, igualmente, do que foram nomeados osLipika Cármicos, que vigiam pela boa execução do respeito de algumas regras obrigatórias nesse mundo, até sua liberação futura.

Hoje eu volto, então, como Maria o fez há pouco tempo, para impulsionar, de maneira coletiva sobre a Terra – em acordo com os povos da natureza e em acordo com o conjunto de forças da Confederação Intergaláctica – a ignição final do Fogo do Coração e, portanto, da MerkabahInterdimensional coletiva e pessoal.

Permitam-me, primeiramente, estabelecer-nos, juntos, nesse último Fogo do Coração, que vem abrasar o efêmero e revelar sua glória e sua beleza na Eternidade.

… Silêncio…


Como vocês o vivem, na escala individual e coletiva desta Terra, tudo o que havia sido vendado, escondido e calado encontra-se, hoje, tanto ao nível individual como coletivo, iluminado pela potência da Luz que festeja, agora e já, o retorno da totalidade do Espírito Santo, da Luz nesse mundo.

Eis que vocês, portanto, entram, diretamente e em plena consciência, no que havia sido explicitado pelos Anciões, ou seja, o Choque da humanidade.

Estejam certos, onde quer que vocês estejam e qualquer papel que desempenhem ainda, da justa retribuição, que corresponde às palavras de Cristo, que são: «Ser-lhe-á feito segundo sua fé» e, sobretudo: «Levante-se e ande».

Ande no caminho de sua eternidade já adquirida, já reencontrada, ou em vias de reencontrada.

Eu venho concluir o último ciclo do confinamento que termina nesses dias, o que permite a cada um de vocês encontrar seu exato lugar, seu exato estado, em função do que diz a consciência, em toda liberdade, em cada um de vocês e de maneira coletiva.

Assim o Fogo desce do céu, como eu havia exprimido quando de minha última presença na carne daquele que foi nomeado Bença Deunov.

Eu os convido a informar-se sobre essa última profecia, eu os convido a informar-se sobre o que eu pude escrever, naquele momento, nomeado o Amor Universal.

Isso dito, o período que se abre diante de vocês é aquele da resolução de todo antagonismo, de toda oposição e de toda confrontação, assim como lhes foi dito e repetido, quer seja pelos Anciões, os Arcanjos, as Estrelas ou, ainda, Bidi e, mesmo, mais recentemente, pelos povos da natureza.

A hora chegou de cantar os louvores da Liberdade reencontrada, da Liberdade realizada e revelada.

Eu os convido, agora e já, se tal é seu coração, a mergulhar no coração de seu coração, no qual se encontra essa famosa resolução de todos os antagonismos, de todos os conflitos, de todas as memórias e de todas as ilusões.

Por minha presença, hoje, aqui e por toda a Terra, eu assino o último decreto, que põe fim aos acordos escritos, assinados há mais de trezentos e vinte mil anos, porque os tempos são chegados.

A segunda Estrela aproxima-se, agora, a toda velocidade, de seu Sol, ele já reage e exulta da graça da Liberdade, o que lhes dá a viver a presença de seu corpo de Existência, a presença da Liberdade, a presença da Verdade e a presença da Eternidade.

Filhos do Um, assim como a Fonte declamou a vocês, assim como Uriel cantou-lhes, o tempo, agora, da Luz nua, pura e integral chegou.

Tradicionalmente, nesse mundo, os portadores de Luz no coração, que são os Elohim e os Nephilim, aglomeram-se no limiar de sua consciência.

Não procurem, ali, uma Presença, no sentido de entidade, mas vejam, sim, a chama da ressurreição, a chama da Verdade ardente e que acaba de consumir o que resiste, tanto em cada um como ao nível do coletivo.

Eu os convido, então, a cantar Elohim e Nephilim, na mesma vibração, no mesmo Amor, na mesma frequência, o que lhes aporta, então, o indispensável necessário em seu coração, à verdade do Fogo do Amor nesse mundo e não mais, unicamente, em seu coração.

Assim, em si mesmos, de maneira audível ou silenciosa, repitam-se esses dois nomes: Elohim, Nephilim, o que lhes dá acesso à estabilidade do coração, o que os põe em contato com os povos da natureza.

Eu os lembro, também, da saudação de Órion, que lhes permite – para aqueles de vocês que não estão conscientes da vibração, de momento, que não estão conscientes da a-consciência, que não estão conscientes do Si – experimentar, no coração, a verdade de seus contatos, de suas Presenças.

Assim, ao evocarem e vibrarem esses dois nomes sagrados do modo seguinte, vocês encontrarão o que resta, assim como vocês pensam, talvez, a reencontrar, a exprimir e a manifestar.

Assim, eu o faço para vocês:

Elooooohimmmmm, Nephiiiiiliiiiimmmmm, por três vezes.

Em coro, com a assembleia:

Elooooohimmmmm, Nephiiiiiliiiiimmmmm…

Elooooohimmmmm, Nephiiiiiliiiiimmmmm…

Elooooohimmmmm, Nephiiiiiliiiiimmmmm…

Assim abre-se, em vocês, em qualquer lugar e local que seja, o canal de Luz que regenera, em vocês, a frequência dos Elohim e dos Nephilim, o que lhes permite criar o corredor ascensional que os dirige para seu destino, mais especificamente, para aqueles de vocês têm a viver a a-consciência na totalidade, liberados de toda carne, ou para aqueles de vocês, liberados da carne ou não, que devem transitar ao nível da Jerusalém Celeste, ao nível do Círculo de Fogo dos Anciões, um entre os seis que existem, ainda.

Isso desperta, também, em vocês, a vibração original dos seres de Fogo que aportaram as estruturas geométricas não alteradas, presentes nos Círculos de Fogo dos Anciões e em outros lugares do planeta, conhecidos ou ainda desconhecidos, que ressoam os pilares de ancoragem da Terra em sua nova dimensão, que ressoam, em vocês, a revelação e o desvendamento aparente, nesse mundo, de seu coração, do Amor e da Verdade.

Assim, ao aproximar-se, cada dia mais, da simplicidade, da humildade e da Alegria, vocês reencontrarão o que devem reencontrar em Amor e em estase.

Hoje, a partir do instante em que o Arcanjo Miguel tiver acompanhado a segunda Estrela que desce até seu solo, a partir desse instante, suas atividades ditas exteriores deverão cessar, sine die, até o Apelo de Maria.

Não haverá qualquer meio de enganarem-se ou de serem enganados, porque os sons do Céu e da Terra, que já fizeram suas aparições de maneira contínua em seus ouvidos, e de maneira visível em seus céus, não mais de maneira parcelada, mas de maneira global será, para vocês, o momento de resolver seus assuntos, de pôr em ordem o que deve sê-lo e de retirar-se para o centro de si mesmos, o que prepara, assim, em alguns dias, a plenitude do Apelo de Maria.

Portanto, vigiem e orem, nada esperem, nada projetem, mas observem, tanto em si como na tela desse mundo, o que se desenrola, atualmente.

Inúmeras profecias foram dadas, quer seja minha última profecia na carne de Bença Deunov, quando do final de vida de seu corpo, quer seja por São João, quer seja por inúmeros profetas, em algumas tradições, culturas ou religiões que sejam, que lhes têm dado marcadores temporais extremamente precisos.

As forças da sombra residuais nesta Terra, como nesse Sistema Solar, que não podem mais apoiar-se nas linhas de predação dissolvidas quando da Liberação da Terra há alguns anos, reconhecerão, elas também, o sinal, e permitirão, então, naquele momento, que a majestade da Luz dos Corações Ardentes do Sol revele-se sobre a Terra.

Se a astrofísica interessa a vocês, eu os convido a reler o que foi exprimido, há quase dez anos, pelo guia Azul de Sírius, nomeado Sereti, que lhes explicou, naquela época, o que, naquele momento, devia parecer-lhes muito improvável, mas que, hoje, é confirmado pelos dados da observação, tanto na Terra como no Sol.

Assim, portanto, vigiem e orem, vigiem, sobretudo, para permanecerem com o coração leve, o coração amoroso, e vocês sabem que, para isso, não há melhor posicionamento do que a humildade e a simplicidade do coração, que não se preocupa mais com outra coisa que não essa noção de retorno à Eternidade.

Pela Graça dos Elohim e dos Nephilim, aqueles que, há cinquenta mil ou trezentos mil anos, permitiram que jamais se apagasse a chama da Verdade, quaisquer que fossem as aparências, quaisquer que fossem os sofrimentos e quaisquer que fossem as tribulações.

Eu venho convidá-los a celebrar não mais qualquer núpcia, mas, bem mais, o retorno à sua eternidade.

Cada um de vocês, ao seu modo, cada um de vocês, em função de seu estado de consciência, de sua presença ou de sua ausência, verá isso se desenrolar segundo uma perspectiva profundamente diferente, que corresponde, contudo, à mesma Verdade e à mesma realidade.

Dignos Filhos Ardentes do Sol, eu os convido, a partir de hoje, a imergirem no que é nomeada a quinta dimensão, quer seja pelo apelo dos povos da natureza, quer seja pelo apelo do Canal Mariano, quer seja pela Presença de um dos Anciões, de uma das Estrelas ou de um dos Arcanjos ao seu lado.

Abençoem esses momentos, deixem-nos desenrolar-se na plenitude da Graça, na plenitude do estado de Graça, o que faz calar tudo o que pode vir alterar esse estado de contentamento que os leva ao limiar do Apelo de Maria.

Eu acrescentaria que, de modo muito lógico, antes mesmo do aparecimento, em seus céus, do que eu descrevi, antes, mesmo, do aparecimento, de maneira global, dos sons e trombetas, verifiquem, em si, o que se desenrola, não para criticá-lo, não para avaliá-lo, mas para tranquilizarem-se e afirmarem, a si mesmos, a presença de sua eternidade em seu corpo de Existência, concluído, agora, para a maior parte de vocês, o que dá um receptáculo perfeito para o Apelo de Maria e para o retorno Daquele que vem.

Em nada creiam desse mundo, no que se desenrolará no plano dito histórico das batalhas a vir.

Essa é uma encenação que não poderá ir muito longe, no momento vindo.

Não haverá quase defasagem entre o Apelo de Maria e sua transição, onde quer que ela vá.

Contentem-se em viver sua vida, até o momento em que os sons ecoarem no exterior, que serão os mesmos que inúmeros de vocês percebem na cabeça, ao redor dos campos áuricos e no ouvido esquerdo e/ou ouvido direito.

Esse apelo para liberar-se não é um apelo para lutar contra qualquer circunstância desse mundo, mas, sim, para deixá-las desenrolar-se sem ali prestar consciência e sem ali prestar emoção ou uma lógica qualquer de seu mundo e de suas leis.

… Silêncio…


Eu os convido, então, porque minhas palavras pararão aí, e, antecipadamente, eu rendo graças por sua escuta, eu rendo graças por sua presença e eu rendo graças por sua leitura.

Vamos, juntos, estabelecer-nos no Silêncio, por nossa Presença comum, por sua leitura ou por sua escuta, quando a realizarem.

Junto ao Silêncio da Verdade, preliminar ao Verbo Criador, conclusão das reversões, conclusão das passagens, que os leva ao tempo do começo, no qual nada, jamais, realmente, começou nem desapareceu.

Então, juntos, e esse será meu modo de saudá-los, na Luz dos Elohim, na Luz dos Nephilim, pelo Verbo do Silêncio e o Silêncio do Verbo.

Minha bênção estende-se, agora e já, aqui mesmo, e difundirá, progressivamente e à medida de sua leitura ou de sua escuta.

Não se esqueçam, nesses momentos de leitura, de escuta ou para esse momento agora, de cantarem, em si, Elohim e Nephilim.

Façamos isso durante sete minutos de seu tempo linear, no Silêncio do Templo do coração, limpo, purificado e pacificado, acolhendo o Apelo de Maria e Aquele que vem.

… Silêncio…


Assim, no Silêncio da Verdade do coração, na vibração do Amor, em sua eternidade absoluta, Orionis saúda vocês.









Mensagem de Orionis,
Setembro de 2015





Agradecimento especial ao trabalho excepcional ao longo do Processo:
Traduzido para o Português por Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com.br
Áudio:
http://mensagensdeamor.brluz.net




segunda-feira, 21 de setembro de 2015

QUESTIONAMENTOS - ARCANJO ANAEL - SETEMBRO DE 2015 - COM ÁUDIO

Rendo Graças ao autor desta imagem




ARCANJO ANAEL
SETEMBRO DE 2015




QUESTIONAMENTOS


Eu sou Anael, Arcanjo.

Bem amados filhos da Lei de Um, estabeleçamo-nos, alguns instantes, na Graça da Luz e da Verdade.

… Silêncio…

Bem amados, eis-me, novamente, com vocês.

Em nossas Presenças, vamos tentar entrar mais adiante no período que vocês vivem, cada um, nos eventos que se desenrolam em suas vidas, em suas percepções, em seus mecanismos de consciência, para ajudá-los a ajustar-se nas linhas de menor resistência, da evidência à Luz, da evidência da Graça, para além de toda preocupação mental ou emocional, hoje.

Há muito pouco tempo eu exprimi, sob a forma de interrogações, a noção de efêmero ou de eternidade, que os chama, já, a ver o que se desenrola no efêmero e em sua eternidade, que os ajuda a posicionar-se.

Hoje, vamos, também, desenvolver isso, e vamos trabalhar, nós também, juntos, hoje, através de seus questionamentos pessoais que emanam em sua Presença, nesse instante, concernentes, talvez, ainda, às interrogações, às dúvidas ou aos questionamentos que possam existir, que se manifestam à sua consciência no curso de seus dias e de suas noites, no curso de suas experiências levadas nesses tempos.

Assim, portanto, agora e já, eu acolho, com prazer e felicidade, suas interrogações, para tentar aportar-lhes uma resposta, tanto aqui como em outros lugares porque, obviamente, o desenrolar de sua vida nesse mundo vive elementos específicos, por vezes espantosos, concernentes ao desenrolar de sua encarnação, mas, também, ao acesso às outras dimensões na encarnação.


Isso resulta, diretamente, do período estabelecido entre 15 de agosto e 29 de setembro, que lhe dá a viver certo número de elementos purificadores, se posso dizer, e liberadores de sua consciência.

Retenham, contudo, que o importante não é a explicação nem a justificação, mas, realmente, a travessia, em toda liberdade e na Graça do que o corrente da vida propõe a vocês quando desse reencontro entre a Eternidade e o efêmero que cada um de vocês já aborda, de maneira intensiva e cada vez mais flagrante.

O conjunto de suas manifestações, quaisquer que sejam, lembrem-se: servem, em definitivo, apenas para ajustá-los ao mais próximo da Infinita Presença e da Última Presença, preliminar indispensável ao momento do Apelo de Maria para atravessar o que vocês nomeiam o fim dos tempos com o mínimo de bem estar e o máximo de lucidez.

Assim, portanto, nós focaremos nossas trocas nesses fatos, nesses eventos.

Eu os escuto, então, em seus questionamentos.

Questão: quando do contato com os Dragões, eu tive uma percepção acima da cabeça, como a presença de um Dragão. Por que isso se situa aí e será o sinal que permite reconhecer outros contatos em outros lugares?

Bem amado, assim como foi explicitado há algum tempo, os povos da natureza, qualquer que seja o Elemento deles, estão condensando, se posso dizer, em uma acumulação de Luz adamantina, a realização e a criação ou a ativação de vórtices que eu qualificaria de transdimensionais que permitem a junção de sempre mais Luz adamantina nesses lugares.

É, portanto, perfeitamente lógico que, nesses lugares, sejam percebidas, além das Presenças dos povos da natureza que ali estão presentes, algumas qualidades vibratórias.

Lembrem-se de que, nesses lugares, situam-se corredores que permitirão a alguns de vocês aceder, diretamente, ou aos Círculos de Fogo, ou à sua eternidade, se a passagem pelos Círculos de Fogo não é indispensável, em função de sua Atribuição.

Assim, portanto, nesses lugares conhecidos e vistos, tanto por vocês mesmos, aqui, como pelas forças residuais opostas à Luz, podem, por vezes, sobrepor-se, nesses lugares, povos da natureza que podem, também, pertencer à falsificação, ao mesmo tempo em que aqueles dos povos existentes na Luz unificada de quinta Dimensão.

Assim, portanto, é perfeitamente possível e, sobretudo, no que concerne aos Dragões, ter a Presença simultânea de Dragões dourados, qualquer que seja seu Elemento, associada a Dragões não redimidos que vêm por curiosidade, simplesmente, e sem qualquer efeito nefasto, verificar o que se desenrola nesses espaços.

Não há, contudo, como vocês sabem, absolutamente nada a temer nesses lugares, mas o que você percebeu corresponde a isso.

Não há lugar para considerar nem inquietar-se nem interrogar-se.

Isso é específico em vórtices que abrigam os Dragões, coisa impossível nos Elfos, em cidades de Ondines, como em cidades de Gnomos.

Os Dragões apresentam, e vocês sabem disso, essa particularidade de serem seres que jogam em algumas forças de organização da matéria, de organização da vida.

Esses lugares são, portanto, propícios, de algum modo, à confrontação, tanto em vocês como em seu exterior, de energia luminosa autêntica e de energia de Luz invertida e não, ainda, redimida.

Assim, o que se desenrola, em você, ao aproximar-se desses lugares, faz apenas traduzir o que se desenrola em seu seio, concernente à liberação dos engramas nomeados reptilianos, bem mais antigos e que estão, ainda, presentes em alguns de vocês, tanto mais se existe, em vocês, uma filiação reptiliana, mesmo redimida, que corresponda ou a uma de suas linhagens, ou, mesmo, à sua origem estelar.

Como eu disse, nada há, portanto, a temer, há, simplesmente, a viver o que é proposto nesses lugares, para ajudar sua Ascensão individual.

Assim, portanto, não se espante, nesses lugares nos quais vivem as comunidades de Dragões, de sentir múltiplas colorações do Dragão, tanto da ordem da Luz autêntica como da ordem da Luz não autêntica.

Não pode, contudo, ali haver consequências nem implicações outras que não a vivência e a percepção do instante.

… Silêncio…

Vocês podem continuar a questionar.

Questão: Bidi evocou a noção de Turiya. Você poderia lembrar em que consiste Turiya?

Bem amado, esse nome de origem sânscrita faz apenas traduzir o que vocês nomeiam, de modo mais convencional, hoje, a supraconsciência, nomeada pelo bem amado João, o Supramental.

O supramental que pode ser definido, em sua encarnação, como o reencontro entre o efêmero e o Eterno, assim como o processo de dissolução do efêmero em sua Eternidade.

A consciência Turiya é, portanto, um dos marcadores do coração.

Ela poderia ser assimilável à Morada de Paz Suprema, ao estado de Paz profunda e de Alegria real existente no Si, no qual a Presença da consciência regozija-se dela mesma, de sua própria Presença, de sua própria Luz, que se olha a ela mesma enquanto Luz, e considera, então, não mais depender de qualquer Luz exterior.

A consciência Turiya é, portanto, a consciência do supramental.

Ela corresponde, ponto a ponto, à manifestação, à ancoragem e à revelação da Luz dita do supramental, nomeada, também, o plano da Città.

Como vocês sabem, a consciência está em ressonância e em realiança com o aspecto vibral ou vibratório.

Assim, portanto, Turiya não é o Absoluto, mas Turiya conduz vocês à porta da Eternidade, além do Si, e manifesta as virtudes do Si, no momento da experiência, mas, também, em sua vivência comum.

… Silêncio…

Outro questionamento.

Questão: há uma relação entre Turiya e Sat-Chit-Ananda?

Sat-Chit-Ananda é a consequência direta de Turiya.

É o momento no qual a consciência descobre-se a si mesma como pura Luz, na origem de sua própria manifestação, o que permite e que é o testemunho, ao mesmo tempo, da dissolução dos últimos véus ligados às crenças, ligados aos engramas, aos implantes e a tudo o que podia opor-se, na matriz falsificada, à realidade de seu ser.

… Silêncio…

Prossigamos, se quiserem.

Questão: você tem uma mensagem para aqueles que não vivem qualquer vibração nem percepção fora dos cinco sentidos?

Bem amado, eu posso apenas remetê-lo a um ensinamento específico, recebido durante esses anos, e transmitido, mais especificamente, por Teresa, porque ela é o pequeno Caminho, o Caminho da Infância e da inocência, aquela cuja fé é inabalável, em qualquer circunstância da vida desse corpo.

Isso se chama a humildade, isso se chama a simplicidade, que não se obstrui com qualquer explicação, que faz apenas adorar o princípio Crístico, seu Esposo, como ela dizia.

Vejam, através do Caminho o mais direto que permite chegar, sem obstrução, à Morada de Paz Suprema, assim como o manifestou essa Estrela, quando de sua encarnação.

Isso necessita de entrar ao mais profundo do ser, não para ali procurar qualquer causalidade, não para ali procurar qualquer explicação, mas, bem mais, para encontrar o núcleo, o coração do ser, nomeado o coração do coração, e manifestar, em sua vida, sem, contudo, recusá-la, uma forma de submissão total e incondicional à Graça e à Luz, mesmo, eu esclareço, se ela não é percebida nem mesmo vivida.

Porque manter a consciência na humildade e na simplicidade no Caminho que eu qualificaria de «Teresiano» permite-lhes encontrar, com certeza, Cristo de toda vibração, além de toda noção de Si ou, ainda, de Absoluto.

O Caminho da Infância é o Caminho da inocência, aquele que não reflete sobre nada, mas que se curva com graça em tudo o que a Vida propõe, para que a consciência apenas seja preenchida dessa forma de aspiração a Cristo, ao princípio Crístico e à Luz da Liberdade.

Nesse caso, nenhuma vibração é necessária, nenhuma modificação da consciência é indispensável.

Nós estamos, portanto, aí, bem além dos processos que vocês têm vivido durante esses anos, para aqueles que os viveram.

Eu diria, mesmo, que o Caminho da Infância é aquele que os preserva de todas as ilusões, de todos os erros e de todas as errâncias.

É, portanto, o Caminho o mais seguro e, obviamente, o mais rápido e, sobretudo, neste período, para viver a Liberdade, o que quer que advenha à sua vida, o que quer que advenha ao seu corpo.

Mas isso necessita de uma capacidade de apagamento diante do corrente da Vida suficientemente grande e suficientemente afirmado para manter-se no tempo, a despeito de qualquer circunstância oposta e que se manifeste em sua vida.

… Silêncio…

Continuemos.

… Silêncio…


Questão: uma irmã tem um sonho recorrente no qual insetos devoram seu corpo do interior. Qual é o significado disso?

Bem amado, o que é importante é a distinção entre ser devorado do exterior ou do interior.

Ser devorado do interior por um inseto significa que, atualmente, existe, no interior desse ser, certa forma de parasitismo, não ligado ao sutil, mas ligado às circunstâncias de sua vida, de suas emoções, de suas relações.

Há, portanto, uma iluminação, como é, frequentemente, o caso neste período, concernente aos sonhos, que lhes dá insights, mas que acontecem sob a forma simbólica, que lhes permite, o mais frequentemente, religar os elementos de sua vida.

Aí também, contudo, eu esclareço que o importante não é ter a explicação, mas atravessar isso sem explicação porque, a partir do instante em que isso é aquiescido e aceito, o conflito, se posso nomeá-lo assim, no caso, aqui, o parasitismo, desaparece por si mesmo.

Existe, de fato, na aproximação dimensional entre o Eterno e o efêmero que vocês vivem, uma capacidade maior e recente de viver alguns sonhos.

É claro, no retorno, o mental, a pessoa vai apropriar-se desse sonho, procurando ali encontrar uma lógica, uma explicação, uma racionalidade ou, em todo caso, qualquer coisa que possa nutrir o mental da pessoa.

O importante, nesses sonhos, não é, tanto, a explicação, mesmo se ela seja sedutora, mas, sim, atravessar isso aceitando, sem compreendê-lo, juntando-se, também, à humildade e à simplicidade, compreender que o que se desenrola durante seus sonhos, neste período resolutório, não tem por objetivo informá-los, mas, realmente, transformá-los.

… Silêncio…

Prossigamos.

Questão: a noite escura da alma continua de atualidade?

Bem amado, a noite escura da alma foi passada por alguns de vocês já há alguns anos.

Outros não puderam enfrentar, há alguns anos, esses elementos.

Hoje, alguns de vocês o descobrem.

É o momento no qual lhes parece não mais existir soluções; eu não falo de interrogações, mas do sentimento de estar sem saída, de estar no fundo do poço, qualquer que seja seu estado de realização do Si.

Esses são momentos destinados, eles também, a testar-se, você mesmo, em suas capacidades luminosas, em suas capacidades de Existência, em suas capacidades de paz.

A noite escura da alma é, certamente, o elemento preliminar e final à dissolução da alma.

A noite escura da alma faz apenas refletir, de algum modo, o face a face consigo mesmo, ou seja, o face a face entre seu Eterno e seu efêmero.

Alguns de vocês não conhecerão esse processo de noite escura da alma, seja porque a alma já está dissolvida, seja porque não têm que dissolver suas almas.

Assim, portanto, neste período, e vocês constatam isso, existem inúmeras manifestações e sintomas, mesmo em seu corpo físico, que são apenas o reflexo do reencontro do Eterno e do efêmero, de seu face a face ou de sua noite escura da alma.

A lista dos sinais seria muito longa a listar, mas inúmeros desses sinais são-lhes comuns.

Eles correspondem à falta de regulagem da térmica do corpo, de sua temperatura, se prefere, que o faz oscilar do quente ao frio, que o faz viver suores, que o faz viver diversas manifestações ao nível de sua percepção corporal que toca múltiplos lugares e, isso, sob diferentes formas.

Na periferia ou nas Portas, você observa, frequentemente, sentimentos de formigamentos ou de queimações.

Isso corresponde ao afluxo maciço de Luz adamantina que vem grelhar as estruturas efêmeras, na totalidade.

São, portanto, as premissas.

Existem, é claro, outros sintomas.

Eu falei, um pouco antes desta resposta, para alguns de vocês, da intensidade da vivência em seus sonhos, na consciência específica desses momentos.

Aí também, convém atravessar isso, mesmo se as explicações existam e possam ser dadas, sem oferecer resistência.

Ora, a interrogação mental é uma das resistências concernente à vivência desse corpo, quer seja a manifestação das Coroas, as percepções de seus sonhos, as percepções do corpo ou, mesmo, de sua consciência, diretamente.

Basta-lhe atravessar isso, mesmo se isso não lhe seja acessível ao nível da compreensão ou de uma cadeia lógica qualquer.

Quanto mais você atravessar isso, eu diria, com facilidade, sem resistir, sem opor-se, mais você ficará ileso, eu posso dizer, de toda preocupação ou de todo medo.

… Silêncio…

Eu acrescentaria, também que, nesse espaço de questionamento de hoje, é-lhes permitido colocar questões as mais pessoais, se lhes é necessário ter uma explicação ou uma compreensão específica.

Questão: você pode falar-nos dos implantes transdimensionais?

Bem amado, o que você entende, em seu discurso, por implantes transdimensionais?

Você faz referência ao que eu disse ou você faz referência ao que você vive?

Questão: é um tratamento que havia feito OMA sob os pés, quando ele trabalhava sobre programas transdimensionais.

Eu não estou certo de compreender a questão.

Ao nível da planta dos pés existe, como você sabe há mais de um ano e por tê-lo vivido, alguns de vocês, certo número de forças.

Houve, eu o lembro, há alguns anos, a subida ligada à liberação da Terra, que foi nomeada Onda de Vida ou Onda do Éter, que era, simplesmente, a emissão da irradiação do núcleo cristalino da Terra que não estava mais confinado na Terra e que respondeu ao apelo da descida do Espírito Santo de Sírius, depois do ano de 1984.

Assim, portanto, existem outras correntes, que reapareceram há um ano em seus pés, que alguns de vocês perceberam e outros não.

Isso corresponde, simplesmente, à reativação dos quatro domínios Elementares existente no núcleo cristalino da Terra, depositados pelos Mestres geneticistas de Sírius, que correspondem ao que vocês nomeiam os quatro Hayot Ha Kodesh.

Do mesmo modo que existem quatro Triângulos presentes em sua Coroa radiante da cabeça, existem, do mesmo modo, quadro vibrações distintas, que aparecem há mais de um ano, que lhes dão a viver, talvez, as características intrínsecas dessas correntes vibrais que sobem do centro da Terra.

Os Mestres geneticistas de Sírius, que implantaram, como em toda a vida, a influência dos quatroHayot Ha Kodesh, a liberação da Terra e do núcleo cristalino da Terra, que foi concluída em 2011, dá-lhes a viver, alguns anos mais tarde, as diferentes correntes que compõem a Onda de Vida.

Do mesmo modo que no que foi nomeado o Kundalini, existem três correntes mais uma corrente que transformou o canal mediano da coluna vertebral, nomeado, anteriormente, Sushumna, em canal do Éter.

Isso é ligado à resolução dos lados, eu diria, ou dos aspectos predadores que foram confinados e que se liberam em vocês, que liberam, do mesmo modo, e de modo final, as quatro linhagens e sua origem estelar.

O que está no alto é como o que está embaixo, é isso que se manifesta ao nível desses implantes transdimensionais, que são apenas formas de liberação de seus Elementos enquistados até então no corpo causal.

Os Elementos revelam-se em vocês, o que lhes dá alguns dos sintomas que vocês vivem, atualmente, ao nível, por exemplo, do calor corporal, o sentimento de fogo ou de frio, mas, também, as energias, as vibrações que circulam em seu corpo de Existência que, eu os lembro, agora, está inscrito em seu corpo físico, para a maior parte de vocês.

Assim, portanto, esses implantes são, simplesmente, codificações vibratórias que permitem libertar-se, eu diria, das últimas linhas de predação presentes na matriz como, por vezes, em suas origens ou suas linhagens estelares.

… Silêncio…

A palavra implante tem, para alguns de vocês, uma conotação pejorativa; é preferível empregar a palavra «codificação» transdimensional.

… Silêncio…

Para completar o que eu digo, a liberação final da Terra e a sua, no sentido coletivo e individual, corresponde à revelação da totalidade do corpo de Existência, o que lhes dá a viver o face a face, o reencontro com o Guardião do Limiar, se isso já não foi feito, mas, também, o estabelecimento na Morada de Paz Suprema, na consciência Sat-Chit-Ananda, o que lhes dá, de algum modo, a perenidade da consciência, a Alegria, a Felicidade, a ética, a integridade, e que os desembaraça, assim, de tudo o que é supérfluo, o que supera, amplamente, o âmbito das crenças, mas, também, da adesão de si mesmos a alguns processos vibrais que foram necessários até agora.

Existe, portanto, nesse nível, uma forma de facilitação da instalação da Infinita Presença, o que lhes proporciona, talvez, já, a levantar o último véu doParabrahman ou do Absoluto.

… Silêncio…

Prossigamos.

Questão: quando da lua cheia de julho, na foto de um pôr de Sol, eu constatei a presença de um corpo celeste perto do Sol. Isso está em relação com Hercobulus ou é um artefato?

Bem amado, assim como aqueles de vocês que observam o que é publicado pelo mundo em suas diferentes mídias modernas, dá-lhes a ver a realidade do que é nomeado o «segundo sol».

Contudo, eu tenho a precisar que o que vocês nomeiam seus aparelhos fotográficos modernos têm, também, aspectos técnicos e não alteração, mas que implicam a difração da luz e, portanto, o aparecimento de zonas à distância do Sol.

Tudo o que aparece à distância do Sol, e que se move através de sua objetiva antes de tomar a foto, representa apenas uma forma de reflexo.

Contudo, é evidente que inúmeros de vocês, independentemente de qualquer aparelho ou de qualquer tecnologia, começam a ver, com os próprios olhos, uma imagem que aparece ao lado do Sol.

Isso não é, ainda, a presença de Hercolubus ou Planeta X, mas, bem mais, uma ilusão de ótica que traduz, no entanto, um fenômeno bem real, uma aproximação cada vez mais rápida de sua Terra.

… Silêncio…

Prossigamos.

Questão: recentemente, quando de um sonho, eu vi dois dragões, um violeta e o outro azul. Hoje, fala-se de Dragões. Há um significado para isso?
É um sonho premonitório?


Bem amado, trata-se, efetivamente, do que você acaba de nomear «sonho premonitório».

Existe uma sobreposição que os leva a viver não mais, simplesmente, sincronias, mas iluminações diretas de sua consciência que sobrevêm em sonho, sobre os eventos que serão vividos ou que já se vivem.

Assim, portanto, sua consciência de sono e de vigília dá-lhes informações que superam, amplamente, o âmbito da intuição, que supera, amplamente, o âmbito do que foi nomeado, à época, a visão do coração, mas que lhes dá a viver a informação direta do que eu havia nomeado, à época, a ultratemporalidade.

Ao sair da trama linear do tempo pelo reencontro do efêmero e do Eterno, isso lhes dá, agora e já, um acesso a coisas não habituais, até agora, para vocês.

Os contatos com os Elementos da natureza tornam-se cada vez mais convincentes e eficazes em suas estruturas e sua consciência.

Do mesmo modo, certo número de elementos é-lhes indicado em sonho, isso não passa mais pelas vias habituais; bem mais do que um sonho premonitório, mesmo se ele possa ser nomeado assim, trata-se da passagem direta de seu corpo e de sua consciência, à noite, à Existência e à ultratemporalidade.

Assim, portanto, podem produzir-se mecanismos diversos e variados assim que o Sol se põe.

Quer isso concirna tanto a fenômenos de insônia, fenômenos de esgotamento, fenômenos de calor ou de frio, isso corresponde, em definitivo, apenas ao ajuste final entre o efêmero e o Eterno, assim como à dissolução final do efêmero.

Tudo isso participa do mesmo processo de dissolução da ilusão final, tal como vocês a vivem nesse momento.

Os sinais e as sincronias tornam-se, também, cada vez mais evidentes.

Torna-se cada vez mais fácil a vocês correlacionar, de maneira natural, sem fazer intervir a mínima interpretação ou o mínimo mental, um evento que sobrevém na matéria, mas que se refere a uma origem cósmica e ligado, diretamente, à ação da Graça e da Verdade nessa matriz.

… Silêncio…

Continuemos.

Questão: esse sonho de Dragões não poderia ser a revelação de uma linhagem?

Bem amado, assim como você já o vive há mais tempo, as linhagens podem revelar-se, efetivamente, a vocês em sonho, mas eu penso que, aí, a explicação que eu lhe forneci corresponde mais a essa noção de ultratemporalidade e de sobreposição dimensional.

Contudo, assim como vocês o constatarão, cada um por sua vivência, vocês vão viver algumas aproximações com os seres da natureza que, antes de ser um encontro com seres da natureza, corresponde, antes de tudo, a uma fusão-dissolução do efêmero no Eterno.

É claro que os lugares, os locais e os habitantes para os quais vocês são atraídos estão, efetivamente, muito mais em ressonância com vocês.

Isso não basta, contudo, para afirmar uma origem ou uma linhagem ligada ao Elemento natural encontrado porque, por exemplo, além dos Dragões, acontece-lhe de reencontrar os Elfos, aqui mesmo, contudo, isso não quer dizer que você vem dos Elfos.

Não existe, atualmente, qualquer ser humano portador de uma linhagem Élfica na origem estelar.

Pode haver, contudo, uma ressonância em afinidade com o Elemento Ar, e puxará você, portanto, a algumas linhagens mais convencionais, a algumas origens estelares das quais, efetivamente, vieram os Elfos, há muito tempo, o que não quer dizer, contudo, que você tenha sido um Elfo ou que você será um Elfo.

Para os Dragões, as coisas são diferentes, porque a ressonância dos Dragões pode fazer-se, igualmente, pelo processo de reencontro entre o Eterno e o efêmero, mas, efetivamente, também, significar uma origem ou uma linhagem ligada a eles.

Mas eu o lembro de que há, mais frequentemente, linhagens ditas reptilianas do que linhagens nomeadas Dragão.

Existe uma origem estelar Dragônica, existe uma origem estelar Dragônica, isso não é, absolutamente, a mesma coisa.

Os reencontros far-se-ão nos quatro Elementos, quaisquer que sejam suas origens, quaisquer que sejam suas linhagens, porque isso lhes permitirá ajustar-se a essa liberdade nova que existe na multidimensionalidade, como lhes permite, também, condensar, de certa maneira, partículas adamantinas ao nível de suas estruturas nas quais vocês ainda estão inscritos.

… Silêncio…

Prossigamos.

Questão: eu tenho um problema de zumbidos muito fortes desde abril de 2012. O que é isso?

Bem amada, só o fato de sua presença aqui significa que isso nada tem a ver com o que você nomeia zumbidos.

Isso não conduz a um problema médico, mas, bem mais, à irrupção da energia da alma em sua consciência efêmera, que traduz a abertura do que foi nomeada, em outros tempos, a ampola da clariaudiência, que corresponde, de maneira a mais ativa, hoje, ao Canal Mariano.

O som da alma, os zumbidos, como você os nomeia, o som do Espírito são apenas a resultante do reencontro do efêmero e do Eterno.

Do mesmo modo, isso aparece ao nível do que são nomeadas Trombetas, que vêm do céu e da Terra e que aparecem em múltiplos lugares e, se você se interessa por esse gênero de atualidade, constatará que o fenômeno das trombetas ouvidas em alguns lugares do planeta não duram alguns minutos, mas instalam-se em uma duração muito mais longa.

Assim, portanto, inúmeros de vocês têm observado a intensificação dos sons percebidos, isso corresponde, aí também, à chegada da Luz, à chegada de um corpo celeste maciço e à modificação da rede cristalina terrestre, que evolui para sua quinta dimensão.

… Silêncio…

Prossigamos.

Questão: se uma pessoa desagrada-nos, é, sistematicamente, algo em nós que há a ver e que se quer evitar ver?

Eu ouvi bem: «uma pessoa que desagrada»?

Questão: Sim.

Bem amado, nenhum reencontro, quer seja nesse plano ou em outros planos, como em seus sonhos, é, hoje, fortuito.

Tudo tem sentido, tudo tem eficácia, tudo tem uma ação no que se vive atualmente.

Lembre-se de que não há lugar para escolher, mas, sim, aceitar o que se apresenta a você, quer seja em sonho, quer seja na carne ou quer seja, para inúmeros de vocês, com entidades, quaisquer que sejam.

Nada há a temer.

Há apenas que atravessar o que se apresenta e a viver.

Não tirem disso qualquer conclusão outra que não essa.

Tudo o que se produz em seu sonhos, em suas alegrias como em suas dores, em seu corpo, tem uma necessidade imperiosa para levar ao seu termo seu face a face.

Você não tem, portanto, que elaborar hipóteses, construir projeções, mas, bem mais, estar lúcido sobre o que se vive no instante presente, que lhe dá a capacidade bem mais simples de superar o que pode parecer-lhe ser um obstáculo, qualquer que seja o tipo de reencontro, quer seja, eu repito, em seus sonhos, como com os seres da natureza.

O que é importante é aceitar a Graça da Doação da Vida em seus reencontros, nas circunstâncias e nos eventos de sua consciência que se desenrolam, hoje, porque todos, sem exceção alguma, concorrem para sua liberação, mesmo se o ponto de vista da pessoa ou do observador possa parecer, em um primeiro tempo, ao oposto do que você teria podido imaginar, supor ou pensar.

… Silêncio…

Continuemos.

Questão: Você pode falar dos Guardiões da Passagem?
A qual forma e quais ações devemos esperar, se devemos ali ser confrontados?

Bem amado, a aparência será uma surpresa para cada um, se já não foi feito.

Não há, portanto, que antecipar, as formas podem ser múltiplas.

Mas retenha que, aí também, o Guardião da Passagem, ou do Limiar, é apenas a representação do que pode restar, em você, de medos, de crenças e de ilusões.

Quando você apreender que o que se apresenta a você não tem mais existência do que o efêmero que você vive, então, você penetrará, diretamente, em sua eternidade.

Não há que se preparar diferentemente que não interiormente para viver a Paz, para viver a Eternidade, para viver a Alegria.

Todo o resto é apenas acessório porque, progressivamente e à medida que sua alegria crescer, progressivamente você estará no desinteresse, mesmo, para esse Guardião do Limiar.

Para cada um a representação desse Guardião do Limiar é diferente e corresponde, ponto a ponto, ao que é necessário para você, em função das crenças e das ilusões restantes, de reencontrar, para você, para demonstrar-se a si mesmo sua aptidão para a Liberdade e para a Autonomia.

… Silêncio…

Nós escutamos, então, uma última questão.

Questão: por alguns meses, eu não sinto mais a alegria e atravesso um período que se assemelha à noite escura da alma.
Eu não tenho mais forças e sinto-me perdida.


Bem amada, você mesma tem sua própria resposta.

Atravesse isso com equanimidade.

Refugie-se na humildade e na simplicidade e a alegria renascerá por si só.

Nada procure resolver.

Nada procure compreender.

Identifique e nomeie, se você quiser, mas atravesse isso.

Permaneça no observador que não é afetado por seu próprio humor, por suas próprias emoções e por suas próprias faltas, porque você nada é de tudo isso, como diria Bidi.


Bem amados, filhos da Lei de Um, o Arcanjo Anael oferece-lhes sua Presença e suas bênçãos ao centro de seu coração, e eu os saúdo assim, dizendo-lhes até breve.

… Silêncio…








Mensagem do Arcanjo Anael,
Setembro de 2015





Agradecimento especial ao trabalho excepcional ao longo do Processo:
Traduzido para o Português por Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com.br
Áudio:
http://mensagensdeamor.brluz.net





Related Posts with Thumbnails