segunda-feira, 31 de março de 2014

QUESTÕES - O.M.AÏVANHOV - 26-08-2011

Rendo Graças ao autor desta imagem
 
 
 
 
OMRAAM MIKHAËL
AÏVANHOV
26/08/2011
 
 
 
 
QUESTÕES
 
 
Bem, caros amigos,
estou extremamente contente por reencontrá-los.
Portanto, eu lhes transmito todas as minhas Bênçãos.
 
Questão: a que pode corresponder uma dor, muito intensa, sentida nas costas, entre as omoplatas, e o que convém fazer nesses momentos?
 
Então, aí, caro amigo, a Vibração pode, por vezes, ser uma dor ao nível da Porta posterior do Coração, ou seja, ao nível de KI-RIS-TI.

Se é isso, não há muito que fazer.

Alguns de vocês começaram a sentir Vibrações (e, por vezes, dores), igualmente, nas diferentes Portas, por exemplo, em UNIDADE, em AL, como, também, nas pregas da virilha, ao nível do Sacrum.

As Portas, quando se ativam, podem, efetivamente, dar dores, por vezes muito sutis e, nesses casos, não há muito que fazer.
 
Questão: que significa «tocar Estados de Graça»?
 
Tocar Estados de Graça quer dizer, simplesmente, viver a Graça.

O que é a Graça?

Isso foi chamado de diferentes nomes.

Isso foi chamado os diferentes Samadhis.

É um estado, como se vai explicar isso?

É um estado de Unidade, mas não é intelectual.

É como se vocês estivessem num êxtase, num gozo permanente.

O gozo dos sentidos, todos conhecem.

Isso dura um instante.

Mas, aí, ele não dura um instante, dura muitos instantes, muito mais longo tempo do que os instantes que podem existir com um gozo, qualquer que seja.

É algo que, além disso, acompanha-se de qualquer coisa que é completamente não habitual, mas que é, ao mesmo tempo, delicioso.

Isso se chama a Graça, simplesmente.

É o Samadhi ou, então, a Consciência que é estabelecida na Paz, na Morada de Paz Suprema.

Naquele momento, nada mais da personalidade, nada mais de preocupações comuns (digamos, da vida, os problemas), pode vir manifestar-se à Consciência.

Não há nem emoção nem mental.

Isso pode ser definido como uma vacuidade e, por vezes, como uma plenitude.

Há uma espécie de imensidão que está aí e, sobretudo, um Amor extraordinário.
 
Questão: que significa Vehuiah, pronunciado por Metatron?
 
Vehuiah é um dos quatro Hayoth Ha Kodesh, que é o Hayoth Ha Kodesh do Fogo.

Portanto, Metatron (sendo Senhor Metatron, como se diz), é um Arcanjo ligado ao Fogo (como Miguel, em outro nível Vibratório), que é a estruturação, pelo Fogo, das Dimensões.

Portanto, ele põe em ressonância a Presença dele com a Presença do Hayoth Ha Kodesh de Fogo.
 
Questão: conectar-se às estrofes de um canto composto com as palavras Vibratórias de Uriel é um bom meio de frear o mental?
 
Sim, inteiramente.

O Arcanjo Uriel (para aqueles que já o escutaram), vocês sabem muito bem que as palavras que ele pronuncia são portadoras de uma Vibração.

Ao limite, se vocês leem as palavras – intelectualmente, assim – vocês arriscam mesmo nada compreender, porque é uma sucessão de sílabas que são arranjadas de tal modo que elas vão pôr em ressonância zonas precisas na cabeça e ao nível da estrutura Vibratória.

É feito propositadamente.

Portanto, é claro, as bicicletas têm dificuldade a resistir a isso.
 
Questão: na 3D Unificada, existem mundos nos quais entidades estariam em fase de reaprendizagem de sua Unidade, sua Eternidade, como Seres Multidimensionais?
 
Para a maior parte dos seres que irão aos mundos carbonados Unificados, esses seres não têm problemas, uma vez que eles já estão unificados.

Efetivamente, não é a palavra «aprendizagem», é, digamos, antes, uma reaclimatação.

Não é uma escola.

É, simplesmente, o Tempo em que as Vibrações (que foram, de algum modo, demasiado densificadas) aliviem-se por si.

Nada se pode extirpar, do exterior, pela Luz.

É por isso que se pede a vocês para olhar-se, vocês mesmos, como observadores (espectadores etc.) para fazer o trabalho, vocês mesmos, porque ninguém pode fazê-lo em seu lugar.

Portanto, não é uma aprendizagem, uma vez que a conexão à Fonte, à Unidade está restabelecida.

Simplesmente, há zonas de densidade (de resistências) na consciência, que fazem com que a Unidade não possa ser instalada de imediato, digamos.

Portanto, a palavra «reaprendizagem» é um pouco forte.

É, simplesmente, uma descristalização, digamos.

É muito simples, de fato: imaginem uma alma que seja o mais Amor possível, mas que, em todas as suas vidas, tomou por hábito fazer coleções.

Então, podem ser coleções de selos, podem ser coleções de filhos.

É alguém que, ao mesmo tempo estando no Amor, viveu o Amor numa forma de posse e de uma necessidade de possuir.

Selos ou filhos é a mesma coisa, ao nível Vibratório.

Isso não quer dizer que um filho seja um selo.

O que eu quero dizer com isso é que será necessário desacostumar-se e é apenas a própria Alma que pode fazê-lo, do interior.

E isso não se faz instantaneamente.

Há, às vezes, graus de cristalização (ou de densificação) tornaram-se (ao nível da consciência da alma) elementos frenantes (de algum modo) e elementos limitantes, que impedem a alma de voltar-se, inteiramente, ao Espírito.

Portanto, isso necessita, como dizer..., de uma reaclimatação.

E, depois – isso lhes foi dito, também – há seres que adoram os mundos carbonados.

Por que não, depois de tudo?

Portanto, eles estarão onde se sentem bem.

O principal é que não haja mais ruptura em relação à Unidade.
 
Questão: pessoas de espírito aberto e Coração benevolente têm a possibilidade de transmutar o corpo sem ter provado o Samadhi?
 
Mas é impossível, porque, quando vocês dizem «espírito aberto», é a consciência que quereria viver a Luz, tal como eu o entendo.

Mas vocês sabem que é a Vibração o marcador da Consciência.

Portanto, o Samadhi é ligado – vocês compreenderam – à Coroa Radiante do Coração ou, no mínimo, à pressão do primeiro Samadhi, que religa os chacras de Enraizamento da Alma e do Espírito.

Se isso não existe, como é que poderia existir um acesso completo à Unidade?

Não é possível.

Lembrem-se de que não é um desejo.

Não é o fato de crer que isso existe que vai mudar algo.
 
Questão: se esse mundo é ilusão, a ação dos cristais é, igualmente, ilusória?
 
Se você passou à Unidade, efetivamente, todas as crenças desaparecem, mas, por mais que você saiba que você é ilusória, eu não penso que você possa passar através de uma parede que, ela também, é tão ilusória quanto você.

Mas, de momento, a armadilha matricial é tal que o conjunto da precipitação das consciências criou uma densidade

Vocês sabem, pertinentemente, em Física, que mesmo uma parede é uma Vibração.

É uma montagem de ondas.

Essas ondas são muito lentas.

Agora, quando a Consciência vibra ao nível da Unidade, o corpo não desaparece, não ainda.

Portanto, o corpo está, efetivamente, consciente de que ele é uma ilusão, mas não é por isso que o corpo desaparece.

Se as crenças não desaparecem, isso quer dizer que não há Unidade, simplesmente.

Portanto, naquele momento, os cristais (ou qualquer outra coisa) são também úteis, mas eles não pertencem à Ilusão.

Jamais foi dito que a vida era uma Ilusão aqui.

É a consciência que é confinada numa Ilusão.

Existem corpos carbonados que não são ilusórios, porque eles estão na Unidade.

Portanto, não é necessário, como dizer..., misturar os dois.

A Consciência Unitária toma consciência de que esse corpo é uma Ilusão, de que essa vida é uma Ilusão, porque houve confinamento.

Os Anjos do Senhor (Vegalianos) estão na 3ª Dimensão Unificada desde sempre, porque é o modo deles de viver, mas eles não estão limitados a esse corpo.

Eles não estão na Ilusão.

A Ilusão é a separação.

É o confinamento, pelo corpo biológico, que é um Templo.

Mas esse corpo é uma Ilusão, nessa Dimensão falsificada, porque ele foi confinado, porque há funções, nos órgãos (diversos, aliás, não apenas o cérebro) que foram alteradas, ou seja, separadas, cortadas.

Portanto, essa ruptura é uma Ilusão e, quando vocês vivem a Unidade, vocês concebem que tudo é Ilusão, não nos mundos carbonados, mas nesse mundo carbonado aí.

Não é similar, quando a Vida está presente.

Por exemplo, um cristal é o mesmo, desde sempre.

Ele não sofreu a falsificação, exceto que, como a Terra foi cortada da Fonte, a irradiação do cristal não é, absolutamente, a mesma que poderia ser se ele estivesse religado, inteiramente, à Fonte.

Mas isso não quer dizer que o cristal vá desaparecer, uma vez que o cristal é a própria Essência da Vida, em todas as Dimensões (enfim, no mínimo, até a 11ª).
 
Questão: a mudança de paradigma apaga nosso contrato de alma?
 
Então, isso depende do paradigma que você adota.

Se você penetra o Espírito: inteiramente.

A alma é dissolvida.

Se a alma é dissolvida, qual contrato pode existir, dado que não há mais alma?

Agora, se vocês querem manter seus contratos de alma, tranquilizem-se, vocês os manterão, o que quer dizer que vocês manterão a alma e o corpo (ou outra alma ou essa alma em outro corpo).

A mudança de paradigma é a ligação e a reconexão à Unidade.

Mas, como foi dito, há muito numerosas evoluções.

Agora, se vocês se atêm à sua alma, vocês continuarão na alma.

Não há problema.

Mas, agora, isso depende de quais são os contratos de alma, porque o que é que quer dizer um contrato de alma, ou seja, por exemplo, ter estabelecido um contrato com outra alma?

O que vocês farão se essa outra alma decide juntar-se à Unidade?

Vocês vão reencontrar-se sozinhos com seu contrato de alma.

Portanto, vocês podem rasgar a folha do contrato de alma.

Vocês não podem manter ninguém em seu contrato se vocês estão religados com um contrato.

Faltaria mais do que isso.

Em contrapartida, se seu contrato de alma concerne a vocês, então, vocês seguirão seu contrato de alma.

A Liberdade é total.
 
Questão: durante meus espaços de alinhamento, sinto o olho piscar (pulsar) involuntariamente, acompanhado, por vezes, de Alegria ao nível do Coração. Que devo compreender nisso?
 
Viver o que há a viver.

Por que querer descobrir?

Porque a consciência, quando começa a passar a um estado, como esse, de Samadhi, tem um afluxo de Luz Adamantina.

Que faz a consciência fragmentada?

Ela não se põe de espectador. Ela quer apropriar-se, ela quer compreender, ela quer pôr palavras.

Assim que vocês queiram compreender (assim que vocês queiram pôr palavras ou assim que vocês queiram explicações), vocês não estão no processo.

Portanto, no momento em que o processo é vivido, é necessário vivê-lo, completamente.

Nada há a compreender.

Agora, pôr a pergunta depois quer dizer que o ego (naquele momento, após) quereria, efetivamente, saber o que é, para apropriar-se do mecanismo, enquanto não é questão de apropriar-se do que quer que seja.

É questão de tornar-se esse mecanismo, uma vez que a Consciência Unificada é isso.
 
Questão: a Luz do Cristo, que nos perfura, vai do ponto KI-RIS-TI ao ponto de Maria, no triângulo Maria/Cristo/Miguel?
 
Vocês têm a possibilidade de ser perfurados pela Energia do Espírito e da Alma, o que dá o primeiro Samadhi, a Vibração do 9º Corpo e a dor, em barra, acima do chacra do Coração.

Há a Espada de Miguel, que pode perfurar o ponto ao centro, ou seja, o de Maria.

Há o Impulso Metatrônico que chega, e que transfixa o Coração, de trás para frente.

Os Querubins podem passar por toda a parte (ou seja, por um dos três pontos da Tri-Unidade), tanto pelo chacra do Espírito como da Alma, como o centro do chacra do Coração, como pelo ponto ER.

Miguel passará, preferencialmente, pelo ponto Maria, mas ele pode, também, passar pelo ponto Miguel ou Cristo.

A única regra é que Metatron é a única Vibração (eu os lembro que, na Dimensão a mais elevada, o que é Metatron? É um Tubo de Luz Branca), que é a cópia de seu Canal do Éter.

Lembrem-se de que o corpo físico, mesmo aqui, continuou um Templo.

Tudo, ali, é simbólico.

Tudo é referenciado à imagem, não da Fonte, mas é referenciado à imagem arquetípica que se situa em planos muito mais altos, ao nível Dimensional.

Mas, quando os Arcanjos dizem-lhes que eles estão em vocês (que nós estamos em vocês), é a estrita verdade.

Os Hayoth Ha Kodesh, também, estão em vocês, não unicamente ao nível dos Triângulos elementares, das Coroas da cabeça, mas, também, nos átomos, nas células, uma vez que tudo é, como dizer..., uma redução eletromagnética (até certa densidade) de uma Vibração original, apesar da falsificação.

A falsificação nada criou.

Ela, justamente, cortou a Criação, mas ela não pôde criar, exceto desviando algumas formas específicas de animais (sob forma de paródia, disso já se falou há muito tempo), mas isso nos afastaria do assunto.

O Anjo Metatron, sendo em analogia com o Canal do Éter (ou seja, o canal mediano da coluna vertebral), é perfeitamente normal que ele estabeleça sua ressonância ao nível do ponto KI-RIS-TI e dos Atalhos específicos desse Canal do Éter.

Ter-se-ia podido ir muito mais longe na descrição dos Atalhos.

Por exemplo, a Vibração que vai de OD a AQUI é o Atalho Micaélico (bom, mas não se vai desenvolver tudo isso, não vale a pena dar-lhes uma compreensão intelectual de algo que será vivido do Interior).

Mas é claro que não é à toa que há sete vértebras cervicais.

Mas, é claro, não é à toa que há doze vértebras dorsais.

Cada víscera do corpo está sob a ressonância Vibratória a cristalizar de um, como se chama isso..., de um Anjo Cabalístico, mesmo se não é ligado, verdadeiramente, à Cabala, mas ele porta esse nome.

Por exemplo, falou-se, numa questão precedente, de Vehuiah, que é o Hayoth Ha Kodesh de Fogo.

Há, por exemplo, o Gênio que prefigura no baço (no órgão baço, não falo de Ahriman). Ele se chama Belkabalel etc.etc.

Há um nome para cada coisa.

Portanto, eu poderia dar-lhes, com isso, milhares de nomes.

Isso não tem interesse algum.

Agora, há quinze, vinte anos, isso teria podido ter um interesse, porque a pronunciação Vibratória do nome original Vibratório desencadeia uma ação ao nível do corpo.
 
Questão: para facilitar a interiorização, Irmão K sugeriu-nos ativar os três pontos AQUI (cabeça, sacrum, garganta). Há uma ordem a respeitar para essa ativação?
 
É melhor, talvez, começar pela cabeça e descer, mas cabe a vocês ver.

O principal é que a Atenção seja levada, sucessivamente, sobre os três pontos.
 
Questão: quando se é confrontado, como fazer e o que fazer para não entrar em reação?
 
Se há reações espontâneas, impulsivas, elas vêm de onde?

Do ego.

A partir do momento em que vocês são confrontados (e nós o dissemos), tudo o que se manifesta (sobretudo agora) em sua vida (quer concirna ao seu corpo, quer seja o vizinho de cima que vem dar-lhes uma bofetada) é o mesmo princípio: vocês estão em face de suas próprias resistências.

Que é que entra em reação?

É sempre o corpo de desejo, o corpo da personalidade e o corpo do ego.

Portanto, não se pode encontrar a solução ao nível do ego.

Portanto, é necessário tentar, já, não reagir imediatamente quando algo se produz.

Deem-se o tempo da reação.

Ao atribuir-se o tempo da reação, vocês verão, por si mesmos, que não há mais reação.

Se, no momento em que o vizinho de cima dá-lhes uma bofetada, vocês dizem a ele «espere-me cinco minutos» e vocês vão pôr-se, de algum modo, no Coração, realmente, vocês verão que, muito facilmente, não terão mais qualquer desejo de reação e é similar para qualquer mecanismo que lhes acontece hoje.

Por exemplo, vai-se tomar outra coisa que lhes concerne, vocês com vocês mesmos: sem qualquer razão aparente, vocês têm uma emoção que sobe à garganta e que lhes dá vontade de chorar.

Em geral, vocês choram.

O que é que vocês farão?

Vocês vão dizer: «bom, tenho uma emoção, não vou buscar saber de onde ela vem, se é a bofetada que me deu o vizinho, ontem, se é meu avô que errou com minha bisavó», pouco importa.

«Tenho uma emoção com uma vontade de chorar».

É necessário que eu esqueça, alguns instantes, essa emoção e essa vontade de chorar.

Somos, todos, capazes de fazer isso, não é?

Quando vocês têm uma dor, vocês são capazes de esquecê-la.

Imaginem que vocês queimem a mão, mas que há um leão que lhes corre atrás.

Será que vocês vão pensar na mão que vocês queimaram?

Não.

Do mesmo modo, vocês têm uma emoção (com uma vontade de chorar) e a garganta que aperta.

Coloquem-se em seu Coração.

Esqueçam (intelectual, mental, emocionalmente) o que lhes acontece, porque isso não é vocês.

Experimentem tomar um mínimo de distância em relação ao que os invade porque, até agora, o ser humano é sempre persuadido de que ele é suas emoções, de que ele é essa vontade de chorar.

Disseram-lhes (mas, é claro, não é porque lhes disseram que vocês o vivam) que vocês nada são de tudo isso.

Portanto, é necessário pôr em prática, ou seja, é necessário que vocês se distanciem de suas próprias emoções.

O que vai acontecer?

Muito rapidamente, porque a Luz Vibral é cada vez mais importante (há anos, isso teria tomado certo tempo para realizar-se, mas, agora, isso se realiza muito rapidamente), vocês vão colocar-se numa de suas Coroas Radiantes.

Se vocês sentem o Coração, é ainda mais fácil: vocês se colocam no Coração.

Se vocês sentem a Coroa Radiante da cabeça, vocês colocam sua atenção sobre uma das Estrelas que vocês sentem ou várias Estrelas.

Que vai acontecer?

A vontade de chorar, a garganta apertada, a emoção vão desaparecer.

É a ação da Luz.

E para tudo na vida isso deve ser assim.

É a parábola do Cristo que pergunta: «o pássaro preocupa-se com o que ele vai comer amanhã?».

Vocês não podem estar (pretender estar) na Luz e querer gerir tudo.

É a Luz que é Inteligente, não vocês.

É claro, não peçam à Luz para dirigir o automóvel (isso ela não conhece, hein?), mas eu falo de tudo o que é para conduzir em vocês: suas emoções, seus pensamentos, seus sofrimentos, o ambiente, o vizinho de cima, a mão queimada, o leão.
Tudo isso é a mesma coisa.
 
Questão: quais são os diferentes meios para elevar a taxa Vibratória?
 
Abandonar-se à Luz é o mais forte (sobretudo agora, dia a dia), dada a quantidade de Partículas Adamantinas que são precipitadas sobre a Terra, dada a reação do Núcleo Terrestre ao bombardeamento de Partículas Adamantinas e de Radiações de Ultravioleta.

Vocês podem pôr-se ao Sol, vocês podem Abandonar-se à Luz (Abandonar-se, realmente), ou seja, aí está, vocês se põem diante do sol (em sua cama), vocês dizem: «eu me Abandono à Luz» e vocês deixam fazer a Vibração.

Então, é claro, há os Anciões (que estão comigo) que lhes deram uma multidão de técnicas baseadas na respiração, baseadas nos cristais etc.etc.

Cada um deve encontrar o que lhe corresponde.

Mas lembrem-se de que o que podia parecer extremamente difícil, antes dos Casamentos Celestes, é extremamente facilitado, sobretudo agora.

Se vocês são capazes de pôr-se numa cama, não mais mover o corpo, não mais ter emoções e pensamentos, durantes alguns minutos, a Vibração vai tomá-los, é certo, mesmo se nada mais há.
 
Questão: qual influência pode ter o conjunto do zodíaco sobre nosso Planeta?
 
Então, aí, vocês sabem, há tanta astrologia.

A astrologia é condicionante (enquanto vocês evoluem segundo a personalidade), mas existe uma astrologia da personalidade, uma astrologia da Alma (com influências diferentes) e existem, também, astrologias que nada têm a ver com as Casas Zodiacais, uma vez que é uma centrípeta, na qual tudo é restituído à Terra.

Ora, vocês sabem muito bem que a Terra não sofre apenas as influências dessas constelações zodiacais pelas quais ela passa.

Há pilhas de influências que vêm de bem mais longe (por exemplo, a irradiação das estrelas fixas, a radiação do Sol central dessa galáxia ou do conjunto de galáxias etc.etc.).

Agora, enquanto vocês consideram que estão sujeitos a algo a que vocês aderem, vocês ali estão submissos.

É o princípio de atração, de uma maneira geral.

Portanto, por mais que creiam (ou não creiam) na astrologia, as influências Vibratórias são reais.

Mas, será, contudo, que vocês devem ser submissos a essa influência Vibratória?

Tudo depende de seu nível Vibratório, que é próprio.

Se seu nível Vibratório aproxima-se da Unidade, o que acontece na Unidade?

Vocês não são mais afetados pelo carma (nem o seu nem o dos outros) porque é uma Ilusão do confinamento.

Portanto, não há mais razão para ser afetado pelos ciclos, quaisquer que sejam.

Portanto, vocês escapam dos condicionamentos e das condições (tanto ao nível da personalidade como da Alma) do que é ditado pelas influências Vibratórias planetárias, zodiacais ou de estrelas fixas.

Mas eu os lembro de que esse zodíaco está também em vocês.

Falava-se, por exemplo, há pouco, da coluna vertebral com doze vértebras dorsais.

São os doze signos do Zodíaco.

Poder-se-ia multiplicar os exemplos ao infinito.

Tudo o que está fora está dentro.

Mas vocês não são obrigados a estar submissos a tudo o que está dentro.

São vocês que escolhem, de algum modo, a gama de frequências que vocês experimentam quando vocês estão na Unidade, não antes.
 
Questão: qual distinção vocês fazem entre Universo e Multiverso?
 
O Universo corresponde a um conjunto de elementos que evoluem numa determinada Dimensão, não confinada, mas determinada.

Os Multiversos são Universos que decidiram existir, de maneira simultânea, com a mesma intensidade (não posso dizer a mesma Vibração), em vários estados Dimensionais.

Por exemplo, a Terra estará na 5ª Dimensão.

Alfa do Centauro é um Universo que evolui na 5ª Dimensão.

Há, em Vega da Lyra, um Multiverso (que vocês não veem), mas, nesse Multiverso, há a 3ª Dimensão (os Anjos do Senhor).

Há a 11ª Dimensão (os Elohim) e há ainda mais alto.

Portanto, um Multiverso é a associação de vários Universos, como ligados (não sobrepostos, como encaixados), mas que evoluem em Dimensões diferentes e que são religados, é claro.
 
Questão: essa manhã, senti uma pressão muito forte na cabeça e, depois, ao nível do maxilar, embaixo, à direita, na raiz dos dentes, no osso na mandíbula.
 
As Vibrações, através do que vocês fazem (através desse lugar, através do que acontece sobre a Terra), aqueles que vivem as Coroas Radiantes (ao menos a Coroa Radiante da cabeça) sabem, pertinentemente, que há uma amplificação, não unicamente ao nível das Estrelas, mas ao nível da Coroa central, sobretudo.

Quando a Energia desce (as Vozes do Senhor sendo impenetráveis), isso pode passar, efetivamente (e, aliás, passa), ao nível dos pontos IM e IS.

A revelação da Luz, os Circuitos não lhes foram dados porque isso não tem qualquer importância, mas vocês podem imaginar que, para ir de uma Estrela a uma Porta, é necessário, também, algo.

É uma ressonância que se cria através dos Circuitos.

Quando se sente muito, muito forte a cimeira da cabeça, é a pequena Coroa da cabeça, que é ligada, ao Coração, que se ativa.

Isso quer dizer que vocês estão na fase de revelação da Luz (ao nível do corpo) e isso passa, efetivamente, preferencialmente, ao nível dos dois pontos laterais que estão ligados.

O eixo HIC e NUNC (ao nível dos pontos IM e IS) vai passar pelo ângulo do maxilar e pelo pescoço, lateralmente, para descer aos chacras de Enraizamento da Alma e do Espírito, por exemplo.

Há outros, e isso pode, perfeitamente, dar uma dor, ao nível de um dente, por que não?

Aqueles que são muito sensitivos (ao nível da cabeça, é claro) sentem as Estrelas ao redor da cabeça (algumas ou todas), mas sentem, também, uma pequena Cruz (ao nível da calota da cabeça), que é ligada à revelação da Luz e ao que acontece, nesse momento (já desde algumas semanas) ao nível do reforço das Partículas Adamantinas.

Lembrem-se de que, enquanto a Luz não é revelada, os pontos de entrada privilegiados são, de qualquer forma, da cabeça.

É claro, quando vocês estão totalmente na Coroa Radiante do Coração, vocês captam a Luz Vibral tanto pelo Coração como pela cabeça, mas, antes que o Coração esteja totalmente aberto, isso desce ao Coração passando pela cabeça.
 
Questão: Gemma Galgani, falando do Reencontro, disse-nos que convinha não buscá-lo para poder vivê-lo. Então, como aproximar-se da última Porta sem parecer querer cruzá-la?
 
Vocês creem que o Cristo escolheu ser crucificado?

Lembrem-se: No Jardim de Getsêmani, Ele agonizou por três vezes.

Ele disse (parece): «Pai, afasta esse Cálice de mim».

Ele disse «por que me abandonaste?».

O que vocês têm a viver, de maneira coletiva, aparenta-se (mesmo se não há pregos) ao mesmo processo, portanto.

Vocês não vão fazer-me crer que a personalidade estará muito contente por desaparecer.

Não é verdade, exceto para aqueles que já acederam à Existência, inteiramente.

Mas, para aqueles que vivem a Unidade, por momentos, há um reflexo – totalmente humano e que permanecerá até o último momento – e isso se chama o instinto de preservação.

A Unidade está aí para prepará-los, para suavizar esse instinto de preservação.

Isso quer dizer, assim, que a Luz trabalha em vocês, mas que, se vocês buscam-na, ela foge.

Por que, quem é que busca?

É a personalidade.

Deem-se conta de que a Luz (mesmo se é um período específico), a Consciência Unitária foi-lhes ocultada.

Vocês foram, dela, privados.

Nós fomos, dela, privados, de diferentes modos.

Mas ela sempre esteve aí.

Portanto, é um problema de conscientização que foi (que é) ajudado pelo afluxo da Luz.

Mas é necessário viver a crucificação, o que quer dizer que vocês não podem tomar-se a si mesmos pela mão e dizer-se: «eu passo a Porta Estreita».

Vocês podem passar a Porta Estreita apenas quando se Abandonam, totalmente, à Luz.

Abandonar-se à Luz não é se pôr num leito e esperar, dizendo: «que a Luz tome-me».

É, já, refletir em tudo o que vocês fazem em sua vida, quaisquer que sejam as interações que efetuam, quaisquer que sejam as ações que efetuam.

É a Luz que age em vocês, em sua vida, ou são vocês que agem?

É isso, o Abandono à Luz.

O Abandono à Luz e a Passagem da última Porta faz-se apenas quando há Abandono à Luz e Crucificação simbólica, ou seja, que não há mais presença, em si, do mínimo desejo.

Enquanto as necessidades estão aí, elas são fisiológicas, isso vocês sabem.

Mas, enquanto vocês manifestam um desejo, isso quer dizer que o corpo de desejo está aí.

Portanto, vocês não podem desejar a Luz, porque é a personalidade que deseja a Luz.

Portanto, vocês são, efetivamente, obrigados, de uma maneira ou de outra, a fazer calar a personalidade.

Como é que se faz calar a personalidade?

Não exprimindo mais desejo algum.

É o que Mestre Philippe chama a humildade e a simplicidade.

É todo o simbolismo que lhes foi desenvolvido sobre a Porta Estreita.

Lembrem-se do que dizia, também, Irmão K: há poucas Almas, extremamente raras, que tiveram tal tensão.

Mas era mais do que uma tensão: elas estavam obcecadas pela Luz, o que dá no mesmo que o Abandono à Luz, porque a vida delas não era nada mais, e todos os seus pensamentos, toda a sua vida (comendo, fazendo não importa o que mais) era orientada na Luz.

Vocês creem que há muitos seres humanos, hoje ainda, que são capazes de pensar na Luz vinte e quatro horas por dia?

Já, vocês mesmos, fora dos alinhamentos, quanto tempo vocês pensam em inclinar-se para a Luz?

Se vocês conseguem fazê-lo durante vinte e quatro horas ou vinte horas, é uma tensão para o abandono.

É uma tensão para a Luz.

Mas, o resto do tempo, se é unicamente durante seus alinhamentos, unicamente quando vocês reencontram amigos, unicamente quando ali pensam (ou quando vocês têm dor na cabeça), naquele momento, não é possível viver isso com um desejo.

É preciso Abandonar-se, ainda mais.

Aí está a diferença entre a tensão para o Abandono à Luz (que é um espírito que é obcecado pela Luz: ele pensa apenas nisso, vinte e quatro horas por dia) e, simplesmente, alguém que mantém a vida de sua personalidade, de sua pequena pessoa, de suas pequenas relações, de seus pequenos prazeres, quaisquer que sejam.
Não há julgamento no que eu digo.

Simplesmente, é um ou o outro e será, cada vez mais, ou um ou o outro.

Portanto, quando se diz para Abandonarem-se à Luz, é que é necessário, efetivamente, estarem lúcidos disso.

Se existem, em vocês, desejos mundanos, desejos habituais (normais do ser humano, eu não falo de uma ansiedade ou de um vício, eu falo de um desejo normal), enquanto o desejo está aí, isso quer dizer que a personalidade normal está aí.

Portanto, como vocês querem que a Luz possa agir em vocês?

É impossível.

Ela vai fazê-los viver algumas experiências, que são como viver a cenoura e a vara [a recompensa ou a punição]: vocês sabem, mas isso para aí.

É nesse sentido que eu insisti (já desde longo tempo) sobre a separação de duas humanidades, sobre o fato de que, já (isso foi sempre dito), vocês não são todos chamados a viver a Unidade, a instalar-se na Unidade.

É claro, tudo o que nós lhes damos está focado nisso, porque nós esperamos que um máximo de seres descubra a total Liberdade.

Mas vocês não têm que se martirizar se não é seu caminho.

Passem seu caminho.

Deem-se conta de que, enquanto vocês reivindicam a Luz, é a personalidade que a reivindica e, portanto, há um risco enorme de apropriação da Luz pelo ego.

É melhor, como dizer..., não interessar-se tanto pela Luz e é por isso que se disse a vocês que «os primeiros serão os últimos», «os últimos serão os primeiros».

Há seres que vão abrir-se como flores, quando o Cristo chegar.

Eles não sabiam mesmo que isso se chamava o Cristo.

Eles jamais ouviram falar das Coroas Radiantes.

Simplesmente, ao nível dos mecanismos da alma (mesmo se eles não soubessem, ao nível da personalidade), eles estão prontos para Abandonar-se à Luz, porque há muitos caminhos de alma nos quais existe uma vontade (que é chamada a vontade de bem), o que quer dizer que é a alma que quer a Luz, não o Espírito.

Tudo isso é chamado a Ilusão Luciferiana e há muitos seres (nos caminhos ditos espirituais) que estão nessa busca, de avidez de Luz, para possuí-la e não para tornar-se Luz.

Não é a mesma coisa.

O único testemunho é a Vibração do Coração.

Nós sempre dissemos isso a vocês.
 
Questão: o Verbo Criador, quando foi transmitido por Uriel a uma pessoa, pode levar socorro a essa pessoa e, se sim, como empregá-lo?
 
É ambígua essa questão.

Levar socorro a quê?

Isso quer dizer, simplesmente, no Espírito de Uriel (eu me ponho no lugar dele), isso quer dizer que você cria sua própria realidade.

O que você pensa, você se torna.

É a lei de atração.

É, muito exatamente (não mais as atrações) a Lei de Atração que vai fazê-los tornar-se o que foram chamados «co-criadores», o que quer dizer que vocês verão criar-se, diante de vocês, tudo o que vocês criaram.

Se vocês criam (em seus pensamentos) a doença, vocês se tornam a doença.

Portanto, é o princípio de atração e de ressonância.

Portanto, o Verbo Criador, sim.

Agora, tornar-se o Verbo Criador, levar socorro, o que isso quer dizer?

Isso quer dizer que há uma insuficiência e necessidade de socorro, em algum lugar.

O Verbo é Criador.

O Verbo é Alegria.

Ele é o Sopro de Vida.

Ele é a Verdade.

Ele é, portanto, a Alegria da Consciência que está no Espírito.

Portanto, a partir do momento em que se vive esse Verbo Criador, é-se, obviamente, ajudado.

Portanto, há socorros que são levados.

Mas não é necessário crer que, porque o Verbo é Criador, que vocês vão aplicar (por exemplo, vocês têm dor em algum lugar e vão dizer «não tenho mais dor em algum lugar» ou «essa dor é transmutada pela Luz»), que isso vai produzir-se.

Isso se saberia, porque, aí também, há um princípio.

O Verbo é Criador, na condição de penetrar no Verbo e não permanecer na personalidade.

Toda a dificuldade que há – vocês observam, atualmente – é a dificuldade do humano para Abandonar-se à Luz.

Faz já longo tempo que Anael falou disso, mas isso concerne a todos os setores de sua vida.

Isso corresponde ao que dizia o Cristo.

Quando Ele dizia: «deixe os mortos enterrarem os mortos», será que era uma falta de Amor?

Quando Ele dizia: «o pássaro preocupa-se com o que ele vai comer amanhã?».

Não.

Era ter confiança na Vida.

Ter confiança na Luz.

Então, vocês vão responder-me (se estão na personalidade): «sim, mas se não ganho minha vida, quem é que vai alimentar-me? Se não tenho um teto, quem é que vai alojar-me?».

Isso se chama a Divina Providência.

E vocês serão, cada um, confrontados, aí também.

Porque é fácil dizer: «eu vivo a Luz» ou: «eu vivo a Vibração da Coroa Radiante da Cabeça».

Mas se vocês estão, realmente, na Luz, não é no momento em que vai chegar uma prova (qualquer que seja) que vocês vão voltar as costas à Luz.

Caso contrário, vocês nada compreenderam da Luz.

Porque é fácil crer na Luz (e viver a Luz) quando a vida é linear.

Mas a vida não será mais linear.

Então, o que vocês farão uma vez que serão, todos, sem exceção, confrontados ao que vocês não quiseram ver?

As zonas de Sombras foram iluminadas.

Há coisas que se eliminaram, em diferentes épocas.

Eu falei disso.

Há mais de um ano, eu falava da poeira que se punha sob o tapete.

Depois, eu disse que se retirava o tapete, portanto, era-se obrigado a ver a poeira.

E, depois, há quem, assim mesmo, manteve coisas no interior.

São essas coisas que devem, agora, eliminar-se.

Vocês não podem passar a Porta Estreita sem deixar todas as bagagens.

Vocês não podem renascer na Verdade do Espírito se têm, ainda, coisas pesadas com vocês.

Aí está o que isso quer dizer.

Em contrapartida, eu repito, toda a humanidade é liberada, e isso é o mais importante.

Agora, retenham que o que nós lhes dizemos (uns e outros) dirige-se ao Espírito, eu repito, porque nós esperamos, sempre, que muitos, muitos seres humanos vão a essa Unidade e não sejam presos de modo algum (após, não é uma armadilha, mas, presos por eles mesmos) ou não tenham, como dizer, que sofrer desse choque da humanidade.

Vocês foram os amortecedores da Luz.

Vocês foram e vão amortecer o choque, tanto no exterior como em vocês, é a mesma coisa.
 
Não temos mais perguntas, agradecemos.
 
Bem, então, caros amigos, eu lhes agradeço muito por sua atenção e vou transmitir-lhes todo o meu amor, todas as minhas Bênçãos.

Até muito em breve.
 
 
 
 
Mensagem de OMRAAM MIKHAËL AÏVANHOV,
pelo site Autres Dimensions
em 26 de agosto de 2011






Rendo Graças às fontes deste texto:
Versão do francês: Célia G.

domingo, 30 de março de 2014

SINFONIA NO TREM - PROJETOR DE LUZ



 
 
 
SINFONIA NO TREM
 
 
Em abril de 2012  integrantes da orquestra Sjællands
Symfoniorkester surpreenderam os passageiros
no metrô de Copenhagen tocando Griegs Peer Gynt.
A apresentação relampago foi criada em colaboração
com a Rádio Klassisk e toda a música foi executada
e gravada no metro local.
 
 
 
 
 
 
Assista em tela cheia e, se possível,
com qualidade máxima de 1080p HD
 
 
 
UM ALEGRE DOMINGO A TODOS
 
 
 
 

sábado, 29 de março de 2014

O QUE VEM É ALEGRIA - MARIA - 25-08-2011 - COM ÁUDIO

Rendo Graças ao autor desta imagem
 
 
 
 
MARIA
25/08/2011
 
 
 
 
O QUE VEM É ALEGRIA
 
 
Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.
 
Meus filhos bem amados, assim como eu disse, volto antes de 26 de setembro e venho, também, em função do desenrolar, da revelação da Luz e da abertura da Porta do Cristo ao nível da Terra, da revelação e da chegada de Yérushalaïm.

Então, venho trazer-lhes, com todo o meu Amor de Mãe, palavras de Alegria e palavras de Graça.
Eu venho dizer-lhes para prepararem-se para a Alegria porque o que vem é Alegria.
Eu venho dizer-lhes para abrir seu Coração à Luz, para cruzar a Porta, porque o momento chegou de viver a Alegria.

Esse mundo foi privado, desde muito tempo, da Alegria do Espírito e do Amor.
Esse mundo foi a argila de certo número de experiências.
Essas experiências (das quais vocês participaram) não são a Verdade.
Isso, vocês esperam, vocês temem, vocês pensam.
O que quer que seja vai, agora, chegar à sua Consciência.

Então, é necessário preparar-se.
Qual é essa preparação?
Preparar-se, simplesmente, para ser a Alegria, para ser a Vida e para ser a Natureza de sua própria presença.

Nada há a preparar no exterior.
Nada há a preparar na cabeça.
Há, apenas, que preparar-se no Coração: permanecer com o Coração amoroso e aberto para viver o retorno da Alegria.

Tudo isso chega, agora, a grandes passos e – eu diria – com força e estardalhaço e o que se estilhaça não é o Coração.
O que se estilhaça é, justamente, o que não é o Coração.

Então, resta-lhes acolher a Unidade e a Verdade, para vivê-lo.

É nesse sentido que eu venho exortá-los a preparar-se.
A preparação não tem necessidade do que quer que seja de exterior.
A preparação não tem necessidade de circunstâncias.
Ela tem, apenas, necessidade de que vocês estejam presentes e amorosos, que vocês estejam entre seus quatro Pilares, lúcidos e conscientes de cada instante.

Doravante, que sua esperança porte-se nessa Alegria (mesmo se vocês não a conheçam ainda) que lhes é prometida e vem, verdadeiramente.

Isso também, para vocês, é a ocasião de perceber o Apelo.
O Som da Alma, o Som do Espírito, o Som da Terra, o Som do Céu, as Trombetas ressoam cada vez mais.
Eles são, também, um Apelo para sua preparação.
Eles são um Apelo para entrar no Amor e para entrar no acolhimento.

Como foi dito pelos Anciões, os tempos cumprem-se sob seus olhos.
É claro, vocês poderiam sempre crer que nada está aí e, no entanto, olhem.
Olhem em vocês.
Estejam atentos ao que vibra seu Coração.
Estejam atentos a essa Alegria que vai emergir, para aqueles que não a vivem ainda.
Vocês vão aliviar-se.
Se vocês aceitam (e aquiescem) a essa preparação do Coração, tudo vai, agora, instaurar-se em vocês, para permitir-lhes viver, acolher a Verdade.

Não é mais tempo, agora, de tergiversar.
Não é mais tempo de escutar o que lhes dizem seus medos.
Não é mais tempo de escutar o que lhes diz o que quer que seja ao redor de vocês.
A única coisa a escutar é seu Coração.
A única coisa a seguir é seu Coração.

Assim, minha Presença, esta noite, tem, simplesmente, por função, lembrá-los disso.

Eu sei que muitos de vocês esperam, ainda uma vez (com esperança ou com medo), o que chega, mas, eu lhes digo, como Mãe, que o que vem pode apenas ser Alegria.

Se vocês estão preparados na Alegria, se vocês aceitam que são apenas Alegria, então, vocês viverão essa Alegria, mesmo se, de momento, ela possa parecer-lhes (para alguns de vocês) tão afastada de sua vida, do que vocês percebem.

Escutem seus irmãos que já veem a Luz Branca, presente por toda a parte.
Escutem seus irmãos que ouvem o Som da Terra e o Som do Apelo do Espírito.
Observem.
Observem, em vocês e ao redor de vocês, tudo o que evoca essa Alegria.

É claro, personagens que estão no medo quererão, a todo custo, que vocês provem o medo, porque o medo é o melhor meio (para esses seres) de nutrir-se e de mantê-los na ignorância de sua natureza profunda que é a Alegria e o Amor.

Então, cabe a vocês saber o que vocês querem seguir: vocês mesmos e a Alegria do que vocês são ou aqueles que lhes falam de medo e que mantêm o medo.

Progressivamente, vocês perceberão, em sua Consciência, que, no todo e na finalidade, tudo se resume, simplesmente, à Presença do Amor ou à presença do medo.
Vocês não podem escolher outra coisa que o Amor ou o medo.

Então, se vocês dão um passo para o Amor (mesmo se, de momento, vocês não vivam a Alegria, nem, ainda, a Unidade), na hora em que a Unidade vier a vocês, então, ela se manifestará em vocês.
Mas, para isso, é necessário que eu lhes repita: «não tenham medo».
Não sejam mais condicionados pelo que condicionou esse mundo.
Vão, firmemente, para a Alegria e deixem a Alegria invadi-los.

Para isso, não há outra necessidade que a de seu próprio Coração.
Nada há a buscar fora do Coração.

Vocês devem ir (como foi dito), cada vez para mais simplicidade porque, na simplicidade, a Alegria e a Luz vão aparecer-lhes de uma evidência (e de uma tal evidência) que, naquele momento, vocês se perguntarão mesmo como puderam perder.

Então, estejam atentos.
Como foi dito, vigiem e orem.
Isso quer dizer, simplesmente: estejam lúcidos e estejam nessa esperança do Amor que vem a vocês.
Quer vocês o tenham já vivido ou não, não tem mais importância, porque vocês o viverão.

Há apenas que não deixar tudo o que pode vir revelar-se como resistência ao que pode vir a aflorar, nos medos que vocês não tenham ainda evacuado.
Há apenas que não dar tomada a eles, vocês não são isso.

Cabe a vocês saber o que vocês querem olhar.
Cabe a vocês escolher o medo ou o Amor, e essa é, verdadeiramente, a única escolha, a única Verdade.

Eu venho, hoje, simplesmente, encorajá-los.

A quatro semanas de nosso encontro, eu venho pedir-lhes, como Mãe, para estarem na Alegria, encarná-la aqui, sobre a Terra, nesse corpo, qualquer que seja o estado desse corpo.

Eu venho pedir-lhes para estarem na Alegria, quaisquer que sejam os medos que ainda estejam aí, mas que vão iluminar-se e que, simplesmente, serão banhados no Amor e na Alegria.

Eu venho pedir-lhes para estarem na vigília e na oração, aquela do Coração aberto e amoroso.

Eu venho dizer-lhes para não se atrasarem no alarido do mundo, que é apenas o alarido da Ilusão que desmorona.

Lembrem-se de que, o que quer que viva seu corpo, que, independentemente do que viva sua personalidade, em cada um de vocês (sem exceção alguma), há um Centro, e esse Centro é Amor, e ele está aí, de toda a Eternidade, mesmo se ele havia sido escondido e confinado.

Hoje, a Porta está aberta.
Cabe apenas a vocês entrar nesse Templo.
Qualquer que seja o corpo (qualquer que seja sua leveza ou seu peso), quaisquer que sejam os medos (que animam, ainda, sua vida ou sua personalidade), quaisquer que sejam as provas, lembrem-se de que a Luz, o Amor e a Alegria são a Inteligência Suprema que é a solução para absolutamente tudo.

Vocês (por si mesmos, na personalidade), vocês nada mais poderão, e cada vez menos.
Só o Amor pode tudo e poderá, cada vez mais, tudo.
É isso o que é preciso esperar e é isso que é preciso ver revelar-se em vocês, porque é a única Verdade.
Todo o resto faz parte (como eu disse) apenas de seus medos, apenas de condicionamentos, de coisas que eram, precisamente, apenas ligadas à ausência de Amor.

Uma vez mais, não julguem ninguém e, ainda menos, a vocês mesmos.
Contentem-se de acolher e de viver a Graça.
Qualquer que seja o estado do corpo, qualquer que seja o estado do momento, ele é um momento inscrito em vocês, que transcende, totalmente, tudo isso.

Vocês têm, apenas, que conscientizar-se disso (ou seja, estar dentro e não fora disso), e isso está presente, cada vez mais, em seu Coração, não nas ideias, não num futuro, não na vida comum, mas, entretanto, no comum da vida, despojada de todo o resto (ou seja, despojada de tudo o que não é a Vida) porque, se vocês vivem, então, esse Reino dos Céus (essa Graça e essa Alegria), todo o resto decorrerá daí, sem qualquer exceção.

Então, naquele momento, vocês não poderão mais ser afetados pelo que quer que seja que venha de vocês, como do exterior.
Vocês se tornarão essa Alegria e esse Amor, inteiramente, porque é sua Natureza e sua Essência.
E isso é agora.

Aí está a simples recordação que eu queria formular, entre vocês, hoje.

Guardem, em seu sentido o mais nobre, a fé.

Não uma fé cega, mas a fé no que vocês são: Seres de pura Luz, Espíritos idênticos ao Grande Espírito, à Fonte, imutáveis e eternos.

É sua Natureza, bem além dos véus da carne.

Os véus que se rasgam agora, totalmente, darão a ver (e a viver) a Verdade do que eu lhes digo, se vocês não a vivem ainda.
Mas não se esqueçam de que, para vivê-la, é preciso aquiescer.
Não se esqueçam de que, para vivê-la, vocês devem viver que vocês não são o mínimo de seus sofrimentos (que, no entanto, parecem-lhes tão prementes), que vocês não são o mínimo dos medos (que podem habitá-los, ainda), que tudo isso são apenas projeções de vocês mesmos numa Ilusão total, e é nessa Ilusão que é necessário vencer a Ilusão.

Mas esse «vencer» não é um combate.
É justamente uma capitulação, e é essa capitulação à Alegria e à Graça que vencerá a Sombra, qualquer que seja.
Não é um combate.
É uma compreensão da Consciência e uma vivência direta do que vocês são.

Eu pararei aí, esta noite, minha mensagem.
Eu voltarei, também (sem dar-lhes a data), provavelmente, ainda duas vezes, durante o mês que vai escoar-se.

Lembrem-se de que vocês, sozinhos, podem transferir-se ao seu Coração, mas, lembrem-se, também, de que, em seu Coração, vocês não estarão mais, jamais, sozinhos, porque vocês serão o Amor, e o Amor é tudo.

Apenas fora do Coração é que pode existir, ainda (e existirá, ainda) o medo, o sofrimento, a dor, mas, a partir do instante em que vocês se engajam na Porta Estreita, então, o Cristo ali está.
A Luz Branca ali já está e, aí, não há qualquer interstício para o mínimo medo, para o mínimo sofrimento, para a mínima Sombra porque a Luz ilumina tudo e o Amor é tudo.

Eu voltarei (aqui, nesse espaço) em alguns minutos, para acompanhá-los em seu alinhamento.

Como eu disse (há dois ou três meses), eu estou presente, agora (mesmo para aqueles que não se conscientizam de mim), em cada momento em que vocês se juntam à Merkabah Interdimensional, esse Corpo de Luz da humanidade.
 
Eu lhes transmito todo o meu Amor, aquele que vocês são.

Até breve.
 
 
 
 
Áudio da Mensagem em Francês

Link para download:clique aqui
 
 
 
Áudio da Mensagem em Português

Link para download:clique aqui
 
 
 
 
Mensagem de MARIA,
pelo site Autres Dimensions
em 25 de agosto de 2011
 
 
 
 
 
Rendo Graças às fontes deste texto:
Tradução: Célia G.

sexta-feira, 28 de março de 2014

O JOGO DE ATRAÇÕES - PHILIPPE DE LYON - 25-08-2011 - COM ÁUDIO

Rendo Graças ao autor desta imagem
 
 
 
 
PHILIPPE DE LYON
25/08/2011
 
 
 
 
O JOGO DE ATRAÇÕES
 
 
Minhas Irmãs e meus Irmãos encarnados,
eu sou o Mestre PHILIPPE DE LYON.

Que a Paz de CRISTO esteja em vocês.
 
Eu venho, a pedido dos Anciãos, e continuando assim minhas intervenções anteriores sobre a Humildade e a Simplicidade, eu venho prosseguir e lhes falar do ‘jogo de atrações’.

Então, se vocês bem o desejarem, eu começarei minha exposição dizendo-lhes que eu vou primeiramente falar do jogo de atrações tal como existiu desde sempre.

E eu falarei, em seguida, da Lei de Atração que entra em manifestação, progressivamente, agora.

O jogo de atrações (e isso lhes foi desenvolvido de maneira mais afiada que a minha, eu diria, pelo IRMÃO K) consiste na ação de forças Arimânicas e Luciferianas neste mundo.

Eu vou, se vocês bem o desejarem, considerar isso sob outro ângulo.

O jogo de atrações é, de fato, diretamente oriundo do que foi chamado de ‘sistema de controle do mental humano’.

Na realidade, um ser humano, quando ele chega deste lado do Véu, sobre este mundo, é imediatamente submetido, eu diria, a um banho histórico, um banho cultural, um banho social, um banho familiar, que vão, amplamente, contribuir para aderir e produzir suas próprias crenças (desta alma em encarnação), diretamente em ressonância com as atrações presentes e que ele encontra, de maneira mais frequentemente inconsciente, em seu meio, aí onde ele está.

De fato, vocês entenderam de imediato: jamais foi visto um índio (vivendo, por exemplo, na Amazônia) relatar um Encontro com o CRISTO ou qualquer crença em relação com o CRISTO.

Naturalmente, hoje, no século XXI, existem crenças diferentes em função do que diversos povos, abertos a outros povos, têm encontrado, fazendo com que os seres, por exemplo, neste país [França], podem se tornar budistas, podem se tornar islamistas, podem se tornar protestantes, podem se tornar, de fato, o que eles querem, em função de sua íntima convicção, como dizemos, ou de suas experiências pessoais.

Mas (exceto ao que acontece na idade adulta, em geral, após reflexão, após experiência) um ser humano que se apresenta em um país, durante seu nascimento e principalmente antes do século XX, vai ser, de algum modo, tributário das atrações, das tradições e vai aderir naturalmente ao que está presente nesse ambiente.

Assim tem agido o sistema de crenças do mental humano que é, de qualquer forma, um reservatório de egrégora de forças (tendo existido além do astral e então ao nível do mental) subsistindo ainda hoje.

Porque eu os lembro de que é a esfera astral coletiva que tem tendência a ser dissolvida.

A esfera mental, quanto a ela, estando ainda parcialmente intacta, porque ligada diretamente a um dos envelopes isolantes, chamado de ionosfera.

A magnetosfera, ela, foi em parte destruída desde alguns anos (em todo caso tornou-se permeável), explicando o desaparecimento progressivo e o princípio da dissolução (abordado pelo Arcanjo MIGUEL) devido à radiação do Ultravioleta ou do Espírito Santo.

Os jogos de atração de um ser humano, em geral, vão desenrolar-se no conjunto de seus setores de vida, condicionados, de maneira invisível, não por suas experiências, mas pelas crenças veiculadas, tanto pelos parentes, como pelo que ele vai descobrir, por ele mesmo, durante seu aprendizado de vida, que começa desde o nascimento e se prossegue, rapidamente, até a escola.

Uma série de elementos (compreendendo tanto a linguagem, como a história, como as matemáticas, como todos os ensinamentos e todos os jogos afetivos) vai contribuir e concorrer para fazer com que o ser humano seja, de algum modo, banhado, permanentemente, nesse sistema de crenças.

O conjunto da vida vai então ser colorido, em um primeiro momento, por esse banho, bem inconsciente, e ao qual o ser humano (salvo experiência particular) tem apenas pouca chance de extrair-se, pelo menos na primeira parte de sua vida.

Qualquer que seja o que chamamos, todos, de ‘crise da adolescência’, em geral, a estruturação do que é denominado emocional, mental, etéreo, vai ocorrer sob a influência direta ainda desses fatores.

Depois, é claro, as experiências particulares realizadas e vivenciadas por esta alma particular, podem levar a mudanças de direção.

O jogo de atrações tal como foi orientado, diremos nós, vai conduzir a alma, naturalmente, a desposar o que há sob os olhos, correspondendo, por exemplo, ao que nós chamamos de casamento, de união, ter filhos, ter uma profissão, em suma tudo o que faz a vida de uma maneira a mais habitual e trivial.

Então, é claro, segundo a herança pessoal e a herança parental, uma alma vai ser mais fixada sobre tal ou tal inclinação de sua vida, mas vai, de qualquer forma, servir-se dos banhos de ressonância e de atração existentes para construir sua personalidade e desempenhar, ela também, o papel de atrações.

Que isso esteja, ainda uma vez, em relação direta com o meio familiar, com todas as esferas da vida, tudo vai desenrolar-se, inconscientemente, com um conjunto de crenças inculcadas, que vão necessariamente ter efeitos sobre a vida da pessoa.

O problema é que o ser humano é feito de tal forma que ele adere, sem qualquer condição prévia (o mais frequente), a esquemas rotineiros, a esquemas que se reproduzem e que vão segui-lo por toda sua vida.

Obviamente, resulta desta conduta (pelo menos nos primeiros tempos, mas eu não lhes ensinaria nada) um sentimento de satisfação, um sentimento de estar em seu lugar correto.

Isso se refere tanto aos estudos realizados, como à escolha de uma profissão ou de um parceiro de vida.

Até muito recentemente, podíamos observar que o ser humano, independentemente do continente, de um extremo a outro de sua vida, contentava-se com o que lhe era inculcado, com o que lhe era perceptível.

Raras sendo as almas podendo sair, de alguma forma, desta espécie de condicionamento, embora involuntário, e experimentar, explorar, outra coisa que o usual.

Evidentemente, as circunstâncias da vida (e principalmente desde uma geração ou duas, poderemos dizer) são profundamente diferentes e isso, vocês todos o vivem em todos os países: o que foi adquirido (como um cônjuge ou um parceiro) é questionado.

Troca-se de parceiro, troca-se de trabalho, troca-se de região, troca-se de opinião, também.

Tudo isso é, afinal, bastante novo, em relação à fixidez das crenças que podiam existir e condicionar a vida de um ser humano (eu poderia dizer globalmente) desde seu nascimento até sua morte.

E depois, o mundo dito moderno fez aparecer novas coisas.

Essas novas coisas, na maior parte, oriundas do que é chamado de técnica e de tecnologia ou de ciência, tendo tido por vocação (e isso IRMÃO K lhes desenvolveu amplamente) facilitar, de alguma maneira, a vida ordinária, torná-la menos abrangente, a fim de liberar tempo para outra coisa.

Esta outra coisa é, antes de tudo, destinada a criar novas necessidades, novos desejos e novas coisas a explorar.

Então, é claro, que isso seja chamado de férias, que isso seja chamado de televisão, que isso seja chamado de informática, de música (qualquer coisa que pode estar e sair, por assim dizer, de uma caixa), de automóvel, tudo o que finalmente lhes permite sair do quadro habitual, como era conhecido ainda desde cem anos, e que poucas coisas podiam, de algum modo, modificar porque, simplesmente, elas não existiam.

Esta ‘qualquer coisa’ de diferente veio completar ou modificar o que era comum, eu diria, para todo ser humano sobre este planeta.

Como vocês sabem agora, desde cerca de uma geração, houve uma modificação da atmosfera Vibratória (vamos chamá-la assim) da Terra que se fez progressivamente.

Pouco a pouco, foram adicionadas, à humanidade, novas frequências que entraram, progressivamente, sobre esta Terra, desde uma geração.

Paralelamente a isso, uma série de novos elementos (e se vocês ali prestarem atenção), além da vida ordinária, familiar, profissional, afetiva, tudo o que está ligado aos sentidos que são associados à visão e à audição, tornou-se cada vez mais importante na vida.

As cidades tornaram-se iluminadas, há luzes por toda parte.

O barulho tornou-se constante: o barulho dos veículos, o barulho das ondas passando pelas caixas como o rádio, a televisão, os motores.

Um conjunto de coisas novas apareceu, vindo cativar o homem e lhe dando um sentimento de liberdade, novo, e principalmente criando ‘jogos de atração’ profundamente diferentes, chamados de divertimento, lazer, férias, tudo o que podia, de alguma forma, atrair pelo desejo, atrair por tudo o que estava ligado à necessidade de possuir tal coisa ou tal coisa e viver, aí também, tal coisa ou tal coisa, ligada a essas novas tecnologias e a esses novos meios que estavam presentes no mundo moderno (e que começou antes mesmo de uma geração, ou seja, desde o início do que foi denominado ‘era industrial’).

O ser humano evolui, apesar desta novidade, sempre em um mundo de desejos, um mundo de projeção de um ideal.

Evidentemente, tudo isso intercalado (como desde sempre) por momentos de incerteza, momentos de crises, de guerras, mas sempre em uma perspectiva de melhoria futura.

O ser humano, de maneira geral, foi pouco a pouco acostumado a novos sistemas de crenças, a novos impulsos de desejo.

Esses impulsos de desejo tornaram-se mais flagrantes.

Mais flagrantes, em todo caso, para aquele que olha o exterior, porque aparentemente, hoje, o ser humano não é absolutamente incomodado, aparentemente, pelo fato de olhar imagens, não é absolutamente incomodado pelo fato de escutar alguma coisa que sai de uma caixa ou de se deslocar de uma caixa a outra do planeta, de maneira, para alguns, perfeitamente familiar.

Na realidade, o conjunto desses meios novos permitiu ao ser humano ampliar seu conhecimento exterior deste mundo.

Obviamente, não é questão de negar, nem de rejeitar os avanços significativos (presentes para a maior parte dos povos) trazidos por esses meios novos.

Mas além desses simples meios de facilitação, é preciso quando mesmo colocar-se a questão de sua finalidade.

E a finalidade (como lhes falou, justificadamente, IRMÃO K) é, logicamente, sempre e sempre mais aprisionar o homem nas atrações, afastando-os, de fato, do sentido do que ele É, afastando-o, sempre mais, do Espírito.

Paralelamente a isso, os modelos ditos religiosos ou tradicionais que estavam presentes (alguns, desde milênios) adicionaram uma série de conhecimentos inéditos relacionados à vida da alma, ao conhecimento da psicologia, das interações mais finas entre os seres.

Como se esta sociedade que descobria os lazeres, o tempo livre, tivesse necessidade de conhecer muito mais do que o que não podia ser transmitido pelas religiões, pelas tradições.

Dessa maneira apareceram os ‘impulsos’, bem reais, visando conhecer a alma, experimentar conhecimentos novos, tudo isso dando, é claro, um sentimento de progresso, de avanço.

Aliás, é o nome que isso leva: avanços técnicos, tecnológicos, científicos, aperfeiçoamento do quadro de vida.

As épocas gloriosas da química e dos conhecimentos científicos eram esperadas para trazer, no seu começo, todas as respostas ao ser humano e elas trouxeram respostas, mas que, infelizmente, encontraram-se muito rapidamente limitadas pelas consequências que vocês veem hoje.

Essas consequências já têm o efeito sobre a Terra.

Essas consequências são, antes de tudo, uma degradação, sem qualquer proporção com o que já existia antes, do que eu chamo de Corpo Etéreo humano, levando ao aparecimento de doenças novas, de problemas novos, sem que jamais o homem coloque a questão da causalidade desses elementos novos.

Evidentemente, hoje, nos elementos que são trazidos pelas pesquisas, percebe-se muito depressa que tudo o que é química, tudo o que é física, possui inconvenientes que começam a ser revelados de maneira muito importante.

Mas será que, no entanto, o ser humano recuou em relação a isso?

Não.

Na realidade, a atração e o jogo de atrações tornaram-se tal, que o ser humano se deixou ainda mais ser possuído por todos esses meios de conhecimentos que lhes foram dados.

Além disso, como houve, efetivamente, uma libertação, um liberação, com relação às crenças muito mais antigas (sejam religiosas, sejam morais ou até mesmo em meio a uma família) houve uma forma de emancipação que apareceu progressivamente referente, aí também, a todos os setores da vida.

Não é questão de julgar isso (por mim), mas simplesmente constatar essas coisas.

O jogo de atrações (em todo caso, para o ocidental) tornou-se o meio de criar projeções e desejos, cada vez mais importantes, diante do que era mostrado.

De fato, é muito mais fácil querer, por exemplo, viajar para um dado país depois de ter visto um filme, do que depois de ter lido a história de um viajante que teria ido lá.

O efeito é muito mais imediato e rápido.

Na verdade, sempre houve escritores que relataram diários de viagem, mas esses livros raramente suscitaram o desejo de ir para lá.

Por outro lado, a imagem, ela, executa muito melhor este fim: a imagem de algo a comprar, a imagem do que quer que seja que vem, de alguma maneira, estimular o que é chamado de ‘desejo’.

Expresso assim de forma diferente, eu apenas faço reconstituir o princípio da ATRAÇÃO e da VISÃO, ou seja, do eixo falsificado que os leva sempre a mais materialidade, de maneira coletiva.

Ao mesmo tempo, a vida da alma é revelada.

A alma teve necessidade de emancipar modelos ditos tradicionais, religiosos e de descobrir as leis novas.

Isso correspondendo a um verdadeiro impulso, mas, aí também, controlado por aqueles que já controlavam todos os outros sistemas.

Deste modo surgiram, pouco a pouco, modelos espirituais de compreensão da alma e modelos psicológicos.

E, é evidente, todo progresso, qualquer que seja (seja tecnológico, social, seja espiritual) era supostamente obtido de uma liberação do homem, ou, em todo caso, de uma satisfação maior por uma sede legítima de conhecimentos.

Em meio a isso, os jogos de cada um, as atrações de cada um podiam culminar, evidentemente, em conflitos de interesse, seja em uma família, seja entre países (e tudo isso vocês conhecem).

Tudo isso está ligado (e isso lhes foi falado também) ao corpo de desejo, à personalidade, à necessidade de propriedade, de posse, que pareciam perfeitamente lógicas já que o conjunto da humanidade comportava-se assim.

E os povos primitivos, que diziam exatamente o oposto, foram amplamente cortados de sua liberdade (e isso vocês sabem também, em nível histórico, que se refira à América do Norte, que se refira à América do Sul ou a outros povos nativos presentes em outros lugares, sobre esta Terra).

E depois (desde agora uma geração) a Luz do Ultravioleta, do Espírito Santo começou a trazer, progressivamente, sobre esta Terra, impulsos novos.

Estes impulsos novos não foram captados, é claro, no início, por muitos seres humanos.

E depois, progressivamente, estes impulsos novos começaram a ser captados e a transformar, de maneira muito limitada, em um primeiro momento, a sede das almas, dos Espíritos e dos corpos que eram submetidos a essa Irradiação.

A abertura da alma, para esses seres, não bastava mais para explicar ou para satisfazer sua vida, aqui, na encarnação.

O primeiro dos impulsos (desde agora quase 30 anos) foi interessar-se, ao nível da humanidade, pelo que foi chamado de pós-vida.

Naturalmente, havia um precedente, com várias pesquisas que haviam sido realizadas no espiritismo.

E depois, progressivamente, os meios novos chegaram e surgiram e permitiram ao ser humano colocar-se a questão do pós-vida.

Testemunhos cada vez mais numerosos apareceram.

Obviamente, esses testemunhos eram profundamente diferentes, segundo o banho cultural desses seres humanos que viviam essas experiências, do outro lado, antes de retornar.

Como se houvesse, efetivamente, uma influência cultural, um banho cultural, um banho de crenças, também, do outro Véu.

E depois, por cima, os dados históricos, que haviam sido ocultados, começaram a aparecer.

Outras civilizações começaram a ser abordadas progressivamente e revelaram segredos que, mesmo se eles tinham sido escondidos, permitiram, para aqueles que estavam interessados, compreender que a civilização dita ocidental, tecnológica, tinha regredido, não sobre um plano tecnológico, mas sobre um outro plano, por outras civilizações qualificadas como arcaicas.

Dessa maneira, a vida pôde se desenvolver, expressar-se, harmonizar-se, segundo princípios que não têm nada a ver com os princípios da sociedade moderna ocidental.

Progressivamente, a chegada de tudo isso permitiu a alguns seres (e isso é muito recente), não mais de maneira excepcional (como alguns Anciãos ou algumas Estrelas), escapar, de alguma forma, ao condicionamento da alma, ao condicionamento da personalidade e descobrir alguma coisa que não era absolutamente conhecida nem descrita, de maneira formal, mesmo para os seres tendo vivenciado essas experiências de Unidade.

Isso também vocês sabem.

Aí onde eu quero chegar é, evidentemente, vocês o veem ao redor de vocês: uma grande maioria da humanidade está ainda, muito amplamente, submissa aos jogos da ATRAÇÃO e da VISÃO, aos jogos da falsificação (seja espiritual ou na sociedade) onde existem, é claro, princípios que vocês conhecem perfeitamente, por sofrê-los, ou então por deles se beneficiar.

Tudo isso que é denominado: predação, competição, emulação, necessidade de sucesso.

E isso é parte integrante (e quase evidente) de todo setor da sociedade, aqui como em outros lugares.

Raros são os seres humanos que puderam escapar (sem ali se machucar, eu diria) a esta sociedade moderna, mesmo entre os povos ditos primitivos, que tinham, no entanto, um Espírito muito mais presente, eu diria, do que o ocidental.

Então, hoje (e em particular desde pouco tempo, ou seja, desde dois anos e agora), desde o início do ano que vocês vivem, foi-lhes declarado a Liberação da Terra, do Sol, a Liberação do ser humano, podendo religar-se ao Espírito, à A FONTE, dar-se conta das diferentes alterações que puderam existir neste mundo.

Obviamente, mesmo entre todos esses seres que vivenciaram essas transformações, muitos não foram capazes, até agora, de se afastar desse condicionamento, para desembaraçar-se completamente.

Disso nós estamos perfeitamente conscientes porque nós o vemos.

O que eu quero dizer é que, agora, todos os jogos de atrações vão ser substituídos muito, muito rapidamente, pelo que foi chamado de Lei de Atração.

Ora, a Lei de Atração não tem nada a ver com os jogos de atração.

A Lei da Atração da Luz consiste em precipitar, de algum modo, isso o que vocês creem, o que vocês aderiram e torná-lo visível (isso, também, foi explicado, longamente, por diferentes Anciãos, por diferentes Estrelas, pelos Arcanjos, também).

A problemática é que aqueles que ainda têm ligações com esse sistema de crenças do mental humano, aqueles que ainda têm ligações (porque é o usual, porque eles não têm, muitas vezes, consciência, enquanto tendo vivenciado Reencontros com a Luz, bem reais) não estão distanciados, nem afastados do que compõe a vida ordinária.

E, naturalmente, isso era bem lógico, porque era preciso ganhar sua vida, porque era preciso manter seu papel na família, havia efetivamente o que todos nós chamamos, em nossa vida, de obrigações.

A Lei de Atração (que está ligada à precipitação da Luz Branca, das Partículas Adamantinas, que muitos de vocês começam a perceber) vai, a partir de certo ‘limiar’ (que está muito próximo em termos do seu tempo humano) chegar, realmente, a modificar totalmente as atrações e, de alguma forma, precipitá-las, vindo realizar e cumprir as palavras de CRISTO (que nunca foram cumpridas até hoje).

Porque, é claro, aqueles que se aproveitavam desse sistema de controle do mental humano sabiam pertinentemente que eles não teriam nada a pagar, nem neste tempo, nem em um futuro.

Contrariamente a alguns ensinamentos tendo-lhes falado de Liberdade, de livre arbítrio, de ação/reação e que cada um ia pagar, em uma outra vida, todo o Mal que havia feito (com todas as noções, obviamente orientais, enxertando-se em cima) e, para o espírito ocidental abrindo-se a este orientalismo (qualquer que seja a maneira que ali se abria), vindo substituir o princípio de uma Vida futura Eterna, de uma Ressurreição da carne, substituída pela noção de Ressurreição e de Reencarnação.

A Luz vem Revelar.

Isso também vocês sabem.

Ela vem mudar o jogo das atrações e substituí-lo pela Lei da Atração e pela Lei da Graça.

Quer dizer muito exatamente o que vocês irão manifestar em sua vida (e alguns de vocês o vivem já) em relação à Transparência ou à não transparência que é sua vida.

Quer dizer que todo dia, doravante, vocês irão ser, não confrontados, mas colocados ‘face a face’ com seu próprio futuro, com suas próprias crenças e também com as crenças que vocês mantiveram.

O desdobramento, a revelação da Luz, a chegada de CRISTO, da Luz Branca, reflete-se já (como isso lhes foi nomeado) pela dissolução de todas as ilusões.

Então, é claro, esta dissolução não é a mesma conforme os países, porque as resistências não são as mesmas conforme os países, porque os seres humanos que compõem os povos, nos países, não têm as mesmas crenças, mesmo dentro do sistema de controle do mental humano.

Naturalmente, aqueles que criaram este sistema de controle do mental humano tinham todo interesse (e é um antigo provérbio que vocês conhecem), para governar: é preciso ‘dividir’.

E quanto mais as coisas são divididas, mais fácil é para governar.

Isso foi perfeitamente aplicado por aqueles que controlavam o sistema de controle do mental humano, estabelecendo, conforme os países, conforme os continentes, conforme as raças, crenças profundamente diferentes e totalmente adaptadas à evolução racial ou à evolução dentro de um país, permitindo melhor controlar, de algum modo, o ser humano.


A Lei de Atração que chega, agora, sobre a Terra, vai colocá-los, realmente, face a face.

E aqueles que irão tornar-se eles mesmos Transparentes, ou seja, aqueles que terão soltado o que quer que seja em seu domínio de crenças próprio e íntimo, aqueles que terão se desvencilhado de todas as crenças (e de quaisquer que sejam as obrigações que foram mantidas pelo respeito, pela sociedade, pela afetividade), e que terão a lucidez para aquiescer à Luz, é claro, irão viver a Lei de Atração da Luz, em sua plenitude, e não terão, obviamente, absolutamente nada a pagar, nem a restituir, de qualquer maneira, e irão viver a Graça com evidência e facilidade.

Não vai ser o mesmo (vocês sabem) para todas as almas que aderiram e que se fortaleceram elas mesmas nessas crenças de separação: essas crenças da alma que, de alguma maneira, sempre as afastaram mais do Espírito.

E vocês sabem que isso corresponde, inteiramente, a uma série de medos que, em última análise, fazem apenas refletir uma aquisição de poder ligada ao medo.

Que esta aquisição de poder seja expressa em um casal, em um relacionamento entre irmãos, em um relacionamento hierárquico (habitual e comum), que isso seja nas associações de trabalho, que isso seja nas associações ditas espirituais.

Tudo o que os manteve para exercer qualquer poder (e então entrar plenamente no jogo das atrações e da competição), vai, aí, desta vez, pelo desdobramento da Luz, realmente causar um problema.

Porque a Luz não conhece os jogos presentes neste mundo e que perduraram desde tão longo tempo.

Então, é claro, há um momento (e esse momento será anunciado e vivenciado) em que haverá necessidade, para todas as almas presentes sobre a Terra, de viver a Luz, isto é, de compreender, sem qualquer dúvida possível, porque isso será uma evidência, que a Luz é a Verdade e que este mundo não é a Verdade.

A partir daquele momento, a partir desta Revelação, cada ser humano vai submeter-se à sua própria Liberdade, à Luz.

Ou se desviar da Luz, por medo, por vontade de manter um poder (qualquer que seja) e então vai querer continuar o jogo de atrações, mais do que viver a Lei de Atração e da Graça.

É nesse sentido que nós sempre lhes dissemos que será feito, muito exatamente, segundo sua Vibração, que será feito muito exatamente segundo o que vocês creem, segundo o que vocês estão apegados.

Mas ninguém mais, a um dado momento, poderá dizer que não sabia.

Até agora (como vocês sabem), há justaposição da Luz e do mundo da Sombra.

E isso está inscrito também, do mesmo modo, em vocês, como no que lhes é mostrado sobre este mundo.

E cada um vive sua Luz, suas sombras, seus combates, se o podemos dizer, seus Abandonos.

Mas, no momento, isso não chegou, eu diria, de maneira coletiva.


A partir do instante em que isso for realizado, ao nível coletivo, nenhuma alma poderá dizer que não sabia, na totalidade, os prós e os contras.

Nós os encorajamos (uns e outros) a ir para o desprendimento.

Não para a indiferença, não para abandonar o quer que seja, em sua vida, mas sim para viver diferentemente as coisas, além de qualquer apego e além de qualquer ligação.

Desfazer-se de uma ligação não quer dizer eliminar isso com o que vocês estão ligados.

Isso quer dizer, simplesmente, compreender e mudar o ‘ponto de vista’ em relação ao que foi compreendido e visto.

O tempo da Luz chegou.

O desdobramento da Luz , a chegada de CRISTO, a Liberação do Sol, da Terra, a Fusão dos Éteres, tudo isso, a Reunificação em meio à Merkabah Interdimensional da Tri-Unidade e a Resolução desta Tri-Unidade, terminam agora.

Existem, é claro, processos Vibratórios que se manifestam por modificações da Consciência, ela mesma, que estão em relação direta com as percepções Vibratórias.

Chegará um momento em que ninguém poderá ignorar essas percepções Vibratórias, no momento em que a Luz irá se revelar, por completo.

Novamente, isso lhes foi dito, mesmo se isso foi denominado de maneira particular, à época: o Julgamento Final, não é, em nada, um Julgamento, não é, em nada, Final.

Exceto Final e Julgamento de tudo o que faz o desejo, o corpo da personalidade e o corpo de desejo.

Mas a Luz, lembrem-se, jamais pode ser outra coisa do que Vibração e Amor.

Somente a resistência ao Amor induz ao sofrimento.

Somente a resistência à Luz induz à própria resistência e induz ainda mais resistência.

Tudo isso, é claro, lhes foi desenvolvido através de diferentes expressões: Abandono à Luz, resistência à Luz, desapego.

A tudo isso, vocês estão perfeitamente bem informados.

O que é importante apreender-se é de que se eu também por muito tempo enfatizei a Humildade e a Simplicidade (durante minha vida, como hoje, desde o plano onde estou) é que, evidentemente, a Simplicidade vai ao encontro de necessidades múltiplas e complexas deste mundo.

E que a Humildade os coloca automaticamente em um sentimento, não de se desviar da vida, não de se eliminar, mas, bem mais, de criar em vocês um estado propício para, finalmente, tomar distância em relação a tudo o que é artificial e a tudo o que mantinha uma intensificação dos desejos.

A Humildade é isso.

E também a Humildade nas relações humanas, quaisquer que sejam.

Isso quer dizer que, enquanto há uma vontade qualquer para tomar ascendência sobre alguém, (seja em um casal, em uma família, seja em uma relação pontual), se vocês não deixam o outro livre, vocês entram em um jogo de poder.

E a Humildade é certamente o meio (considerando-se, realmente, como o que se é sobre esta Terra: tão pequeno em relação ao Espírito), a melhor maneira de evitar ter qualquer influência do desejo e do poder, quaisquer que sejam.

Os tempos terminaram.

Isso, nosso Comandante (ndr: O.M. Aïvanhov) lhes disse desde o mês de março.

Tudo isso se desenrola sob seus olhos.

Em breve, mesmo o que lhes foi escondido, ao nível da Terra, não poderá mais sê-lo por muito tempo, porque a extensão considerável que vai ser tomada pelos elementos sobre a Terra, fará com que mais ninguém possa desviar ou ignorá-lo.

Mesmo nos países que, até agora, haviam sido (por razões muito específicas), em um certo sentido, poupados pelos elementos e pelo que vocês poderiam chamar de ‘crise global’.

Tudo isso terminou porque a Luz se revela, de maneira total, e vem iluminar até mesmo o que resistia à Luz.

Cada um irá viver esse ‘desafio’ no período que antecede, por assim dizer, o face a face, vindo, por sua própria vida, e pela Lei de Atração da Luz, mostrar-lhes, pelo que viverá seu corpo, pelo que vocês irão viver em sua vida, aí onde vocês estão.

Ou seja (como isso foi dito), o desdobramento total da Luz não poderá mais ser ocultado dos seus próprios olhos, isto é, da sua própria Consciência.

O que lhes parecia totalmente justificado, um dia, irá lhes parecer, no dia seguinte, como uma crise de ego importante e uma manifestação do ego, considerável.

E são vocês mesmo que irão se julgar.

As circunstâncias de sua vida, sem qualquer exceção, vão colocá-los frente ao que vocês têm criado e vocês irão se tornar, realmente, o que vocês criaram em seu interior e não o que vocês esperaram ou buscaram, no exterior de vocês mesmo.

Vocês irão viver, integralmente, o que foi chamado de Retribuição, mas não uma retribuição no sentido kármico, mas a Retribuição da Luz.

Porque será restituído, muito precisamente, a cada um, segundo suas obras.

Eu os lembro de que o CRISTO disse (e esta frase é totalmente verdadeira): “Aquele a quem foi pouco pedido, receberá pouco, mas aquele a quem foi muito pedido, deverá dar muito, para receber muito”.

Isso quer dizer o quê?

Isso confirma na íntegra: “Os primeiros serão os últimos”.

É preciso entender que a sede de compreensão (espiritual ou social), a sede de dominar um sujeito, é, sobretudo, um medo que se traduz por um poder.

E ele se traduz também por uma vontade.

Esta ‘vontade de Bem’, esta vontade de bem fazer, esconde muitas vezes, no interior do ser, as falhas que, até agora, não permitiam à Luz (que não estava suficientemente encarnada) constatar por si mesma essas falhas.

Mas o retorno de CRISTO vem totalmente mudar o jogo, porque ninguém poderá se esconder em meio à Luz, seja um governante, seja em um casal onde um dos dois é um tirano, seja em uma família onde existem elementos pesados que não foram afastados.

Ainda uma vez, é preciso bem compreender que ninguém irá julgá-los, senão vocês mesmo.

Não existe um Deus vingador, um Deus que pune.

Há apenas uma Consciência: aquela do Espírito que vem tentar colocar-se em adequação com a Consciência chamada de fragmentária, dissociada, parcelada.

E esta colocação em ressonância corresponde, inteiramente, à Lei de Atração, ao retorno da Luz Branca, à chegada total do desdobramento do Supramental e ao retorno de CRISTO.

É então a isso que sua Consciência vai chamá-los, de maneira cada vez mais urgente, pelo próprio desenrolar de sua vida, pelo próprio desenrolar de seu corpo, dos sintomas diversos e variados, da facilidade com que vocês terão para manter-se na Alegria e para se afastar do corpo de desejo, sem qualquer vontade, simplesmente por alguma coisa que se estabelece de maneira natural, pela Luz e não por sua vontade (de não mais comer, de não mais trabalhar, de não mais ter relação de tal natureza ou de tal outra natureza).

Isso não é vocês que decidem, mas é a Luz, em vocês.

E se é a Luz, em vocês, que decide, as coisas irão acontecer facilmente.

Por outro lado, se a Luz encontra zonas de resistência, isso será muito mais difícil, mas, aí também, não veem ali outra coisa do que uma Retribuição permitindo, nesses tempos finais, de algum modo, reajustá-los na Verdade da Luz e não mais em sua verdade pessoal.

Os tempos da Graça foram abertos, a um dado momento, depois das Núpcias Celestes.

De qualquer modo, pode se dizer que os tempos que se abrem, agora, são os tempos da Retribuição e que eu denominaria, talvez, os tempos da última oportunidade de viver o CRISTO e o Espírito.

Portanto, estejam atentos ao que acontece em sua vida.

Estejam atentos ao que acontece em seu corpo.

Estejam atentos ao que acontece em suas interações sociais, as mais próximas, como as mais distantes.

Porque tudo o que chega, já, desde alguns dias e que vai reforçar-se, de maneira realmente evidente (para todo mundo sobre esta Terra), em muito poucos dias, está diretamente ligado ao desdobramento da Luz, à abertura da Porta posterior de CRISTO, que deve realizar-se em cada ser humano encarnado sobre o planeta.

Naturalmente, isso é válido, quaisquer que sejam as crenças, em CRISTO ou em não importa que outro.

Então, que isso seja denominado Alá, que isso seja denominado Deus, que isso seja denominado Buda, essas são as representações que vão permitir-lhes compreender e viver, de algum modo, a Luz Vibral, integralmente.

O período que vocês vivem (nesses tempos chamados, pelos Arcanjos, de reduzidos ou ultra reduzidos) é uma oportunidade, a nenhuma parecida, de ver-se realmente na face, não como vocês acreditam que vocês são (nas crenças, nas adesões, mesmo em CRISTO), mas na realidade da Luz Branca, o que não é de todo a mesma coisa.

Lembrem-se do que eu disse: o que lhes parecia normal, um dia, poderá lhes parecer como totalmente anormal e oposto à Luz, no dia seguinte.

Cabe a vocês saber o que irão fazer, naquele momento.

E daí, efetivamente, irá resultar o que fará sua Vibração, em vocês: de Seres que reencontram a Unidade, que reencontram a Luz, na totalidade, ou de Seres que escolheram prosseguir o jogo da atração, mas sem estar submissos a qualquer sistema de controle exterior que eles mesmos e estando conectados a A FONTE.

O que faz uma alteração importante, mas que passa, efetivamente, para alguns, por uma experimentação, eu diria, um pouco mais longa, das leis da Matriz, mas desta vez, não mais falsificada.

Tudo isso vai transcorrer, em vocês, da mesma maneira que transcorre agora sobre o mundo e sobre este mundo, e vai tornar-se cada vez mais global, cada vez mais coletivo, cada vez mais evidente.

Vários sinais foram-lhes dados: o Som da Terra, o Som do Céu, as percepções, evidentemente, Vibratórias, que vocês têm, em vocês mesmos, ligadas às Lâmpadas (aos chakras, como vocês os nomeiam).

Tudo isso vai ser cada vez mais evidente e cada vez mais correlacionável.

Portanto, independentemente do que chegará a vocês, e independentemente do que lhes chega, nada há para responsabilizar, sobretudo um próximo, sobretudo o acaso, sobretudo o karma, mas unicamente vocês, no instante presente.

Vocês não podem mais fugir da responsabilidade que é a sua de Ser Autônomo e de Ser indo para sua Liberdade.

Não há nenhum culpável exteriormente.

Há apenas vocês e vocês sozinhos.

A Lei de Retribuição, a Lei de Atração (e não mais os jogos de atração) vai permitir-lhes conscientizar isso, sem qualquer erro possível.

Vocês verão claramente em sua personalidade.

Vocês verão claramente no que vocês São.

Obviamente, alguns irão resistir ainda, até o extremo limite, mas chegará um momento em que mais ninguém poderá resistir porque a Luz estará estabelecida, por completo, e o que permanecerá para transcorrer no tempo, depois, serão apenas os meios de colocar em operação o futuro de cada um.

Eis os elementos que eu tinha para dar-lhes sobre o desdobramento da Luz e as consequências diretas sobre o sistema de controle do mental humano, sobre sua Consciência, mesmo da personalidade, sobre os prós e os contras das situações familiares, profissionais, afetivas, sobre os prós e os contras de seus próprios desejos, ainda presentes, e da distinção evidente entre o Mundo do Espírito e o mundo da carne (em todo caso, segundo as regras que prevaleceram sobre este mundo, desde muitíssimo tempo).

Lembrem-se de que a melhor maneira de viver isso será sempre a Humildade e a Simplicidade, mais do que nunca.

Tornem-se humildes, tornem-se muito pequenos e vocês irão encontrar o Espírito.

Isso significa também aceitar ver-se na face.

Lembrem-se de que não há que se julgar, isso lhes foi dito.

De que não há que se condenar.

De que não há que se culpar e ainda menos julgar, culpar ou condenar o que é exterior a vocês.

Há apenas que se alinhar, consigo mesmo, no Espírito, ou então afastar-se do Espírito.

Mas isso irá ocorrer pelo que é chamado de Co-criação Consciente, ou seja, ser-lhes-á feito, muito exatamente, segundo sua Vibração.

Eis o que os Anciãos me pediram, enquanto Melquizedeque da Terra, para transmitir-lhes, porque a Terra vive sua transformação final (vocês o sabem, mesmo se vocês não o aceitam ainda conscientemente).

Os elementos, os sinais, tudo o que acontece na superfície da Terra e nos sistemas sociais, quaisquer que sejam os países, são apenas as preliminares (desde o início deste ano) do que vai engrenar-se, agora a toda velocidade, para vocês e ao redor de vocês.

Então, se vocês quiserem, se não a Humildade, a Simplicidade e se estabelecerem em CRISTO.

Porque em CRISTO vocês jamais terão sede, e CRISTO (ou a Luz Branca) são todas as respostas que o Espírito aguarda e, evidentemente, que o corpo de desejo não quer, porque o corpo de desejo apenas pode viver através do desejo.

Se não há desejo, ele simplesmente não existe mais.

O CRISTO vem revelar-lhes isso, de maneira evidente, para cada um.

E lembrem-se de que seu corpo, sua Consciência é a sede [matriz] deste último face a face entre o corpo de desejo e o Corpo de Ressurreição ou Corpo de Estado de Ser.

Eis agora o que resta a cumprir e que se cumpre pela Inteligência da Luz, sem qualquer intervenção de sua parte e isso, sem que qualquer alma, sem que qualquer Irmão ou Irmã possa escapar a isso.

Foi-lhes relatado algo de inelutável, inexorável.

Isso é perfeitamente verdadeiro, mesmo se alguns, sobre esta Terra, fizeram tudo o que estava ao alcance deles para esconder-lhes isso.

Então, eu apenas posso dizer uma coisa e todo meu Amor os acompanhe para isso: Regozijem-se, porque a hora da Luz chegou.

Regozijem-se, porque o tempo é para a Liberdade e para a Autonomia, como diria IRMÃO K.

Regozijem-se, porque a hora do Coração chegou.

Cabe a vocês realizá-lo, na totalidade.

Permitam-me, antes de me retirar, viver, com vocês, um momento de Comunhão, no Amor, e também no elemento que é o meu, além desta Terra e que é chamado, entretanto, de Terra.
 
Eu digo-lhes até breve, com todo meu Amor.

... Efusão Vibratória ..
 
 
 
 
Áudio da Mensagem em Francês

Link para download: clique aqui
 
 
 
Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui
 
 
 
 
Mensagem de PHILIPPE DE LYON,
pelo site Autres Dimensions
em 25 de agosto de 2011
 
 
 
 
 
Rendo Graças às fontes deste texto:
Tradução: Zulma Peixinho
Áudio:http://mensagensdeamor.webpt.net
 
 
 
 
Related Posts with Thumbnails