domingo, 22 de maio de 2016

RESSURREIÇÃO XI - A FONTE - MAIO DE 2016

Rendo Graças ao autor desta imagem





A FONTE
MAIO DE 2016




RESSURREIÇÃO XI


Meu amigo, meu amado, você, que ressuscita dentre os mortos, você, que está vivo, onde quer que você o deseje, de um ponto ao outro, do Alfa ao Ômega, neste momento, vive-se o anúncio de meu Juramento e de minha Promessa.

Você e eu, e além de você e de mim, além de cada consciência, está a Vida portada pelo Amor, portada pelo jogo, portada pelo Absoluto.
No que você vive e no que você tem a viver, sua chama regenerada brilha em toda direção e em toda dimensão.

Você, que é liberado, deixe partir o que deve partir e deixe florir o sorriso da Vida, na qual nenhum limite pode manchar o brilho desse sorriso.

Você, que está vivendo, você, que se prepara para renascer nas moradas de Eternidade, eu o convido porque você me convidou, em sua sede de Verdade, em sua sede de Amor.
Permita-me reconhecê-lo, permita-me não julgá-lo e nada julgar.

Aí onde você se tem, eu me tenho.
Aí onde eu estou, você está.

Resta-lhe reconhecer-se, em definitivo, em toda vida.

Você, fonte de tudo, deixe desaparecer o que jamais realizou na Eternidade.

Meu amigo, meu amado, olhe, veja, ouça a Vida, Una e indissociável, Una em todas as coisas.
Deixe seu coração abrasar-se no impulso da Verdade, em meu impulso como em seu impulso.

Meu amigo, meu amado, deixe o vento colhê-lo, deixe o fogo elevá-lo, deixe a água fecundá-lo e deixe a terra ser a rocha de sua eternidade.

Venha a mim, como eu venho em você, no Éter de vida, em qualquer terra que você o deseje, porque tudo é doação e tudo é oferta.
Tudo isso é espontâneo.
Sem esforço, sem temor.

Você é o Amor, além de toda personificação, de todo limite e de toda dimensão.
Você é a fonte do Amor.
Todo o resto faz apenas passar e é apenas o jogo da liberdade, da liberdade de sua consciência.

Você é o Espírito, encarnado ou não; colocado em uma dimensão ou no Absoluto, não há qualquer diferença, não há qualquer distância.

Partilhemos, juntos, a Vida que não pode ser dividida ou separada, para sempre plena e inteira, para sempre perfeita.

Perceba que nada mais há a esperar do que você mesmo.
Veja a Criação e as criaturas em sua beleza original, em qualquer forma e em qualquer Presença que seja.
Você está vivendo.

Desapareça à sua pessoa e apareça na glória.
Acolha-se, celebre-se, a si mesmo, porque o mundo está em você e o mundo é você.

Você vê a plenitude da Vida?
Você vê a perfeição do instante?
No qual nenhuma sombra pode aparecer, no qual tudo já está consumado e perfeito.

Sacie-se de sua própria Presença.
Sacie-se em cada um, que não é outro que não você, sob outra forma e que está aí apenas para jogar o jogo da forma, que o conduz ao informe.
Não há outro ideal e, isso, não é um objetivo a atingir, a perseguir, a procurar, mas apenas a sê-lo, na totalidade.
Viva-o, há apenas isso.
Todo o resto passa, só isso permanece e é sua morada, é minha morada e é a morada de toda vida.

Perceba o perfume do Amor que magnifica os seus sentidos e toda dimensão.
Nutra-se até a saciedade.

Você, meu amigo, meu amado, onde quer que você esteja, eu já estou aí.
Onde quer que você vá, eu já terei chegado, antes de você, para você.

Não se mova mais, você é de toda a parte e por toda a parte ao mesmo tempo.
Não se mova, deixe-se animar nisso.

Acolha toda a vida e todos os perfumes.
Não se restrinja, não se limite.

Você, o amigo e o amado, aí está tudo o que lhe é preciso e que é necessário para não mais ser afetado por qualquer elemento de seu efêmero.
Encontre, nisso, todas as forças que lhe são úteis e necessárias.
Instale-se, você está em sua casa.

Esqueça-se de cada lágrima porque cada lágrima residual tornar-se-á o diamante de sua Presença.
Comungue à Vida.
Nunca mais você poderá perder o que quer que seja.
Nunca mais a perda poderá existir.
Ofereça-se a si mesmo.

O tempo é ao sacro e ao sagrado.
Seja indulgente consigo mesmo, como com aqueles que o oprimiram na ilusão desse mundo.
Perdoe e ame, porque o amor é o único recurso.
Ao amar, você dissipa e queima tudo o que pode restar de ilusão.

Silêncio e Verbo misturam-se.
Você é eu e eu sou você.
Você é cada um, porque cada um é amado.
Porque, sem Amor, nenhuma vida é possível, mesmo no confinamento.
Porque, sem Amor, não há perfume, não há consciência.

Eu tudo disse a você, eu tudo mostrei a você, então, viva.

A Terra na qual você coloca seus passos, liberada, é entregue, agora, e junta-se, ela também, à sua morada de Eternidade.

Escute o Verbo de meu Silêncio, ele tudo disse a você e ele canta em você.
Cante o Amor, porque não há qualquer outra melodia possível.
Todo o resto é apenas jogo, todo o resto faz apenas passar.
Você, que jamais nasceu e que, no entanto, renasce, saiba que você não pôde morrer.

Assim, a língua de Fogo do Espírito está aí.
Assim é sua liberdade.

Em todas as coisas, em toda experiência, em todo passo que lhe resta a realizar, o Amor está aí, o que quer que você diga, o que quer que você pense, o que quer que você veja.
Você vê isso?
Porque nenhum freio e nenhum obstáculo pode limitar isso.

Escute o Verbo do Silêncio, no qual todo Amor nasceu e no qual todo Amor não morre, jamais, porque todo nascimento faz apenas refletir a beleza da Eternidade.

Venha a mim, vá para cada um, mesmo sem mover-se, mesmo sem olhar, e, sobretudo, sem esforço.
Deixe ser, isso basta.
Não há outra ação, não há outro estado que não ser Amor.

Você recuperou o que não podia ser perdido, porque jamais você pôde perdê-lo, mesmo se você acreditou nisso.

Abrace-se comigo no Fogo Ígneo do Espírito, no Fogo vibral como no fogo vital.
Aí está a resolução de toda equação e de todo jogo.

Ame, ame.
Você é isso, e vá para onde quiser, porque tudo é possível.

No coração de Cristo, no coração de cada um, há o mesmo Cristo e o mesmo mundo, assim como a infinidade de mundos.
Você é infinito e, mesmo, indefinido.
Você é o Alfa e o Ômega e mesmo antes do Alfa e mesmo após o Ômega.
Viva isso.
Essa não é, unicamente, sua herança, nem, mesmo, seu futuro, é a única verdade.

Você, o amigo e o amado, você é vasto.
Tão vasto que nada pode ser contado nem descontado.

Eu nada mais tenho a dizer-lhe, porque, doravante, eu falo em você a cada pulsação de seu coração e, mesmo, entre cada pulsação.

… Silêncio…

Meu amigo, meu amado, você, o fogo vivo.
Você, que é a água e o receptáculo eterno de toda vida.
Você, que é todas as minhas terras e todos os meus ventos e todos os meus éteres.

… Silêncio…

Eu me calo agora, porque eu não cessarei, jamais, de falar-lhe, em sua intimidade, para sustentá-lo no Apelo da Criadora.

Eu lhe digo até sempre, na Eternidade.
Eu lhe digo até sempre, no efêmero de sua forma também.
Eu o beijo com o beijo do Fogo do Éter como do Fogo do Espírito.
Meu amigo, meu amado, meu amor.

Até sempre.



NOTA: Essa canalização é extraída de um conjunto de canalizações
que acompanharão nossa ressurreição nesse mês de maio.




Mensagem d'A FONTE
Maio de 2016





Agradecimento especial:
Traduzido para o Português por Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails