terça-feira, 17 de maio de 2016

RESSURREIÇÃO V (QUESTÕES) - O.M.AÏVANHOV - MAIO DE 2016

Rendo Graças ao autor desta imagem





O.M.AÏVANHOV 2
MAIO DE 2016




RESSURREIÇÃO V
(QUESTÕES)


Bem, caros amigos, vamos poder, agora, tentar responder às suas questões porque, como sempre, suas questões não são suas questões, elas correspondem, certamente, a múltiplas interrogações de nossos irmãos e irmãs um pouco por toda a parte sobre a Terra.

Então vamos, primeiro, escutar as questões que você vai retransmitir-me agora.

Questão: a fusão do masculino sagrado e do feminino sagrado é a última fase da Alquimia?

Então, sim, é a última fase é claro.
Essa última fase da Alquimia, tal como foi descrito por Nicolas Flamel, corresponde à fusão, de algum modo, ou a substituição do fogo vital pelo Fogo vibral, o que dá nascimento a um terceiro termo, que é o Fogo Ígneo, ou seja, o Fogo do Espírito.
Alguns de vocês vivem esse Fogo do Espírito individualmente, que corresponde ao que eu havia nomeado o planeta grelha final, ou seja, após o Apelo de Maria.
É exatamente isso que alguns de vocês começam a viver.
Vocês vão reduzir-se a cinzas, a combustão espontânea, vocês conhecem?
Não, eu estou brincando, hein?, é claro.
Mas isso faz o mesmo efeito.
É isso, aliás, que corresponde, também, ao que eu havia explicado há pouco, em relação ao sentimento de vacilar, de não estar autoconfiante e, também, de variações térmicas, sobretudo, ou de dores que aparecem pontualmente, e que desaparecem, também, rapidamente.
Esse é o mesmo processo de alquimia que os conduz ao Fogo Ígneo, ou seja, ao batismo total do Espírito e à revelação final do Espírito, portanto, do que vocês são.

É claro, é a última etapa.
Aliás, tudo o que eu disse antes, concernente a este período do mês de maio, corresponde a isso.
Não há outra etapa.
Agora, é preciso esperar os eventos coletivos, é tudo, vivendo o que há a viver durante este mês de maio.
É, de algum modo, a última purificação, se se pode chamar isso assim.

Questão: essa fusão favorece as ascensões individuais?

Para aqueles que devem ascensionar, sim, quer seja com o corpo ou sem o corpo.
Mas eu os lembro de que, já há algum tempo, vocês estão a cavalo na quinta dimensão, enquanto a terceira dimensão persiste, de momento.
Porque, na terceira dimensão dissociada estrita, vocês jamais teriam podido – exceto a título excepcional, para alguns seres – estabelecer comunicações cada vez mais facilitadas, eu diria, com os elfos, os dragões ou os outros povos elementares, tal como isso se produz, já, há um ano, para alguns de vocês.
Portanto, há uma maior facilidade de comunicação, e eu os lembro, também, de que, tanto os elfos como os dragões são ajudas na relação de amor, mas são, também, lugares específicos, sobretudo, ao nível dos elfos, que são, para a maior parte, lugares de trânsito, se posso dizer, de irmãos e irmãs que se deslocarão nos Círculos de Fogo, por exemplo, entre outros.

Portanto, essa etapa é a última etapa.
O masculino sagrado é a emergência da Luz na encarnação.

Questão: aqui, em abril, várias mulheres caíram.
Há uma ligação com o masculino sagrado?

Oh, eu penso que isso deve ser a beleza dos intervenientes, certamente.
Elas caíram em êxtase ou elas perderam o equilíbrio?

Questão: elas perderam o equilíbrio.

Elas tiveram uma queda.
Isso antecipou, efetivamente, o que eu lhes disse em relação ao mês de maio, mas eu já havia falado das variações térmicas, há alguns meses.
Simplesmente, agora, isso toma uma importância exacerbada, o que lhes dá arrepios de frio ou suores terríveis, e similar para o fato de cair ou de ter pseudo-vertigens.
Isso é ligado ao masculino sagrado e à fase alquímica final da fusão do fogo vital e do Fogo vibral, que assume sobre o fogo vital e que deixa aparecer o Fogo Ígneo do corpo de Existência, ou seja, o tetrakihexaedro que está em seu peito, que é seu corpo de Existência, em todas as dimensões, aliás.

Questão: a que corresponde a primeira dimensão?

Então, há numerosos anos, eu havia falado dos planos dimensionais, dizendo-lhes – resumindo, é claro, eu não vou retomar isso – que havia dimensões nas quais a vida era manifestada: a terceira, a quinta, a nona, a décima primeira, a décima oitava, a vigésima primeira, a vigésima quarta e, enfim, da trigésima primeira à trigésima terceira.
Os outros planos são nomeados planos interdimensionais.
A priori, não são lugares nos quais a vida possa ser aparente, são, de algum modo, os mecanismos das dimensões que estão acima ou abaixo, que são aparentes nesse nível.
Como vocês sabem, na terceira dimensão dissociada, os Arcontes conseguiram infiltrar-se e estabilizar a consciência deles em uma dimensão intermediária, que é a quarta dimensão, que corresponde ao que havia sido nomeado de linhas de predação e sistemas de controle do mental humano, ou seja, toda a organização invisível que mantém confinada, na Terra, a consciência humana – do mesmo modo que há camadas isolantes, que eu havia nomeado de heliosfera, magnetosfera e ionosfera.

Portanto, os planos dimensionais são planos de manifestação da Criação livre, quer seja a terceira unificada, a quinta, a nona, a décima primeira etc., que são específicos de alguns residentes que se sentem mais à vontade, eu diria, nessas dimensões, mesmo sendo multidimensionais.
Por exemplo, os Elohim, os famosos deuses criadores, que vêm da décima primeira dimensão.
As Mães geneticistas de Sírius vêm da décima oitava dimensão.
No limite do antropomorfismo, eu havia explicado que havia os gênios, que são prefiguradores das formas – é a Civilização dos Triângulos – que se têm além do antropomorfismo, ou seja, na vigésima quarta dimensão.
Da trigésima primeira à trigésima terceira vocês chegam à Fonte.
Portanto, poder-se-ia dizer que a primeira dimensão é a mais afastada, o que não é verdade porque, após a terceira dimensão, vocês voltam ao zero, o Absoluto, e, após o um, ou seja, a Fonte.
É o ponto que está presente em todos os pontos, em todos os espaços e em todos os tempos.
A dimensão um não é uma dimensão de vida, é uma dimensão de emanação de vida, que corresponde à Fonte – embora a Fonte, como vocês sabem, ao nível de Alcyone, esteja situada na trigésima terceira dimensão.

Foi-lhes explicado, também, que a Fonte tinha a liberdade de sintetizar um corpo ao nível desse mundo, que era perecível, muito mais rapidamente do que um corpo humano, porque ele precisava encaixar a dualidade.
Há um místico muito conhecido no início do século XX que era a Fonte, e que pôde manter um veículo físico durante cerca de vinte anos, menos do que vinte anos, uns quinze anos.
A primeira dimensão, é aí que estão alojados todos os pontos de emergência de consciência em criação e em criatividade, mas essa não é uma dimensão na qual vocês podem falar de eixos, por exemplo.
É a Fonte que é onipresente.
Não há consciências individualizadas, é o ponto de emergência da consciência, em qualquer dimensão que seja.

Lembrem-se de que, para as necessidades pedagógicas e didáticas, nós separamos essas dimensões de modo a tentar fazê-los apreender, antes de vivê-las, como era agenciada a arquitetura dos mundos.
A primeira dimensão é aquela que é a mais próxima da Fonte e do Absoluto, ou seja, da dimensão Zero e da dimensão Trinta e Três, com todo o Coro dos Anjos, os Espíritos Solares, aquele desse Sol e os outros, os Espíritos Crísticos que se têm em torno do Trono, se querem.
Há, também, os Querubins, os Serafins etc., todas as hierarquias que estão acima dos Arcanjos.

Continuemos.

Questão: você pode desenvolver sobre as Águas do Mistério, e qual é a relação com o Último?

Então, as Águas do Mistério são o que são nomeadas as Águas do alto, a Água lustral, a Água do Batismo.
O que nós chamamos, de nosso ponto de vista, essa Água do Batismo, porque é plástica, isso desce como a água que se deixa fluir, mas é o Fogo, é claro.
A Água do Mistério, a Água lustral, as Águas do alto, como se diz, nas primeiras frases da Bíblia, da Gênese, antes que fosse falsificada, é, verdadeiramente, isso, é o Espírito da Fonte que penetra e que se infusiona a partir do alto e de baixo, a partir da trigésima terceira dimensão até a primeira dimensão, em toda forma de manifestação de consciência, mesmo aqui, na Terra.

Portanto, as Águas do Mistério são as águas escondidas nesse mundo, que eram invisíveis, que eram não perceptíveis, que são ligadas, de uma maneira direta, ao Elemento Água, ou seja, à Estrela IS, que está acima da orelha direita.
E essas Águas do Mistério são as águas fecundantes.
É esse Fogo Ígneo, tal como foi nomeado por Nicolas Flamel, que é a energia e o princípio de vida e de manifestação de vida, em acordo com a lei de Um, em qualquer dimensão que seja.

Vocês têm sido, vocês, como eu, quando estive encarnado nessa Terra, nós temos sido privados das Águas do alto, das Águas do Mistério.
É a ruptura com o Espírito que tomou fim, eu os lembro, na Liberação da Terra, no momento em que a Onda de Vida apareceu, no início do ano 2012.
Falando desse ano 2012, aliás, após a liberação, eu os lembro de que eu havia dito, há dois meses eu creio, de contar os meses entre 2012, ou a Liberação da Terra, no mês de fevereiro, ou o prazo de dezembro de 2012, até hoje, e vocês vão reencontrar os tempos que foram dados, tanto pelo bem amado João como pelo profeta Daniel: os dois tempos, um tempo, a metade de um tempo.
Conforme vocês falem de fevereiro ou dezembro, vocês aterrissam entre maio e novembro deste ano, se vocês sabem contar.
Que é o tempo do reino de Anticristo, tal como foi escrito no Apocalipse de São João, em seu sentido literal e não em seu sentido vibral.

A questão era o quê, em relação a isso?
Você pode repetir a questão?

Questão: você pode desenvolver sobre as Águas do Mistério e qual é a relação com o Último?

A água é o suporte de vida, isso é conhecido por seus cientistas.
Ora, a água é constituída, vocês sabem, se fizeram estudos de química no liceu, é constituída de dois gases extremamente explosivos: o hidrogênio e o oxigênio.
Portanto, dois gases, é o ar, que, reunidos, dão a água.
É a alquimia elementar, mesmo ao nível sutil, mesmo ao nível das dimensões bem além dessa Terra, portanto, bem além dos mundos carbonados.

Portanto, a Água lustral, o batismo do Espírito é o retorno do Espírito do Sol, é a revelação dos povos elementares da Terra, a diminuição de suas camadas isolantes entre o efêmero e o Eterno que estão em sobreposição agora.
E o batismo do Espírito é para breve, para aqueles que não estão, ainda, liberados.
Não é mais a irradiação da Fonte, a irradiação solar e a irradiação de Sírius, a tripla irradiação das Núpcias Celestes, é a irradiação do batismo de Fogo do Espírito.
É o que é nomeado, eu creio, o Pentecostes.
O Pentecostes é o batismo do Espírito Santo, não é?, ou do Santo Espírito, dito na Igreja católica.
É o momento no qual a língua de Fogo vem consumir sua alma e cria a Liberação.
E isso se verá, aliás, para aqueles que são clarividentes, o que vocês veem, aliás, em um ser que é liberado, é uma pequena chama, como uma verdadeira chama de gás, que está acima da cabeça.
É a consumação da Merkabah Interdimensional, por intermédio da Lemniscatasagrada.
E isso apenas pode ser feito se o batismo do Espírito ocorreu.

O batismo do Espírito ocorreu, para os primeiros de vocês, em 2012, com a subida da Onda de Vida, que liberou as linhas de predação dos dois primeiros chacras, enquanto, agora, como nós temos dito, é independente dos aspectos vibrais, mas isso corresponde ao batismo do Espírito, que vai acontecer, diretamente, no momento do planeta grelha, e já, também, para alguns de vocês, quando do Apelo de Maria, que vai penetrar pelo ponto central ER, aqui, e que vai consumir, desta vez, real e concretamente, o corpo efêmero.
É por isso que eu falei de combustão espontânea.

E se você não está em seu corpo e está no astral, é claro, você não poderá viver a consumação do corpo.
O que é importante não é que o corpo consuma-se e retorne ao pó, é que a consciência desperte, definitivamente, e não seja mais atraída pelo mundo denso não livre, uma vez que nós dissemos que toda a humanidade era liberada, mesmo sem ascensionar.
Eu repito: jamais foi dito que haveria uma Ascensão coletiva, a Ascensão é um processo individual.
Esse processo individual, quando da reunião de algumas Merkabahinterdimensionais, será um veículo para alguns irmãos e irmãs, mas isso não concerne ao conjunto da humanidade, é claro.

Portanto, o Fogo Ígneo – e a Água lustral, é a mesma coisa – é o batismo do Espírito, e chama-se «Água» porque, realmente, a partir das outras dimensões, é uma Água, que se comporta como um Fogo.
O fogo, na Terra, é um fogo que se libera em um gás, no ar.
Nas outras dimensões, o fogo é portado pela Água, o que é normal e lógico.

O batismo do Fogo, é claro, ao nível dinâmico, corresponde a várias coisas que haviam sido explicadas, eu creio, há numerosos anos, por Sereti, o Guia azul de Sírius, e por Ramatan, do Intraterra, à época em que eles estavam aí.
São todos esses processos que vocês poderão reencontrar, nós não vamos voltar a isso, eu dou apenas elementos de identificação.

Nós podemos continuar.

Questão: o que significam as palavras de Jesus, quando Ele disse que todas as espécies de pecados seriam perdoadas aos homens, exceto o pecado contra o Espírito, nem nesse sistema, nem naquele a vir?

Então, o pecado contra o Espírito – não há pecado mortal, hein?, isso foi a Igreja católica que inventou, o estado de pecado mortal – há um crime que é terrível, é o crime, efetivamente, contra o Espírito, ou seja, o que fizeram os Arcontes, que é cortar o Espírito nas consciências, em sua manifestação nesse plano carbonado, que resulta, se querem, da passagem da embarcação metálica que se chamava, também, Hercobulus, mas que não era Hercobulus, a embarcação de sucata dos Arcontes, que foi banido pela emissão de Luz, em 15 de agosto de 2009, que veio de Betelgeuse – que é, eu os lembro, o lugar no qual viviam os Gigantes, no qual eles continuam a viver, aliás, na dimensão deles.

Portanto, o crime contra o Espírito é suprimir o Espírito.
Quando se diz que é mortal, isso quer dizer o quê?
Nenhuma consciência pode ser destruída, isso não existe.
O que é destruído são os corpos de manifestação da consciência, não é a mesma coisa.
Nenhuma consciência pode ser destruída, mesmo ao estabelecer-se, de maneira definitiva, no Absoluto que é, eu os lembro, de seu ponto de vista, a a-consciência.
Mas, jamais, as memórias espirituais – e não as memórias cármicas, é claro – as memórias da experiência da consciência podem desaparecer.
Portanto, isso quer dizer o quê?
Isso quer dizer que os maus rapazes, redimidos ou não, irão, também, por sua vez, liberar os mundos, isso é bem feito para eles.
Não há razão para que o sacrifício faça-se, unicamente, pelos Elohim ou pelos Mestres geneticistas de Sírius, não é?

É preciso reparar os erros, para que todos os multiversos sejam liberados para cantar a glória da Vida e da consciência.

Portanto, o crime contra o Espírito, o pecado mortal, é cortar o Espírito das outras consciências.
Mas, é claro, tudo o que pertence à humanidade, as raivas, a avidez, o orgulho, o crime, não tocam a consciência, tocam a alma e o corpo; a consciência, a supraconsciência não conhece isso.
O verdadeiro crime é cortar o Espírito.
Ele não será perdoado porque será preciso, aliás, que esses seres, sob a forma humana ou não, aliás, perdoem-se a si mesmos primeiro, e, depois, servirão a nós, como nos servem, aliás, alguns Dracos ditos redimidos ou que jamais foram falsificados, que trabalham, é claro, também, conosco, na liberação dos mundos.
Mas, é claro, não vamos deixá-los falar com um Arconte, mesmo que jamais tenha sido falsificado, porque há, de qualquer forma, uma ressonância vibral, vibratória, portanto, desta vez, que é um pouco..., que arriscaria chocá-los, se posso dizer.
Há uma marca do confinamento, que foi nomeada, incorretamente, «a queda», que está presente em vocês, do mesmo modo que há, em cada um dos irmãos e das irmãs encarnados, o DNA de Maria, é claro, é por isso que todo mundo vai reconhecê-la, como foi dito.

Mas há, também, o DNA reptiliano.
Portanto, é melhor pôr-se em contato com as egrégoras ou as correntes de criatividade ligadas a Sírius ao invés de ligadas à Ursa Maior.
Porque vocês arriscariam sentir não a predação, mas um horror terrível em seu cérebro arcaico, que os remeteriam às primeiras predações vividas nesse mundo; não vale a pena despertar esse gênero de coisas.
Eu lembro, contudo, que o que nós nomeamos os dragões, ao nível dos povos elementares, apresentam apenas um muito distante parentesco com os Arcontes que são os administradores dos mundos, quando eles não fazem bobagens.
Mas, bem, é preciso relativizar, também, porque essas bobagens, como dissemos, foram, de qualquer forma, autorizadas, se posso dizer, como experiências de vida, pela Fonte e pelos diferentes Conclaves Arcangélicos, no início.
E vocês sabem, é como em todo contrato, é preciso, sempre, ler as letras miúdas.

A criação de mundos, a criação de uma experiência de vida não se faz assim.
Há várias competências que há a reunir entre as consciências que jogam na criação dos mundos.
É preciso uma organização, é preciso um impulso, é preciso o que nós nomeamos um DNA, em todas as dimensões.
É preciso um agenciamento específico dos Triângulos elementares do corpo de Existência para dar uma determinada forma, adaptada aos lugares de manifestação.
Então, os Mestres geneticistas são os criadores e os administradores dos mundos, para respeitar, justamente, a unicidade dos mundos, são, é claro, os Arcontes, os Dracos.

Mas isso teve tal pressa, os Arcontes, na revelação há trinta anos, que eu suponho que, mesmo um Liberado Vivo entre vocês, mesmo se ele seja indiferente aos Arcontes – mesmo não falsificados – arriscaria ficar um pouco abalado pela forma deles, sua representação e suas vibrações.
Porque são vibrações feitas para administrar, não para criar, ou seja, para agenciar os mundos.
São agenciadores de mundo, assim como a Civilização dos Triângulos.

Não há muitas questões em relação ao mês de maio, hein?...
Mas bem, continuemos nisso.

Questão: Sri Aurobindo disse: «Vocês e nós, os dignos filhos da Fonte, Fonte, nós mesmos, nós estamos juntos no mesmo Face a Face».
Você pode desenvolver?

Então, aí, você não vai deixar-me desenvolver as coisas que disse Sri Aurobindo.
Então, repita, vamos tentar dar mais informações, mas você verá isso com ele, hein?

Questão: «Vocês e nós, os dignos filhos da Fonte, Fonte, nós mesmos, nós estamos juntos no mesmo Face a Face».

Aí eu compreendi, hein?, e o que é que ele quis dizer com isso?
Ele não quis dizer outra coisa do que ele disse.
Ele disse, simplesmente, que não há diferença entre vocês e nós, uma vez que nós estamos no interior de vocês.
A Luz desce, são as irradiações aparentes, visíveis, mensuráveis do Sol, de Alcyone e de Sírius, desde 84, 1984, não é?
Depois, há uma conscientização, uma aproximação dos planos, até o que vocês observam por si mesmos, ou fazem a experiência, que tudo se desenrola no interior, concorda?
Portanto, o Face a Face que vocês vivem, e o sozinho que vocês vivem, concerne a todo mundo.
Eu os lembro, de qualquer forma, de que nós, anciões, no momento de nossa morte física, fomos, como dizer..., informados de uma missão, no momento de nossa morte, e nós fomos colocados em um espaço fechado, que nós chamamos nossas embarcações, para esse período.
Bem, há alguns que conseguiram escapar, como Bidi, não é?, mas isso vocês sabem também, hein?

Portanto, nós tivemos um papel, naquele momento e, portanto, nós também, mesmo se somos liberados em nosso corpo de Eternidade original, onde nós estamos nós esperamos, também, sua Liberação final coletiva.
Lembrem-se do que havia sido dito, já, por Ramatan: a partir do instante em que vocês põem um dedo nesse universo falsificado, vocês ficam presos na armadilha.
É isso «a queda», é uma falsa queda, não é?
E, para os Criadores, é a mesma coisa.
Os Mestres geneticistas de Sírius, ou os Elohim, também, que intervêm, foram obrigados a sacrificar-se, em sua própria criação que foi confinada.
Quando você cria algo, você o acompanha até o final, se você é um criador.
É similar, hoje, quando você cria uma obra de arte, da música ou outra,
É sua assinatura, é seu bebê.
Ao nível dos mundos, é a mesma coisa.

Portanto, por exemplo, antes da falsificação da Terra, nos tempos muito remotos, há numerosas civilizações não humanas que passaram sobre a Terra, das quais vocês começam a reencontrar os traços, sem, mesmo, falar dos Nefilim ou dosElohim.
Há outros povos, não humanos, que pisaram a Terra dessa Urântia-Gaia, como se chama, de Urace.
Se quiser, foram consciências livres que experimentaram mundos carbonados em toda liberdade.
Ora, quando você cria alguma coisa, você acompanha essa criação, mas você a acompanha na liberdade, o que não foi mais o caso quando os Arcontes voltaram a fechar o espaço-tempo nesse Sistema Solar como nos outros.

Portanto, houve uma armadilha.
E, assim que você desce, mesmo dos planos angélicos, mesmo a partir de sua origem estelar, mesmo a mais nobre possível, assim que você põe os pés na encarnação nesse mundo, você fica preso na armadilha.
A única entidade, se posso dizer, não é uma entidade, mas a única forma, a única consciência que pode tomar uma forma é a Fonte, e, é claro, Cristo.
Todas as outras, quer seja, mesmo, entre nós, os Anciões ou os maiores místicos em todas as correntes tradicionais da Terra, tiveram que fazer esforços para reencontrar a liberdade.
É muito raro, por exemplo, que, como alguns Melquisedeques, nós temos a revelação da Luz e do Amor em nossa jovem idade.
Olhe, eu vivi a minha realização, uma vez que vocês a nomeiam assim, eu era muito jovem, mas era após os quatorze anos.
Eu tinha, eu creio, dezessete anos e meio, dezoito anos.
E eu vivi três experiências – há apenas uma que foi relatada – com o Sol; as outras, eu as guardei e eu as guardarei.

Mas, em todo caso, uma vez que o corpo mental esteja formado, aos quatorze anos, a estrutura causal torna-se impermeável.
É preciso «trabalhar», como eu dizia em minha vida, para aceder ao coração, para liberar-se do ego.
A grande diferença é que, a partir de 1984, vocês têm se beneficiado de um afluxo de Luz descendente, e era muito mais fácil deixar descer a Luz do que fazer o trabalho de purificação a partir de baixo, porque havia riscos, riscos de predação em todos os níveis.

Então, vocês veem, tudo isso é o que vocês têm a viver agora, durante este mês de maio, se não foi vivido antes ou, em todo caso, se vocês o viveram antes, com uma acuidade muito grande.

Era essa a questão?

Questão: a questão era: «Vocês e nós, os dignos filhos da Fonte, Fonte, nós mesmos, nós estamos juntos no mesmo Face a Face».

Então, estamos, para alguns de nós, olhe, por exemplo, Li Shen.
Li Shen, sua última vida foi há alguns séculos, em duração humana.
Então, você pode imaginar que o único modo de viver isso foi permanecer em silêncio, durante todo esse tempo.
É por isso que ele fez voto de silêncio e veio falar muito poucas vezes.
Em seguida, a maior parte dos Melquisedeques que se tornaram Melquisedeques ou que o foram antes, foi encarnada no início do século XX, e nós todos deixamos esse plano, o mais tardar, nos anos 85-90, não é?
Portanto, nós tivemos, na relatividade na qual estamos – ou seja, liberados, é claro, e livres, mas inscritos em uma estrutura falsificada – assim como os elfos, os dragões, representam bolsas de invaginação ou de proteção da quinta dimensão na Terra, assim como os povos intraterrestres foram os guardiões do núcleo cristalino da Terra.

Portanto, nós também viveremos – e esperamos com felicidade – o planeta grelha final, para passar o testemunho a alguns, aqueles que o querem ou aqueles que decidiram por si mesmos.
Apenas a Fonte é capaz de criar um corpo de síntese diretamente no meio humano.
Não é a mesma coisa nas bolsas de invaginação multidimensionais dos elfos, dos dragões.
Mesmo as ondinas não têm isso, porque elas estão na água, diretamente.
Portanto, a água manteve, de algum modo, mesmo se seja privado do Espírito, esse componente de quinta dimensão ligado ao Fogo do Éter e, portanto, ao Éter e, portanto, à Criação, no sentido o mais nobre, ligada à Água lustral e aos Mestres geneticistas de Sírius.

Questão: você disse que Jesus foi morto na cruz, e muitos pensam que ele foi reanimado...

Então, aí, vocês pensem o que quiserem.
Há tantas coisas que saem na New Age que é patético, eu diria.
Cristo, verdadeiramente, morreu na cruz, e Ele, verdadeiramente, ressuscitou no terceiro dia.
Ele não é o único, aliás.
Há Enoque, há Elias, e mais próximos de vocês, há, também, seres que viveram isso.
Ele havia dito, aliás: «Destruam esse templo, e eu o reconstruirei em três dias.».
Portanto, dizer que Ele foi reanimado e cuidado em sua caverna por José de Arimateia é uma heresia; isso são escritos New Age.
Tudo o que trata de Maria Madalena e tudo isso hoje é amplamente poluído.
O único mérito da Igreja católica, romana ou ortodoxa, é..., bem, eles cometeram um crime contra o Espírito, também, aliás, quando suprimiram o Espírito no início do cristianismo, no século V.
Mas voltemos ao nosso Cristo.
É o sacrifício de Cristo na cruz, o golpe de lança que foi dado em Seu fígado que liberou o sangue que veio semear a Terra e que mudou as coisas.
Portanto, dizer que Cristo não morreu na cruz...
Ele, realmente, morreu, e, realmente, ressuscitou, como Enoque e como Elias.

Aliás, se você tivesse vivido a vida de Cristo ou a Paixão de Cristo, saberia que não foi besteira, Sua morte.
Portanto, aí é, eu o coloco, são, ainda, crenças, são coisas que foram lidas, às quais você adere, mas o único modo de saber a verdade é viver a vida de Cristo, tornar-se, você mesmo, um Cristo e, talvez, ...
Agora é um pouco tarde, hein?, estamos no mês de maio, mas, para aqueles que viveram, eu diria, o caminho de cruz de Cristo, a crucificação, há muitos místicos que viveram isso, e vocês acreditam que eles teriam tido fenômenos místicos tais como eles estão presentes, se eles tivessem inventado histórias?
Jamais se viu um Arconte que tenha óleos santos nas mãos ou que manifeste carismas, hein?, isso não existe.

Aliás, no caminho de Emaús é, efetivamente, aí que Ele disse àqueles que o reencontraram para não tocá-Lo, porque Ele não havia, ainda, se juntado ao Seu Pai.
Quando vocês estão em seu corpo de Eternidade, eu os lembro de que o corpo de Existência, que se sobrepõe em vocês, que vocês vivem, alguns, no momento em que houver o Apelo de Maria ou mais tarde, no momento do planeta grelha final, vocês estarão no mesmo estado, e aquele que tentar tocá-los será consumido, instantaneamente, durante os cento e trinta e dois dias, se ele mesmo não estiver desperto ao nível do Espírito.

Esse Fogo é, realmente, ligado ao que foi chamado, eu creio, de combustão espontânea.
Os níveis, se quisermos falar de níveis vibratórios ou de energia, são incomensuráveis.
Vocês estão além do que chamam, na Terra, de irradiações gama.
Vocês estão nas irradiações dos buracos negros, estão nas partículas elementares que estão além dos quarks, portanto, vocês podem imaginar que isso não faz uma boa combinação – já, as irradiações gama – com as estruturas carbonadas.

Portanto, agora, você acredite no que quiser.
Mas o que eu posso convidá-lo a fazer é viver a Paixão de Cristo, e você verá, por si mesmo.
Depois, todo o resto são romances, hein?
Há, mesmo, os que dizem, hoje, que o Cristo histórico jamais existiu, ou que houve vários deles, naquele momento.
Mas vá perguntar a todos esses místicos que viveram a Paixão de Cristo, quer sejam homens ou mulheres, que tiveram os estigmas, se isso era o cinema.

Se não tivesse havido o sacrifício de Cristo, se o sangue de Cristo não tivesse sido semeado na Terra, a egrégora da humanidade – em todo caso, nesse plano de liberação há cinquenta mil anos – não teria, jamais, podido realizar-se, apesar da intervenção da Fonte e dos Nefilim que expulsaram, a partir de Betelgeuse, por um raio de Luz, a embarcação metálica dos Arcontes.
Apesar disso, vocês teriam vivido, novamente, um novo ciclo de confinamento, mesmo se a embarcação não tivesse voltado a fechar o ciclo espaço-temporal.
Felizmente, houve Cristo e Seu sacrifício, para dar esse impulso ao Amor incondicional.

A questão era o quê, em relação a Cristo?
Respondemos, eu creio.

Questão: se ele havia sido reanimado..,

Não é uma reanimação.
Vocês têm crenças engraçadas, de qualquer forma.
Esse é um exemplo típico de coisas que foram lidas e acreditadas.
Mas vocês podem acreditar em tudo o que quiserem, hein?, isso não os liberará, jamais.
Não é a crença que os libera, é, justamente, a ausência de crenças.
Porque, quando há crença, vocês se congelam.
E vocês o experimentaram, mesmo entre os despertos, quando nada aconteceu de exterior no final do ano de 2012.
Não se congele em nada, permaneça novo, a cada minuto, e disponível.
É o que eu expliquei para o mês de maio; aparentemente, isso não começou em alguns.
Mas bem, restam trinta dias, hein?

Então, nós continuamos.

Questão: você disse que inúmeras revelações seriam feitas em maio, a toda a humanidade.
O que será?

Bah, vocês o veem em seus jornais todos os dias.
Eu falo tanto de revelações, de artimanhas dos fantoches ou dos maus rapazes como as revelações do que lhes estava escondido no céu.
Tudo isso vocês o veem a cada dia.
E em vocês também.
Isso quer dizer que vocês terão revelações em si mesmos.
Por exemplo, você pensava ser assim com tal pessoa, e vai aperceber-se de que sua visão estava distorcida, que você pensava ser gentil e era mau, ou que era mau e que, de fato, era gentil.
Tudo isso vai explodir-lhe na cara, você nada mais pode esconder.

Antes, como eu dizia, havia as nádegas entre duas cadeiras para a consciência, havia, também, os pós que se colocava sob o tapete.
Lembrem-se: um dia, retirou-se o tapete, portanto, os pós começaram a ser vistos.
Agora, são os últimos ajustes, você deve perdoar-se a si mesmo.
Não há Graça sem perdão, porque perdoar é viver, si mesmo, na paz; não é perdoar ao outro para fazer o bem a ele, ao outro, é, já, para você viver em paz.
Porque você sabe que há laços.
Por mais que você seja liberado, mesmo vivo, mas você criou, nessa vida e em todas as vidas, laços.
Você é liberado, portanto, libertado do carma, mas se vocês têm, entre vocês e ao seu redor, irmãos e irmãs que não são liberados...
Imagine: você é liberado e tem seu pai, por exemplo, que é um materialista louco, que quer manter o laço, você vai recusar a ele seu perdão?
Como ele vai fazer?
Se quiser, no momento da Passagem, quer seja o Apelo de Maria ou o planeta grelha final, você deve perdoar a esses seres, porque eles são você mesmo.
Se você não o faz, você cria uma separação no momento em que não há mais separações.

Portanto, esse trabalho, você o faz não para você, você o faz não para seu Si, você o faz não para seu ser divino liberado que você é.
Está onde o sentido do serviço, de outro modo?
Se você não faz isso, há armadilhas: você arrisca fechar-se em seu casulo de Luz e não ser liberado, devido à monopolização da Luz.
A Luz é feita para circular, você é feito para dar-se e tudo dar.
Eu não falo de sua carteira, eu falo de sua consciência.
Caso contrário, como você quer ser livre, se há uma distância entre você e, mesmo, o diabo?
Isso não quer dizer que o diabo esteja em você, isso quer dizer, simplesmente, que sua capacidade de Amor e seu estado de Amor faz desaparecer tudo isso.

Você vê, é muito importante.
Portanto, hoje, se a vida faz ressurgir à sua consciência coisas antigas, quer sejam emoções, como eu disse, quer sejam cicatrizes memoriais porque, se você se sente pesado, se você sente, ainda, ligado a algo e não consegue, espontaneamente, deixar esse Amor irradiar no passado ou nas relações, você terá pequenos problemas no momento da Liberação.
Portanto, existe, agora, esse processo (*) que vem dos povos delfinoides do Intraterra, que é perfeitamente acessível e extremamente eficaz, que passa por gestos simples e que permitem agir nas pessoas, justamente, com as quais há, ainda, coisas a liberar.
Mas não se pode agir sobre si mesmo, é preciso que haja outra pessoa que aja sobre você, hein?

Voltemos ao assunto.
Portanto, o perdão deve ser total.
Quaisquer que sejam os sofrimentos, você não é seus sofrimentos, mesmo se eles tenham sido reais.
O Amor não conhece o sofrimento, portanto, você não pode levar seus sofrimentos.
Você vê o que eu quero dizer.
Portanto, é muito importante, hoje, através do masculino sagrado – do que foi dito e que eu repito, em parte, hoje – estar nesse estado de perdão e de Graça, caso contrário, como você quer viver a Graça?
Como você quer ser livre, mesmo se é liberado, daqueles que, no momento em que isso vai produzir-se, devido a um laço cármico, devido a um laço fraternal, devido a um laço familiar, vão pensar em você, naqueles momentos?
Você arrisca não ser parasitado, mas ficar em certo desconforto.
Isso não durará, é claro, mas é mais agradável atravessar isso sem ganchos, sem apegos e sem coisas residuais.
O que não quer dizer que seja preciso trabalhar no passado, isso quer dizer, simplesmente, que é preciso perdoar – e que é preciso amar.
Não é «é preciso», você é Amor, portanto, se você é Amor, isso deve fazer-se – independentemente de sua vontade – reparar ou compreender.
O que é passado é passado, mesmo se isso se viva no presente.
Mas isso você vai compreender durante este mês, hein?, nada há de melhor que a experiência.

Questão: deve-se comportar da mesma maneira com os portais orgânicos que com os outros irmãos e irmãs?

Eu creio que a questão ultrapassa, amplamente, o âmbito dos portais orgânicos, hein?
É engraçado como essa história de portais orgânicos agrada a vocês, se posso dizer.
É bizarro, é assim há anos, mas isso não é grave.

Então, o Amor, você pode ser Cristo, você pode ser Cristo vivo, um portal orgânico em face de você nada sentirá.
Ele não ficará como alguém que é um mau rapaz ou um fantoche, que pode estar em reação nesse estado de Amor.
O portal orgânico não é equipado, se posso dizer, para sentir o Amor, ele não sabe o que sabe.
Ele conhece o amor-apego, o amor- mimetismo, mas ele não terá, jamais, acesso ao Amor incondicional, uma vez que ele não tem o Espírito dentro e não há a alma.
É um corpo biológico, sintetizado, não pelas vias naturais, mesmo em seres humanos normais providos de alma, mas que evolui em toda, como dizer..., não autonomia e liberdade, mas em toda independência.
Frequentemente, eu disse, à época, que os portais orgânicos eram os olhos e os ouvidos dos Arcontes.
Era verdade e é, ainda, verdade.

Portanto, a grande diferença é que um Arconte é aterrorizado pelo Amor, mas, a um portal orgânico, isso não lhe faz nem calor nem frio.
Não há os receptores, portanto, ele não pode ressoar ao Amor.
Ele não pertence à Criação original, é uma falsificação.
Você sabe, isso foi dito, também, há anos: os Arcontes se divertiram, se posso dizer, a parodiar, por exemplo, algumas linhagens.
Eles, então, criaram, se posso dizer, animais um pouco específicos.
Por exemplo, você sabe que a abelha é o símbolo de Cristo, é uma das representações de Cristo.
O inverso é o quê?
É a vespa.
Há a mesma coisa com os peixes, os mamíferos marinhos: há o golfinho, de um lado, consciência de Sírius, e, do outro lado, há o tubarão.
Mas isso é a diversão dos Arcontes.

Portanto, para os portais orgânicos, de todo modo, se você está, realmente, liberado, realmente, vivendo o Si e, realmente, no Amor, você não tem chance alguma de reencontrar um portal orgânico porque, para ele, é o vento o que você é – nada há a ganhar, nada há a tomar, nada há a viver.
Isso está além do campo de coerência deles.
Eles não podem, mesmo, supor, nem imaginar, eles vão tudo puxar ao amor condicionado.

Portanto, não se coloque a questão de irradiar ou não irradiar.
Como eu disse, ponha-se no Coração do Coração e deixe fazer a Luz.
Enquanto você crê que domina o Amor, que domina a Luz que você irradia, você está confinado, você não está livre.
É claro que haverá efeitos, é claro, você vai observar efeitos quando você dirige seu fluxo de Amor para alguém, mas é, ainda, o ego que age aí.
É uma coisa querer pôr o Amor, é outra coisa deixar o Amor florir.
É espontâneo e natural e, se não há essa espontaneidade e esse natural, é, já, o amor condicionado.

Eu diria, de algum modo, que o Coração do Coração ou o Amor não se coloca a questão do Amor, ele não é discriminante.
E eu o disse milhares de vezes em minha vida, o Sol é o mesmo para todo mundo, Arcontes, Esquimós ou seres degenerados no fim de não sei onde, são os mesmos raios para todo mundo.
E se você quer ser um Filho Ardente do Sol, você não pode discriminar o Amor, quer seja em face de um portal orgânico, que, de todo modo, isso nada fará a ele, ou quer seja em face de um Arconte.
Se não é a mesma qualidade de Amor que emana de você, espontaneamente, então, você não está livre.
Isso quer dizer que existe, ainda, uma pessoa que está por trás desse jogo de teatro e que quer controlar as coisas.

Toda a sutileza dos Arcontes foi a de fazê-los crer – e eu já expliquei, longamente, não vamos voltar, eu vou apenas sobrevoar, isso foi dito, também, por muitos Anciões, há numerosos anos – foi, como dizer..., interromper esse fluxo de Amor e esse fluxo do Espírito, de algum modo, e, justamente, tornar o Amor condicional.
Perceba, se você mesmo, seu Amor é condicional em função de quem você reencontra, você não está no Amor.
É claro que, no início, era mais agradável fazer fusões de coração a coração com irmãos e irmãs que seguiam as mesmas vibrações, que viviam os mesmos processos, mas, hoje, se você não é capaz de ter a mesma emanação de Amor espontâneo em face de um portal orgânico ou diante da madrasta a mais terrível que seja, você não está livre.
É tão simples assim.

O estado de Graça nada tem a ver com a pessoa e nada tem a ver com saber se ele vai dar mais Amor à madrasta ou mais Amor ao filho; é o mesmo Amor.
Seus filhos, como dizia um célebre escritor, não são seus filhos.
Portanto, enquanto você permanece em um amor maternal privilegiado para com seus filhos, e você não ama as outras crianças, ou menos, você faz uma diferença, portanto, você está na dualidade.
Não é mais o tempo de fazer meias medidas agora, hein?
É o Amor ou nada, não é, mesmo, mais, o medo.
Enquanto seu amor é diferenciado e diferencial para com as circunstâncias, para com os seres, você não está, simplesmente, no Amor, você está, ainda, em um amor limitado e condicionado.
É uma primeira etapa, é claro, e essas etapas, nós os temos acompanhado nos processos de comunhão, de fusão e de dissolução, nós lhes temos explicado.

Hoje, se você faz a diferença entre uma formiga, um irmão e uma irmã e um dragão, é que você não está no estado de Graça.
É claro que é mais fácil desenvolver a ação de Graça e a comunhão com um dragão do que com um Arconte, mas isso não deveria, mesmo, mais, colocar-lhe problemas, uma vez que, de todo modo, tudo isso não existe para o Absoluto.
Você vê a armadilha, onde ela está?
E essa armadilha não vem, mesmo, de seu ego, ela não vem, mesmo, de sua pessoa, ela vem de circunstâncias históricas do confinamento que alterou as estruturas biológicas.
O DNA foi alterado, as estruturas de recepção da consciência, na cabeça e no coração, foram alteradas, portanto, você não é responsável.
Em contrapartida, você é responsável enquanto não tenha feito a experiência do Amor incondicionado e incondicional para com toda vida, qualquer que seja.
Mas não se inquiete, é o que você vai viver durante o mês de maio.
Isso começa, já, com o que eu lhe digo.

Continuemos.

Questão: você disse que haveria um evento importante antes do Apelo de Maria, que seria da mesma amplitude que há dois mil anos, quando o sangue de Cristo tocou a Terra.

Antes, mesmo, do Apelo de Maria e, eu diria, de modo quase sincrônico com o aparecimento do «destroyer», como o chamam, ou seja, Nibiru, Hercobulus.
Tudo isso, se quiser, todos os seus governos e todas as tradições inscritas nas religiões fechadas estão a par, quer seja o Vaticano, quer seja em Israel, quer seja junto aos muçulmanos, todo mundo está a par de que é o apocalipse.
Mais ninguém pode enganar-se, exceto os contadores de histórias que estão adormecidos e que olham a televisão.
Mas isso é evidente para todo mundo.
O problema é que muitos irmãos e irmãs adormecidos estão, além disso, na negação.
Porque a negação é, de qualquer forma, muito mais confortável do que a raiva e a negociação, a negação dá-lhes tempo, e essas pessoas estão inscritas no tempo.
Portanto, enquanto elas estão na negação, elas não sofrem.

Mas, quando vocês começam a ser tocados em sua vida, eu não falo, mesmo, ao nível vibral ou energético, quando vocês são tocados em sua vida por eventos elementares, ou seja, os sismos, os vulcões, os tsunamis, os ventos terríveis, aí, vocês começam a colocar-se questões.
Eu sempre disse que a França seria tocada por último, porque vocês são demasiado rígidos na França.
O cartesianismo fez muitos danos, bem mais, eu diria, do que a Maçonaria, ou seja, tê-los fossilizado.
São as forças não Luciferianas, isso, hein?, são as forças Arimanianas, aquelas que os conduzem, diretamente, ao que se chama o transumanismo, ou seja, fazer entrar sua consciência nas máquinas, mesmo sem ter mais corpo biológico.
Esses são os planos de Ahriman e dos Arcontes.
Lúcifer, isso nada tem a ver, hein?, é muito mais leve.
Enfim, Lúcifer..., as energias Luciferianas, porque o pobre Lúcifer, fizeram-no portar muitas coisas; ele, simplesmente, deu seu acordo, não foi ele que organizou tudo isso.
Em suma, eu volto às minhas ovelhas, no caso, aqui, o que eu digo.

É o que a questão?
Pode repeti-la, que eu me concentro?

Questão: o evento que deveria vir antes do Apelo de Maria…

O evento é o quê?
É um evento suficientemente observável e sentido por todo mundo.
Você pode imaginar que, para além de um basculamento dos polos, que sobrevirá, plenamente, apenas no fim, as únicas coisas que podem ser perceptíveis por toda a parte é durante a estase ou antes da estase.
Pode ser tanto a visibilidade de Nibiru – que está nesse período – como o que vocês poderiam nomear uma oscilação da Terra, não, ainda, um basculamento, mas uma oscilação tal como houve – como vocês chamam isso? – o Big One ou os mega-quakes, ou seja, algo que choca, um pouco como o tsunami que ocorreu há doze anos, vocês se lembram, talvez, em 2004.

Aí, a consciência coletiva é abalada, mas é de outro nível, porque isso tocará toda a humanidade, de uma maneira ou de outra.
Isso pode ser tanto um sismo como ventos – mas, aí, os ventos não podem percorrer todo o planeta ao mesmo tempo –, mas se a Terra oscila, essa percepção e essa oscilação podem ser percebidas por toda a parte, mesmo sem sismo, e é, aliás, o que vocês vivem, talvez, ao nível, já, de suas oscilações, de pseudo-vertigens, mas em um grau muito mais importante.

E, é claro, o grande choque é o Apelo de Maria e a visibilidade do astro cabeludo, visibilidade para todo mundo.
Depois, nada mais haverá a ver, hein?, com a parada de rotação da Terra e a estase, aí está o Face a Face, sozinho.
Você se verá todo nu, tal como você é, e você verá, também, a distância que existe – é seu julgamento, por si mesmo, ninguém o julga –, a distância que pode restar entre o efêmero e o Eterno.

Há seres que estão, ainda, inscritos, totalmente, no efêmero, que não estão despertos nem, mesmo, liberados, e que, no momento do Apelo de Maria, serão liberados, totalmente.
Para eles, isso passará, como vocês dizem, muito facilmente, sozinho.
Há seres e, sobretudo, aí – eu já disse isso, mas eu o repito – todos aqueles que construíram, como se diz, castelos na Espanha (projetos irrealizáveis), ou seja, que imaginaram um mundo melhor, que imaginaram a queda da cabala, dos maus rapazes e a instalação de uma nova vida nesse mundo carbonado.
Esses arriscam ter muitas preocupações para viver a Liberação.
Eles serão, de qualquer modo, liberados, não é possível de outro modo, mas haverá reticências, como se diz, mais do que medos, coisas que resistem, que prendem, que são ligadas aos automatismos, que são ligadas às crenças.
Tudo isso vai tornar-se...

Ah, somos sobrevoados por um dragão, ainda, ele se diverte aí.
Não é a hora, obrigado.
Ah, mas isso não é verdade, há uma hora para cada coisa.
Dois minutos, eu volto...
Obrigado.

Nós podemos retomar.
Onde estávamos?

Questão: qual é a importância do sangue vertido, quer seja no sacrifício final de Cristo ou nos eventos que vão chegar?

Mas é a mesma coisa.
Quando a Terra foi liberada, no momento da liberação da Onda de Vida, o núcleo cristalino da Terra, que veio de Sírius, reativou-se, inteiramente.
E houve, aliás, ondas de irmãos e de irmãs que viveram a Onda de vida, seja até a Liberação completa ou não, mas, em todo caso, que eliminaram as linhas de predação coletiva, isso já é enorme.

O sangue da Terra, isso eu disse há muito tempo, bem antes de 2004, a outros médiuns, eu já havia dito que haveria um despertar dos vulcões da Terra.
Esse despertar dos vulcões da Terra é a Liberação, isso faz parte da Liberação da Terra, a atualização da Liberação da Terra ao nível físico.
Os vulcões, os ventos, como eu disse, a 400 km/h – vocês quase ali estão, hein?, vocês tiveram ventos a 350-390 km/h.
Isso chega, não se tocou, ainda, os 400.
Há, como se escreveu no Apocalipse, o granizo, cada vez maior, os Cavaleiros em ação.
Tudo isso, Snow e No Eyes falaram-lhes, mas é o que vocês vivem.
Não restará pedra sobre pedra.
Vocês veem o planeta Marte?
Bem, aí está o que é um planeta que viveu sua Ascensão.
A vida estará no interior da Terra, na 5D, para aqueles que ficarão na 5D e que serão os guardiões do cristal central da Terra – em toda liberdade, hein?, vocês não são confinados.

Portanto, todos os sinais que vocês veem, os vulcões, é o quê?
É a cor vermelha, é o que é quente, é o que sobe, são as raivas, são irmãos e irmãs que explodem assim, em sua espiritualidade ou em sua materialidade, que se tornam loucos.
Com os ventos, é similar, isso expulsa os pensamentos; você pensa em algo, isso desaparece, instantaneamente.
Há uma sobreposição total entre os Elementos da Terra e os Elementos de suas linhagens estelares, e os Elementos presentes em seu corpo.
É a mesma coisa.

Portanto, é mais do que uma analogia, é uma ressonância interior/exterior.
Portanto, o evento importante pode ser ligado a um desses elementos, ou a um sinal celeste ou, então, no último momento, ao Apelo de Maria.
Como eu disse, probabilidades, uma vez que se fala em termos de probabilidades: mês de maio, solstício de verão, 15 de agosto, final de setembro ou, então, final de outubro.
Entretanto, dado que vocês veem na superfície da Terra, eu os lembro de que o conjunto de vulcões do cinturão de fogo do Pacífico, que é o chacra da Terra, está ativo, ao mesmo tempo.

A Terra não sofre mais atrasos, ela espera, ela está liberada desde 2011 – e vocês também, há alguns que esperam e que se perguntam se não se importam com eles –, mas tudo isso está em curso, sob os seus olhos.
A estrutura social não, unicamente, na França, não, unicamente, na Espanha, não, unicamente, no Brasil, em todos os países, está se desintegrando, vocês veem bem.
O que fazia o confinamento ao nível social não existe mais.
Mesmo os seres que são materialistas, que em nada creem e que nada vivem, apercebem-se de que há uma dissimulação.
É demasiado tarde para mascarar as coisas.
Os fantoches são desmascarados em todos os níveis, tanto material como espiritual.

Eu havia dito, há muito, muito numerosos anos, que os eventos e, em especial, os três dias de trevas, sobreviriam a partir do momento em que a França estaria bloqueada.
É o sinal maior, bem mais do que o cinturão de fogo do Pacífico, que já despertou e está ativo há dois anos.
Portanto, se você quer estar a par, veja o que você vive em si; se você se interessa pelo exterior, olhe o que acontece do lado da França.
É tão simples assim.
Mas os movimentos os mais brutais, ao nível físico, ao nível da Terra não lhe concernem, mesmo se hajas regiões costeiras que serão impactadas.
Isso concerne, sobretudo, a todos os países que estão em torno do cinturão de fogo do Pacífico.
Eu os lembro de que, nos mundos unificados, não há placas tectônicas, há uma única placa.
E as placas não se movem.
Olhem Marte, para os planetas ditos terrestres, hein?, não os planetas gasosos.

Os sinais os mais importantes estão em vocês.
É o que eu exprimi em relação às variações térmicas, às dores que vão e que vêm, à ativação das últimas Portas ao nível do sacrum, que pode, aliás, criar inconvenientes para aqueles que têm preocupações seja de artrose, seja de hemorroidas, seja de problemas circulatórios, isso vai excitá-los um pouco.
É por isso que, no último mês, nós demos uma bebida para refrescar o sangue, hein?, vocês se lembram – que será preciso retomar, aliás, se quiserem, ou seja, meio copo de suco de limão, se possível, fresco, meio copo de água, uma pitada – mas não uma colher de sopa – de açafrão, coentro e galanga.
Vocês vão refrescar o sangue.
Há, também, plantas que refrescam o sangue, que são conhecidas, plantas que agem na circulação do sangue.
Há, também, os cristais,
Há, é claro, as pedras que estruturam um pouco melhor o primeiro chacra, uma vez que se fala do primeiro chacra da Terra, mas é, também, seu primeiro chacra e, portanto, todos os órgãos que estão na região, que explica, também, as raivas e os fogos astrais que nascem em alguns irmãos e irmãs, que se tornam histéricos, se posso dizer.
É o mesmo processo.
Há, também, os cristais.

Questão: você disse que o planeta Marte estava liberado, mas há marcianos na Terra...

Na massa de terceira dimensão, mas há uma massa de quinta dimensão, do mesmo modo que existe uma Terra de quinta dimensão.
A Terra está representada em todas as dimensões, assim como você está presente em todas as dimensões.
Você muda, simplesmente, de forma e de veículo, segundo a dimensão na qual você se manifesta, é tudo.
Nada é cortado, nada é separado.
A Terra de quinta dimensão nasceu e vive desde o final de fevereiro de 2012, mas isso vocês não podem conceituar nem imaginar.
É algo que se vive, em especial, se você já teve fenômenos de deslocalização da consciência, de viagem na Existência, na qual você mesmo viu seu corpo de Existência mudar de forma.
Mas isso você não pode viver com o corpo físico.

Portanto, que há bases de marcianos, de humanos, não importa onde, na Lua ou Marte, é uma evidência, mas a Terra que vocês veem, esse deserto de um único bloco e de uma única placa nada mais é do que a imagem visível para vocês de terceira dimensão, na qual há, efetivamente, consciências que se incrustaram; mas na quinta dimensão não é isso.
Mas é, no entanto, Marte de terceira dimensão que vocês veem assim, com seus olhos, com seus telescópios melhor, mas vocês não têm acesso à visão de Marte de quinta dimensão, do mesmo modo que não tinham acesso ao seu corpo de Existência.
Vocês tiveram acesso aos casulos de Luz, aos corpos sutis, que alguns de vocês percebem ou veem, mas o corpo de Existência é outra coisa.

Questão: você disse que era preciso respeitar todos os animais, todos os seres vivos...

Eu não disse «respeitar», hein?
Não me faça dizer o que eu não disse.
Eu disse «amar» e, por vezes, amar é dar um tapa, que pode passar por uma falta de respeito.

Questão: quando as formigas invadem a minha casa, eu as mato às centenas, como eu posso ter o amor?

Mas, simplesmente, se você falasse com amor às formigas, elas iriam a outros lugares.

Questão: eu tentei falar com elas com amor.

Então, é que você não era Amor, é tão simples assim.

Questão: elas obedeceram durante quatro anos e, agora, elas não escutam mais.

Quando eu estava no Bonfim, os bombeiros vinham ver-me para pedir ao Espírito do Fogo parar; ele parava.
Eu não o comandava, eu não lhe pedia, eu emitia, sem o querer, essa espontaneidade do Amor, eu dizia aos gênios do Fogo que eu os amava, mas que seria bom, talvez, que eles fossem um pouco a outros lugares.
Isso funcionava, sistematicamente – se eu estava no Amor.
Mas isso não funcionava se eu estava irritado com alguns daqueles que estavam ao meu redor.

Questão: e os mosquitos, este ano, que nos atacam como bombas?

Bem, eles têm necessidade de comer, os pobres seres.
Mas, aí, vocês têm meios conhecidos, hein?, entre os óleos essenciais, os sons agudos, vocês têm muitas coisas que podem agir nisso.
Mas as formigas, eu lhe garanto que você pode falar com elas, e não é obrigatório matá-las, você pode colocar coisas que são conhecidas, vocês têm o quê?
O vinagre, o giz, vocês têm produtos químicos que as matam, mas há, também, os meios de fazê-las mudar de lugar sem qualquer dificuldade.
Ponha-lhes um pouco de açúcar e leve-as, progressivamente, a outros lugares, fora de sua casa, e elas não voltarão.

Agora, quando um rochedo cair-lhe sobre a cabeça e matá-lo, será que é uma falta de amor do rochedo?
Ou será que é uma sincronia?
Ou será que é um acaso?
Você terá a resposta, naquele momento.

Questão: o que vão tornar-se as centrais nucleares, com todos os movimentos terrestres?

Ah, bem, se eles não as param antes da chegada de Nibiru, elas vão, todas, explodir.
Mas qual importância?
Se eles são espertos, você verá o que eles vão fazer, os maus rapazes, que estão um pouco em dificuldades.
Quando eles tiverem a certeza cronológica da chegada de Nibiru, eles vão dizer-lhes, simplesmente, que há falhas nas centrais nucleares e eles vão pará-las, todas, se eles são suficientemente espertos.
Mas não se esqueça de que todas as centrais nucleares foram implantadas em pontos precisos da Terra, que correspondiam aos planos Arcônticos.
Elas não foram colocadas por acaso sobre as linhas de falha, eles sabiam disso.

Questão: há muitas delas na França.

Sim, vocês são os mais rígidos, portanto, é preciso isso, para quebrar a rigidez da França.
Mas há delas em muitos países, hein?
Portanto, duas possibilidades: ou eles não param as centrais antes da chegada de Nibiru e as primeiras ejeções de massa coronal dirigidas diretamente para a Terra, e aí, elas vão, todas, explodir – e bom dia após a vida dos cento e trinta e dois dias, para aqueles que terão que enfrentar esse clima específico – ou eles são suficientemente inteligentes e vocês vão ouvir que eles vão dizer-lhes, uma semana a dez dias antes, que eles constataram anomalias nos tanques, nisso, naquilo, um pouco por toda a parte no mundo, e eles vão dizer-lhes nos jornais que deverão pará-las para revisões.
É um ou o outro.

Questão: ouve-se, já, isso nas mídias.

O que é que vocês ouvem?

Questão: que eles desligam algumas centrais nucleares.

Quando você ouve que há várias centrais que se desligam, sobretudo aquelas que estão situadas sobre as linhas de falhas ou à beira dos oceanos, vocês podem começar a contar os dias.

Questão: mesmo paradas, de qualquer modo, a periculosidade é a mesma.

De qualquer modo, mesmo se a central não funcione, há materiais radioativos, mas o perigo é, unicamente, para o corpo carbonado.
A menos que esteja preso ao seu corpo carbonado, qual importância que ele seja queimado pela irradiação do Sol, no momento do planeta grelha, ou que ele seja grelhado pelas irradiações gama e outras, irradiações beta, alfa, das centrais nucleares?
Nenhuma diferença.
O corpo de Existência, eu lhes disse, é um corpo radioativo, no sentido em que vocês o entendem na Terra.

Aliás, o confinamento desse mundo, vocês se lembram de que, à época, dizia-se que os corpos de Existência estavam prisioneiros no Sol, quando vocês descem a um mundo carbonado estrito, mesmo livre na 3D unificada, o corpo de Existência, vocês estão no limite da ruptura, ou seja, o Corpo de Existência não pode estar presente, simultaneamente.
Ele é ligado pelo cordão de ouro, entre a Terra e o Sol, para que, no momento em que vocês estejam livres – porque vocês são, todo o tempo, livres, nos mundos unificados – vocês possam pôr fim ao corpo quando quiserem (seus corpos carbonados) e recuperar seus corpos de Existência que estavam no vestiário, se posso dizer.
Simplesmente os Arcontes, quando eles dobraram o espaço-tempo, eles fecharam o corpo de Existência no Sol e não havia mais possibilidade de saída.
Portanto, quer as centrais nucleares explodam, todas, ou não, nada mudará no que chega, simplesmente, as circunstâncias serão mais rigorosas nesse caso, para aqueles que deverão enfrentar, fora das embarcações da Confederação e fora dos Círculos de Fogo, ou liberados, totalmente, de toda encarnação, no momento de sua Ascensão pessoal.
Vocês não têm qualquer preocupação a ter.
De qualquer modo, seu mundo é totalmente dependente, hoje, da eletricidade, para tudo, e da eletrônica, sem, mesmo, falar das centrais nucleares, então, vocês podem imaginar que, na menor sacudidela do Sol, acabaram suas instalações.
É, efetivamente, o que vai produzir-se, hein?

Questão: onde está o Sol, neste momento, em sua evolução final?

Ele vai muito bem, ele reage perfeitamente bem.
Os corpos de Existência deixaram o vestiário, a maior parte, e o Sol prepara-se para viver sua transmutação, ele também.
Tudo segue seu curso, mas a atividade do Sol, vocês a veem na Terra através dos vulcões também, através dos movimentos das placas tectônicas, através dos ventos.
Há uma interação direta que faz com que o Sol, mesmo se tenha havido uma ruptura, mantenha um fluxo específico que o religa à Terra.
É o que é chamado, eu creio, de forças e correntes de Coriolis, na Terra, e nas linhas de Coriolis que unem a Terra ao Sol.
É bem real isso.
É, certamente, tudo o que não se quer que vocês saibam, que a influência do clima não vem dos homens, nem das vacas, que soltam gases sem parar, aliás... (inaudível) de irradiações solares e de interações entre a Terra e o Sol, que é uma interação, antes de tudo, elétrica.
Aliás, é por isso que os maus rapazes criaram Haarp, para modificar a camada ionosférica.
Aliás, eu os lembro de que todos os planetas desse Sistema Solar estão em processo de turbulência.

Em resumo, eu posso dizer que a única coisa à qual vocês terão que enfrentar é seu desaparecimento, no momento do Apelo de Maria, no momento de todos os eventos que se produzem agora.
Portanto, quando vocês colocam uma questão sobre o que vai acontecer às centrais nucleares, isso prova que, em algum lugar, em vocês, há algo que tem medo disso, porque, no intelecto há, talvez, ainda, crenças na subsistência dessa dimensão.
Isso quer dizer, simplesmente, sem qualquer julgamento, que há, talvez, em você, a necessidade de viver a matéria – livre –, mas de viver a matéria.
Tranquilize-se, não haverá qualquer problema para fazê-lo.

Vocês são todos liberados e vão, todos, para onde quiserem – não sua pessoa, sua alma, se ela está aí, ou o Espírito –, mas, antes de qualquer coisa, lembrem-se de que, agora, tudo acontece aqui e agora, em sua carne, em sua família, em sua casa, em seu país.
Vocês estão no exato lugar, não há melhor lugar do que aí, onde vocês estão.
E de nada há a fugir, sobretudo.
Se você habita ao pé de uma central nuclear, agradeça, você será grelhado dez vezes mais rapidamente do que os outros.

Questão: a partir da revelação do Fogo Ígneo, os termos mudaram e algumas palavras apareceram, como «a revelação do Absoluto», e basta colocar-se, deixar ser, nada mais há a fazer.

Mas nada há a fazer ao nível espiritual, eu não vou reempregar um palavrão como «banana», de qualquer forma.
O que eu quero dizer aí: nada há a fazer ao nível espiritual.
Eu ainda passei uma hora a explicar-lhes que vocês deviam viver sua vida.
Onde você vê alguma coisa que não vai, aí?
São duas coisas que correspondem a dois mundos diferentes.

Nada há a fazer ao nível do que você é, porque o Absoluto você não pode procurar – se você o procura, ele não está aí.
Em seguida, eu disse, hoje, que era preciso aceitar viver o que vocês têm a viver.
Onde está a contradição?
Não há.
Em um caso, eu falava do posicionamento de sua consciência, hoje, atraindo a atenção ao coração, e eu lhes pedi para viver, como se diria: «Ame e faça o que lhe agrada».
Mas a vida fixa-os, nesse momento, em circunstâncias precisas, uns e os outros.
Aí está, é tudo, é a mesma coisa.
Agora, se você quer permanecer deitado vinte e quatro horas por dia, faça-o, mas. Se você tem obrigações familiares, financeiras etc., por qual razão você as pararia?
Exceto se a Luz lhe peça isso, mas essa não é uma decisão sua.

Do mesmo modo que, no ano passado, eu lhes dizia para pôr o Amor à frente, atrás, no alto, embaixo, à direita, por toda a parte, hoje, eu lhes digo: «deixem o Amor emergir, não se ocupem dele.».
É o melhor modo de desaparecer e de viver o que vocês são, em verdade.
Nós lhes dizemos, há mais de um ano, que nós ajustamos nossos dizeres à sua vivência, e dizer o que eu disse no mês passado e dizer o que eu disse hoje é, exatamente, a mesma coisa.
Onde está a problemática?
Quando se diz para ficarem tranquilos, é ficar tranquilo em suas cogitações mentais, emocionais ou de busca.
Tornar-se simples é ir colher uma flor, ocupar-se de seu jardim, telefonar a um amigo, mas não é divagar sobre a espiritualidade ao longo do dia – é viver a espiritualidade.
Ora, a espiritualidade, hoje – independentemente, como lhes disse Bidi, que é algo que não existe – é voltar a tornar-se humilde e simples, estar inteiramente presente no que a vida lhes pede.

Se a Luz lhe pede para ficar deitado, fique deitado.
Mas se você tem seu vizinho que o chama e que lhe pede um serviço, bem, você não fica deitado, você vai ajudá-lo, mesmo se seja algo de muito material e trivial.
É aí que você entra no serviço, na Devoção, não ao fechar-se no Si, de manhã à noite.
Porque, aí, há riscos.
É o risco do ego espiritual, que se crê superior a todo mundo e que vai dizer-se: «Não, eu sou a Luz e a Luz emana quando eu estou assim, portanto, eu nada faço.».
E se a vida, a Inteligência da Luz, pede-lhe outra coisa, você faz o quê?

O discurso progride, a cada mês e, eu diria, mesmo, a cada dia, se tivéssemos a oportunidade de falar todos os dias.
Mas, pessoalmente, eu não vejo contradição ou antinomia entre o fato de ficar tranquilo e de viver sua vida.
Há alguns meses, a Luz chamava-os a desaparecer para viver o aprendizado do desaparecimento, por vezes, inesperadamente, o que os obriga, mesmo, a interromper seus trabalhos ou sua condução no automóvel, ou seu trabalho, ou outra coisa.
Hoje, eu disse algo que é um pouco diferente, mas que não é contraditório, é apenas uma evolução normal, de maneira coletiva.

Há, efetivamente, eu diria, um vento novo que lhes proporciona ajustar-se com a Inteligência da Luz e com a Eternidade, ou seja, com o corpo de Existência.
Mas esse ajuste não é o mesmo para todo mundo, eu repito.
Há os que vão permanecer em êxtase vinte e quatro horas, outros que vão ficar ainda mais ativos do que antes, outros, que vão perder ainda mais a cabeça, se posso dizer, e outros que vão discutir.
Vocês veem isso por toda a parte ao seu redor, hein?
Quanto mais você é espontâneo, mais você é simples, mais você é Amor e menos há incompreensão do que se desenrola, você vive tudo do mesmo modo.
Não há desejo próprio, há a Inteligência da Luz que o conduz a viver isso ou aquilo.

É similar mesmo para a alimentação.
Eu tenho certeza de que, entre vocês, por exemplo, vocês decidiram fazer um prato que adoram e chegar a pôr-se à mesa e, de repente, vocês não têm mais fome.
É terrível, hein?
Mas não, é a Inteligência da Luz que lhe permite ver e diferenciar o que é da ordem do desejo da pessoa e da ordem, do outro lado, da Inteligência da Luz.
Enquanto você crê que controla sua vida, você não é livre.
Isso vai muito longe, essa história de abandono.
Eu pensava, no entanto, que as Estrelas tivessem informado vocês, suficientemente, sobre a vida delas, para compreender um pouco como isso se vive.
Lembre-se: tudo a que você segura, segura você.

Quando eu disse que é preciso ser criativo; se vocês são criativos, criem, mas não sejam dependentes nem tributários disso.
Não vejam aí outra coisa que não um meio de divertir-se.
Não vejam aí, sobretudo, um meio de progredir do que quer que seja.
Isso é a ilusão da pessoa.
O Absoluto sempre esteve aí, apesar da ruptura do Espírito.
Aliás, eu creio que Maria disse-lhes, em breve vocês não terão mais fontes de informações, quer sejam as nossas ou seus rádios; como vocês fazem, nesses casos?
Ao invés de olhar qual tempo vai fazer, bem, vocês esperam ver o tempo que vai fazer – vocês viverão ainda mais o instante presente.
Vocês não estarão se perguntando qual tempo vai fazer amanhã para prever como vestir-se ou como jardinar.
Vocês terão entrado na vida natural – isso se pode dizer, a mais natural possível.

E tudo isso não é feito para irritá-los, de maneira alguma.
É a Inteligência da Luz que lhes permite encontrar o que vocês são.
Porque, quando há demasiado supérfluo, quando há demasiado conforto, quando há demasiada facilidade em todos os domínios, vocês não são livres, vocês aproveitam.
Lembrem-se do que disse Cristo: «Será mais difícil a um rico aceder ao céu do que a um camelo passar pelo buraco de uma agulha.».
Tudo o que você não dá é perdido.
Eu não falo de sua carteira, hein?
Eu falo de sua consciência e de seu coração.
Aí, a carteira para nada servirá, nesses momentos.
Então, tente aclimatar-se, hein?, já, um pouquinho.
A Inteligência da Luz mostra-lhe o caminho, mostra-lhe, como dizer..., onde estão as zonas de facilidade, de evidência.
Você vê bem, de qualquer forma, em sua vida, ou as coisas são evidentes e se fazem sozinhas, ou elas são complicadas.
A Luz não é complicada.
Assim que fica complicado, não é mais a Luz.

Mas, bem, eu creio que o processo que lhes será comunicado, de liberação memorial, vai ajudá-los a viver as coisas de modo muito mais amplo do que hoje.
Amanhã é outro dia.

Questão: você falou de Jesus, mas Maria Madalena, quem era ela?

Isso quer dizer o quê?
Era Sua mulher, simplesmente.
Eles tiveram três filhos juntos.

Questão: ela está muito na moda, nesse momento.

Sim, está na moda nos meios New Age.
Querem apresentar-lhes Maria Madalena como uma grande sacerdotisa disso ou daquilo.
Vocês sabem, há muitas pessoas que procuram histórias, como a reanimação de Cristo.
Talvez houvesse um reanimador que tenha ido reanimar, um viajante temporal, que veio reanimar.
Não, mas você se dá conta um pouco dos disparates?
Será que você imagina em que você acredita?
É melhor não crer em Cristo do que crer em coisas desse tipo, hein?
Quanto a Maria Madalena, era a mulher de Jesus, simplesmente.
Eles tiveram três filhos.
O que você quer saber mais?
Era um Mestre geneticista de Sírius?
Ela está reencarnada, hoje, ela também?
Não.
Saiam do maravilhoso.
Hoje, nós falamos, vocês viveram as linhagens, as origens estelares, para muitos de vocês, vocês viveram o maravilhoso dos reencontros com os povos da natureza, as comunhões de consciência.
Hoje, voltem a tornar-se o mais simples possível, sejam humildes e suaves.
E vocês não podem ser humildes e suaves se estão divagando em sua cabeça sobre histórias passadas.

Eu lhes dou elementos de referência porque se fala um pouco disso, mas não entrem nisso em sua vida.
Não é mais tempo de reconstruir histórias que, além disso, são ligadas ao passado.
O que é que isso pode fazer-lhes, que Cristo esteja morto na cruz e tenha sido reanimado, que ele tenha nascido por inseminação artificial ou pelo Santo Espírito?
O que é que isso muda?
Será que isso vai mudar, realmente, sua vida ou o que vocês são?
Isso não os fará mover um milímetro.
São histórias que vocês se contam.
Vocês não têm necessidade de nada para serem liberados e, sobretudo, liberar-se de toda essa confusão.
Esqueça-se da história, esqueça-se dos Arcontes, esqueça-se da Liberação.
Você pode ser livre hoje, mais do que nunca, muito mais facilmente do que em 2012.
Basta-lhe soltar tudo isso, todas essas histórias – mesmo nós, nós somos uma história, assim como vocês – e nenhuma história mantém-se diante da verdade.

Quando você nada mais tiver a que prender-se que o que a pessoa chama oneant, como você fará?
Você vai constatar que continua vivo, mesmo se não haja corpo e mesmo se não haja mundo.
Mas isso pode ser mais ou menos longo, segundo suas reticências, porque aí, não se fala mais de medos, isso está superado.

Portanto, o mês de maio, em geral, é o mês da Ascensão e o mês de Pentecostes, no Ocidente.
É, também, neste ano, o Wesak, que foi alterado, ele também, e bem poluído, se posso dizer, tudo o que é ligado à Luz, hein?, de qualquer modo.

Não se ousa mais colocar questões.
Oh sim, vocês podem, todos, colocá-las, porque vocês, isso lhes dá a impressão de serem humilhados, se posso dizer, mas imaginem que vocês não são os únicos; vocês são milhões assim na Terra.
Portanto, aqueles que vão ouvir isso, eu espero, efetivamente, que isso vá sacudi-los um pouco, hein?
Não é mais tempo de elucubrar sobre histórias passadas, a vir e, eu diria, mesmo, em relação às linhagens estelares e tudo isso.
Vocês fizeram descobertas, alguns de vocês, outros não – pouco importa.
Foram oportunidades, como quando a Onda de Vida subiu, na primeira onda.
Mas não se congelem em eventos reais da Luz que se produziram, congelem-se em seu coração, porque tudo isso, mesmo nossas Presenças, mesmo a ajuda que nós lhes aportamos, no momento preciso, no momento determinado e preciso, isso não lhes será de qualquer utilidade.

De onde nós estamos, através do que muitos de vocês têm vivido, nós colocamos a questão de saber por que vocês recusam a evidência e a própria simplicidade de sua vivência.
Por que será que o ser humano tem, sempre, necessidade de obstruir-se de histórias, de cenários?
Sim, porque ele perdeu o fio do Espírito.
Mas, hoje, o fio do Espírito está aí, vocês não têm mais necessidade de tudo isso.
Vocês são nutridos por si mesmos.
Olhem dentro, vocês verão bem.
Isso não quer dizer que seja preciso parar, eu repito, seja estar junto, seja cultivar seu jardim ou criar, mas não sejam enganados, não sejam tributários de tudo isso, são histórias.

Nós construímos, juntos, um cenário para, justamente, sair da história.
Nós propusemos uma história que corresponde, certamente, a fatos históricos, mas, sobretudo, é uma estratégia que visa fazê-los descobrir-se a si mesmos.
E, para descobrir-se a si mesmo, não há necessidade de ir procurar a história, um guru, nós ou outro irmão, mesmo se isso tenha sido de grande ajuda – mas, a um dado momento, essa ajuda não estará mais aí.
Vocês devem tornar-se autônomos e livres.
Não há outra possibilidade.
Portanto, é claro, coloquem-se todas as questões, é tempo, agora; mesmo os mais incongruentes, eu diria.

Questão: para aqueles que celebram, ainda, o Wesak neste mês de maio, o que você pode dizer sobre a forma não alterada do Wesak com as energias do momento?

As formas?
Quais formas?
Mas o Wesak, vocês sabem bem que todas as religiões, quer seja o budismo, o islamismo, o catolicismo, o cristianismo, o judaísmo, o hinduísmo foram todas, sem exceção, alteradas e desviadas em proveito dos Arcontes.
À época, eram as religiões, agora, é a finança e o dinheiro, mas é o mesmo princípio, é, sempre, a predação.
Vocês não são livres a partir do instante em que dependem de uma circunstância, qualquer que seja, mesmo o Wesak, mesmo a Ascensão da Terra.
Mas, é claro, como vocês sabem, a liberação é total, para todas as consciências.

Por que você se incomoda, então?
Além disso, é a liberdade de cada um festejar tal festa ou tal festa, ou aderir a tal religião ou a tal religião.
Porque aí, caso contrário..., vocês sabem e, talvez, vocês vivam que é um confinamento, mas, para essas pessoas, o que é que vocês sabem disso?
Talvez seja, justamente, ao ver a consciência delas e sua energia subtraídas por esses sistemas de predação, que é graças a isso que elas vão despertar.
Ser livre é, antes de tudo, respeitar a liberdade de cada um.
Em nome de que vocês levariam pessoas em seu próprio destino?
A Liberdade é para todo mundo.
Não há boa conduta e má conduta, está superado tudo isso, há estado de ser, estado de Amor, ou não há.
É tudo.

Questão: para esclarecer a questão, há um modo mais adequado para festejar a festa do Wesak?

Eu os aconselho, sobretudo, a não festejá-la.
Mesmo quando eu falei de festas da Ascensão e de Pentecostes deste mês, eu falei da energia principial original da história de Cristo, mas mesmo essas energias foram alteradas, é claro.
É claro que vocês sentem que não há mais energia no solstício de verão, no solstício de inverno etc., e em algumas festas religiosas.
Mas, aí também, o veneno está inserido.
Não sejam mais tributários, mesmo de uma religião, de uma festa ou de que quer que seja.
Vocês não podem pretender ser livres e fazer, ainda, não sei, rituais.
Ou vocês fazem rituais para liberar sua pessoa, e sua pessoa fique melhor, isso sim, é, mesmo, recomendado tratar-se, não há qualquer antinomia, mas, ao nível dos mecanismos do Espírito, você vai festejar Wesak por quê?
Para que seus legumes cresçam melhor?
Não... (inaudível), o Wesak nada lhe aportará, a Ascensão nada lhe aportará.

Questão: o que significa, quando de uma meditação, receber na mão esquerda sete gotas de sangue de Cristo?

É uma belíssima bênção de Cristo.
É muito simples, isso a remete – e, eu diria, que isso a deixa procurar, por si mesma – às sete chagas de Cristo, há cinco mais duas.
Vocês as conhecem, hein?: as mãos, a coroa de espinhos, o golpe de lança no fígado e os pés, mais o Coração.
Isso quer dizer que você é convidada por Cristo a andar em Seus passos.
Isso significa, também, como o disse Gemma e como o disseram outras esposas, entre aspas, de Cristo, que Cristo pede-a em casamento, mas é um casamento que nada tem a ver com o humano, hein?

Vocês sabem, Cristo pode pedi-los em casamento de diferentes modos.
Eu creio que as Estrelas exprimiram-se bem em sua vida, mas, também, recentemente, sobre esse processo.
É por isso que nós temos empregado a palavra KIRISTI, a raiz do Gina Abdulsumério, para não fazer referência, mesmo se seja verdadeiro, ao Cristo histórico, porque isso foi muito especulado, essas histórias.

Questão: por vezes, quando de uma meditação ou de um momento tranquilo, aparecem pontos brilhantes sobre a pele.

É a Luz que entra, que se acumula.
Portanto, isso faz parte, também, dos sinais de que eu falei.
Eu lhes falei de dores muito pontuais, como golpes de agulha.
Isso pode tomar o coração, pode tomar as Portas, as Estrelas, as mãos, os pés, isso, também, é a Luz.
Lembrem-se de que o corpo de Existência emite uma irradiação que não vai, verdadeiramente, dar prazer ao corpo carbonado, são as irradiações gama.
Você sente a radioatividade, simplesmente.

Questão: eu via, sobre a pele, como que pequenos pontos de diamante.

Perfeitamente.
São as partículas adamantinas, e a reação da pele dá, em alguns lugares, um pouco como quando você transpira em um lugar e a luz brilha em cima, isso dá pontos de luz, é a verdade.
Isso corresponde ao processo de transmutação alquímica pelo processo que descreveu Nicolas Flamel, a sobreposição e a fusão do Fogo vibral e do fogo vital, que deixa parecer e aparecer o Fogo Ígneo.
E essas partículas, que não são as partículas adamantinas, que são pontos de luz extremamente brilhantes, é exatamente isso, isso faz parte do Fogo Ígneo.

Questão: se isso coça por toda a parte no corpo, é a mesma coisa?

Sim, se você não tem pulgas, efetivamente – não, quando eu digo pulgas, se não há doença, isso pode ser, também, um sintoma, coceiras intensas que viajam ou que permanecem em um lugar.
Na condição, é claro, que isso não seja uma doença ou pulgas, hein?

Questão: falou-se de uma epidemia de sarna na França.
Isso tem, talvez, uma relação com isso, que muitas pessoas coçam-se, nesse momento?

Isso pode ser uma doença, ou isso pode ser a Luz, ou isso pode ser preliminar à Luz.
Como eu disse que nada acontece por acaso em sua vida, e na humanidade, de uma maneira geral, tudo é significativo.
Talvez, efetivamente, o micróbio da sarna esteja perfurando a pele para que a Luz penetre melhor.

Questão: os numerosos flashes de luz que aparecem, nesse momento, sem tempestade, têm uma incidência sobre o corpo físico ou o corpo de Existência?

É claro, são flashes de irradiações gama, ou são as primícias da chegada visível de Nibiru, e do Sol, que emite irradiações específicas, quando Nibiru aproxima-se, é lógico.
Aí, não são mais partículas adamantinas que se depositam tranquilamente, hein?
Não é a mesma velocidade de luz, digamos.

Questão: os incidentes são maiores no corpo físico ou no corpo de Existência?

Ambos.
No corpo físico é responsável de dores, de problemas tais como os descritos há pouco, mas isso vem fortalecer, se posso dizer, a emanação do corpo de Existência.

Questão: diz-se que Nibiru vai aparecer de repente.
Ele está escondido pelo Sol, nesse momento?

Ele está escondido pela irradiação do Sol, porque tudo gira na mecânica celeste.
O Sol gira sobre si mesmo, a Terra gira sobre si mesma e gira em torno do Sol, a Lua gira em torno da Terra e Nibiru, que não se desloca no mesmo plano do eclíptico, gira, ele também, e, portanto, as posições relativas mudam.
O que vocês observam, por vezes, que são vistas nas fotos, são as imagens-fantasmas, não vamos entrar nos detalhes, vocês olhem isso na internet.
Entretanto, é claro que isso será visível ao lado do Sol.
Mas não haverá qualquer dúvida, tranquilizem-se, quando isso for visível, os feijões serão cozidos, como se diz.

Questão: foi dito que se podia estar na Unidade e bulímico, você poderia desenvolver?

Eu nada compreendi, enfim, eu ouvi tudo, mas eu nada compreendi.
Pode-se estar na Unidade e ser bulímico, assim como se pode estar na Unidade e anoréxico, isso nada tem a ver.
Crer que porque você vive a Unidade, você terá a imagem de um sábio com a veste branca, que sorri todo o tempo e tudo, é uma heresia.
Isso são mestres de má qualidade.
A Unidade é independente de circunstâncias, de sua idade ou de sua apresentação.
Caso contrário, você desempenha, ainda, um personagem.
Portanto, é similar para a bulimia, a anorexia ou não importa o quê.
Qual é a relação?

Eu confirmo, portanto, mesmo se não seja eu que o disse, que se pode estar na Unidade e que se pode ter coisas que podem parecer, do ponto de vista da personagem, anormais.
Você pode estar na Unidade e ter tiques.
Você não é obrigado, na Unidade, a ter um sorriso permanente, vinte e quatro horas por dia.
Olhe, pode-se dizer, por exemplo, que Ma Ananda Moyi era anoréxica.
Ela nada comia, às vezes, ela comia dois a três grãos de arroz.
E eu não falo de outros místicos, sobretudo, junto às mulheres, que nada comiam.
Portanto, pode-se dizer que se pode estar na Unidade, no Si, e anoréxico – ou bulímico, olhe Buda.

A verdadeira Unidade não é concernida pela pessoa.
Aquele que vive, integralmente, o Si, vive normalmente.
Ele não está olhando para não fumar, para não beber, para prestar atenção ao que ele diz, ele é espontâneo e natural.
Isso são as imagens e as representações que muitos irmãos e irmãs têm, ainda, na cabeça, na qual é preciso que o hábito faça o monge e que a apresentação e o comportamento estejam em acordo com uma noção de harmonia e tudo.
Mas estar na Unidade não é isso, mesmo se isso se traduza no exterior, mas isso vai traduzir-se não por uma aparência ou por um comportamento, isso vai traduzir-se por uma atmosfera que vocês vão sentir.
Se você olha tanto meu exemplo como se você olha no Oriente, do lado de Bidi, de Sri Aurobindo, as pessoas que se aproximaram desses seres realizados, liberados, não tinham necessidade de apresentação.
Isso se sente imediatamente, é algo que os abre, que lhes dá uma impressão de imensidão.
A bulimia, a anorexia nada têm a ver aí.

Não é preciso crer em tudo o que lhes apresentaram algumas imagens específicas de alguns mestres, e mesmo alguns que eram cômicos, como nosso amigo Osho, com seus trajes extravagantes.
Era um jogo, mas ele jamais se apoiou nisso para promover-se.
Eu usava o branco, mas não era para promover-me, é porque eu suportava apenas isso.
Não sejam tributários de imagens, há perfeitos golpistas que se apresentam em vestes laranja, há seres que são anjos e que vão apresentar-se como mendigos, que lhes pedem uma moeda na rua.
Não sejam tributários das aparências ou dos costumes e dos trajes, ou dos rituais.
Será, sempre, uma pessoa que pensa isso, que ela deve ser assim, ou de outro modo, mas isso é falso.

Questão: nós temos a imagem de Cristo, que é uma imagem de beleza, e você mesmo era muito belo, e parecia muito saudável de corpo e de espírito, portanto, é a imagem que se tinha de você.

Obrigado.

Questão: havia uma adequação entre seu corpo e seu Espírito, seu traje, seu aspecto.

Perfeitamente, mas há os que eram feios.
Se você olha Bidi, ele era muito menos belo do que eu.
E, no entanto, ele era liberado.
Eu jamais pretendi ser liberado, em minha vida, eu era realizado, ou seja, eu havia vivido o Si.
O Absoluto, eu fiz apenas evocá-lo, em algumas conferências, porque eu ali não tive acesso, mas o Si integral bastava-me, amplamente.
Mas minha vestimenta e meu aspecto elegante eram ligados a mim mesmo, mas não para mostrar uma imagem.
Caso contrário, eu teria colocado um chapéu bizarro como Osho e um relógio bizarro, como ele.
E, depois, há os que jamais se vestiram.
Se você visse Um Amigo em sua vida, quantas vezes eu lhe disse para ir vestir-se.

Os seres realizados ou liberados não procuram mostrar uma imagem.
É claro, isso se vê no olhar, isso se vê na energia que é emitida, mas a aparência...
Vocês sabem, vocês podem estar ricamente vestidos e estar completamente corrompidos no interior.
É claro, é melhor se há uma adequação, é mais agradável para os outros mostrar uma imagem preparada.
Mas não era isso o essencial, é claro.

Questão: qual é a importância do sofrimento físico e psíquico em nossas vidas?

Muito importante.
Isso não quer dizer que seja preciso procurar o sofrimento, mas se um sofrimento está aí, é um fator de superação, porque o sofrimento obriga-os ou a procurar uma solução ou a assumir-se ou a superar-se.
Portanto, é uma oportunidade.

Mas não é por isso que seja preciso pedir o sofrimento, é claro.
Tudo depende de sua resistência interior, o modo pelo qual você é flexível ou rígido, confinado ou a caminho de liberação.
Mas eu o lembro de que, quando você é liberado, mesmo se você sofra, você não é afetado, qualquer que seja o sofrimento, mesmo aquele da morte do corpo.

Questão: você pode falar do som AUM que você cantava em sua vida?

Sim.
Eu não desenvolverei isso mais, porque o som AUM foi uma inversão específica.
Portanto, o que eu acreditei em minha vida, porque havia, efetivamente, um aspecto energético, encontrou-se comprometido quando eu cheguei e mantive..., primeiro, o aprendiz de Melquisedeque que eu era, até que Orionis cedeu-me o lugar.
Isso faz, às vezes, como dizer..., você «cai do alto», e é aí que você se apercebe, realmente, que tudo o que está presente na superfície desse mundo é falsificado, sem exceção alguma.
Isso quer dizer que, em definitivo, quaisquer que sejam os elementos sobre os quais você se tenha apoiado, bom, por exemplo, eu falava muito dos Sefirots e da Cabala, tudo isso foi recuperado pelos Arcontes.
É claro que é uma ferramenta de progressão maravilhosa, mas, a um dado momento, você percebe que não há progresso, há verdade ou não verdade e que isso não depende de uma ferramenta de progresso, qualquer que seja.

Isso eu não percebi em minha vida, eu o percebi depois, contrariamente a Bidi ou, por exemplo, a Sri Aurobindo, que se aproximou muito, muito perto da fatuidade, eu quero dizer, mesmo de seus poemas e de tudo o que ele escreveu.
Era verdadeiro, era apaixonante, mas falso, não o que ele escreveu, porque tudo o que é verdadeiro nesse mundo, tal como ele era, à época, é recuperado, instantaneamente, pelos Arcontes, quer sejam as religiões, quer seja a magia e tudo o que se pode imaginar.

É por isso que nós insistimos, regularmente, progressivamente, de maneira cada vez mais importante, para dizer-lhes que tudo está dentro, porque o coração não os engana, jamais.
Mas se seu coração apoia-se em conhecimentos exteriores, você será, sempre, enganado pelos conhecimentos exteriores, qualquer que seja seu bom coração.
As muletas são muletas, úteis, mas, a partir de certo momento, elas se tornam uma armadilha e uma prisão.
Então, é verdade que é melhor falar de Cabala do que ir construir canhões, mas o resultado, em definitivo, é exatamente o mesmo: confinamento.

Questão: o primeiro grito e o último gemido são a mesma coisa?

Bem, em dois sentidos diferentes.
Em um sentido, é a alma que penetra e, no outro sentido, é a alma que sai.
O processo de encarnação, no momento em que há o primeiro grito, é o momento em que a alma envia os últimos fios de Luz.
A alma é encarnada no corpo através de doze fios de Luz ao nível do que foi nomeada a Porta Unidade e doze fios de Luz ao nível do que foi nomeada a Porta AL, ao nível dos chacras da alma e do Espírito.
Quarenta dias antes da concepção, a consciência está presente.
No instante preciso da concepção, dois fios de Luz são emitidos à alma, assim que há fusão dos dois gametas.
Os vinte e dois outros fios de luz apenas descem para fixar-se definitivamente no corpo no momento do primeiro grito.
O último gemido, o último suspiro é o momento em que a alma e a consciência saem do corpo, e no qual os fios de Luz, se havia uma alma, para a maior parte dos seres humanos, exteriorizam-se.
Aliás, eu creio que há cientistas que conseguiram verificar a variação de peso que sobrevém no momento do último gemido.
Isso é muito, muito preciso, é da ordem de alguns microgramas ou miligramas, mas é algo que já foi verificado.

Era a última questão, eu creio.
Bem, caros amigos, eu vou, agora, propor-lhes um momento muito curto de bênção e de comunhão.
Eu os amo, todos, sem qualquer exceção, de maneira indizível.
Eu lhes digo até muito em breve, para a sequência das aventuras.

… Silêncio…

Até logo.



NOTA: Essa canalização é extraída de um conjunto de canalizações
que acompanharão nossa ressurreição nesse mês de maio.




Mensagem de O.M.AÏVANHOV
Maio de 2016





Agradecimento especial:
Traduzido para o Português por Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com.br






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails