sexta-feira, 29 de abril de 2016

CONCLUSÃO DAS CRÔNICAS - O.M.AÏVANHOV - ABRIL DE 2016

Rendo Graças ao autor desta imagem




O.M.AÏVANHOV
ABRIL DE 2016




CONCLUSÃO DAS CRÔNICAS


Bem, caros amigos, como vocês veem,
eu inaugurei o baile e eu termino o baile.

Eu lhes apresento todo o meu Amor e todas as minhas bênçãos.

… Silêncio…

Então, como vocês puderam ler ou ouvir, as Crônicas dos Melquisedeques deram-lhes muitos elementos sobre o masculino sagrado.
E vocês tiveram, no instante, a finalidade dessa abertura ao masculino sagrado com, eu diria, uma ajuda, é o caso de dizer, de nosso irmão Silo, não é?
São vocês, agora, que devem viver tudo o que foi dito.

Então, é claro, eu volto, eu não vou fazer grandes discursos, mesmo se eu diria muitas coisas, mas eu gostaria, como vocês já sabem, de esperar suas questões para dizer o que eu tenho a dizer, não é?
Ilustrando tudo isso através de tudo o que foi dito durante este período, quer seja a Devoção, quer seja Silo, quer sejam todos os intervenientes, dos quais alguns que foram muito pouco loquazes até agora, mas que tiveram essa utilidade vibratória em relação a vocês, também, porque a utilidade deles, onde nós estamos, foi, eu diria, preponderante.

Então, agora, eu lhes deixo a palavra e vamos, juntos, tentar responder às suas interrogações em relação a tudo o que vocês ouviram ou leram.
Eu os escuto.

… Silêncio…

Bem, eu creio que Silo «atomizou» vocês.
Mas nós temos todo o nosso tempo.
Vocês sabem muito bem, agora, que o silêncio, mesmo se não haja palavras, age, é claro.

Questão: eu tenho o hábito de repetir a frase de Bidi: «Eu sou essa consciência e nada mais», e de tentar remeter-me ao período antes da idade de quatro anos.
Isso continua atualidade?

Não é uma questão de atualidade, é uma questão de seu próprio ponto de vista de consciência.
Se você coloca a questão, é que lhe parece, talvez, ter, ainda, necessidade disso.
Mas como você sabe, também, há meios mais diretos, quer seja através das estruturas vibrais, das comunhões e, também, de maneira, talvez, mais adaptada e no silêncio, exatamente, o que acaba de revelar-lhes Silo.
Mas você escolhe, você faz como quiser, não há qualquer obrigação, de qualquer espécie, se posso dizer.
É você que encontra, neste período, eu diria, seus pequenos meios ou seus grandes meios para sustentar, se quiser...
Como eu já disse, mas em outras ocasiões, são as últimas muletas.
Então, use-as, abuse delas, apenas vem o momento em que você sente que isso lhe parece pueril e que isso para nada serve porque, simplesmente, sua intenção realiza-se instantaneamente.

Você pode dizer, também, «Eu sou Um» ou «Eu sou nem isso nem aquilo, e, além disso, isso e aquilo».
Há muitos meios.
Se quiser, a oração do coração, antes que ela seja silenciosa, ela passa por repetições de frases, é muito conhecido isso.
Quer seja junto a todos os nossos irmãos, quer eles sejam orientais, quer eles sejam da Ásia, quer eles sejam do Oriente Médio, quer eles sejam de não importa qual região dessa Terra, há, sempre, essa necessidade de apoiar-se, se quiser, em uma forma de oração com gestos, palavras, intenções, até o momento em que isso se torna espontâneo.
É a oração espontânea.
Não é mais, unicamente, a oração do coração, é que sua vida inteira torna-se uma oração – mas uma oração de louvores, não uma oração de pedidos.
Silo propôs a vocês fazer a junção entre as duas.

Outra questão.

Questão: como saber se estamos prontos?

Oh, é muito simples, agora vocês estão além do medo.
Você olha, simplesmente, em que você ocupa os seus pensamentos.
Não quando você está alinhado, não quando você está aqui, mas de maneira quotidiana na vida, e olhe os pensamentos que emergem.
Então, é claro, não sou eu, mesmo se eu o tenha transformado, mas é algo de muito importante que era aplicado pelos maiores filósofos gregos, mas, aí, é mais indicado para identificá-lo.

Em seus pensamentos habituais, se você está falando de pessoas, é que há, ainda, uma alma em você.
Se você fala de conceitos, sem identificar e sem falar de pessoas, você está, já, no basculamento e na finalidade da alma.
Em contrapartida, se você não fala mais do que de Luz e não vê mais pessoas a criticar, e você não tem necessidade de emitir opiniões sobre quem quer que seja, você saiu das «fofocas», mas você saiu, também, da personalidade.
É tão simples assim.
Eu vejo quem enrubesce.

Eu me situo, voluntariamente, agora, além dos aspectos vibratórios que vocês conhecem ou que vivem.
Mas, aí, vocês têm um meio infalível.
Se a maior parte de seu tempo é ocupada a falar dos outros, você está na pessoa, uma vez que você vê muitos outros, e eles estão em acordo com você ou não – não é similar a tomar informações – ou seja, falar, e o conjunto de suas discussões e de seus pensamentos está nos outros.
É o que se chamaria os tagarelas, você sabe, os zeladores.
Aí, isso prova, simplesmente, que você está, simplesmente, no ego.
E se, em contrapartida a isso, é substituído por pensamentos de amor, pela necessidade de ajudar, de servir, tudo o que lhes foi dito, é, já, um bom sinal de que seu ser está encontrando a verdade.
E, depois, aquele que já encontrou a verdade, que é liberado, mesmo se ele fale das pessoas, ele está, sobretudo, focado no Amor e ele busca, sem o querer, espontaneamente, em toda circunstância, viver e manter, sem esforço, o que ele é.
E não há qualquer interesse para atuar como tagarelas ou zeladores, nesse caso.

Você vê a diferença, ela é muito simples.
Então, eu creio que Sócrates e outros, Epiteto, eu creio, diziam que isso concernia à evolução do espírito.
Um ser evoluído não falava, jamais, dos outros, não porque ele os detesta, não porque ele os ama todos, é que, quando ele se exprime, ele não se isola dos outros, ele vê o bem geral, ele superou toda pessoa.
Esses princípios filosóficos são, exatamente, os mesmos hoje, ao nível do que vocês vivem.

Eu espero que isso vá dar-lhe não uma cenoura, mas a vara que o empurra.
Não se tem mais o tempo de esperar que você siga as cenouras agora, hein?
Serve-se da vara para fazê-los avançar, isso vai mais rápido, mas a vara é você mesmo, é claro.

Outra questão.

É verdade que, muito em breve, nenhum de nós terá mais nada a dizer-lhes.
Viremos e permaneceremos no silêncio o dia todo, e chegaremos, uns após os outros, até que se preencha todo o espaço, vocês verão.
Muito em breve.
Será preciso apertar os corações, hein?

Questão: ao nível das braçadeiras dos tornozelos, eu senti que isso havia sido retirado e que um frescor emanou nesse nível.
Foi feito algo nesses últimos tempos?

Não em você, mas de maneira geral.
Aqueles que haviam reencontrado, para permitir a estabilidade do corpo de Existência..., uma vez que o corpo de Existência está perfeitamente atrelado e trancado sobre o efêmero, ele toma posse de tudo o que é ilusório e não tem mais razão de manter com uma estaca no solo.
Ele se segura sozinho, ele não pode mais voar.
Mesmo se alguns de vocês pudessem, eu diria, nestes períodos específicos, reviver processos transdimensionais, se posso dizer.
Mas isso não é a prioridade, vocês sabem bem agora, é estar plenamente lúcido e estar plenamente presente em todo ato e todo momento de sua vida, aqui, na Terra, em sua humanidade.

Eu esclareço, porque na última questão havia: será que eu não vou mais poder voar?
Bem, não, é preciso aterrissar, eu diria, sobretudo, ainda mais, você deve densificar-se para aliviar-se.
Lembre-se de que há movimentos, hein?, sempre.
Em cima-embaixo / embaixo-em cima, dentro-fora / fora dentro etc., esquerda-direita / direita-esquerda, reversões em todos os sentidos.
Tumulto, isso foi dito.

Como diria Nicolas Flamel, mas eu o digo diferentemente, estamos «agitando a coqueteleira», para tudo alquimizar; tudo deve estar perfeitamente alquimizado aí dentro.

Questão: Nicolas Flamel falou-nos de três elementos: os densificadores, os estabilizadores, eu não me lembro mais do terceiro...

Oh, é muito simples.
Na alquimia real, é: sal, enxofre e mercúrio, é claro.
Mas ao nível de sua consciência é a consciência corporal, a consciência da alma e a consciência do Espírito, ou a tripartição, a Tri-Unidade nova, se quiser.
E nós tentamos, você vê bem – mesmo através deste período, se não há mais, verdadeiramente, ensinamentos, mas uma aplicação prática do que vocês são – dar-lhes o máximo de termos para que cada um encontre o que tem necessidade, mas esses termos são elementos vibratórios, antes de tudo, que ressoam, talvez, mais para alguns do que outros.
Isso para aí.
Mas esses três elementos é isso, é a tripartição ou a Tri-Unidade, se você prefere.

Questão: Cristo falou, frequentemente, do sal, ele disse que nós éramos o sal da Terra, e o sangue é salgado.
Você poderia falar da transformação Crística de nosso sangue?

Perfeitamente.
Isso foi evocado, efetivamente, por Nicolas Flamel, eu creio, porque ele não podia dar-lhes um discurso alquímico, hein?, vocês não são alquimistas, e isso é um pouco «velhos alambiques», não é?
Mesmo se a alquimia seja, antes de tudo, interior, os alquimistas sabem disso, mas eles não podem impedir-se de falar de seu sal, seu enxofre, seu mercúrio, seu cadinho e seu ouro filosofal.
Mas é uma linguagem, é uma fraseologia, é tudo.

Então, é claro, o sacrifício do sangue, quando foi dito por São João que vocês lavarão suas vestes no sangue do cordeiro, é o sangue do sacrifício, é reencontrar o próprio sentido do sacrifício para poder, como foi dito durante essas Crônicas, viver o sacrifício, o sacro, se quiserem, e é exatamente a mesma coisa.
O sal é, ao mesmo tempo, coagulante, mas ele permite a reação química, ele não é o catalisador, mas ele permite pôr no caminho as coisas nesse nível.
Seu sangue aquece-se, é o caso de dizê-lo, e seu sangue, eu os lembro de que os judeus, na Kabala, chamam o Aneshama, ou seja, a alma.
Essa alma é vivificada pelo Espírito, e o sal, a proporção do sal modifica-se.
O sal não tem mais necessidade de ser salgado, ele se tornará açucarado, mas não é o diabetes, hein?, isso nada tem a ver, é claro.
É a própria modificação do que é chamado, eu creio, o núcleo de ferro e a hemoglobina, que permite oxigenar os tecidos, que está se modificando.

Seus cientistas ainda não o encontraram, vocês sabem que, à época, nós havíamos falado das doze fitas de DNA.
Hoje, há bebês que nascem com várias fitas, e, do mesmo modo, há uma modificação da ressonância da hemoglobina, do oxigênio e do ferro, nesse nível, que dá uma oxigenação de Luz e não mais, unicamente, do oxigênio que se transmite em cada uma de suas células.
E é, aliás, o sangue, quer você tenha sua alma ou não, quando ele circula, que aporta agora.
As partículas adamantinas penetravam pela cabeça, pelo baço, pelas Portas, e dizem-lhes, agora, que ela penetrava por toda a parte.
Então, vocês poderiam imaginar que as partículas adamantinas aglutinam-se em vocês – não, isso é o corpo de Existência – mas, devido a que isso tenha penetrado pelas Portas e que se metabolizou nos diferentes estágios do corpo, então, isso circula, diretamente, através da hemoglobina, do oxigênio que está nesse nível, e do ferro, que está nesse nível.

É isso, exatamente, o que está acontecendo.
E esse sangue – o sangue do cordeiro, o sangue de Cristo, que está lavando vocês e que os lavará, de maneira muito mais profunda, se posso dizer, no momento do Apelo de Maria – corresponde, também, a isso, o que vocês vivem agora.
Aliás, isso pode criar problemas, devido a essa hipercirculação.
Vocês observam que podem ter dores – se vocês as tinham antes, vocês as têm ainda mais – por exemplo, em todos os lugares que contêm ferro, ou seja, os joelhos, nos quais há a magnetita de orientação, os joelhos, a cabeça, as costas também têm isso (isso é muito pouco conhecido), as mãos, portanto, dores que viajam.
Mas isso nada tem a ver com patologias.
Em contrapartida, se você tem, efetivamente, uma patologia já presente, anterior, nesse nível, arrisca ter reajustes e dar-lhe a impressão de que isso se degrada, mas isso não é, absolutamente, verdadeiro.
É, justamente, aí também, uma transformação que participa da emergência do masculino sagrado e de toda essa androginia primordial, ao nível do próprio sangue, é claro.

Vocês teriam, todos, aliás, interesse, durante este período, e conforme o que vocês gostem, em facilitar a circulação do sangue, em refrescar o sangue, como diria Li Shen.
Refrescar o sangue é fazê-lo circular, é apaziguá-lo, quer seja com cristais, plantas, pensamentos, banhos de pés, por exemplo, que são comunicados, por vezes, a alguns, são, exatamente, o que é necessário para refrescar o sangue.
Se o sangue é refrescado, naquele momento, ele se aquece menos, a Luz pode fazer o trabalho com muito mais facilidade em seu sangue, ou seja, por toda a parte.

Questão: isso explica que, nesse momento, haja muita poliglobulia?

Ah, isso, eu não estava a par, mas, certamente, sim.
Há modificações que não são, unicamente, metabólicas, mas que tocam, agora, o mais sólido, eu diria, de sua estrutura, e que não é, ao nível químico, o osso, mas que são os metais.
Não os metais pesados, que os intoxicam, mas os metais que estão contidos..., o ferro, é claro, há hemoglobina, mas, também, os metais que intervêm em alguns metabolismos celulares que são mais vibrantes, e que modificam a vibração deles.
O aporte de Luz é tal, que as camadas periféricas, como vocês chamam isso..., eletrônicas, estão se preparando para o basculamento.
Portanto, tudo isso, se quiserem, é bem real.

Questão: o que devem fazer as pessoas que têm esses sintomas?

Isso não é um sintoma, é uma doença.
A poliglobulia, é isso?
Bem, no tempo, ter-se-iam feito sangrias, eu creio.
Aí, agora, não sei, não sou médico.
O que eu posso dizer-lhe é, de qualquer forma, que é preciso assegurar-se de que não haja uma verdadeira doença.
Ela será amplificada por esses aspectos vibrantes do sangue, mas, fora diluir o sangue, independentemente das causas de uma doença que eu não conheço, é claro, eu não posso dizer-lhe.
Eu teria podido ir pedir a resposta, mas esse não é o objetivo, hein?, nós não fazemos questões pessoais aí, nós falamos de generalidades.

Questão: os banhos de mar são apropriados, nesse caso, para resfriar o sangue?

O mar do Norte, então.
Sim, porque, por exemplo, nos banhos de pés, deram-lhes a água quente, mas a água fria, qualquer que seja, sobretudo, se há minerais, vocês não têm isso, unicamente, no mar, vocês têm, também, em alguns cursos d’água.
Mas é verdade que, aí, você terá frio, não é?, parece-me que não faz suficiente calor, onde quer que você esteja.
Então, é preciso esperar que faça, talvez, um pouco mais de calor.
Mas isso são suas questões, hein?, não são as minhas.

O que eu quero dizer com isso é que, até agora, como você constatou, você se aproximou através de contatos com os povos da natureza, entre vocês, você viveu coisas que iam a esse sentido.
Simplesmente, aí, agora, isso se torna um pouco mais intenso, é por isso que o sangue vai esquentar.
E é, aliás, também, em relação com as variações térmicas, hein?, há os que, de repente, têm muito frio, muito calor, muito frio, quer você coma ou não, isso nada muda, concorda?
Isso não é um problema de regulagem térmica, é o ajuste final ao fato de lavar suas vestes no sangue do cordeiro.
É isso, as variações térmicas.
Então, você pode tomar banhos de mar, é claro.

Questão: qual é o interesse dessas modificações de nossos corpos, já que devemos desaparecer?

Bem, é justamente que esses corpos estejam prontos, não ao nível da saúde física, mas, ao menos, que o corpo etéreo esteja quase recoberto, forrado, não mais de fogo vital, mas de Fogo vibral.
É o único modo de assegurar-se, se quiser, de que a passagem dos três dias, para aqueles que estão despertos, aconteça nas melhores condições.
Mas, também, para aqueles que não estão despertos.

Lembre-se de que a Luz não pode destruir o que quer que seja, caso contrário, ela entra na dualidade e não é mais a Luz.
Então, o que isso quer dizer?
Isso quer dizer que a efusão de Luz, a partir das diferentes fontes, a partir de seu coração e tudo, permite, se quiser, amortecer – e isso nós sempre dissemos, nós iremos até o momento limite, agora, não é mais nós, mas Nibiru irá até o momento limite, antes de manifestar-se concretamente – para que tudo o que está se produzindo no exterior, que você vê na Terra, o núcleo terrestre que se aquece e que escapa pelos vulcões é, também, o que acontece em seu sangue.
Os vulcões são o sangue da Terra, mas há, também, o sangue de seu corpo, é exatamente sobreponível.
Então, era o que a questão?

Questão: qual é a utilidade dessas modificações?

Porque você poderá dizer, e aí é o humor, eu estou morto curado.
Você vai, efetivamente, morrer vivo.

Questão: há mais riscos de AVC, de aneurismas ou de coisas desse gênero?

Ah, para a pessoa sim, há muitos riscos, é claro.
Aliás, você deve sentir os aquecimentos da Coroa da cabeça, hein?
Em lugares.
Ou do coração, ou dos pés.
Você não vê a fumaça sair, ainda.
Enquanto isso não cheira o queimado, tudo bem.

Questão: há marcadores físicos em relação à instalação do masculino sagrado com o feminino sagrado?
Quais são?

Bem, sim, isso lhes foi dito..., ah, físicos?
Ah, físicos...
Físicos, bem, você perde seu corpo em lugares, aos poucos, como você perde a cabeça aos poucos.
Todas as extremidades se vão, as extremidades supérfluas, hein?
Então, os marcadores físicos, é a capacidade, sempre maior, para manter a Última Presença ou o desaparecimento.
Faça o teste, aliás.
Você tem algo que lhe toma a cabeça, uma grande contrariedade, como sempre acontece quando se está encarnado, mergulhe no desaparecimento e veja, depois, como você vê essa contrariedade.
É similar para o corpo.
Em seguida, então, se, além disso, você traça o sinal siligístico que lhe deu Silo, então, aí, está perfeito.

Questão: é a combustão instantânea.

Quase.
Eu o lembro de que, durante a primeira parte das Núpcias Celestes, no momento das Chaves Metatrônicas, nós os esperávamos – eu havia dito isso, eu creio – muito numerosos, no Sol, e vocês eram muito pouco numerosos, finalmente, mesmo tendo vivido as Chaves Metatrônicas.
Bem, depois, compreendeu-se que havia bloqueios que eram inerentes a coisas específicas que haviam feito os maus rapazes, não é?, os maus rapazes, os fantoches.
Tudo isso está terminado agora, eu falo disso por quê, já?
O que era a questão, no início?

Questão: os marcadores físicos do masculino e do feminino sagrados.

Ah, os marcadores físicos.
É sempre similar, é a capacidade, cada vez maior, para estar na alegria, para ser sensível a tudo, e gozar de tudo.
Ser muito leve, não se levar a sério, amar espontaneamente.
Tudo isso, isso se vê em seu comportamento.
Ao nível do corpo físico, é claro, há, sempre, as modificações que se produzem ao nível anatômico, ao nível dos ossos do crânio, ao nível dos ossos do peito agora, há os que têm o peito que se destaca.
Ah, eu não falo dos seios, hein?, eu falo do que está aí, ao nível do esterno e ao nível das clavículas, há coisas que se reagenciam, mecânica e fisicamente.
Você pode, também, ter eliminações, em especial ao nível da pele, ou digestivas, são os dois polos de eliminações os mais ruidosos, eu diria, durante este período.
Não são mais os problemas de garganta, isso passou.

Questão: em suma, o que resta a fazer?

Sobretudo, resta nada a fazer.
Enquanto você acredita que há algo a fazer, você não é livre.
Não há coisas a fazer para «aceder a», há coisas a fazer para viver com mais harmonia o que você vive, é tudo.
Mas nada mais há a fazer, já a partir de um momento.
É apenas a iluminação, se quiser.
Como a oportunidade do tempo dilui-se um pouco, isso lhe dá a observar e a refinar seu reencontro com a Luz definitiva.
E tente ficar confortável, e não demasiado incomodado, e ficar cada vez mais alegre nesse tempo que lhe é atribuído, e que nos é atribuído, também, aliás.

Mas, bem, eu creio que Irmão K, logo no início das Crônicas, insistiu sobre o que se desenrolava de maneira visível, não é?
Mas você o vê claramente, agora, onde quer que você esteja nessa Terra.
Se você não vê, então, aí, nada mais se pode para você, não é?, nem a Terra.
Aliás, você observa, junto a alguns, isso se vê mais, é claro, não junto aos irmãos e as irmãs que vivem ou que se interessam pela espiritualidade, mas os materialistas que querem controlar vocês, eles estão, em contrapartida, na negação da realidade.
Eles estão tão confinados em suas construções Illuminati-maçônicas, que eles estão em uma negação total da realidade.
Mesmo se eles estejam a par de algumas coisas e, certamente, de modo mais importante do que nós, pelos meios de observações da 3D, eles estão na negação, e vocês vão observar...
Quando nós dizíamos que os irmãos e as irmãs que estão na negação iam entrar em uma espécie de loucura, vocês já começam a vê-lo, e, mesmo junto aos seus vizinhos, não é?
E eu não falo, mesmo, de seus homens políticos e de seus banqueiros, e de todos esses materialistas que pensavam controlar a falsa Luz em seu proveito.
Eles têm outras razões, de ter muito calor ou de ter muito frio, do que vocês.

Eu creio que vocês tiveram Irmão M, que lhes falou da Devoção.
Eu digo: fique tranquilo.
Mas isso pode ser, também, o encantamento.
Ficar sem nada fazer, esvaziar-se totalmente, olhar uma flor durante horas, o balé de um inseto é, também, o meio de deixar a Luz agir e de ser o Amor.
Portanto, o aspecto contemplativo, que muitos místicos dos tempos passados encontraram como meio, através da contemplação, de siderar os sentidos, as emoções e o mental para tocar o coração.
Mas, se você prefere dar-se chicotadas, isso existe, também, hein?
A cada um, seus métodos.

Outras questões.

Questão: os asiáticos estão na devoção vis-à-vis de Sai Baba ou de outros gurus.
É dessa forma de devoção que se fala?

São os fantoches isso, o nome que você disse.
Atenção para o que você empresta sua energia e sua devoção a alguém de encarnado.
Há muitos falsos profetas e muitos fantoches, nesse momento, que se tomam por mestres e que são treinados pelas forças Arcônticas para afastá-los de si mesmos.
Quer você queira ou não, Jesus, Maria, Buda são arquétipos, mesmo se eles tenham sido recuperados pelas religiões, por movimentos, mas resta a vibração de origem.
Mas se você confia, por exemplo, nos fantoches da Loja dos mestres ascensionados, é claro que você vai sentir as energias, é claro que você terá muitas visões, mas você não arrisca encontrar seu coração, nem estabelecê-lo.
Portanto, não dê sua devoção.
A devoção de que eu falo é a devoção à Vida, ao Amor.
Não é a devoção a quem quer que seja, isso seria um erro grosseiro.

É como se eu lhe dissesse para entrar em devoção para com um elfo ou para com um dragão.
Não, há trocas, comunhões, mas não é questão de exprimir a devoção para com quem quer que seja, exceto para inclinar-se a Cristo, como havia dito, há muito tempo, Hildegarde de Bingen.
Mas se você se inclina para Cristo, nada mais há que deva existir.
Porque, se você se inclina para Cristo, mesmo a metade do tempo, e o resto do tempo você faz outra coisa, isso, estritamente, para nada serve.
É a devoção única, mas, certamente, não a um fantoche desse gênero.

Então, eu compreendo que, para alguns de vocês que não vivem a vibração inteiramente, esse gênero de fantoche mobiliza energias muito fortes.
Mas não confunda a energia com o vibral, hein?
Tudo isso foi explicado há muito tempo já.
Mas eu sei que alguns de vocês, entre suas liberdades, têm feito a escolha de experimentar esse fogo vital, a energia, ao invés do vibral.
É problema deles, é, também, a liberdade deles.

Questão: em que se pode ajudar nossos irmãos nessa Terra, ou isso não é útil?

A melhor ajuda, como sempre, é ser o que você é.
Sem qualquer intenção, sem qualquer vontade.
Místicos que jamais foram conhecidos na vida deles, há, por exemplo, Snow, No Eyes, que nada têm a ver..., Teresa, que não foi conhecida quando ela era viva.
Mas pouco importa, são seres depois, como Snow e No Eyes, que jamais foram conhecidas na vida delas e seu trabalho foi, no entanto, considerável na Terra.
Não confundir um papel, mesmo espiritual, com a realidade do ser.
Portanto, o melhor modo de ajudar é, já, encontrar-se, inteiramente, e não aos poucos.

Não confundir o que foi chamado a Devoção ou o serviço com a vontade de bem.
Isso não se apoia, absolutamente, nas mesmas estruturas.
E os resultados não são, absolutamente, os mesmos, é claro.

Questão: em relação ao sentir no corpo uma cruz, Philippe de Lyon falou de estigmas espirituais.
Você pode desenvolver?

Então, há os estigmas físicos, que são de outra época, se se pode dizer, hein?
Era..., era necessário tocar o milagre.
É claro, havia falsos estigmatas, mas a maior parte dos estigmatizados manifestou, realmente, a imitação de Cristo.
Os estigmatas espirituais, é claro, é o quê?
E isso foi dito por São João: «Os chamados são marcados na fronte», é a Coroa e as vibrações que vocês sentem.
Os estigmas espirituais, isso vai ser, também, o Fogo do Coração.
São sinais que são predominantes.
Eles estão aí o tempo todo, e cada vez mais frequentemente.
Isso são marcadores – os estigmas espirituais – de sua Liberação e de sua Ascensão, para aqueles de vocês que os vivem.
Portanto, eu não posso desenvolver mais, mas são, naquele momento, percepções que vocês têm no interior, mas que, até agora, não provocam visibilidade exterior.
É claro, há modificações, eu havia dito, do sangue, dos ossos, do cérebro, mas exteriormente, fora o brilho de sua irradiação, a doçura de seu olhar e, eu espero, as palavras suaves, quando não há mais palavras de víbora, isso corresponde, se quiser, à realidade desses estigmas, são os testemunhos do que vocês são.
São estigmas espirituais.

Quando você diz que sentiu uma cruz, foi onde?

Questão: no interior do corpo.
O cruzamento foi ao nível do ponto KI-RIS-TI.

Sim, é a Cruz de Cristo.
Você pode senti-la, primeiro, ao nível da Cruz igual, que se chama a Cruz cardinal, e você pode, também, senti-la ao nível do Coração Crístico, como uma verdadeira Cruz Crística.
É o que se junta, simplesmente, ao nono corpo, ao oitavo corpo e as Portas AL e Unidade.
Isso dá uma cruz e, por vezes, você pode sentir essa cruz que é, sem entrar nos detalhes demasiado técnicos, a figura de equilíbrio do que foi nomeado o tetrakihexaedro do Coração de diamante, da Gota Branca, se prefere.

Questão: o número de seres sobre a Terra que elevaram a consciência aumentou, depois da última vez que você deu uma cifra?

Oh sim, é claro, isso aumenta a cada vez, e felizmente.
Você vê, aliás, o que acontece ao nível dos humanos na Terra, e em alguns países, atualmente.
Tudo o que estava escondido é revelado.
Então, é claro, há os que vão contar histórias, dizendo que a cabala está caindo, que as forças de Luz ganharam, mas isso é besteira, é claro.
É a Luz que age, não são os seres, quaisquer que sejam, nem mesmo nós.
Miguel age no céu e em vocês.
Não creia que há seres humanos, qualquer que seja a vontade deles, que sejam capazes de ser, para o que quer que seja, exteriormente, às mudanças que estão em curso.
Isso passa pelo interior, portanto, a elevação vibratória, pelo desaparecimento das camadas isolantes e a aproximação do efêmero, a sobreposição total do efêmero e do Eterno.

É isso que dá a iluminação, a revelação e o desaparecimento, na escala coletiva, do que eu poderia nomear as últimas linhas de predação residuais, coletivas ou mentais, se prefere, o sistema de controle do mental humano, como isso foi nomeado à época.
E você vai observar, você observa, aliás, cada vez mais escândalos que vão explodir, e pessoas que despertam.
Eles o dizem, aliás, mesmo nos discursos, nas palavras, mesmo se não falem, verdadeiramente, de despertar espiritual, mas é, já, uma muito, muito boa etapa.
Porque isso eleva os pensamentos deles, isso eleva sua vitalidade e isso os faz tocar, talvez, que há outra coisa que a competição, que a beleza é essencial e que a harmonia é essencial.

Questão: o que advirá dos portais orgânicos?

Bem, o que você quer que advenha a eles?
Eles nada são, absolutamente, não há alma.
É um corpo de síntese, e esse corpo retorna ao pó, mas como é oco dentro, o que você quer que apareça?

Questão: eles não são humanos?

De aparência, mas é falso.
Eles têm uma aparência como cada irmão e cada irmã.
Eles têm um corpo de carne, sim, mas nesse corpo nada há.
E nada como vocês, quando vocês desaparecem, mas nada de nada.

Questão: é verdade que a metade dos humanos é de portais orgânicos?

Se se excetuam as crianças de baixa idade..., é difícil saber, exceto aqueles que já estão despertos; se se fala dos adultos, sim, é claro.
Essas proporções, elas não mudaram, e eu não vejo por qual razão elas mudariam.

Questão: nós, despertos, podemos reconhecê-los?

Ah, se você é desperto, então, naquele momento, você o reconhece imediatamente.
Nada há que emane.
Não é como um humano que é fechado, que está sempre, e, sobretudo em alguns países, rabugento, na raiva, que manifesta a atração – isso vive o quê?
Há emoções.
O portal orgânico não conhece as emoções, ele faz mimetismo.
Mas eu não vejo qual é o interesse de inclinar-se nisso agora.
Incline-se em seu coração, porque no coração nada há de tudo isso.
Mesmo você, você não está aí, como pessoa.

Questão: há uma Ordem de Miguel e uma Ordem dos Melquisedeques?

Para os sistemas em liberação sim, mas em outros lugares não.
Há, como você sabe, planos dimensionais diferentes com certo antropomorfismo, e além não há mais antropomorfismo, resta..., aproxima-se, cada vez mais, da Fonte e da Essência.
Mas o termo «aproxima-se» não é absolutamente exato, mas eu não posso encontrar melhor palavra, uma vez que os planos estão encaixados uns nos outros, hein?, é claro.
Não há desenvolvimento no sentido temporal ou espacial, tal como você poderia imaginá-lo ou concebê-lo.

E, aliás, quando você muda de dimensão, para aqueles que já o fizeram, fora do corpo há..., você sente um desligamento, a cada vez que você passa de um plano a outro, mas você não se move um milímetro, mesmo se tenha a impressão de viajar no céu e de estar, realmente, fora desse corpo, na Existência, como foi o caso, à época.
É profundamente diferente.
Você vê, mas você não tem olhos.
Você não vê em um sentido como as restrições desse mundo, mas você vê por toda a parte, dentro como fora.
Nada há que seja opaco, nada há que pare ao nível da visão, e isso é difícil a conceber quando se está no corpo de carne, não é?

Questão: nós temos uma ligação com essas duas Ordens?

Com essas duas Ordens?

Questão: Micaélica e Melquisedeques.

De quem você fala quando diz temos uma ligação?

Questão: de nós, de nossa pessoa.

À parte, exceto nos tempos históricos, em especial o reencontro do Ancião dos Dias com Salomão – que nada mais é do que nosso Orionis célebre, é claro – não há qualquer razão.
Mesmo as Estrelas, quando estavam encarnadas, não sabiam que elas faziam parte das Estrelas, felizmente.
Quanto a mim, eu me tornei Melquisedeque quando me interceptaram lá em cima.
Então, por que querer uma ordem disso, uma ordem de Miguel, uma Ordem dos Templários?
Mas eu creio que Silo resumiu-lhes, perfeitamente, a situação das Ordens, das organizações, mesmo espirituais, nesse mundo.
Assim que há organização não há mais Luz.
Então, é claro, eu estou bem colocado para falar disso, já que eu criei, a pedido de Orionis – ah, não fui eu que quis, hein? – então, eu criei, na França, a Fraternidade Branca Universal.
Você vê o que se tornou essa ordem.

Mas, à época, as ordens eram, ainda, como dizer..., úteis para federar a egrégora de Luz.
Mas, hoje, e, aliás, nós lhes demos mais reuniões vibratórias, outras que aquelas que vocês vivem sozinhos, como grandes, não há mais necessidade de organizar esse gênero de coisas.
Organize reuniões humanas, reuniões conosco, mas não há necessidade de criar ordens e rituais complicados ou afiliar-se a uma ordem.
Porque, assim que há ordem, há desordem espiritual e afastamento da Luz.
Apenas o ser humano e, sobretudo, quando ele está na busca espiritual, que acredita que ele vai encarnar a Verdade através de ordens.
Eu creio que Silo foi muito claro em algumas frases sobre isso, também.
Parece-me, aliás, que Irmão K também havia falado disso, longamente.

Questão: nos planos não físicos, existem ordens?

Não, eu respondi.
Exceto as hierarquias angélicas.
Mas a hierarquia angélica, a partir do plano dos anjos até os Querubins, não é uma ordem estática, como você imagina uma ordem nessa Terra, com um responsável e uma organização piramidal.
São agenciamentos de vida, é tudo.
E nada mais.
Então, você pensa que, para aquele que é liberado vivo aqui, nesse corpo, em um corpo de carne hoje, ele pode apenas rir de todas essas ordens.
São infantilidades daquele que não vê claramente.
Porque, quando você vê claramente, eu lhe garanto que não pode permanecer em qualquer ordem, qualquer que seja.
É claro, você pode pertencer a uma associação boliche, mas isso nada tem a ver.

A espiritualidade não tem que ser organizada.
Assim que ela é organizada, ela vai ao desvio, devido a circunstâncias desse mundo.
Você bem viu o exemplo das religiões, você vê o exemplo do budismo, no qual não há pior antro de magia negra.
Você vê bem tudo isso não?, ou você está, ainda, submisso a tudo isso?

A Liberdade não pode organizar-se, ela é.
Portanto, a partir do instante em que você procura aderir a uma ordem ou criar uma ordem ou uma organização, qualquer que seja o nome dela, isso dá sempre mal.
Federar as coisas e organizar uma ordem não é, absolutamente, a mesma coisa.
Quem diz ordem, diz autoridade.
Mas como você quer ser autônomo se você confia em qualquer autoridade que seja?
Mesmo eu.
É claro que estamos aí para ajudá-los, mas vocês se ajudam, também, entre vocês.
As ordens e as organizações, as sociedades são necessárias para a organização desse mundo aqui embaixo, mas nenhuma ordem desse tipo será de qualquer utilidade para liberá-lo.
Isso tem uma utilidade para aquele que quer ter muletas e salvaguardas.

Portanto, isso pode ser lógico enquanto você crê que há um caminho, mas a verdadeira Liberdade não pode acomodar-se com qualquer ordem nem qualquer organização.
Caso contrário, você vai recriar a tríade que foi nomeada infernal: carrasco, vítima, salvador.
Eu o lembro de que você está no Face a Face, sozinho, mesmo se a Confederação Intergaláctica gire acima de sua cabeça, como os dragões, por vezes.

Como nós dissemos, há muito tempo, nós estamos aí, é claro que nós tivemos um papel e uma função, e uma organização.
Era preciso, efetivamente, criar organizações para tentar encontrar os meios, sem combater e sem entrar na dualidade, de liberar os sistemas sem inconvenientes, se posso dizer.

Questão: nós vamos nos reencontrar após essa grande passagem, ou tudo será dissolvido e confundido?

Você quer reencontrar o quê, seus filhos, seus pais, sua casa?

Questão: você, os Melquisedeques e as Estrelas.

Ah, mas eu passarei o bastão com grande prazer.
Não se inquietem, nós os esperamos em diferentes lugares.
A passagem do testemunho vai fazer-se à perfeição.

Questão: vamos fazer a festa juntos?

Ah sim, essa será sua festa.
Mas você já faz a festa; a cada minuto que você está no coração, é a festa.
E nós havíamos dito, eu creio, não desta vez, mas já na última vez, quando das entrevistas anteriores, que quanto mais o tumulto do mundo crescer, mais você estaria alegre.
Mas você vai observar isso, também, não, unicamente, para vocês que vibram.
Você vê que você está em um fenômeno que foi chamado «de extinção global da vida» e há pessoas que, hoje, despertam.
Eu falo ao nível da sociedade, eu não falo, mesmo, de espiritualidade.
Isso faz parte dos ciclos.
E como a atribuição vibral é atualizada, cada um, como nós o temos repetido, está, muito exatamente, em seu bom lugar.
Tudo está em ordem.

Questão: a atualização do masculino sagrado vai ser o sinal de uma benevolência e de um grande perdão para nós mesmos e para todos os seres?

Sim, isso foi desenvolvido na Benevolência.

Questão: e de um grande perdão.

Sim, é a mesma coisa.
Há um grande perdão, as pessoas perdoam-se a elas mesmas e, quando abre os olhos, você vai ver isso em muitas coisas, não é?, na TV, nas multidões, nas sociedades, nos meios espirituais.
É uma espécie de alívio, mesmo se você não saiba porquê.
Quanto mais há a desordem no exterior, mais essas pessoas e vocês, vocês vão encontrar ou a paz do coração, ou a exaltação do coração, mas isso não tem qualquer diferença, porque corresponde à atualização.
A diferença entre aqueles de 3D unificada, que compreenderam que há necessidade, nos mundos carbonados, não de uma organização, mas de pôr o Amor e o serviço à frente, é que vocês veem por toda a parte.
É claro, é este período que é o mais propício.
Quanto mais há desordem exterior, e mais, por vezes, você está agitado, mais você tem certeza de encontrar a paz.
Não pode haver outra escapatória.

Então sim, é um período importante.
É por isso que eu sempre disse, já no fim do ano passado, quando nós demos, eu, alguns elementos, e Anael a cronologia, se quiser, da Ascensão, ao dizer-lhes que isso podia acontecer não importa em qual ordem, mesmo se era dado de maneira cronológica e lógica.
É claro, tudo isso você vê hoje.
Seria preciso, verdadeiramente, estar na negação da realidade humana e social para não se dar conta de que há uma grande renovação, digamos.
Então, é claro, segundo cada um, a renovação acontece na Terra, na mesma dimensão.
Isso é a crença deles, e é, também, a liberdade deles.
É por isso que esses seres serão diretamente atraídos para uma terceira dimensão unificada após o Apelo de Maria.

Você vê tudo isso todos os dias.
Você o verá cada vez mais claramente.
Todos os sinais, todos os sintomas, tudo o que foi preparado durante esses anos, anunciado pelos profetas vive-se, exatamente, nesse momento.
E, é claro, nós nos regozijamos de cada dia que passa, porque mesmo aqueles de vocês que estavam na esperança e na expectativa de uma data precisa, dão-se conta de que não há necessidade de esperar essa data para ser o que vocês são.
Isso vai tornar-se cada vez mais fácil.
Então, vocês pensem bem que, quando estão na paz, mesmo tendo filhos, e que vocês encontraram quem vocês são, realmente, na eternidade – porque isso se desvenda – qual inquietação vocês podem ter pelo futuro desse mundo, pela perda de seus filhos ou do que quer que seja?

É, sempre, o ego que procura continuar esse semblante de vida.

Questão: onde está a Terra em sua progressão física?

Bem, como você sabe, como foi dito, os dragões esburacaram a Terra para que ela se esquarteje sem muitos inconvenientes.
Isso quer dizer que o ideal é que as ondas, no momento da parada, não ultrapassem duzentos e cinquenta metros, não é?
Portanto, se quiser, foi preciso criar condições, buracos, ao mesmo tempo para favorecer e criar linhas que unissem esses buracos para expandir a Terra, como eu havia dito há muito tempo, que passa de 7.000 km de diâmetro para 10.000, não é?
Então, se quiser, não é o dobro, mas isso dá de 30 % a 40 % de aumento de volume com a mesma matéria, mas que se espiritualiza mais.
Então, foram criados buracos redondos para permitir às linhas juntarem-se com o mínimo de dano.
Nós procuramos, sobretudo, quer sejam os povos da natureza, nós, a Luz, e vocês, que não haja perdas, entre aspas.
Não é questão de ir contra a expressão da menor liberdade e do menor livre arbítrio de cada um.
E é por isso que nós insistimos, já há um pouquinho de tempo, ao dizer-lhes que tudo está perfeito e que nada pode estar fora de seu verdadeiro lugar.

Questão: a questão era de saber onde está a Terra em relação à sua Ascensão final.

Bem, tudo está pronto.
Tudo está absolutamente pronto, já desde o início deste ano, nada falta.
Mas, simplesmente, nós observamos, com vocês, que esse despertar da humanidade, que não é, necessariamente, um despertar espiritual, mas que é um despertar à sua própria humanidade, e ao serviço, ao Amor, mesmo expresso nesse mundo – não o amor condicionado, afetivo, mas o amor da humanidade – prova que há uma mudança importante que se produz.
E nós estamos felizes de constatar, cada dia, que a Luz espalha-se, cada vez mais.
Há cada vez mais abertura, e essa abertura não é, necessariamente, uma Ascensão, vocês sabem, mas é uma abertura que põe cada irmão e irmã em face de sua própria evolução, na alegria e no júbilo, qualquer que seja a desordem do mundo.

Questão: haverá, depois de tudo isso, outra forma de vida sobre a Terra?

Sim, na nova Terra de quinta dimensão.
Mas isso não será sobre a Terra, será no Intraterra.
Eu já disse que a Terra, após a Ascensão, não terá um aspecto diferente de Marte ou de Vênus.
Tudo é plano, quase, já que não há mais forças gravitacionais, de atmosfera, como vocês chamam, nesses planetas como Marte ou Vênus.
Isso não quer dizer que não haja vida, mas a vida está, realmente, onde ela deve estar, perto do Coração do Coração.
Mas se você quer mais informações, eu lembro que tudo isso, nós falamos muito, muito, muito longamente, em torno das Núpcias Celestes e após.
Isso já foi dito.
Portanto, eu posso apenas remetê-lo ao que eu mesmo pude dizer, bem antes das Núpcias Celestes.
E você verá que tudo o que se desenrola agora, eu o havia dado à época, porque estava inscrito, é claro.

Aliás, se você está perfeitamente consciente de que tudo está inscrito e de que tudo está perfeito, não posso imaginar você querer empreender uma diligência de mudança de sociedade, não é?
Ou, então, você não vive os processos atuais em curso.
Mas você pode admirar a Inteligência da Luz através de tudo o que se vive, já há alguns momentos.

… Silêncio…

Questão: Nicolas Flamel falou do ponto zero, no qual se podia passar pelo buraco da agulha ao ter tudo eliminado.
Você pode desenvolver?

Oh, isso foi desenvolvido inumeráveis vezes.
Há os que desembarcam ou o quê, aí?
É, simplesmente, a passagem do grande limiar, isso foi, também, chamado assim, parece-me, hein?, por outros «Melqui» que eu lhes enviei.
Portanto, é a mesma coisa.
Tradicionalmente, na Tradição, fala-se dos guardiões do limiar, do pequeno limiar e do grande limiar.
O guardião do pequeno limiar pode apresentar-se sob a forma de diabo, de dragão, de algo de aterrorizante.
No grande limiar, nada mais há que se apresente, é o buraco negro.
Portanto, eu não vou voltar a isso.

Questão: final de 2012, sua injunção foi de ficar tranquilo.
A partir de fevereiro, a injunção seria de desaparecer?

Não vá pendurar-se, hein?, de qualquer forma.
Viva e permaneça tranquilo.
Seja lúcido e faça o que a Vida pede-lhe para viver.
Vá para a Evidência, isso foi repetido, aliás, durante todas essas Crônicas, por todos os velhotes, concernente a isso.
É a época das medalhas e das recompensas, portanto, você vê, não há demasiadas coisas a esperar.
Mas, aí, são grandes medalhas, não se pode mais pendurá-las ao lado.

… Silêncio…

Questão: qual é o interesse para nós de ir ao encontro dos elfos, ondinas, gnomos e dragões que representam os quatro Elementos?

Vamos enviá-lo ao curso de recuperação, porque isso foi explicado em tudo o que nós exprimimos através de diferentes canais, no ano passado, concernente à capacidade desses reencontros de aproximá-los de seu ser profundo e de viver o Amor.
Como nós havíamos dito, não é uma finalidade em si, é apenas a experiência e a beleza da experiência que os aproxima de sua intimidade.
Do Coração do Coração, se você prefere.
E isso foi desenvolvido no comprimento, largura e diâmetro.

Todos esses jogos, como diria Bidi, dessa cena de teatro que não existe, é apenas para fazê-los compreender que isso não existe – e, sobretudo, vivê-lo.
Há meios mais diretos.
Há a cenoura, há as varas, há o sofrimento, há, também, os dragões, mas são, sempre, pretextos.
Tudo isso é o que são manifestações da consciência.
Você acha que algumas irmãs Estrelas, que viviam êxtases, tinham necessidade de encontrar tal entidade, tal dragão?
Elas não tinham necessidade de encontrar ninguém.

É aí que essas experiências são suscetíveis, não de levá-lo, porque é você que dá o último passo, mas de prepará-lo para esse último passo, de dar-lhe não a crença, mas a certeza, pela experiência vivida, da «realidade», de uma realidade transcendente e bem mais real do que o que se pode viver na densidade desse mundo.
Isso relaxa os laços e permite acumular.
Eu o lembro, por exemplo, de que, nos povos da natureza, há vórtices multidimensionais e de quinta dimensão e, ao ir conversar, ao ir colocar-se nesses lugares, mesmo se você não os perceba, você se beneficia desse influxo de Luz e de Amor.
É isso que cria, que re-sintetiza o corpo de Existência, que oxigena seu sangue e que permite a transmutação.

… Silêncio…

Questão: como se pode utilizar o melhor possível o que nos deu Silo?

Eu não estou certo de compreender.
Eu ouvi tudo, mas eu não tenho certeza de compreender o que isso quer dizer.
Ele foi muito simples.
É, eu creio, um gesto preciso a fazer em si, a traçar em si, é tudo.
Faça-o e você verá o que acontece.
Não peça técnicas, rituais ou o que quer que seja.
É muito simples.

Questão: nós podemos fazê-lo tantas vezes quanto necessário?

Sim.
Não vale a pena aprofundar até as costas.
Mas não é um gesto simbólico ou sibilino, unicamente, é, antes de tudo, um ato energético preciso, que cria algo ao nível do corpo etéreo e do corpo de Existência, também.
Faça-o, simplesmente.
Depois, não há regra.
Se você quer fazê-lo até aprofundar atrás de seu corpo, não há problema.
Se você quer fazê-lo uma vez por mês ou não fazê-lo, é a você que cabe ver.
Em tudo o que nós damos agora, você o vê, já, há mais de um ano, nós os deixamos inteiramente livres para fazer o que vocês têm vontade de fazer.

Nós temos distribuído, durante todos esses anos, um conjunto de técnicas, de meios, de rituais, de protocolos, mas, depois, não há «melhor fazer» ou «não fazer».
Alguns vão preferir fazer a dança do Silêncio, outros, vão preferir desaparecer, outros, vão preferir ficar na Devoção, e outros, enfim, vão fazer isso e vão aperceber-se de que é o que corresponde a eles para facilitar seu ser profundo, seu ser eterno.
É você que vê.
Cada um de vocês vê, exatamente, se sente utilizar isso ou não.
Mas, sobretudo, fazer a experiência para ver o que isso desencadeia.
Tente, em diferentes momentos, em diferentes circunstâncias, e você verá o que acontece.
Você pode fazê-lo ao escutar-me, por exemplo.

… Silêncio…

Vocês estão todos aprofundando?
Bem, eu creio que, se vocês não têm mais questões, vamos deixá-los correr por aí, não?

Questão: há cada vez menos questões, e elas são, frequentemente, repetitivas.

Ótimo, porque quanto mais é repetitivo, não mais é chato, bem ao contrário, isso prova que é o nó do problema, mas, quando não há mais questões que saem, bem, isso prova que a Evidência está aí, não?
Ou que a sesta está aí, isso depende.
Sobretudo que, aí, eu disse nada de questões pessoais; é claro, quando é pessoal, há, sempre, a pessoa que se interessa.
Portanto, é normal, você observou, tem-se, sempre, menos questionamentos quando isso concerne a um processo que é muito recente, há um tempo de integração, mas eu venho, de qualquer forma, para as questões, porque é bom especificar alguns elementos.

… Silêncio…

Questão: pode-se ter o fogo vital no peito ou é, forçosamente, o Fogo vibral?

Há uma diferença essencial.
O fogo vital pode girar apenas ao redor do chacra do coração que é pequeno.
O Fogo vibral gira na Coroa radiante, que recobre todo o peito.
Portanto, é muito fácil fazer a diferença entre o fogo vital, que é, de fato, o chacra do coração que gira – mas não nos planos espirituais – e o Fogo vibral, que interessa bem mais do que o chacra do coração.

Questão: isso tem uma relação com as lufadas de calor que chegam subitamente?

Sim, é claro, é exatamente a mesma coisa.
Mas é ligado, sobretudo, à aproximação de Hercobulus, e aos campos eletromagnéticos que destorcem o espaço, que lhes dão a viver os buracos de memória, os desaparecimentos, a impressão de reencontrar pessoas que você já conhecia.
Todos os setores de isolamento, todas as franjas de interferência caem, umas após as outras, nesse momento.
Portanto, é claro, o fogo, o sangue que se regenera em outra dimensão dão calores.

… Silêncio…

Se não há mais questões, penso que será a hora da recreação.

Questão: a Luz pode levar-nos a cortar alguma coisa ou, na Luz, nada há, jamais, que seja limitado e, portanto, cortado?

Na Luz, você quer dizer o quê, na Luz, nas outras dimensões?

Questão: não, a Inteligência da Luz pode levar-nos a romper coisas, a parar coisas brutalmente?

Sim, é claro.
É o que faz, também, Miguel, parece-me.
Ele não corta, unicamente, no céu, ele poda em vocês, ele retira os pedaços supérfluos; é a poda de primavera.
Mas tudo está perfeito nos planos unificados.
Além da 3D, hein?, porque a 3D é muito específica, pela estrutura carbonada, mesmo quando ela é livre.
Além disso, nada há a cortar, no sentido em que é vivido nessa Terra.
Nada há a retirar, há tudo a magnificar a cada minuto, é tudo.
Mas a Luz é muito incisiva atualmente, independentemente de Miguel.
Devido ao Face a Face, ao sozinho e à iluminação, há coisas que se cortam por si mesmas, e é indispensável, mas não é sua vontade pessoal que corta.
Aliás, Cristo disse que Seu Verbo era uma espada cortante também.

Questão: o que você pensa dos movimentos sociais atuais na França?

Tudo o que se produz na Terra resulta da tomada de consciência, não, necessariamente, espiritual, como eu disse, mas de sua humanidade.
Por que aqueles que organizam, e que supostamente querem comandar ou são mais inteligentes, estariam mais na facilidade, em todos os sentidos do termo, do que aquele que é o mais miserável de nós nessa Terra?
É claro, isso não é a espiritualidade, mas é, no mínimo, a humanidade e a simplicidade, portanto, é, também, uma forma de despertar.
E eu sempre disse, se você olha o que eu pude dizer há mais de dez anos, que tudo começará pela França, não ao nível geofísico, porque tudo é tocado alhures, mas, na França, não há muitos buracos na terra, porque é difícil perfurar o francês.
Mas os buracos são feitos, de qualquer forma.

Então, é claro, tudo, absolutamente tudo o que se desenrola é apenas o estabelecimento da Luz.
Mesmo se as traduções sejam bem diferentes, conforme você seja um mau rapaz, qualquer um que não está desperto, um irmão ou uma irmã que é, ainda, demasiado jovem ou que não está desperto à sua própria alma, mas é, já, um impulso fantástico.
É a fraternidade, tal como eu sonhei em minha vida, apesar das diferenças, apesar dos pontos de vista, por vezes, opostos.
E eu sempre disse que seria a França que levaria a dança, a partir do instante em que ali houvesse eventos importantes, um pouquinho antes.

E você vê tudo o que acontece.
Não, unicamente, na França, mas em todos os países.
Exceto que, aí, há um impulso que é muito mais vasto não, unicamente, para a França, mas na escala da humanidade.
E é ótimo, mesmo se, do ponto de vista do Absoluto ou do Si, seja um erro.
Mas, para esses seres, não é, certamente, um erro.
Você vê, o erro é relativo.
Não existe erro absoluto, o que é erro em um nível é verdade em outro nível.

Portanto, é preciso supervisionar, precisamente, o que eu nomeei o belo mês de maio.
Eu o lembro de que o mês de maio, em geral, produzem-se coisas engraçadas entre março e maio nesse país que é a França, hein?, eu o lembro – antes que elas sejam desviadas, é claro, como é sempre desviado.
Mas houve, entretanto, uma revolução que já se produziu e, em seguida, o que foi nomeado, eu creio, após a Revolução francesa, o episódio dos Comuns, as insurreições.
E isso se produz, sempre, na mesma época, porque é a seiva que sobe, é tudo o que estava nas profundezas da terra e da consciência que entrou em gestação durante o inverno e que o Sol faz sair agora, através – este ano, mais especificamente – da co-criação consciente, mas, também, do masculino sagrado.

Mesmo, eu repito, se não seja uma expressão puramente espiritual de Luz; é uma manifestação material da Luz.
E, para esses seres, que se engajam em tudo o que se produz, é fantástico.
Você não se dá conta do que isso provoca ao nível da alma, descobrir que cada irmão e irmã é importante e que não há que entregar seu poder a um fantoche, porque, supostamente, você o elegeu.
Tudo isso se revela nesse momento.
Mas cada um tem um combate diferente.
Há os que combatem no próprio Face a Face, outros, que vão propor outros eventos, mas todo mundo será colhido, exatamente, no que ele está fazendo ou sendo, a partir do instante em que houver o Apelo de Maria.
E cada coisa estará em seu lugar.

Questão: você fala de estações como arquétipos importantes de transformação...

Sim, é claro, isso foi explicado através dos ciclos, parece-me, por um de nossos Melquisedeques.

Questão: … o que se vive é um tempo de colheita, mas a colheita é no outono.

Isso depende para quê.
A colheita do trigo é quando?
É no São João de verão.

Questão: é interessante.

É claro que é interessante.
É interessante porque há um simbolismo e uma analogia, e uma sincronia total.
É por isso que nós dissemos que havia períodos propícios durante esta fase de Ascensão que vocês vivem.
Havia o belo mês de maio, havia o 15 de agosto, há o solstício de verão e, depois, há o São Miguel.

Questão: e depois, nada mais há?

Então, isso, só a Luz sabe.
Mas bem, você vê, de qualquer forma, tudo o que se produz, não?
Aí está.
Então, viva-o também.
Porque, assim que você busca uma data agora, fora o entusiasmo ou o medo, há, sempre, de algum modo, a noção de pequenos proveitos que se pode ter.
Isso é inerente à natureza humana, mas isso prova, também, que há, ainda, uma pessoa que tenta aproveitar de algo.
Viva o que você tem a viver.
Veja o que se desenrola.
A única vantagem que você pode tirar daí é entrar, ainda mais, na eternidade.

Questão: os dois ideogramas chineses que são utilizados para definir a França são Terra e Buda.
Em que a França é a terra de Buda?

A França é a filha mais velha da Igreja, já.
Mas qual Igreja?
A Igreja primordial de Cristo, não a Igreja católica romana ou ortodoxa, isso nada tem a ver.
Qual era a questão?
A França era o quê?

Questão: há dois ideogramas chineses que definem a França como Terra de Buda.

É um Buda de cabeça dura então.
Você não tem mais raciocínio do que a França, você não tem mais...
O país no mundo, eu não falo dos orientais, eu não falo do Oriente Médio, mas o país que, atualmente, ainda hoje, que tem mais uma cabeça em concreto armado, é a França, ao nível coletivo.
Bem, você vê bem isso.
E é isso que é maravilhoso, é que, justamente, acontece o que eu havia anunciado agora na França.
Isso prova, também, que a cabeça está bem perfurada.
Era o marcador essencial.
É claro, com os eventos, despertar de vulcões, sismos, tudo o que se produz na Terra, as mortes de animais, tudo isso, se quiser, assinala.
Mas é claro que muitos irmãos e irmãs começam a colocar-se questões sobre esse processo de extinção que está em curso.

Questão: o movimento social na França acentuou-se logo após o dia de Páscoa, logo após a Ressurreição.

Sim, os sinos soaram.
São os sinos da Ressurreição.

Questão: é na França que há mais centrais nucleares.

Oh, de todo modo, elas vão todas explodir, então, você sabe.
Assim que o impulso eletromagnético de Nibiru for suficiente, será necessário não mais pensar em eletrônica, hein?, terminou.
Mas não se inquiete por tudo isso.

Questão: vamos, em breve, ver Nibiru a olho nu, mas é todo um Sistema Solar, com outros planetas.
Nós veremos esses outros planetas?

Vocês nada verão do Sol, do segundo sol, e vocês nada verão dos satélites ou dos outros planetas.
Vocês verão apenas ele, porque é o único que emerge do limbo do Sol.

Acredite em mim, isso será, já, um choque suficientemente importante para muitos, sobretudo, que o laço que será estabelecido, diretamente, entre o que se produz na Terra, que se produz antes que isso seja visível.
Isso já começou, é claro, hein?
Mas vocês vão..., ninguém mais poderá ignorar.
Do mesmo modo que, após o Apelo de Maria, ninguém mais poderá fingir que sua consciência não estava a par da verdade, quaisquer que sejam os caminhos, hein?, e qualquer que seja o destino.

Questão: há muitos seres humanos que estão fechados a esse conhecimento.

Felizmente, mas eles serão esmagados.
E é o melhor choque que se pode desejar a eles.
Você é pó e você retornará ao pó.
Será que você quer continuar pó?
Eu não creio que haja muitos que respondam «sim».
Neant sim, é o Absoluto, mas pó não, não verdadeiramente.
É claro, haverá, sempre, irmãos e irmãs um pouco perturbados que poderiam aceitar penetrar a consciência em máquinas.
É, aliás, por isso que não haverá mais qualquer eletrônica, antes, mesmo, do planeta grelha final.

Questão: se conectamos os lugares de aparição de Maria, na França, isso forma um M.
Isso tem um sentido?

Oh, eu creio que a própria Maria disse que eram aparições dela mesma, mas que não era ela, para a maior parte, concorda?
Agora, que isso desenha um M na França, sim.
Isso foi evocado bem antes das Núpcias Celestes.
Há duas regiões na França que estão em todas as profecias, aliás, ao pé dos Pirineus, em uma faixa de 30km e a Bretanha, uma parte da Bretanha, que são zonas estratégicas para as forças de Luz e para o conjunto do continente europeu.
Mas isso não corresponde, necessariamente, ao povo francês, seria orgulho crer que o povo francês, «a elite francesa», tenha algo a ver com isso.

Questão: isso quer dizer que essas zonas serão protegidas?

Oh, a proteção nada quer dizer, nada mais haverá a proteger.
Você quer proteger o quê?
Há lugares de reagrupamentos, lugares de pré-reagrupamentos, isso é conhecido, há deles, aliás, um pouco por toda a parte, há os Círculos de Fogo, é claro, mas nada há a proteger.
Aquele que quiser salvar sua vida, perdê-la-á.

Questão: no que concerne aos Círculos de Fogo, continua a restar seis?

Sim, sim.

Questão: em 2012, você havia falado de manifestações importantes nas ruas.
É bom evitar essas manifestações?

Eu o engajo, sobretudo, se você tem a possibilidade, a ver o impulso vital – eu não posso falar de impulso vibral – o impulso vital e o amor que emanam disso.
Você ficaria surpreso com a diferença, para aqueles que conheceram manifestações diferentes.
Você verá que há uma mudança real.
Bom, há, sempre, aqueles que batem com os cassetetes, é claro, há os excitados, mas há, verdadeiramente, algo que você poderá constatar.
Faça-o, enquanto ainda é possível.

E, depois, vá, também, porque se você vai a esses lugares, mesmo sem participar, no sentido em que essas pessoas entendem, o que vai acontecer?
Você é, você também, Luz.
Você vai, sem nada dizer, escondendo-se, mesmo, você vai sentir o que acontece, é claro.
Mesmo se seja a boa vontade que se manifeste é, apesar de tudo, uma primeira etapa para a renovação ou a transformação, não?

Questão: em casa de amigos, todas as manhãs, um pássaro vinha dizer-nos bom dia na janela.
Eu senti que era você.
O que você pode dizer disso?

Eu estava bem vestido, pelo menos?
Eu posso dizer que se é um tordo, sim.
Os pássaros são mensageiros.
Você sabe tanto quanto nós que os maus rapazes, para aqueles que se arrastam ainda, que se pode investir um animal sem qualquer dificuldade.
Quando eu digo investir, isso não é uma possessão, é uma transferência de consciência.
Nós temos afinidades uns com os outros.
Teresa é a rosa, eu sou o tordo.

Está na hora.

Então, é a hora da recreação.
Quanto a mim, eu concluo, então, essas Crônicas dos Melquisedeques da Ascensão sobre o masculino sagrado, dizendo-lhes: amem, amem.
Tudo isso deve preencher, completamente, o campo de sua consciência.
Não porque isso deve, mas porque é a Verdade, simplesmente.

Eu lhes transmito todas as minhas bênçãos, todo o meu Amor.

Até breve.



CADERNOS DE ABRIL DE 2016
CRÔNICAS DA ASCENSÃO
Crônicas dos Melquisedeques – O Masculino Sagrado




Mensagem de O.M.AÏVANHOV
Abril de 2016





Agradecimento especial:
Traduzido para o Português por Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails