quinta-feira, 17 de março de 2016

QUESTIONAMENTOS - O.M.AÏVANHOV - MARÇO DE 2016 - PARTE 3

Rendo Graças ao autor desta imagem




O.M.AÏVANHOV
PARTE 3 - MARÇO DE 2016




QUESTIONAMENTOS


Bem, caros amigos, eis-nos, de novo, reunidos, em comunhão de coração.

Queiram, primeiramente, receber todas as minhas bênçãos e todo o meu Amor.

… Silêncio…

Então, se quiserem, vamos continuar a clarificar, se posso exprimir essa palavra, tudo o que se desenrola, nesse momento, e vamos continuar os questionamentos, tais como vocês quiseram submetê-los ontem.
Então, eu a escuto, cara amiga.

Questão: o jejum é para fazer regularmente?
Se sim, em qual frequência?

Então, aí, cara amiga, eu não tenho prescrições.
É a você que cabe ver o que isso propicia ou, então, o que isso retira, é a você que cabe ver.
Eu dei, ontem, certo número de mecanismos concernentes ao jejum total, curto.
Agora, é você que vê, em função dos benefícios ou dos inconvenientes que você extrai daí.
Cabe a você ajustar-se e acertar-se, não há regra formal nem conselho formal em relação a isso.
Cabe, portanto, a você decidir, em total liberdade, o que você tem vontade de fazer, ou de não fazer com isso, segundo os efeitos, os benefícios, segundo o que você observa ou não.
Mas, eu repito, nós não estamos, aqui, em um jejum que se poderia chamar de terapêutico, no qual é preciso fazer uma dieta hídrica e o jejum deve durar, eu diria, mais tempo.
Aí, é apenas uma experiência, mas essa experiência, se ela lhe propicia mais Luz, mais verdade, então, faça-a uma vez por semana, se quiser.
Mas é você que decide.

Você sabe, aliás, que nas religiões, quaisquer que sejam, há, frequentemente, jejuns.
Há, mesmo, seres humanos, em uma religião, que não comem entre o nascer e o pôr do Sol, e isso durante várias semanas.
A ótica é um pouquinho diferente, mas, sempre, está por trás isso: o objetivo de limpar, de purificar, de elevar as vibrações e de desobstruir-se, se posso dizer, do hábito de ingerir a matéria.
E ver se a ingestão de Luz é favorecida nesse caso, porque é um equilíbrio, se posso dizer, entre o vital e o vibral.
Você sabe muito bem que o vital e o vibral..., isso foi explicado, também, numerosas vezes, não é?, a diferença entre as energias do prana e as energias da Città, com efeitos profundamente diferentes, de um lado, na vitalidade para um e, no outro, nas manifestações, nas percepções da própria Luz vibral.

Veja como evoluem sua consciência, seu corpo, seus desconfortos, suas emoções, seus humores, em suma, seja o observador fino do que se produz durante esse período.
Não é porque você vai repetir isso todas as semanas que isso será, necessariamente, útil.
Para alguns, pode ser útil, para outros, totalmente inútil; cada um é diferente em relação a isso.
Então, tente, e você verá.
Mas eu não posso dizer-lhe para fazê-lo todas as semanas ou a cada quinze dias e, de qualquer modo, você verá, efetivamente.
Eu lhe assinalo que, durante a estase, e já antes da estase, para alguns de vocês, a alimentação já terá cessado, é claro.
Então, eu não tenho prescrição oficial a dar-lhe de minha parte ou da Luz em relação a isso.
É a você que cabe ver o que se desenrola em si mesma e em cada um de vocês e, independentemente dos mecanismos que eu descrevi, você observará diferentes tipos de efeitos.
É a você que cabe controlar, por si mesmo, observar o que vai desenrolar-se durante esse período breve.

Você pode, também, completar, mas não vale a pena fazer tudo isso imediatamente, você teve o hábito, alguns de vocês, de viver períodos de silêncio, períodos de silêncio das palavras, silêncio do olhar.
Você pode muito bem acoplar um período de vinte e quatro ou quarenta e oito horas de jejum total com um período de silêncio total.
É o melhor modo, eu diria, de entrar no Coração do Coração, para aqueles que têm dificuldades para ali dirigir-se ou para ali manter-se.
Isso será uma ajuda considerável, eu posso dizer, para alguns de vocês.
É claro, isso não é válido para todo mundo, é a você que cabe ver.

Você vai, fazendo os dois, por exemplo – ao mesmo tempo – você vai eliminar, se posso dizer, toda a dinâmica de entrada e de saída em você.
Você vai, portanto, privar-se, se posso dizer, das interações entre a pessoa que você é aqui, nesse mundo, e o ambiente, no sentido o mais amplo.
E, quando a pessoa não é mais nutrida pelo ambiente, quer seja pelos estímulos da palavra, pelos pensamentos, pelos alimentos, resta o quê?
A vacuidade e a disponibilidade, para alguns de vocês, de encontrar, talvez, mais facilmente, o Coração do Coração e fazê-lo crescer.

Para alguns de vocês que se fartam, por exemplo, de imagens, quer elas sejam da internet ou televisuais, essa será, também, a possibilidade de parar de nutrir a visão exterior.
O que favorecerá, é claro, a visão interior e, talvez, de maneira sucedânea ou imediata, a visão do coração ou a visão sem olhos, que lhe dará a penetrar, de maneira mais exata e mais íntima, talvez, seu estado de ser definitivo.

Mas, eu repito, não há regras gerais, é diferente para cada um de vocês.
Mas eu a lembro, contudo, que Cristo havia dito que o que é importante não é o que entra em sua boca, é o que sai dela.
Portanto, você pode, através da associação, por exemplo, do jejum e do silêncio das palavras, também, por vezes, do olhar, você vai cortar, sucessivamente, todas as informações que vêm do exterior – e, assim, tudo o que você emite para o exterior – e que pode criar condições propícias para instalar-se, eu diria, mais facilmente, de maneira mais livre – porque você não será incomodada, ao mesmo tempo, pela energia vital mobilizada pela digestão, pelos pensamentos e as palavras que você emite ou, ainda, pelos estímulos visuais.
Ao colocar-se, desse modo, em uma forma de repouso, eu posso, sem avançar demasiadamente, dizer-lhe que essa será, sobretudo neste período, no qual há tantas e tantas partículas adamantinas, a capacidade para estar mais disponível para viver sua eternidade e não sustentar demasiado, se posso dizer, seu efêmero.
Sem renegá-lo, contudo, mas você limpa os caminhos, os circuitos, ao nível do Corpo de Existência, que entrarão, talvez, em manifestação e tornar-se-ão, então, para você, evidentes.
Mas é claro, isso não é válido para cada irmão e irmã, cabe a você ver o que pode convir a você.
Mas eu não falei de repetição.
Agora, se você quiser repeti-lo, é função das vantagens que você terá encontrado, talvez, praticando isso.

Outra questão.

Questão: você falou de crianças que vão nascer com os olhos abertos.
Qual é o significado disso?

Ah, eu não disse que as crianças nasciam com os olhos abertos, eu disse que elas abririam os olhos muito mais cedo; não é, absolutamente, a mesma coisa.
Efetivamente, em alguns escritos orientais, quer seja no Budismo ou, ainda, na filosofia indiana, é feita referência a seres despertos que nascem, efetivamente, de olhos abertos.
Eu creio, se minhas lembranças são boas, que foi o caso para Maharshi, foi o caso para outros místicos, em especial orientais, que nasceram com os olhos abertos a partir da saída do ventre de sua mãe.
Isso assinala, efetivamente, uma consciência, talvez, um pouco diferente, a partir da encarnação.
E qual foi a questão em relação a isso?

Questão: qual é o significado, porque você falou de crianças que vão nascer com os olhos abertos.

Ah não, eu não creio ter dito isso.
Não é, absolutamente, a expressão.
Ninguém nasce de olhos abertos, mas os olhos dos recém-nascidos abrem-se muito mais rapidamente, de uma maneira geral.
Aqueles que vão nascer durante este período específico, se quer, já desde dezembro, serão crianças, também, muito especiais, independentemente, mesmo, desses olhos abertos ou de uma presença maior, vigilância delas maior ao ambiente.
Elas são mais maduras, se posso dizer, porque, graças ao afluxo de partículas adamantinas, em especial que passam através da mãe, vão estimular, se posso dizer, alguns processos que você vive, sendo adulto.
E, portanto, há uma forma de plasticidade e de eficácia muito mais real para os recém-nascidos a vir, e que já vieram – é assim, você sabe, há numerosos anos porque, por exemplo, há autores que falaram de crianças índigo, as crianças cristal, as crianças diamante.
É um pouco o mesmo princípio, a mesma ideia, e é assim, você sabe, há mais de trinta anos, agora que isso foi estudado.

Portanto há, efetivamente, entidades que tomam um corpo físico e que estão muito mais despertas, efetivamente, do que o que acontecia para os recém-nascidos nos séculos anteriores e desde que o mundo é mundo, aqui na Terra.
Portanto, são crianças, independentemente dos olhos, que, globalmente, estão mais abertas; elas estão mais abertas para a própria eternidade.
Eu lhes disse ontem, efetivamente, que antes dos dois anos, antes que as moleiras voltem a fechar-se, a comunicação com o céu era quase inteira, já, em todo recém-nascido.
Mas aí, as qualidades do despertar e da relação ao ambiente é, talvez, mais viva, de imediato, com uma luz e um brilho no olhar ou o sorriso desses bebês.
Tanto mais se a mãe já está, ela também, desperta ao nível das Coroas.

Outra questão.

Questão: a estase instalar-se-á de modo progressivo, a partir das Trombetas, ou abruptamente?

Então, aí, tudo é possível.
Há, já, irmãos e irmãs despertos que vivem momentos de estase.
Eles não sabem mais quem são, eles perdem a cabeça, eles não se lembram mais do que faziam cinco minutos antes, eles não se lembram mais de quem são.
É o Alzheimer espiritual, se quer, hein?
É uma doença da moda, mas são, também, sintomas, eu diria, de pré-estase.
Então, se se olha um pouquinho a ação dessas Trombetas, que é o testemunho de alguma coisa, é claro, a maior parte dos seres humanos ficará chocada, porque eles não sabem o que é.
Eles ficarão, mesmo, aterrorizados por esses ruídos e esses sons, e essas vibrações também, porque, se você teve a chance de ouvi-los, aí onde você vive, você pôde constatar que é um ruído que sai do comum, se posso dizer.
Não é um ruído que se possa reconhecer, e isso se traduz, por vezes, por modificações de humor importantes, por reações importantes.

Mas, no que concerne à instalação da estase, eu o lembro de que há três dias de Trombetas, o Apelo de Maria e, três dias depois, a estase.
Mas desde o início as Trombetas, que são ouvidas por toda a parte, hein?, eu especifico bem, você observará, já, modificações importantes.
Isso foi descrito, se posso dizer, quando das passagens anteriores de Nibiru na fase intermediária, ou seja, não nos ciclos de respiração cósmica de vinte e cinco mil anos, mas passagens diferentes, em relação à órbita da Terra, que havia ocasionado, também, o dilúvio, por exemplo, há certo tempo.
Mas, também, os seres que começam a ouvir sons, sobretudo quando esses sons são permanentes, ou seja..., quando eles duram uma hora, uma noite, e desaparece, não é grave, mas, quando não, unicamente, eles forem ouvidos por toda a parte e progressivamente, em intensidade cada hora e cada dia, é evidente que as reações de cada ser humano serão diferentes, em função de sua própria ressonância.

Alguns poderão, já, viver, eu diria, a Liberação, antes, mesmo, da estase, cairão de joelhos, antes, mesmo, do Apelo de Maria, sem saber, contudo, o que há em seguida.
Porque haverá uma espécie de reconexão da consciência e uma reconexão do DNA específico, que é ligado a essas vibrações e esses sons.
Agora, haverá, é claro, muitos irmãos e irmãs que estarão, naquele momento, na resistência em relação ao medo da morte, ao medo do que isso significa, e que estarão em situações, talvez, de angústia ou de grande alegria.
Tudo será possível.

Isso será diferente, é claro, no momento do Apelo de Maria e no momento da estase, mas a instalação na estase far-se-á de maneira abrupta, o mais tardar, vinte e quatro horas após o Apelo de Maria – porque haverá, ainda, os que serão capazes de resistir, porque a resistência vital deles o fogo vital não quer deixar-se apagar.
Esse fogo auto mantém-se pelas emoções, os medos, e não deixa o fogo vibral agir.
Assim, portanto, o princípio dos três dias de estase concerne, como você sabe, a todas as consciências, durante este período, porque não há apenas os sons que agem, é claro, há as modificações, ao mesmo tempo, gravitacionais, ao mesmo tempo, de rotação da Terra, os sinais celestes e tudo isso, se quer, cria um cortejo muito apocalíptico, como lhes mostraram alguns filmes e como está escrito, também, no Apocalipse de São João.

Todos esses sinais serão evidentes, mesmo para aqueles que não se interessam por todos esses dados históricos ou proféticos, e que não se interessaram pelo que acontecia na Terra ou neles, que estavam demasiado tomados pela vida material ou a vida afetiva, ou a vida nesse mundo.
Isso representará o maior choque da humanidade.
Você sabe que o Choque da Humanidade já é vivido, para alguns de vocês.
Há outros que dormem ainda, literalmente, e que de nada suspeitam, absolutamente, quer seja por negação ou, realmente, por ausência de percepções, se posso dizer, vibratórias ou de consciência.
Mas a estase será mais ou menos progressiva, mais ou menos abrupta, segundo seu posicionamento, segundo o posicionamento de cada irmão e irmã, portanto, não há regra formal aí.
Se quer, é como o aspecto cronológico que lhes foi apresentado em uma sucessão precisa.
A única sucessão lógica é: Trombetas, Apelo de Maria, estase.

Houve, ontem, questões em relação aos cento e trinta e dois dias, é claro.
Os cento e trinta e dois dias foram, inicialmente, previstos, e continuam previstos para serem após a estase, no despertar da estase.
Quer você desperte nesse mundo, em outro mundo, em um Círculo de Fogo ou que você não desperte, absolutamente, isso nada mudará.
Mas, para aqueles que despertarem, o ambiente será profundamente diferente: o Sol não nascerá mais no mesmo lugar, as estrelas do céu não estarão mais no mesmo lugar, e a própria Terra não apresentará, absolutamente, a mesma configuração que aquela que você conhece hoje.
Não se passa de maneira silenciosa, eu diria, de um tamanho a outro tamanho, para um sistema solar, é claro.

Portanto, tudo isso faz mudanças importantes, nas quais cada um estará de face ao que ele co-criou na co-criação consciente, no feminino sagrado também, segundo sua aceitação ou não, seu reconhecimento ou não, ou sua rejeição de Maria.
Mesmo se, naquele momento, for destrancada uma das portas essenciais, no interior de seu casulo de luz e de seu corpo físico, mas, também, ao nível do corpo de Existência, que lhe dará uma percepção cada vez mais nítida – que muitas pessoas ignoram, de momento – por exemplo, os elementais, as entidades, os sons sutis.
Tudo estará visível, nada será escondido naquele momento, então, é claro, você pode imaginar que, para aqueles que jamais viram uma entidade, ou jamais sentiram uma entidade, isso será uma grande, uma grande surpresa, é claro.
Mas vocês, vocês estão habituados, a maior parte.

Portanto, a estase começará, frequentemente, de maneira abrupta.
Haverá, após o Apelo de Maria, no momento real dos três dias, eu penso, durante as primeiras horas, as primeiras vinte e quatro horas, seres que estarão na resistência.
Mas não há outro modo de atualizar e de realizar, de registrar, como eu disse ontem, o Juramento e a Promessa, tal como lhe foi explicado pela Fonte.
Está inscrito em você, portanto, é preciso vivê-lo, nesse momento.

Outra questão.

Questão: por que é importante que a Ascensão ocorra no corpo físico?

Porque a Ascensão, se ela não concerne ao corpo, é uma ilusão.
Então, é claro, nós dissemos que aqueles que faleceram, eu o repeti ontem, eram mantidos em um espaço intermediário, um pouco como nós, em nossas embarcações interdimensionais, mas estabilizados – o que equivaleria, se quiser, ao que está a meio caminho entre nosso corpo de Existência de 5D e uma 3D unificada.
Nós não temos corpo físico, mas nosso corpo etéreo não desapareceu.
E, aliás, aqueles que viveram ver-nos nas embarcações, e aqueles que nos contatam aqui mesmo, onde vocês estão nesse plano terrestre, apercebem-nos com traços, eu diria, familiares, que eram os traços não de sua velhice, mas de nossa maturidade, eu quero dizer.
Apenas os Arcanjos têm a chance de poder apresentar-se em estrutura de jovens muito belos, por exemplo, eu penso, em especial, em Miguel, mas nós não.
Nós mantivemos, é claro, um resquício de forma, inscrita em nosso etéreo, porque nossa memória terrestre, e o que nós realizamos, todos os Anciões nessa Terra, serve-nos, obviamente, uma vez que nós conhecemos a Terra, nós ali peregrinamos, como vocês, nós ali nos investimos, nós transmitimos coisas.
E essas coisas são importantes para todo o trabalho que tem sido realizado, desde as Núpcias Celestes e já antes, para muitos de nós.
A questão foi o quê?

Questão: por que é importante que a Ascensão ocorra nesse corpo físico?

Sim, então, por que no corpo físico?
Porque é sua carne...
Eu o lembro de que a alma – se ela está aí – está inscrita, é claro, em todo o corpo, mesmo se haja um alojamento da alma no fígado e no coração, assim como existe um chacra para o Espírito, que é a porta Unidade, como você sabe.
Mas a Ascensão deve interessar todas as estruturas efêmeras.
Não pode ali haver borboleta se não há lagarta.
A lagarta elabora-se, ela nasce, e ela elabora a borboleta, no próprio interior dessa estrutura.
Se eu empreguei a expressão lagarta e borboleta, não foi por acaso.
Então, é claro, para aqueles que faleceram e que estão na estase, eles conservaram, também, a estrutura etérea para viver a Liberação, para assumir o que eles terão a fazer durante os cento e trinta e dois dias.

E, aliás, nós havíamos dito, para aqueles que iriam aos Círculos de Fogo, quer seja com o corpo físico ou sem o corpo físico, não faz diferença alguma.
Você se reconhecerá em uma estrutura quase física, eu posso dizer, mesmo se o corpo físico não esteja mais aí, porque, justamente, terá havido uma transmutação total do corpo etéreo que vai pôr fim, se quiser, pela Luz vibral e pelo Apelo de Maria, e pela radiação de tudo o que você conhece: o Ultravioleta, o núcleo intraterrestre, o Sol, Nibiru, a Fonte…
Tudo isso vai alquimizar essa transubstanciação da energia vital em energia vibral e uma estrutura nova aparecerá – se perde o corpo físico – que misturará traços etéreos de sua última vida e que se traduzirá por uma forma reconhecível.

É claro, aqueles de vocês que devem tomar seu vôo, e que nada mais têm a fazer nos cento e trinta e dois dias, poderão ser liberados naquele momento.
E, naquele momento, eles não terão necessidade do corpo físico nem do corpo etéreo.
Mas a transmutação da matéria é igual à Ascensão.
Você vibra de um determinado plano, em determinadas frequências, e você sobe a outra oitava vibratória, e o agenciamento dos corpos sutis, mesmo se estiverem presentes apenas durante os cento e trinta e dois dias, deve estar em perfeita sincronia ou adequação com o corpo de Existência, de maneira a que tudo ocorra bem.

Portanto, a Ascensão acontece no corpo.
A Liberação nada tem a ver com isso, uma vez que eu acabo de dizer-lhe que alguns seres não terão necessidade de esperar, se posso dizer, o que eu havia nomeado o planeta grelha final para serem definitivamente liberados.
E eu havia dito, também, sem humor, que havia, também, a nutrição, é claro, e que se preparava certo presente para os Arcontes.
Mas a Ascensão, nós lhes temos dito e repetido, de muitos diferentes modos, ela acontece aqui e agora; ela não é amanhã, ela não é alhures, ela não é em outro espaço ou em outro tempo.
E a estrutura física é «a estrutura» na qual se apoiou o corpo de Existência.
Quer seja aquele que desceu do Sol ou que se re-sintetizou, ao idêntico – enfim, no interior – em torno de seu corpo físico e de seus casulos sutis.
Hein, é o elo, se quiser, importante, é a Ascensão da matéria.
Então, se não há matéria, não há Ascensão, uma vez que vocês já estão liberados.
Não é?

Portanto, o que é importante, e lembre-se, eu repito – porque, aí também, eu me deixei influenciar pelas palavras – a Liberação não é a Ascensão.
Cada um tem uma evolução diferente, mesmo estando liberado.
Hein, eu repito: jamais foi dito que o conjunto de consciências da Terra ascensionava.
Os dragões, os elfos vão recuperar a Terra na superfície, na quinta dimensão.
Alguns humanos descerão ao Intraterra, na 3D unificada ou 5D, porque eles terão vontade de ir lá.
É isso a atribuição vibral.
A destinação não é função, doravante, de um trabalho ou do que quer que seja, é a realização do que você é ou do que você pensa ser, se você pensa ainda.

Portanto, é a liberação da Terra que não pode acontecer...
A Ascensão apenas pode acontecer no corpo, mas a Liberação pode ser, como eu posso dizer.., direta.
Imagine, por exemplo, que você não tem função, ou papel, se prefere, na cena final desse teatro, por que você quer esperar cento e trinta e dois dias?
Nem todo mundo tem necessidade de viver certo número de ensinamentos vividos, vibratórios, por Metatron ou os Arcanjos nos Círculos de Fogo, sobretudo aqueles que não têm necessidade de corpo de Existência e que se estabelecerão no Samadhi perpétuo – a consciência não tem mais necessidade de jogar.
Portanto, aí, exceto se eles têm um papel transitório durante os cento e trinta e dois dias, esses Espíritos, essas consciências reencontrarão uma liberdade total, e elas não terão necessidade, eu diria, de apoiar os irmãos e as irmãs presentes ou a Terra, em seu processo ascensional e no processo de Liberação.

Outra questão?

Questão: quais são as consequências do uso de aparelhos dentários para os adolescentes?

Os adolescentes usam aparelhos dentários?
Vocês perdem os dentes na Terra ou o quê?

Questão: alguns adolescentes.

Ah são aparelhagens, é para retificar os dentes.
Sim, eu estava nos..., você sabe, as dentaduras, à época, hein?, como vocês chamam isso?
As pontes.
Aí, você não fala disso, não é?

Questão: não, os aparelhos dentários.

O que é que isso quer dizer, as consequências?
É o material que é colocado na boca, é isso?

Questão: sim.

Então, é o metal.
Às vezes, não é o metal, eu não sei.

Questão: é, geralmente, para retificar os dentes.

Sim, a dentição...
Como você constata, as crianças que nascem há trinta anos, muitas, muitas têm problemas de alinhamento dentário.
Você acredita que seja a Luz que faz isso?
Não, é claro.
São os pesticidas e as ondas com os quais vocês são espancados que têm desencadeado essas anomalias dentárias
Então, é claro, depois, no plano estético e funcional, isso pode ser retificado, não é?
Mas, assim que você tenha um metal em algum lugar, isso interage ao nível do corpo físico, mas cada um é diferente em relação a isso.
Às vezes não há consequências, às vezes há consequências, mas elas não são, necessariamente, visíveis imediatamente, porque, assim que você toca a engrenagem, as posições dos dentes, você vai provocar repercussões em diferentes níveis.
Já nas regiões que estão em ressonância com os dentes, mas localmente, também, ao nível de todo equilíbrio do maxilar, mas, também, das vértebras cervicais e, mesmo, dos ossos cranianos.

Portanto, pode haver desequilíbrios ósseos, perdão, osteopáticos, dores que podem aparecer quando desses equilíbrios.
Mas isso não é constante.
Eu penso que, aí também, isso deve ser profundamente diferente para cada um.
Há irmãos e irmãs que têm o metal na boca e que não sofrem com isso.
Agora, será que o fato de ter o metal tem, sempre, uma incidência?
Não, isso não é verdade.
Isso depende, eu repito, das sensibilidades pessoais, e eu penso que, para esse gênero de aparelhagem que retifica os dentes, é exatamente a mesma coisa.
Mas não se pode generalizar.

Questão: e sobre as pessoas que têm marcapassos ou eletrodos cerebrais?

Então, aí, os circuitos elétricos que são implantados no corpo, isso arrisca ficar muito esquisito, hein?
Eu o lembro de que, no momento da estase, não haverá mais, em nenhum lugar, eletricidade na Terra.
A eletricidade não poderá mais existir.
Tudo o que é circuito eletrônico, toda sua maravilha tecnológica, computadores e tudo, você pode esquecer tudo isso – as centrais também, aliás.
Mesmo se, efetivamente, existam, sobretudo, os Arcturianos e alguns Vegalianos que vigiam para que os inconvenientes dessas centrais que foram colocadas em lugares, é claro, extremamente inteligentes, pelos seres que controlam a Terra até agora, não é feito para evitar as catástrofes, mas, bem mais, para aumentá-las.
Eu o lembro, aliás, de que, quando houve um tsunami, eu creio, há vários anos, há mais de dez anos, central, uma central foi afetada.
E se os irmãos Vegalianos não tivessem intervindo, não, unicamente, para salvar alguns seres que nada tinham a fazer nesse cenário de afogamento quando do tsunami, eles intervieram, também, para..., para frear, não limitar, mas orientar, eu diria, a radioatividade que escapou, com o menos de danos possível.
Na medida em que essa intervenção não devia ser demasiado visível, se posso dizer, naquela época.

Eu assinalo, aliás, que muito numerosos países, há três anos, aproximadamente, fazem o objeto de sobrevoos pelo que vocês chamam de óvnis ou de drones, sobre todas as centrais nucleares do planeta, para mapear e observar, se querem, as zonas de falha ou de fragilidade nessas instalações.
Não para preservar alguma coisa ao nível da Terra, mas, bem mais, para evitar que alguns seres específicos – e isso corresponde, de qualquer forma, a muitos milhões de pessoas – não sejam afetados no processo de estase e de Ascensão e de Liberação.

Mas, ainda uma vez, isso quer dizer o quê, «para aqueles que têm aparelhos elétricos no...»?
Na cabeça, isso arrisca ficar esquisito, mas, no coração, bem, eu não sei como ele vai reagir, isso depende da patologia que está subjacente.
Mas não se deve mais contar com os eletrodos na cabeça ou o marcapasso, hein?
É o mesmo para tudo o que é eletrônico.

Aliás, você constata que as anomalias elétricas são cada vez mais presentes na Terra.
Quando houve a Obra no Azul, ou seja, nos anos 2010, da qual Sri Aurobindo informou-lhes, houve as primeiras ondas de transformadores que explodiam na Terra.
Há cada vez mais instalações elétricas básicas, mas que não se chama de eletrônicas, por exemplo, os transformadores, que explodem.
Isso não é ligado ao raio, é ligado às modificações geomagnéticas, é claro.
E isso será geral, a partir do instante em que Nibiru estiver visível no céu, de maneira objetiva.
Não em alguns lugares, como é o caso, atualmente, de maneira verídica – e não por artefatos de imagens que vocês chamam, não sei como, de imagens que não são verdadeiras imagens – nem pelas imagens fantasmas de Nibiru, mas há inumeráveis lugares na Terra nos quais câmeras de vigilância, como vocês as chamam, registram e veem, em diferentes momentos do dia, algo de específico, como um segundo sol.
Mas isso ainda não é geral, é em algumas horas, sob algumas latitudes e em alguns lugares.
Mas é, efetivamente, cada vez mais visível, mas não é, ainda, um processo coletivo.

Ontem, eu dizia que alguns haviam canalizado Hercobulus, outros o vivem em sonho, outros vivem um contato com essa esfera, mas não é, ainda, visível por toda a parte com os olhos, sem qualquer aparelho.
Mas isso começa – isso acontecerá muito em breve.
Mas assim que Nibiru for visível, você sabe que tudo vai encadear-se naquele momento, absolutamente tudo.
Eu não falo, unicamente, dos aspectos espirituais, mas, como é o caso – e a cada fim de ciclo, mesmo intermediário sem liberação – há, por exemplo, o mito do dilúvio, quando da última passagem de Nibiru.
Mas essa passagem de Nibiru não foi eficaz, se posso dizer, como é o caso todos os vinte e cinco mil anos, porque as embarcações dos Arcontes, como dizer..., haviam freado o impacto de Nibiru e impediam destruições demasiado importantes.
Aí, não é mais o caso.
A embarcação de sucata partiu a partir de 2009, parece-me.

Portanto, as aparelhagens elétricas...
E, aliás, há, também, mesmo ao nível, como vocês chamam isso..., dos fusíveis, por exemplo, nos automóveis, panes eletrônicas, como o que sobrevém, de repente, e cinco minutos depois voltam a funcionar.
É o mesmo processo que as grandes cargas vibrais que afetaram alguns transformadores e que continuam a afetá-los, em alguns lugares na Terra.
Mas eu já havia explicitado tudo isso, há numerosos anos.

Outra questão.

Questão: Hercobulus, Nibiru, é uma anã marrom?
Se sim, como poderíamos distingui-lo quando de sua chegada em nossos céus?

Ah, mas eu jamais disse que você poderá ver todo o sistema solar que concerne ao segundo sol.
O que vocês chamam de segundo sol não é a anã marrom.
A anã marrom, você não a verá, você verá um dos planetas que se chama Nibiru ou Hercobulus.
É um conjunto de planetas.
Haverá, também, luas, há outros planetas, é a interação de um sistema solar com outro sistema solar que havia sido separado pelos maus rapazes.
Portanto, o que você verá, vocês, são sete dias de segundo sol, nada mais, nada menos.
A menos que tenha equipamentos específicos, ou com telescópios astronômicos, se você tem a oportunidade de olhar, naquele momento, como o fazem as elites da Terra, os maus rapazes, com seus telescópios gigantes.
Eles sabem, perfeitamente, a composição desse sistema solar.
Mas o que nos interessa, em relação à liberação do sistema, isso foi, primeiro, que a embarcação dos Arcontes não existe mais nessa galáxia, segundo, que o núcleo cristalino da Terra foi liberado, que os corpos de Existência ao nível do Sol – ou seja, desta vez, a heliosfera – foram liberados, durante as Núpcias Celestes, para alguns de vocês, e que, agora, resta apenas atualizar isso, aos níveis os mais densos, é tudo.

Portanto, o que você verá, por toda a parte sobre a Terra, é um planeta um pouco sujo, mais vermelho do que o Sol, é claro, segundo os ângulos nos quais você olha, conforme você esteja no polo norte, no polo sul, no hemisfério norte, no hemisfério sul, a tal hora do dia ou da noite, mas você constatará – e o pânico virá daí – que você verá, primeiro, uma espécie de estrela cadente, que permanece fixa e que cresce, dia a dia – e visível tanto de dia como à noite, é claro.

Mas é como para as Trombetas.
Alguns as têm ouvido, já, há anos, e alguns têm visto, realmente, a imagem fantasma de Nibiru.
Mas não Nibiru, realmente, mas é, já, o anúncio da aproximação de Nibiru.
Nibiru, como você sabe, é conhecido há muito tempo.
Primeiro, através dos escritos sumérios, através dos mitos e das lendas de todos os povos da Terra, através do mito do dilúvio e da realidade do dilúvio – existem, aliás, provas, tanto oceanográficas como geológicas desse dilúvio, como para os basculamentos magnéticos dos polos.

Os vulcões que despertaram agora, quase na totalidade, e que, se você olha suas mídias, você verá os sites de monitoramento dos vulcões que, já desde dezembro, mas, sobretudo, desde alguns dias, as colunas de fumaça e de ejeções sobem cada vez mais alto no céu.
Tudo isso, é claro, é ligado à chegada de Nibiru e às modificações eletromagnéticas que já começaram.

Mas Nibiru será indiscutível, para a toda a Terra.
É claro, haverá, sempre, irmãos e irmãs que evitarão, cuidadosamente, olhar no ar, e que quererão continuar, até a estase, a mesma coisa – uma negação total – outros estarão muito na raiva, em especial nos meios ditos espirituais.
Todos aqueles que haviam projetado a melhoria, a transformação nessa dimensão, e que criaram, em sua projeção de ilusão, uma negação da verdade.

Então, é claro, naquele momento, você verá que alguns vão dizer que não é um planeta.
Aqueles que creem na manipulação, mas sem lado espiritual, vão dizer que é, ainda, uma criação ilusória dos fantoches, aqueles que vocês nomeiam osIluminatti – com os projetos, como eles foram chamados, Blue BeamHaarp e tudo isso – que isso será um holograma, que não é verdadeiro.
Mas você não poderá, naquele momento, negar o início da falência do sistema eletrônico, a falência total do sistema bancário, dos sistemas políticos, dos sistemas financeiros e das guerras onipresentes em cada esquina.
Então, nisso, haverá uma relação de causa e efeito que será feita, eu espero, em todo caso, pela maior parte dos irmãos e das irmãs adormecidos.

Mas isso dito, quando isso se produziu nas fases intermediárias de passagem de Nibiru, houve, sempre, escritos que foram relatados.
Então, é claro, desta vez, como Bença Deunov havia visto, é um fogo que vai descer do céu, um fogo devorador para o ego, não para a Luz.
Aqueles que já estão na Luz ou que têm uma das Coroas aberta viverão um banho maravilhoso de Amor e de Luz.
Mas aqueles que estão inscritos na personalidade, na negação, viverão um fogo devorador que será uma verdadeira tortura.
Que terão dificuldade, aliás, para serem apaziguados, para isso, pelo Apelo de Maria, mesmo se eles reconheçam sua Mãe.

Mas tudo isso já se produziu há três mil, três mil e seiscentos anos, quando do dilúvio bíblico, quando das guerras que estavam presentes naquele momento.
Naquele momento, aqueles que estarão nos campos de batalha depositarão suas armas.
Eu o lembro, de qualquer forma, de que, exceto no Ocidente, onde tudo foi feito pelos fantoches para impedi-los de conhecer a verdade, há outras religiões, em especial no Islam, nas quais esse astro é descrito.
Ele é descrito no Apocalipse também.
Mas quem acredita na realidade disso?
Os cientistas, porque eles têm os meios de cálculo, mas, sobretudo, não os espiritualistas.
A maior parte de vocês fala, na Nova Era, de NESARA, de melhoria do mundo, que «todo mundo é belo, todo mundo é gentil», que haverá a unidade por toda a parte, a partilha por toda a parte.

Cada um viverá o que ele tem a viver naquele momento.
Mas será a mesma coisa que será vista por todo mundo e, como eu disse, não será uma hora ou duas por dia, ao nascer e ao pôr do Sol, como em alguns lugares, será algo que vocês verão aproximar-se, que crescerá a cada dia – e as consequências na Terra serão memoráveis, é claro.
Será o pandemônio, exceto para aqueles que se nutrirão, naquele momento, desse Fogo do Céu, desse primeiro Fogo do Céu.
Porque eu o lembro de que o planeta grelha final, como havia dito Ramatan, é ligado à transformação desse sol em outra coisa que não o que ele é atualmente.
Isso havia sido explicado, eu creio, por Ramatan, tudo isso e, também, sobretudo, por Sereti, não é?, há muito tempo, foi em 2005 ou 2006.
Tudo o que havia..., a reabsorção de Mercúrio, a mudança de órbita da Terra, a retificação do eixo de inclinação dos planetas é uma realidade.

Outra questão.

Questão: sendo da 3D e não liberada viva, eu gostaria de saber se a sobrevinda do Evento, anunciada como iminente nos últimos oito anos, é para considerar em meses ou em anos?

Em semanas, em dias.
Você vê muito bem o que acontece na Terra, informe-se.
Eu o disse ontem.
Isso são as primícias do aparecimento de algo de visível, mas os efeitos de Nibiru estão presentes há trinta anos – desde a primeira descida do Espírito Santo.
A grande diferença é que a embarcação Arcôntica foi banida, como se diz, em agosto de 2009, quando da transmissão das cinco primeiras chaves Metatrônicas.

Agora, eu repito, devido a que haverá, de algum modo, um acoplamento entre o aparecimento de Nibiru, e quanto mais se avança no tempo e quanto mais isso lhe pareça defasado, mais, como se diz, tudo acontecerá de maneira simultânea, hein?...
Você vê bem, por exemplo, que se tenta esconder das multidões e do povo o estado da Terra, a fraude do roubo e da manipulação, da falsificação, mesmo ao nível humano, sem, mesmo, falar dos Arcontes ou dos Annunakis, não é?, e ainda menos de Yaldébaoth.
Simplesmente, ao observar o que fazem os humanos há, de qualquer forma, uma tomada de consciência sobre o que é nomeado, é claro, por esses seres: a conspiração.
Mas a conspiração é real desde que o mundo é mundo, não é, unicamente, agora.
Simplesmente, os meios de ação daqueles que fazem parte disso são multiplicados pelas tecnologias.

Lembre-se do episódio da epidemia que houve após as Núpcias Celestes e do vírus para o qual era preciso encontrar uma vacina.
O único objetivo dessa vacina, à época, que, felizmente, não se fez, era congelar seu DNA.
Eu havia dado, aliás – mas isso não foi desvendado à época – o modo de proceder se, verdadeiramente, a vacinação tivesse ocorrido.
Mas ela não ocorreu.

Portanto, se quiser, há, como dizer..., não são canais, mas irmãos e irmãs humanos que falam, sem parar, da gazeta dos eventos que se desenrolam em um nível sutil, de pseudocombate, se se pode dizer, entre as forças da Confederação Intergaláctica e os fantoches, e seus aliados.
Mas lembre-se de que você não é concernido por isso.
Isso concerne aos irmãos e irmãs que fizeram a escolha – mesmo se eles não o saibam de maneira concreta – da dualidade, porque eles procuram o bem.
Eles não integraram a superação do bem e do mal.
Mas isso é problema deles, é a liberdade deles, eu diria.
Não é, mesmo, um problema, é assumir sua co-criação consciente.

O que é que você tem criado, qualquer que seja sua idade, durante essa vida e, em especial, há trinta anos?
O que você construiu, ao nível de sua consciência?
O que você desconstruiu?
O que você fez?
Qualquer que seja sua idade hoje, hein?
É, eu diria, uma vida especial. Porque é a vida na qual tudo é recapitulado.
E na qual se vê em sua carne e em sua vida, muito precisamente agora, onde você está.
Mas, eu repito, e eu insisto, lembre-se de que agora nada há a ganhar e nada a perder.
Você está apenas em face de si mesmo e de sua verdade.
Não é questão de julgar, como eu o repeti, também, numerosas vezes, os irmãos e as irmãs que fizeram a escolha da matéria, uma vez que a matéria está liberada.
Você vê o que eu quero dizer?
Cada um está, muito exatamente, no lugar preciso em que deve estar, quer ele esteja de acordo ou não, aliás.

A um dado momento, eu empreguei essa expressão também ontem, os ciclos temporais juntam-se.
É a Passagem, o Face a Face final.
E depois, depois dessa passagem, depois dos três dias, cada um estará, exatamente, aí, onde está a porta de sua consciência e sua vibração, com ou sem o corpo físico.

Não hesite em intervir, progressivamente e à medida dessas questões escritas, se há necessidade de complemento, não é?

Questão: a NASA fala de um meteorito X-68 que se aproximaria da Terra entre 7 e 11 de março.
Isso tem uma relação com Nibiru?

Isso não é um meteorito, é um asteroide; não é, absolutamente, a mesma coisa.
A questão é o quê?

Questão: a NASA diz que ele tem uma potência que corresponderia, se explodisse, a várias vezes Hiroshima.
Isso pode ter uma incidência sobre nós?

Mas, de qualquer modo, tudo o que acontece em seu céu, pequeno ou grande, tem uma influência, porque é carregado eletricamente.
O universo é elétrico.
Ele é eletromagnético, a partir de seu ponto de vista na Terra, mas a criação material é elétrica.
É o que você chama de plasma.
Então, quando um meteorito, quer ele tenha dez centímetros, quer tenha vários metros, quer tenha o tamanho de uma casa, tem cargas elétricas...
E são essas cargas elétricas que estão em interação com o que está em torno da Terra, a atmosfera, a ionosfera em torno do Sol, que criam os movimentos, não é o boom na Terra ou o fato de que ele cai na Terra.

Eu disse que Miguel arava a Terra, nesse momento.
Há meteoritos que são cada vez mais visíveis, bolas de fogo, como se diz.
Alguns são meteoritos, outros são asteroides, outros são objetos diversos, mas que fazem parte, inteiramente, do que foi expulso pelo sistema solar chamado Nibiru, quando ele passou através da nuvem de Oort, ao aproximar-se desse Sistema Solar.
E ele empurrou, diante dele, milhares de pedras.
Houve, já, impactos consequentes, por exemplo, eu creio que nos anos 2000 ou 2004, em Júpiter, com um cometa que portava um nome complicado, eu não sei mais como ele se chamava…
Eu havia partido, bom, foi depois...
Isso faz, sim, isso faz pouco mais de dez anos.
E houve a observação direta desses impactos meteoríticos.
Mas o meteorito não tem necessidade, mesmo se ele tocar a terra, e alguns deles tocarão a terra, o efeito elétrico é bem mais importante, e os asteroides aproximam-se da Terra, ou seja, eles estão abaixo da distância do que vocês chamam Terra-Lua.
E quanto mais o asteroide está próximo, qualquer que seja seu tamanho, mais ele provoca modificações elétricas.

O que você não sabe, talvez, o que está no alto é como o que está embaixo.
Isso quer dizer que o que cerca a Terra, eletricamente – as cargas elétricas da Terra – encontram-se com um gradiente ao nível da ionosfera e, quando há um carro que passa, ele cria um campo elétrico e um plasma que irá modificar, por interação, a ionosfera, e a ionosfera é conectada, diretamente, às cargas elétricas da Terra.

Eu falei, ontem, das dolinas que eram...
Quando há um vórtice que se cria, de Luz vibral – fora dos povos da natureza – a terra abre-se.
E os dragões intervêm, naquele momento, e você verá que as dolinas, os buracos na terra, qualquer que seja seu tamanho, são perfeitamente redondos.
É o sopro dos dragões que realiza isso, não há tecnologia, no sentido em que você entende.
Simplesmente, para permitir diminuir a pressão, se posso dizer.
E você pode imaginar que as camadas isolantes de que eu falei há muito tempo, estavam, já, em vias de desagregação; era ligado às linhas de predação.

Mas se isso acontece na ionosfera, isso reage, instantaneamente, na Terra.
Portanto, você pode imaginar que os carros que passam e que são vistos, em cada vez maior número, têm, a cada vez, efeitos importantes na ionosfera e na Terra; eles não têm necessidade de tocar a Terra, nem mesmo ser visíveis por seus olhos.
Ora, você atravessa uma nuvem de fragmentos cometários, enfim, você está nas bordas, eu diria, dessa nuvem de fragmentos cometários, e que ela vai, ela também, mais ou menos rapidamente, em função do que Nibiru encontra em sua rota como pensamentos, como egrégoras e o que há a trabalhar nesse nível.

Portanto, para esse, eu não sei, mas é evidente que se um asteroide, um meteorito passa mais próximo da Terra, por exemplo, digamos, a algumas dezenas de milhares de quilômetros, e não além da distância Terra-Lua, os efeitos são maiores – nos sismos, nas placas tectônicas, nos vulcões e na própria consciência.
Alguns Melquisedeques que não se exprimiram entre vocês escreveram sobre isso na vida deles.
Por exemplo, havia o ensinamento de Rudolf Steiner, que falava, perfeitamente, da missão de Miguel, e os corpos cometários, e os corpos asteroides são a representação, em sua dimensão, de Miguel.
Isso não quer dizer que uma pedra seja Miguel – mas, de algum modo, sim – ela é a representação de sua energia densificada.
E é por isso que eu empreguei o termo «arar o céu e a Terra».

São frequências novas que são impulsionadas.
Não são as chaves Metatrônicas, mas é por pequenos toques, o que vai, como eu havia explicado, romper a ionosfera; em contrapartida, isso rompe a Terra.
Os dragões vigiam para que os buracos sejam com uma repartição máxima regular das forças de tensão, para que a terra não se rompa de repente, mas, como você vê, há lugares nos quais ela já se rompeu, seguindo linhas muito longas.
Isso, é quando os dragões não puderam intervir para aliviar a pressão no lugar da fratura tectônica ou da fratura do manto terrestre.
É muito mecânico tudo isso.

Portanto, para ele, é evidente que se lhe anunciam um asteroide ou um meteorito que passa abaixo da distância Terra-Luz, seu efeito será constatado na Terra.
Então, quer você o veja ou não a olho nu, aliás, mas há dezenas de outros, ou mesmo centenas de outros que estão a caminho.
E eu não falo de Nibiru, eu falo do que é antes de Nibiru, e que vai, talvez, ser sincrônico também.
Isso depende do ajuste das velocidades relativas dos corpos em movimento.
A Terra está em movimento, o Sistema Solar está em movimento, a órbita de Nibiru e a órbita desses meteoritos nada têm a ver com o que vocês nomeiam o plano do eclíptico, uma vez que há um ângulo diferente, o que explica que isso seja invisível até um determinado momento preciso e que não é função, simplesmente, da distância, mas, também, do ângulo.

E esse meteorito, esse asteroide, como outros, aliás, que chegarão antes dessa data, ou seja, antes da data dada pela NASA – que jamais diz a verdade, aliás – vocês verão, efetivamente, por si mesmos.
Mas os efeitos, vocês poderão observá-los nos vulcões, nas placas tectônicas, em sua consciência e na sociedade, em sua totalidade.

E eu os lembro de que, de todos os tempos, há sinais celestes.
Os sinais celestes, hoje, são ignorados – porque não se quer que vocês saibam.
Mas, nas astrologias extremamente antigas, havia uma correlação entre os cometas, asteroides ou meteoritos visíveis a olho nu, quando eles atravessavam tal constelação, tal efeito esperado, e era perfeitamente conhecido.
Por que havia observatórios astronômicos em todos os povos: os Mayas, os Egípcios, os Hebreus, os Assírios?
Por toda a parte.
Porque esse conhecimento não era vendado, à época, e todo mundo perscrutava o céu para ver os sinais.
Mas, hoje, arrasta-se isso com escárnio, porque os cientistas escondem-no e as mídias escondem-no de modo muito hábil.
Mas o que se produz em seu céu não é, jamais, insignificante, é claro.
Portanto, para esse, eu não sei mais como ele se chama, você disse, aliás...

Questão: X-68

Se é estimado e dado para passar abaixo da distância Terra-Lua e, também, em função de sua velocidade, é claro – as cargas elétricas não são as mesmas – de sua massa, de sua composição, o efeito de plasma e de ionização da ionosfera e, também, da atmosfera – isso desce mais baixo – será cada vez mais visível.
E isso concerne aos elementos, mas, também, aos elementos em vocês.
Mas daí a dizer que esse asteroide dará a imagem de Nibiru, a menos que haja uma sincronia de aproximação dos dois, não se pode dizê-lo.

Olhe, por exemplo, quando eu falei da segunda Estrela que devia aparecer, o mais tardar, em 7 de janeiro de 2016.
Ela apareceu, mas não era Nibiru – mas é, entretanto, o que se chama a segunda Estrela.
As estrelas são os sinais na astrologia caldeia, suméria, assíria, babilônia mesmo; esses sinais celestes são os marcadores de grandes transformações coletivas, extremamente importantes, segundo as estrelas fixas ou as constelações que são atravessadas, ou seja, a partir do ponto de vista terrestre, o que vocês observam.

Eu os convido a olhar os últimos cometas visíveis a olho nu, onde eles estavam no céu, há..., como vocês chamam isso..., calendários para isso, nos quais se pode retraçar o percurso desses cometas e os sinais atravessados, os sinais zodiacais ou as estrelas fixas.
E, a cada vez, como o fizeram os Caldeus, os Assírios, os Sumérios, eles observaram, simplesmente, a correlação entre o sinal celeste e o que se desenrolava na Terra.
Há, mesmo, uma astrologia nomeada cometária.
E Steiner havia dito que os cometas, os asteroides, o que ara o céu são as emanações de Miguel e das forças Micaélicas.

Você sabe, é diferente ouvir falar de meteoritos, ver vídeos de meteoritos, como aquele que caiu, há dois anos, do que estar no lugar.
Pergunte àqueles que viveram o boom cósmico de um meteorito ou a explosão de um meteorito, mesmo se ele não tenha tocado a terra, qual efeito isso teve neles.
É o terror que os apreende, porque é tão fora do campo do conhecido – mesmo se vocês o conheçam, não é vivido – enquanto vocês não o veem e não o vivem de onde vocês estão, vocês podem apenas ter os aspectos visuais disso, mas vocês não têm o aspecto na consciência.
Ora, aí, há os meteoritos e os asteroides que são em número cada vez mais importante, visíveis por cada vez mais pessoas em diferentes lugares do mundo e, portanto, o efeito começa a ser sensível.
Para aqueles que o vivem, não para aqueles que olham a TV, hein?..., ou suas mídias habituais, a internet.

Outra questão.
A menos que haja necessidade de um complemento de informação ou de clarificação sobre isso.

Questão: se a única coisa que conta é a liberdade interior, que é independente de qualquer circunstância, ali incluído o processo de Ascensão da Terra, por que você fala tanto disso e dá datas que não se realizam?
É para testar-nos?

Mas eu já respondi a essa questão, ontem.
Você vai retorná-la em todos os sentidos ou o quê?
Eu já respondi e muito, muito longamente, a essa questão.
Todos os sinais estão aí, se você não o vê e se você não o vive, é que você não tem que vivê-lo.
Mas isso nada mudará no que vai produzir-se na Terra.
É irremediável, irrevogável e é agora.

Aliás, olhe a história da Terra.
O dilúvio, ele existiu, não?
A destruição de Atlântida, tal como Platão descreveu, ela realmente existiu.
Hoje, descobrem-se tecnologias nas camadas sedimentares.
Descobrem-se corpos de gigantes, descobrem-se civilizações, sob o polo norte, sob o polo sul, cavernas por toda a parte, pirâmides por toda a parte.
Vocês estão cegos?
Ou, então, isso não lhes interessa.
Essas civilizações que desapareceram e, muito mais perto de vocês, os Mayas, o que é que aconteceu para eles?
De um dia para o outro, não havia mais Mayas.
Sejam lógicos, de qualquer forma.
Não se esqueçam de que tudo é feito no mundo para adormecê-lo, quer você seja espiritual ou não.
A TV, as diversões, desvia-se sua atenção do essencial.
Obrigam-no a pensar no dinheiro, em suas contas, em seu aluguel.
Colocam-no em cerimônias, seja de celebrações de guerras ou de armistício, ou as festas nacionais.
Levam-no a uma civilização que vai tornar-se uma máquina.

Eu falava de Steiner, é isso o que ele havia descrito.
As forças Arimanianas são as forças de fossilização na qual a consciência..., e isso não basta a Yaldébaoth, ele não queria confiná-la na biologia, mas ele queria colocá-la em circuitos eletrônicos, é mais fácil de controlar, de qualquer forma.
Você não vê isso?
Você não vê todas as pessoas que estão fixas, os olhos postos em sua tela, nos metrôs e por toda a parte?
E, aliás, vocês fazem a mesma coisa, talvez, não vinte e quatro horas por dia, mas vocês estão hipnotizados pelo que é fútil.
Olhem a instantaneidade das comunicações.
Em meu tempo, quando se queria fazer uma carta, tinha-se uma folha branca, refletia-se na carta e ela se escrevia não a jato.
Agora vocês têm, como isso se chama?..., o que vocês digitam em seus telefones: os mails, os textos, é preciso responder imediatamente, se vocês não respondem, dizem-lhes que vocês não leram.
Prenderam-nos em armadilha.
Os pesticidas, os controles das populações, as vacinas, a materialidade; o materialismo, ele é mil vezes pior do que no tempo de Moisés.

Deram-lhes certa facilidade, não nós, mas as forças que os governam, que os controlam.
Eles falaram de seguro de vida, de seguro social, de assegurar seu automóvel, de assegurar sua casa, de assegurar sua vida.
Mas vocês se dão conta, pelo menos?
Será que vocês veem, agora, mais do que nunca, do que vocês são prisioneiros?
Será que vocês são capazes de desembaraçar-se da internet, de seu telefone?
Eu vejo, daqui, que vão jogar seu telefone a partir de amanhã.
Além disso, não comer, eles não terão, mesmo, mais telefone para olhar.

Mas vocês veem isso?
Vocês veem os jovens, que são hipnotizados diante de seus jogos no vídeo, suas telas, seus filmes e seus textos ou seus mails?
A grande moda é tirar a própria foto, eu creio, disseram-me.
Eu não sei como vocês chamam isso, mas vocês se dão conta do narcisismo do truque?
Vocês estão, já, em um mundo de imagens, e vocês criam outras imagens.
Os filmes, é isso, contam-lhes histórias.
Isso os afasta do essencial, mesmo se dê prazer, mesmo se seja belo a olhar.

A alimentação está repleta de tóxicos, o ar está repleto de tóxicos.
E há os que acreditam, ainda, que, de um dia para o outro, tudo vai ficar róseo.
Não, tudo vai ficar grelhado.
Isso merece apenas isso, nada mais.
A vida é muito mais importante do que isso.
A tecnologia é um meio de escravização.
Mesmo se, é claro, e eu já disse isso há muito tempo, nós nos temos servido, para a divulgação do que tínhamos a dizer, justamente, desses meios tecnológicos.

Mas você sabe, eu tomo o exemplo de Steiner, poder-se-ia dizer, também, São João, à época, a besta binária é o quê?
É a internet.
É uma rede, uma matriz na matriz.
A matriz, ela estava ao nível das linhas de predação mantidas por certo tipo de monumentos muito antigos.
Isso foi, quase na totalidade, desagregado, e criaram-lhes uma matriz eletrônica, na qual vocês são siderados pelo olhar.
Como eu disse ontem, Irmão K explicou isso perfeitamente, vocês estão submissos à imagem.
Mas a imagem não é a verdade.
Assim como a cena de teatro não é a verdade.
Como você quer jogar o jogo e participar desse jogo com tal intensidade, se o objetivo de sua vida não é a Luz ou se é a Luz, mas você passa seu tempo no que está ao inverso da Luz?
É claro, é agradável assistir um filme.
É claro, é agradável assistir um espetáculo, mas você é, já, o espetáculo.
É como se, apesar do despertar de irmãos e de irmãs, em número sempre mais importante, em reação, os outros dormissem ainda mais.
É por isso que há urgência.
Não para vocês que estão aí, não para vocês que leem.

É preciso ver claramente as coisas.
Não é questão de denunciá-las ou de opor-se, aí também, mas vê-las com os olhos da face.
Quer sejam os chemtrails, quer sejam os pesticidas, as vacinas, a medicina, a tecnologia, a escravização das populações através de uma profissão, através de uma estrutura social, uma estrutura familiar, uma estrutura estatal.
E, aliás, São João havia dito: «Ninguém poderá comprar nem vender, se não está marcado com o sinal da besta.».
Então, é claro, há os que pensaram, como isso se chama..., os Microchips que deviam ser implantados, cujo objetivo continua na ordem do dia, de implantar esses chips para substituir a verdadeira moeda.

Questão: eles terão o tempo de passar para essa etapa?

Dadas as dificuldades que eles encontram nesse momento, eu duvido muito que eles tenham a oportunidade, os meios de ocupar-se disso.
O único objetivo deles é tentar não mais manter o sistema, já que o sistema está morto, mas, em todo caso, dar a aparência de que o sistema mantém-se em pé, até o momento em que eles pensarão poder escapar, se posso dizer, ao mesmo tempo do povo e ao mesmo tempo do Fogo do Céu.
Mas isso é impossível.
Os colegas deles, que os dirigem ali, essas marionetes, esqueceram-se de dizer a eles que ninguém pode escapar das irradiações gama.
Eles pensavam escapar das multidões iradas, escapar, enterrando-se sob a terra, mas a irradiação gama e a irradiação ultravioleta nada têm a ver com a matéria, elas a atravessaram de lado a lado.
Portanto, tudo isso é uma realidade.

Como eu o disse, e como foi dito, também, por outros, há menos de um ano, releiam o Apocalipse de São João, não mais no aspecto vibratório, tal como foi o caso durante as Núpcias Celestes, mas no aspecto muito concreto do que se desenrola na Terra.
As Trombetas, as primeiras Trombetas já soaram.
Os Cavaleiros do Apocalipse – falou-se disso, também, no ano passado – é a revelação de suas quatro linhagens, mas é, também, a ativação dos elementos, tal como vocês o veem por toda a parte na Terra.
Disso, também, eu falei, bem antes de acontecer.
Eu havia falado de ventos terríveis, que ultrapassariam os trezentos e os quatrocentos Km/h.
Vocês veem, efetivamente, o número de ciclones, por exemplo, que está na escala a mais forte, com ventos superiores a trezentos Km/h.

À época em que eu falava do despertar do cinturão de fogo do Pacífico e dos vulcões da Terra, havia, como de hábito, quarenta, sessenta, oitenta, cem vulcões, por vezes, que estavam ativos.
Olhe ao seu redor.
Então, quando eu ouço que me dizem que não aconteceu, que a data não está certa, eu vou dizer-lhe: isso me faz rir.
Disseram, mesmo, ontem, que havia um aspecto pedagógico para provocá-los.
E eu insisti, em dezembro, como agora, ainda hoje, que não há mais cenoura e não há mais vara.
Está registrado, vocês o veem, sob os seus olhos.
Mas se vocês estão cegos, vocês não o verão.

E, aliás, eu diria que aqueles que deviam despertar agora estão despertos.
Vocês têm assistido a despertares, ao seu redor, cada vez mais espontâneos, de pessoas que não tinham busca espiritual, que em nada pensavam e que, de um dia para o outro, são transformados.
Tudo isso ocorreu nos três anos e meio, a partir de 2012.
Então, quando eu ouço esse gênero de questão em relação a uma data, eu posso apenas remeter ao ego dessa pessoa que espera escapar de alguma coisa.
Vocês esperam um sinal no céu, mas não é um sinal no céu que é preciso esperar, nem mesmo o Apelo de Maria, uma vez que alguns de vocês já estão liberados.

Mas não se esqueçam de que é o Sistema Solar, em sua totalidade, que é preciso liberar, não são, unicamente, nossos irmãos e irmãs que estão na matéria.
Há, de qualquer forma, os povos intraterrestres, vocês não estão sozinhos nesse Sistema Solar.
Há as forças Arcônticas, o que resta delas, em todo caso, na Lua, em Saturno e, também, do outro lado da Luz; há os irmãos e as irmãs intraterrestres que não são humanoides, em outros planetas, mesmo se eles evoluam na 5D, porque eles estão no interior dos sistemas.
Não há apenas sua pequena pessoa ou sua pequena consciência.
Vocês são, como dizer..., uma das partes do que há a liberar.
E os povos que são liberados agora, os povos da natureza, os dragões, os elfos, as fadas que se mostram a vocês, os gnomos, as ondinas, vocês acreditam que eles não fazem a festa?
Mesmo se eles estejam preservados em ilhas, se posso dizer.

É um momento e um evento coletivo.
O evento individual, há o suficiente entre vocês, agora, que o têm vivido, nos anos 80, 90 e 2000.
É claro que nós gostaríamos de liberar toda consciência, eu diria, que toda humanidade ascensione.
Mas não se pode ir contra a liberdade de cada um e seu livre arbítrio.
Com qual direito a Luz interferiria na liberdade de cada um?

Portanto, as datas, não haverá mais.
Porque não há mais data, vocês ainda não compreenderam?
Vocês estão dentro.
Vocês são como a rã, que é cozida demais.
Ela não está cozida pela metade, a rã, ela está totalmente cozida.
Então, vocês estão despertos ou não?
Será que você vê claramente?

É claro que há uma impaciência, é claro que há uma esperança, mas cuidado para que isso não seja uma fuga de sua vida.
Ocupe-se de seu coração, é essa a prioridade, mesmo se nós lhes damos elementos – nós havíamos dado elementos históricos ou elementos astronômicos, ou datas.
Eu espero que vocês compreendam que o mais importante é ter, de qualquer forma, ativadas, desde já, suas Coroas, suas Estrelas, suas Portas e ter re-sintetizado o corpo de Existência.
Todo o resto, ao limite, não lhes concerne mais.
Portanto, se você espera uma data, isso quer dizer o quê?
Onde está seu corpo de Existência?
Onde estão os efeitos em sua vida, em sua consciência?

Você sabe, se não se fala do coletivo, mas se se fala, agora do ser humano individual: você acredita que há muitos seres humanos, neste planeta, que foram prevenidos do dia de seu falecimento?
Há.
Há os que lhes são conhecidos e ilustres desconhecidos, cujo anjo guardião disse: «você vai morrer em três dias», «você vai morrer em uma semana».
Mas essas pessoas estavam prontas.
Você acredita que hoje...
E por que, aliás, os maus rapazes e os fantoches ali vão por pequenos toques – agora eles falam de um planeta que tem o número 9, não é? – para criar uma revolução.
Eles têm necessidade de que o sistema perdure até o extremo limite, mentindo, cada vez mais.
Vocês veem bem isso.

Vocês veem bem que, quanto mais sua luz cresce, sua fé, seu vibral, suas Coroas, vocês as chamem como quiserem, cresce, mais o mundo vai mal.
Isso deveria, já, fazer colocar questões àqueles que estão na Nova Era, que esperam uma Terra regenerada nessa dimensão.
Então, eles dizem: «sim, é a purificação, isso se elimina.».
Isso leva tempo para eliminar-se, não é?
Não, é a ação direta da Luz, quando ela reencontra as zonas de resistência.

Vocês estão como a rã.
Se eu tomei esse exemplo, há tantos anos, é que é a mesma coisa: a temperatura sobe, só aquele que se interessa por isso sente.
Os outros estarão adormecidos agora, até o último momento – e eles estarão adormecidos porque tudo foi feito para adormecê-los.
Como você explica as diferenças, por exemplo, entre um irmão que vive a Onda de Vida, o fato de estar liberado vivo, e o irmão, mesmo da mesma família, que nada sente, nada vive e continua a estar na sobrevida, ganhar sua vida, pagar seus impostos, alimentar sua família..., e que nada mais vê, e que nada mais verá, até o fim de seus dias?

Enquanto, para a maior parte de vocês que estão aqui, eu estou certo de que a espiritualidade é algo que lhes interessa desde bem antes que viemos falar-lhes.
Mas vocês veem bem, hoje, que há, ao mesmo tempo, crianças muito despertas, mas, também, seres que, assim que eles penetram nesse mundo, tornam-se cada vez mais, como dizer..., adormecidos, como larvas, robotizados, como sem almas, como os portais orgânicos.
Vocês veem isso ao seu redor, de qualquer forma?

Vocês veem bem os ídolos que se mostram na TV?
Eles são cada vez mais degenerados.
Vocês a veem, essa degeneração.
Eu falei disso a propósito dos dentes, mas a degeneração que nos inquieta mais, se é que se possa ficar inquieto, é, de qualquer forma, a precipitação da consciência para o transumanismo.
E felizmente que a Terra, coletivamente, está liberada.
Vocês imaginam que há, hoje, irmãos e irmãs humanos que são persuadidos de que a vida será melhor se eles puderem viver em uma máquina e tornar-se uma máquina.
Até onde é preciso descer para pensar isso?
Não mais voltar seu olhar para a lua, as estrelas e a natureza.
Isso se chama isso?
É a degeneração total e, no entanto, eles são livres.

Outra questão.

Questão: por que alguns povos, como os sírios, são mais afetados nesse momento?

Porque há batalhas que se desenrolam por interesses econômicos, interesses financeiros, interesses estratégicos, por exemplo, lá onde estão os vórtices...
E, também, para os maus rapazes, eles querem, eu o lembro, colar nas profecias – a batalha de Gogue e Magogue – e todos os povos estão a par, há aqueles que dormem, que não estão a par.
A batalha de Megiddo, a terceira guerra mundial, ela é anunciada há muito tempo, não é?, não, unicamente, pelos profetas, mas, também, pelos próprios Illuminati – a finalidade, é claro, não é a mesma – mas é por isso que vocês observam isso.
Enquanto cada ser humano não estiver em paz com ele mesmo e com a Verdade, haverá conflitos sob os seus olhos.

O desequilíbrio torna-se, vocês veem isso, não é?, cada vez mais importante no exterior.
Enquanto, se você se volta para o interior, a paz é cada vez mais fácil a encontrar.
Como você vai adequar os dois?
E aqueles que fazem a guerra na Síria são persuadidos de agir para a Luz e para Deus, uns como os outros, aliás.
Yaldébaoth existe apenas porque ele criou uma pseudo-dualidade privada da Unidade e do princípio de verdade.

Questão: as almas humanas que sofrem, nesse momento, na Síria, escolheram essa situação?

Mas eu já disse que tudo estava, estritamente, no lugar certo.
Tudo.
Todos os eventos, todas as consciências.
Nada há que seja feito ao acaso, absolutamente nada.

Questão: eu não compreendo como alguém poderia escolher sofrer, é absurdo.

Então, caro amigo, se você não compreende, eu o convido a ler as obras de pessoas que falaram com os anjos.
Há obras muito conhecidas, não é?, das quais uma que foi, eu diria, em seu século XX, tão lida quanto a Bíblia, hein?, e você verá o que diz o anjo, de diferentes modos.
É a pessoa que não compreende.
O anjo, nesse mundo...
Há místicos ou profissionais, por exemplo, do acompanhamento de moribundos, que falaram com anjos.
E «Diálogo com o anjo» também, há Gitta Mallasz, eu creio, que explica isso, perfeitamente, uma vez que o anjo deu essa mensagem durante a segunda guerra mundial.
O que você não compreende, no sentido da pessoa, é compreensível no sentido do Espírito, mas o ego não compreenderá, jamais isso.
O ego quereria que todo mundo fosse flor azul, que todo mundo se entendesse, que tudo fosse partilhado.
Mas será que você mesmo comporta-se assim?
Absolutamente não.

Agora, o anjo, quando se pergunta a ele se devia encarnar-se, e não naquela que recebeu «Diálogo com o anjo», mas em muitas outras pessoas, sobretudo aquelas que fazem o acompanhamento de moribundos...
E isso se junta ao princípio do sofrimento.
Nada há de pior, em um mundo confinado, do que viver, eu diria, uma forma de facilidade e de lascívia, porque basta ligar a TV e o tempo passa.
Basta ir ver um filme e esquecer-se do que você é, em verdade.
Ora, o sofrimento e a guerra não são desejados pela Luz, mas acha-se que é um trampolim extraordinário para a Luz.
Para terminar o que eu dizia em relação ao anjo, você interroga um anjo, e diz a ele: «Mas se você devesse encarnar em nossa Terra, você o faria na pele de um mestre e de um salvador?».
O anjo responde: «Mas absolutamente, eu encarnaria como alguém muito sofredor.».
Por qual razão?
Para sentir a compaixão humana e o amor humano que o anjo não conhece.
Portanto, o que é de seu ponto de vista é apenas um reflexo egocentrado que se refere a você, mas não às leis do universo, em todo caso, nos mundos confinados.
Você não está em um mundo livre.
E, nesse mundo específico, o sofrimento, a guerra, que não é desejada pela Luz, que é a consequência, não mais de Deus, é a consequência das ações humanas, lei de ação-reação, ora, é através desse sofrimento que alguns seres podem ser liberados.

Você não o compreendeu porque você não o vive.
O que você diz é apenas uma projeção do ego, que quereria que todo mundo fosse gentil e feliz.
Mas eu lhe asseguro que, se você pergunta aos anjos, quaisquer que sejam – eu não falo dos Arcanjos, hein? – se eles devessem vir à Terra, eles não escolheriam, absolutamente, a postura ou o posicionamento de um guru ou de um mestre espiritual, qualquer que seja.
A consciência tem necessidade de experimentar.
E você não poderá, jamais, compreendê-lo a partir de seu ponto de vista, onde você está.
Você poderá girar isso em todos os sentidos na cabeça, você será obrigado a recusar ou rejeitar essa proposição.
É claro que a pessoa não pode, ela não pode compreender o sofrimento, ela não pode aceitar a morte, mesmo quando você perde seu marido, sua mulher ou um filho, é intolerável.
Mas você sabe dos efeitos além da pessoa, na alma, nas capacidades de superação e de transcendência, e de transmutação?
É nesse sentido que as forças da sombra não atuam em sua partição; elas acreditam atuar em sua partição.

Você sabe, nos cinquenta sistemas solares que foram liberados, é sempre, sempre a mesma história: as pessoas ficam letárgicas, elas ficam moles diante da tecnologia, diante dos prazeres.
Bah, isso não é a alegria e isso não é a vida, é uma falsa vida; é uma distração, uma ilusão.
Você se dará conta, de qualquer modo, não em muito tempo, quando Nibiru estiver aí.
Aí se verá, naquele momento, o que vão tornar-se suas convicções e o que vai tornar-se o que pode restar como crenças em você, ou como compreensões.
Nada há a compreender.
Porque isso ultrapassa, muito amplamente, a ilusão que você é nesse mundo como pessoa prisioneira, que você não pode, mesmo, nem compreender, nem conceber, nem imaginar, para a maior parte de vocês.
E quando eu digo que cada ser está, muito precisamente, em seu lugar, nas circunstâncias atuais desse mundo – não há erro, não há mau posicionamento – o que se joga é, realmente, o que se joga.

Outra questão.

Questão: pode-se pensar que os seres que encarnam com a trissomia 21 são anjos encarnados?

Perfeitamente, para a maior parte sim.
Aqueles que tiveram a chance de aproximar-se de algumas crianças trissômicas puderam dar-se conta disso.
Emana delas uma luz que nada tem do humano feliz, mas há tanta candura, tanta instantaneidade e proximidade.
Não todas, mas a maior parte.

Eu lhes disse: quanto mais você tem uma vida feliz, lasciva, se posso dizer, na qual você aproveita de todos os prazeres da vida, mais você tem chances de perder-se – mesmo se você esteja persuadido de viver as energias e de viver coisas magníficas.
No momento de sua morte, eu não falo, mesmo, do fim desse sistema, esses seres vão permanecer apegados, visceralmente, a esse mundo.
E eles passarão, muito mais dificilmente, do que aquele que, em sua vida, renunciou.
Você compreende isso?

É claro, as circunstâncias atuais são um pouco diferentes, porque há esse elemento coletivo e global.
Mas eu lhe garanto que aqueles que estavam apegados, antes da descida do Espírito Santo em 84, aqueles que estavam apegados à sua igreja, às suas boas ações, ao bem, eram os mais pesados, eles não podiam subir à Luz.
É o mesmo para aquele que, por oportunidade, por carma ou por esforço pessoal conseguiu construir uma vida perfeita na facilidade material a mais total, terá muitas dificuldades.
Não foi por acaso que Cristo disse: «Será mais difícil a um rico passar pelo buraco de uma agulha do que a um camelo.».
Porque suas posses possuem você, quaisquer que sejam.
E você vai dar-se conta disso de maneira cada vez mais, não cruel, mas evidente, é preciso ver e chamar as coisas como elas são.
Lembre-se da ira de Moisés, quando ele desceu as Tábuas da Lei – enfim, lembre-se do que você leu, se você não o viveu.
A adoração do bezerro de ouro, isso lhe diz alguma coisa?

Você vê, de qualquer forma, que o destino de um Mestre Philippe de Lyon, de uma Teresa, de Ma Ananda Moyi...
Será que eu procurei ter dinheiro em minha vida?
As coisas produziram-se naturalmente, eu nada tinha para mim.
Quando alguns santos disseram para tudo dar, mas era, antes de tudo, para dar-se a si mesmo à Luz.
Vocês não se dão conta, no Ocidente, em todo caso, ainda na Europa e em outros países ocidentais, da chance que vocês têm.
Vocês sabem que, hoje ainda, não é algo de raro..., vocês sabem a discussão, há histórias engraçadas assim – e elas já existiam em minha vida.
Há dois tibetanos que vão procurar água.
Há um que diz ao outro: «Você percebe, há quem abre uma torneira e a água flui.».
Eles fizeram dez quilômetros para ir procurar um balde de água, eles não podem acreditar.
Todas essas técnicas, toda essa tecnologia, todas essas imagens, todos esses prazeres que lhes são oferecidos à profusão estão aí apenas para adormecê-los.
Eu não disse que não se devia servir-se disso, mas é preciso estar lúcido sobre isso.
E isso é cada vez mais verdadeiro.
As circunstâncias de antes da internet não são mais as mesmas hoje, vocês veem bem isso.

E isso eu digo com insistência porque é, muito exatamente, o que vai acontecer para cada um, antes, mesmo, da estase, se já não é o caso.
Entenda bem que eu não critico nem a opulência, nem o dinheiro, nem o que quer que seja, mas eu lhe mostro, simplesmente, a que isso conduz, de maneira quase constante.
Aquele que nada tem a perder já deu tudo, enquanto aquele que tem, tem muito a perder.
E nós temos visto, eu o disse, e é conhecido por aqueles que tiveram histórias ou entrevistas com desencarnados, nas quais havia, antes do período de liberação, seres que não conseguiam subir à Luz, porque eles estavam apegados à matéria.
O objetivo de Satã é o de apegá-los à matéria, nada mais e nada menos, e fazê-los crer que a matéria é a única verdade e a única vida possível.
A tal ponto que, agora, antes do período de 84, vocês estavam, todos, e nós estávamos, todos, pressionados a juntar-se à Terra para reencontrar os prazeres materiais, que nos invejam os anjos, efetivamente.

Agora, isso não quer dizer que é preciso distribuir todos os seus bens, dar suas mulheres e crianças, hein?, eu não disse isso.
Mas esteja lúcido disso.
Olhe ao seu redor.
Olhe os filmes, por exemplo, de há cinquenta anos, olhe os filmes recentes.
Veja as pessoas, veja os atores, veja os cenários, as histórias; tudo é pretexto para o divertimento.
E, além disso, esse divertimento compra-se – nada é dado nesse nível.
Não é, absolutamente, o princípio da Luz isso.
A Luz dá-se integralmente, se você se dá integralmente.
Como eu disse, a um dado momento, você tinha as nádegas entre duas cadeiras, mas, como eu disse: não há mais cadeira e não há mais nádegas, tampouco.
Qualquer que seja a visibilidade, amanhã ou em seis meses, de Nibiru.
Não espere a última extremidade, porque você terá muita dificuldade, naquele momento, não para ser liberado, uma vez que todo mundo é liberado, mas o período será difícil para você.

Eu não falo de vocês, aqui, eu falo de uma maneira geral.
Olhe em si mesmo.
A que você está apegado?
O que é que você acredita possuir?
O que é que você possui?
Você está livre de estar vazio de todo passado no instante presente?
Você consegue desaparecer?
Ou será que há, sem parar, pensamentos parasitas, o corpo que se manifesta, emoções que lhe atravessam?
Você tem montes de testes a fazer-se, você mesmo, para ver onde você está agora.
Você vê claramente, ou você recusa ver claramente?
Mas é seu problema.

Você sabe, há seres que esperam, como eu disse, há mais de trinta anos.
Eles já são liberados vivos, eles esperam a liberação da Terra.
Mas eles não esperam uma data, eles sabem que isso está em curso.
Há marcadores, os marcadores foram-lhes dados: as Núpcias Celestes, fevereiro de 2012, a liberação da Terra, a liberação da Onda de Vida, a Obra no Azul, a Obra no Branco.
Para que serviu tudo isso?
Para desabrochá-los nesse mundo?
Para propiciar-lhes facilidades diversas e variadas?
Ou para serem, realmente, o que vocês são?
Mas isso, o ego não pode entender, ele não vê, mesmo, o que isso quer dizer.
Quando eu disse, ontem, que haverá ranger de dentes, haverá, efetivamente, ranger de dentes, mas é sua escolha individual, é sua escolha pessoal, que não é a escolha da pessoa, mas que compreende, ao mesmo tempo, o corpo, a alma e o Espírito.

Você vê, efetivamente, que, à época, você vivia experiências vibratórias, deslocalizações, mecanismos da consciência – já há numerosos anos, para muitos de vocês – e, hoje, é-lhe solicitado, cada vez mais, para estar aí, presente, na humildade e na simplicidade, na matéria.
Mas ver essa matéria pelo que ela é, tanto a sua como qualquer outra matéria.

No momento em que, mesmo os cientistas colocam-se questões sobre a realidade desse mundo, que reúnem, com isso, todos os ensinamentos ayurvédicos, por exemplo, ou budistas também, e de Cristo.
Ele declarou: «Vocês estão nesse mundo, mas vocês não são desse mundo.».
Agora, se seu reino é desse mundo, fique à vontade.
Há inumeráveis moradas que lhe correspondem – e é sua liberdade.
Não há uma recompensa.
Você está aí onde você está, e você está, estritamente, no lugar certo, cada um, quer você esteja morrendo ou esteja nascendo.
Quer você esteja em plena saúde ou esteja deficiente, de algum modo.
Isso foi, também, o que eu expliquei em relação à atribuição vibral.
Vocês não estão mais nos tempos do apelo, vocês estão nos tempos da confirmação, e da atualização, como eu disse.

Outra pergunta, ou faz-se a próxima questão?

Questão: como aqueles que nada percebem podem saber se estão prontos?

Eu não vejo a relação entre os dois.
O fato de estar pronto não é ligado à percepção do que quer que seja, é um estado interior, cada vez mais.
É claro, houve as vibrações, as Coroas que assinalam sua liberação, as diferentes ativações de Estrelas, de Portas, do corpo de Existência.
Mas você está pronto..., quando é que você está pronto?
No momento em que você vive sem nada esperar.
Caso contrário, você não está pronto.
Mesmo se você espera essa famosa data, isso quer dizer que você não está pronto.
Liberado ou não, uma vez que vocês são, todos, liberados.
Mas pronto para quê?
Pronto para viver o período da estase e os cento e trinta e dois dias na leveza e na facilidade, e na alegria.

Você sabe, por exemplo, há o Livro dos mortos tibetano, no qual se ensina às pessoas como morrer.
Lê-se o livro em seu leito de morte.
Porque você parte com suas crenças, eu evoquei isso há pouco.
Qualquer um que crê que suas boas ações são importantes ficará pesado por suas boas ações, aquele que é apegado a pessoas ficará pesado pelas pessoas com as quais ele está apegado, e aquele que é materialista ficará apegado por sua atração materialista à matéria, a essa 3D.

Eu já disse e redigo, e eu o disse, aliás, não há tanto tempo, há uma hora, que quanto mais você está pronto, mais você desaparece sem esforço algum – vibrações ou não vibrações, agora, eu o disse ontem.
As partículas adamantinas, antes, elas entravam pela cabeça, pela Porta, pelas Estrelas; a Onda de Vida subia; o Canal Mariano ativava-se, mas eu disse, agora, que as energias vibrais penetram, diretamente, no vital, não, unicamente, pela cabeça ou pelos pés, ou pelo coração, mas, diretamente, no eixo Atração-Visão, que foi retificado – não coletivamente, isso está em curso, mas individualmente – para muitos de vocês.
Aliás, colocar-se a questão de saber se você está pronto prova que você não está pronto.
E sim.
Você está pronto quando não há mais questões em relação a uma data ou para estar pronto.

E aproveite desse tempo que lhe é dado, pelas circunstâncias, pelos ciclos temporais que não estão, ainda, reunidos, para ajustar, finamente, o que resta a ajustar; ponha ordem em seus assuntos.
É como alguém a quem se diz que vai morrer, e se ele tem a oportunidade e a força de fazê-lo, ele vai procurar por ordem em sua vida.
Não se esqueça de que as queixas são um peso extremamente importante quando da morte.
Você deve perdoar a si mesmo.

E eu nada tenho a vender-lhe para estar pronto.
A única coisa que nós temos vendido são as vibrações, a ativação das Portas e das Estrelas que eram conhecidas na Terra.
O resto é com você.
Está pronto, eu diria, aquele que em nada crê, que nada espera, que nada aguarda e que está na alegria.
Esse está pronto – quer seja em uma hora ou em cinquenta mil anos – mas ele não terá a oportunidade de esperar cinquenta mil anos, uma vez que terminou.

Questão: após alguns anos na alegria e na paz, minha vida bascula.
O corpo físico não pode nem trabalhar, nem dormir, nem comer.
Qual é o sentido dessa prova maior, atualmente, para aqueles que estão abertos à Luz?

Eu ouvi, mas não estou certo de ter compreendido bem qual é a pergunta.
Qual é o sentido de recair e viver, ainda, problemas como esses?
Bem, isso quer dizer, simplesmente, que, em seu caso, o que foi vivido na paz e na alegria era a paz e a alegria do Si, mas não da Liberdade.
Aquele que é liberado não pode ser afetado por qualquer falta que seja ou por qualquer sofrimento que seja.
Ele sabe que sofre, mas ele não é afetado, qualquer que seja a intensidade desse sofrimento.
E, depois, há, também, o que eu disse, o desgaste do corpo.
Parece-me, se você olha Um Amigo, por exemplo, ele usava bengalas, ele tinha extremas dores nas pernas.
E, no entanto, ele era liberado.

Isso, é a energética que os faz crer que, porque se repara a energia ou a Luz, o corpo ficará melhor.
Mas isso não é verdade.
Aliás, você me explicará. Então, por que, nesse caso, todos os maus rapazes estão em perfeita saúde física.
Eles não morrem, jamais, de câncer, você não observou?
Eles são, por vezes, assassinados, certamente, mas eles jamais têm câncer, jamais infartos, eles a nada prestam atenção, eles são perversos ao extremo, e o corpo deles vai muito bem.

Não há relação ou adequação.
Então, não veja isso como uma punição ou uma recaída, aceite e atravesse isso; não é isso que deve impedi-lo de ficar na alegria.
Se isso o impede de ficar na alegria, é que a alegria que foi vivida, mesmo durante anos, não foi um processo completo.
Caso contrário, isso não poderia produzir-se.
Você sabe, a alegria pode encontrar-se no Si também.
Mas a Alegria eterna, a Morada de Paz suprema, a Infinita Presença, a Liberdade, o Liberado Vivo, como diria nosso amigo Bidi, nada têm a ver, mesmo, com a doença.
Olhe Bidi, ele tinha um câncer na garganta e, até o último dia, ele se exprimia com a mesma energia.
E, no entanto, o sofrimento devia ser terrível.
Ele dizia, simplesmente, que estava um pouco fatigado.

Se vocês são afetados de maneira importante, enquanto conheceram a não afetação, é, simplesmente, para provar-lhes que o que havia sido vivido não foi instalado de maneira definitiva e irremediável; restavam resistências.
E que, justamente, o que você vive é a oportunidade de reencontrar a paz, qualquer que seja o que se opõe à sua paz ao nível de seu corpo.
A verdadeira paz não depende de qualquer circunstância material, afetiva ou corporal.
Ela não é desse mundo e, no entanto, ela se manifesta nesse mundo.
Mas ela não pode ser correlacionada a uma anomalia de seu corpo ou de sua carteira.
Caso contrário, isso não é verdade.
O Liberado Vivo interior, o Liberado Vivo é totalmente livre ao nível de sua consciência, o que quer que se torne esse corpo.
E, sobretudo, se ele está em fase terminal.

Portanto, se a paz desaparece, é que a paz que foi vivida, mesmo, às vezes, durante anos, não foi inteiramente integrada e estabilizada.
E que, justamente, não veja isso como uma punição do que quer que seja, mas, bem mais, uma iluminação nova, que visa fazê-lo superar essas resistências.
Então, não procure saber porque, como, em função do simbólico do corpo ou outro, porque isso vai satisfazer seu mental e seu ego.
Mas é um convite para ir procurar ainda mais na profundidade o que você é, o que não aportará, necessariamente, uma solução à dor ou ao sofrimento, ou ao déficit, ou deficiência, mas fará você ver a vida diferentemente.
Porque isso será, realmente, diferente.
Se sua felicidade, dito em outros termos, depende de sua saúde ou de sua carteira, isso não é a felicidade, e, ainda menos, a Alegria.

E eu creio que é a hora de despedir-me, é isso?

Sim.

Bem, caros amigos, eu lhes digo até já.
Nós não terminamos.
E, depois, prometo, eu os deixo tranquilos, porque há os que se acotovelam para dizer coisas.
Para mim, é a clarificação em relação a todas as interrogações que vocês colocam, que são muito justas, aliás.
Eu não critico nenhuma, bem ao contrário.

Eu lhes transmito todo o meu Amor e eu lhes digo até já.



Mensagem de O.M.AÏVANHOV
Março de 2016





Agradecimento especial:
Traduzido para o Português por Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails