segunda-feira, 14 de março de 2016

QUESTIONAMENTOS - O.M.AÏVANHOV - MARÇO DE 2016 - PARTE 1

Rendo Graças ao autor desta imagem




O.M.AÏVANHOV
PARTE 1 - MARÇO DE 2016




QUESTIOMAMENTOS


Bem, caros amigos, estou extremamente satisfeito de encontrá-los todos aqui, e alhures, é claro, para aqueles que terão a oportunidade de experimentar, se posso dizer, nossas trocas.

Permitam-me, primeiramente, dar-lhes todas as minhas bênçãos, e comungar com vocês em um espaço curto de silêncio e de paz, antes de trocar, e eu diria, mesmo, debater, durante toda essa ocasião que temos, hoje, em relação à sua Ascensão, que está bem avançada agora, então... e sua Liberação, para aqueles que não ascensionam.

Façamos esse momento de paz e, em seguida, escutaremos, todos juntos, as questões que vocês se colocam, uns e os outros, e eu tentarei ali aportar as respostas as mais claras que sejam, não é?
Então.

… Silêncio…


Então, antes de começar, devo dizer que tudo o que vocês ouvirão, tudo o que nós trocaremos, uns e os outros, durante este período, nada mais tem a ver, se posso dizer, com ensinamentos ou técnicas, ou o que quer que seja do desenrolar histórico.
Porque tudo isso lhes foi dado há alguns meses, no mês de dezembro, no mês de novembro, com etapas precisas que deviam desenrolar-se e que se desenrolam exatamente como previsto.
Nós teremos a oportunidade, ao invés disso, através de suas questões, mas, também, do que nós lhes diremos, uns e os outros, entre nós, Anciões, e entre as Estrelas e os Arcanjos, é apenas, eu diria, regulagens e ajustes vibrais finais, se posso dizer, em relação ao que vocês vivem presentemente, na superfície dessa Terra.

Então, primeiro, eu espero que tenhamos questões interessantes que nos permitirão avançar, se posso dizer, um pouco para o Coração do Coração.
Então, vamos escutar a primeira questão.

Questão: uma mãe que se nutre de Luz pode continuar a amamentar seu bebê?

Então, se compreendi bem, é uma mãe que tem um bebê, que se nutre de Luz – isso é perfeitamente possível – e ela quereria nutrir seu bebê de Luz, se bem compreendi, é isso?

Sim.

Então, um bebê é, já, Luz.
Você sabe que as moleiras assinalam o fechamento e a compartimentação da pessoa em torno dos dois anos, e que o corpo astral vai estruturar-se progressivamente – o corpo etéreo, estando estruturado bem antes, a partir de cinco ou sete anos.
A partir daquele momento, é claro, não há mais Luz que nutre, ou apenas um filete de Luz, você sabe, por causa do confinamento.
Mas um bebê que toma corpo é Luz, e o que ele tem necessidade é de matéria, não é de Luz.
Ele já é, ele mesmo, Luz, enquanto a moleira não está fechada.
Portanto, é preciso, imperativamente, nutrir esse bebê; mesmo se a mãe nutra-se de Luz, o bebê tem necessidade de nutrição que se chama «o leite» e nada pode substituir esse alimento nessa fase, na qual se constrói um corpo físico, mesmo se seja neste período específico da Ascensão.

Portanto, não é porque a mãe nutre-se de Luz que o bebê tem necessidade apenas de Luz.
Ele não é capaz de fazer crescer, se posso dizer, sua matéria, seu corpo, unicamente com a Luz.
Há imperativos de funcionamento, imperativos fisiológicos, não é?, que devem ser respeitados.
Portanto, é indispensável nutrir fisicamente uma criança, e um bebê, razão a mais, no período em que o corpo não concluiu a estruturação do corpo etéreo, do corpo astral e, mesmo, do corpo mental.
É claro, existem alguns seres que, a partir dos 14-15 anos, a partir da adolescência iniciada, podem não mais comer e nutrir-se de Luz, mas é difícil a conceber e a imaginar, e ainda mais a realizar, antes desse período, no qual a estrutura física está em crescimento, como se diz, não é?

Portanto, não é que seja possível, é impossível; é preciso, imperativamente, alimentar um bebê de modo o mais correto que seja.
É claro, o bebê nutre-se, também, de pensamentos, de emoções da mãe e, também, da Luz da mãe, mas isso não é, absolutamente, suficiente.
É preciso, verdadeiramente, que o alimento essencial esteja presente para aportar a matéria, simplesmente.
Caso contrário, o bebê arrisca não poder, verdadeiramente, metabolizar a Luz, o que não é a mesma coisa quando você é adulto e reabre as moleiras, quando você ativa, em especial, a Coroa da cabeça.
Naquele momento, efetivamente, e isso nós temos dito há anos, que comer, para alguns de vocês, não era nem uma necessidade nem uma obrigação.

Eu os engajo, aliás, neste período, para aqueles de vocês que têm preocupações com seu mental, com seu corpo, com seus pensamentos, com as emoções ou nas relações uns com os outros, a verificarem, por si mesmos, eu diria, a potência do jejum na resolução das resistências à Luz, independentemente, justamente, de seus pensamentos.
O que eu quero dizer com isso é que um simples jejum total, de quarenta e oito a setenta e duas horas, é perfeitamente capaz de dar um impulso magistral no que pode restar de resistências conscientes ou inconscientes no interior de seus casulos de Luz aqui, nesta Terra.
Ao privar seu corpo de alimento durante um tempo muito curto, você vai reorientar o metabolismo energético ligado ao chacra do baço para uma nutrição-Luz, não de prana, mas uma nutrição vibral.
Vocês têm, todos, assim que tenham uma Coroa que esteja ativa ou que vocês tenham percebido – mesmo sem falar da Coroa do coração, mesmo sem falar da Onda de Vida e mesmo sem falar do Canal Mariano – a capacidade para nutrir-se diretamente de Luz.

E vocês observam, aliás, independentemente daqueles de vocês que têm hipoglicemias, porque a estrutura é limitada, mas mesmo para aqueles, se vocês vão..., se vocês se opõem, não lutando, mas deixando passar os sintomas de uma hipoglicemia, muito rapidamente, no espaço de menos de doze horas, vocês vão constatar que não têm mais fome, real e concretamente, e que a necessidade de nutrição não está mais presente.
E, sobretudo, sua estrutura, ao nível dos casulos de Luz, aí onde se situa a interface entre o corpo de Existência e os casulos de Luz sutis, mas efêmeros desse mundo, ou seja, o corpo causal, isso vai transformar as coisas, com extrema rapidez.
Aliás, há muitas pessoas que fazem da energética ou da nutrição, que conhecem a virtude do jejum, por exemplo, em algumas doenças graves.
Mas, ao nível da própria consciência, o fato de parar de introduzir o que quer que seja em seu corpo, durante quarenta e oito a setenta e duas horas, vai permitir purificar, se posso dizer, tudo o que pode restar, doravante, ao nível tanto de sua cabeça como de suas histórias passadas ou como das dificuldades de posicionamento na Eternidade.

Eu concluiria, aconselhando a essa mãe – obviamente, ela pode continuar a nutrir-se de Luz, porque a Luz será metabolizada em leite, para ela, e para o bebê – mas não se deve pensar em nutrir, exclusivamente, um bebê com a Luz, uma vez que ele já é Luz, e ele tem necessidade é de matéria.
Qualquer que seja o grau, digamos, de pureza das almas que descem durante este período, que é muito específico e que, eu já havia dito, há numerosos anos, o bebê de uma mãe que está aberta ao nível vibral e que vive alguns estados de consciência tem todas as chances, e eu diria, a quase certeza, de que seu bebê será idêntico à Luz original ao crescer.
Essas crianças são nutridas, de qualquer modo, pelas circunstâncias da Terra e, é claro, no ventre da mãe, se ela já está desperta a ela mesma.

Portanto, é perfeitamente possível dar o leite, ao mesmo tempo fazendo crescer a Luz, porque se a mãe está na Luz, o leite se tornará, como dizer, mais eficaz, mais vibral, ele também.
Mas é preciso o suporte da matéria física, o que não é o caso quando você é adulto.

Se você se priva de alimento, durante um jejum curto, você vai observar, mais do que nunca, mudanças extremamente importantes no que pode estar sofrendo ou resistindo em você, quer seja na cabeça ou no corpo, não é?

Escutemos a questão seguinte.

Questão: pode-se ingerir a água durante o jejum?

Eu falei, meu amigo, de jejum total.
Um jejum curto não tem necessidade de se sobrecarregar de líquido.
Não é a mesma coisa que dizia Anael, há muito numerosos anos, há oito ou nove anos, quando ele falava de privilegiar, por exemplo, os alimentos aéreos, não as raízes, não os animais, mas os vegetais, que davam frutos ou legumes que crescem no alto.
Isso, nós havíamos explicado à época.
E nós falávamos, também, de jejum com uma suplementação em água, em líquidos.
Aí, eu não falo da mesma coisa, eu falo de um jejum extremamente curto, ou seja, quarenta e oito a setenta e duas horas, no máximo.
Mas você constatará as mudanças ao final de vinte e quatro horas, ou mesmo antes.
A partir de dezoito horas, quando você nada absorveu pela boca, você constatará uma forma de purificação e de alívio de tudo o que pode resistir, tanto no corpo como na cabeça, como nos pensamentos, não é?
Você pode fazer a experiência disso muito facilmente.

É claro, os almoços e jantares, as refeições têm uma função simbólica, é o momento em que se fala, o momento em que se interage também; então, é claro, faça isso quando você não é perturbado por outras pessoas que comem.
Decida nada absorver, absolutamente, em sua boca, durante vinte e quatro horas, já, e você constatará, com extrema rapidez, a subida vibratória, em um primeiro tempo, e o esclarecimento do observador ou da testemunha, se ele está presente.
E, se você já é liberado vivo, aí também, você constatará uma muito nítida diferença.
E, para aqueles que, ainda, nada vivem, absolutamente, de maneira tangível, ao nível vibral, aí também, você vai aperceber-se de que as vibrações são onipresentes.

Aliás, você constata, houve, já, um fenômeno como esse no momento da ativação total das Portas Atração e Visão, no mês de dezembro do ano 2012, quando alguns viveram, durante várias semanas ou meses, perturbações digestivas que dificultavam a alimentação.
Aí, hoje, coma o que você quiser, é claro, mas faça o teste, para aqueles de vocês que têm algumas dificuldades, de qualquer natureza que seja, de nada absorver, absolutamente, durante vinte e quatro a quarenta e oito horas, ou, mesmo, setenta e duas horas.
Mas, como eu disse – e eu o redigo – ao final de pouco mais de dezoito horas, dezoito horas, aproximadamente, sem nada entrar em seu ventre nem em sua boca, você verá o que vai acontecer.
É o mesmo princípio que o que eu havia dito no mês de dezembro, concernente..., e novembro, concernente à autocura, não é?

Se você não come da matéria, há uma espécie de equilíbrio entre a matéria e a Luz.
Você vai subir em Luz, mesmo permanecendo perfeitamente presente.
Se você supera as primeiras sensações de fome, as primeiras sensações, mesmo, de hipoglicemia ou de sentimento de fadiga, você reencontrará uma vitalidade que a nada é comparável.
Eu o lembro de que há, por exemplo, nos ensinamentos distantes, também concernentes ao Intraterra e aos modos de vida dos intraterrestres, quer eles sejam delfinoides ou não, que eles tinham conservado uma forma de refeição «ritualística», se posso dizer, hebdomadária, de maneira a reunirem-se e festejarem, de algum modo, o alimento em si mesmo.

Mas seu corpo nutre-se de Luz, quer você esteja aberto ao nível das Coroas ou não, porque a energia-luz vibral, como você sabe, condensou-se na Terra; nós falamos disso todo o ano passado.
E o que é que acontece agora?
Seu chacra do baço, eu não falo, mesmo, mais das Coroas, eu não falo mais do Canal Mariano ou dos chacras centrais, eu falo do chacra do baço, o chacra do baço é aquele que mobiliza e que metaboliza e põe em funcionamento as energias prânicas que entram pelo chacra do baço, mas, devido à abertura da porta Atração e Visão, que foi constante ao nível da Matriz Crística, ao nível individual, em 2012, e, sobretudo, no ano passado, ao nível coletivo, dá a todos e a cada um a possibilidade de viver um jejum curto total, para com isso viver as transformações.

E você verá que é muito rápido e suficientemente significativo para ser identificado por não importa quem, independentemente das vibrações daqueles que as vivem, hein?
Você terá efeitos, em alguns casos, mesmo, muito espetaculares, sobre algumas perturbações ou sobre algumas perturbações físicas ou perturbações mentais, como eu disse, não há diferença, mas o jejum, nesses casos, deve ser total.
Não é um jejum líquido, não é uma alimentação líquida ou aérea, como dizia, à época, Anael, e isso não é, tampouco, o que é chamado de alimentação prânica, porque, aí, é uma nutrição vibral.

O baço é perfeitamente capaz de distribuir no corpo, independentemente de sua alimentação em Luz, pela Onda de Vida ou as Coroas, por seu Coração do Coração, mas, também, ao nível do corpo vital.
O que entra, doravante, pelo chacra do baço ou a Porta Atração, não é o mais o prana, unicamente, são as partículas vibrais.
Você tem a possibilidade, dada a abundância da Luz na superfície da Terra, de nutrir-se delas também.
Mas é preciso que o jejum seja total.

Outra questão, então.

Questão: você pode falar das crianças que vão encarnar nos tempos que vêm?

Com prazer.
Eu já havia falado das mulheres grávidas, em 2011, em várias reprises.
Mas, aí, é um pouquinho diferente, porque, quer você seja uma mãe ou um casal aberto ou não, nada muda, absolutamente, na criança que está na mãe.
Porque aí também, eu o lembro de que assim que há concepção, a alma, ou o Espírito, se não há alma, envia dois fios de Luz no que vai ser o bebê, a partir da concepção.
Um fio de Luz par a mãe, um fio de Luz através do pai, a partir da fecundação.
Ora, esses fios de Luz, hoje, são, também, nutridos de Luz.

Portanto, eu posso dizer, completando a resposta anterior, que os bebês que estão a caminho, é assim que se diz, hein?, para as mulheres grávidas, esses bebês a caminho estão, já, a par, é claro, do que há a viver durante este ano – e, como você sabe, antes deste verão.
Portanto, quer eles nasçam antes, durante ou logo após, quer as mães estejam abertas ou não, você verá que essas crianças são profundamente diferentes.
Eu já havia dito isso em 2011.
Eu lhes havia dito que as crianças que nascem abrem os olhos imediatamente, com um olhar extremamente presente.
E bah, aí, elas estão na Luz, ao nascer, qualquer que seja o meio social, familiar ou qualquer que seja o estado, eu diria, da mãe ou do pai.
Porque a Luz vibral e a justaposição do efêmero e do Eterno é cada vez mais consequente e importante.

Portanto, esses bebês vêm com todo conhecimento de causa.
Eu o lembro de que todos os desencarnados, depois das Núpcias Celestes, foram despachados para viver a liberação no corpo astral ou no corpo causal, se eles superaram o corpo astral e mental.
Alguns desses seres decidiram voltar a tomar um corpo para viver na carne física a Liberação e a Ascensão.
Outros, enfim, vêm de muito longe, não tanto para terem o tempo de experimentar uma vida, mas para, eu diria, ancorar ainda mais a Luz nesta Terra, que é seu papel, de todos, mas que é o papel de quase todos os bebês.

É por isso que não pode mais haver, eu diria, nascimento, por exemplo, de híbridos reptilianos ou, ainda, bebês que sejam obtusos e cujo programa de alma seja demasiado afastado da Luz, se posso dizer, ou seja, uma alma voltada para a matéria.
A grande maioria dos bebês a nascer este ano são, já, seres de Luz, quer eles sejam reencarnações daqueles que estavam na pré-estase, nos planos intermediários, ao lado de nossas embarcações, quer eles tenham vindo de alhures para viver, no corpo de carne, a Liberação.

Era essa a questão?

Questão seguinte.

Questão: qual é o impacto na digestão, no cotexto atual?
São as causas lógicas de absorver uma alimentação seletiva e repetitiva a cada dia...

Isso faz parte do programa do Espírito também.

Questão: … e, apesar de tudo, com dificuldades digestivas?
Pode haver riscos de carência?

Absolutamente não, para um adulto que vibra.
E mesmo que não vibre.
É claro, você observou que vocês têm, todos, mais ou menos, uns ou os outros e, em todo caso, para aqueles que vibram na Coroa radiante da cabeça, já, dificuldades digestivas, como foi o caso no fim do ano 2012.
Mas isso é uma injunção da Luz, também, para fazer um jejum curto e total.
Então, não se queixe de distúrbios digestivos.

Por exemplo, você observa que alguns alimentos que lhe faziam bem não lhe fazem mais, verdadeiramente, bem, e outros, ao contrário, que você rejeitava, que você reabsorve.
Olhe entre vocês, por exemplo, aqueles que, hoje, não bebiam mais café e bebem café, ou aqueles que não comiam mais tal alimento e que voltam a comê-lo.
Ou outros, ao contrário, que ficam incomodados por esses alimentos que eles, no entanto, tinham prazer em comer.
É um convite da Inteligência da Luz, de seu Coração do Coração, para não mais alimentar-se durante dois a três dias, e você verá que todos os distúrbios digestivos não terão mais razão de ser, quaisquer que sejam.
Não, unicamente, digestivos, todas as funções que estão situadas nessa parte do corpo, mas, como eu disse, também, nos pensamentos, no mental e nos casulos sutis.

Então, é claro, pode haver carências, reais, se esse jejum dura demasiado tempo.
Mas, aí, eu não falo da mesma coisa que uma alimentação seletiva como, por exemplo, havia sido dado pelo Arcanjo Anael e eu mesmo, há numerosos anos.
Nutrir-se de prana, isso já existe, há cada vez mais testemunhos.
Eu não lhe digo para nutrir-se de prana, eu lhe digo para nutrir-se de partículas vibrais, não é, absolutamente, a mesma coisa.
E seu baço é perfeitamente capaz de metabolizar isso.
Eu o lembro de que o que é importante não é mais o quantitativo.

Por exemplo, eu vou tomar um exemplo: há padrões de açúcar no sangue.
Há irmãos e irmãs que têm açúcar no sangue muito elevado – isso se chama diabetes, não é? – e, no entanto, não têm qualquer desequilíbrio ligado a esse excesso de açúcar.
E há seres que têm hipoglicemias.
Mas, o que é importante, é que a Luz, quando ela entra, a partícula vibral, quando ela entra pelo baço, ela é metabolizada no estômago e no segundo chacra, e no fígado.
E essas partículas vibrais vão – são fótons, as reunidos, você sabe – elas vão, de algum modo, tornar mais vivas as moléculas fisiológicas normais de seu sangue, quer seja o açúcar no sangue, quer sejam as vitaminas.
E, naquele momento, todos os padrões fisiológicos que você conhecia, que a medicina tem estudado, não têm mais curso, se posso dizer.
É claro, não para toda a humanidade, mas para certo número de vocês; é a você que cabe verificar.
Eu creio que o humano está tão habituado a comer que, mesmo se ele não tem fome, ele vai ter o prazer de trocar, de colocar coisas na boca.
Suprima esse desejo e esse prazer durante dois dias, sem se violentar, e você verá.

Portanto, ao nível da alimentação, respeite a Inteligência da Luz e a inteligência de seu corpo.
Não reaja mais, dizendo-se «mas se eu não como isso, eu vou ter uma carência nisso».
Isso não é mais, absolutamente, verdadeiro, uma vez que as moléculas, mesmo se sejam insuficientes, vão tornar-se mais vivas, se posso dizer e, portanto, mais eficazes.
Portanto, não se preocupe com isso.
Aliás, muitas doenças ditas metabólicas, eu creio, ou de sobrecarga, quer seja em açúcar, em gordura, em álcool, no que você quiser, são profundamente melhoradas, já, pela nutrição prânica, então, você pode imaginar bem o efeito da nutrição vibral em relação aos seus alimentos.

Você sabe, em minha vida, eu não fazia uma única refeição sem abençoar essa refeição.
Será que você pensa em abençoar sua refeição?
Porque isso transforma, já, o alimento que você vai ingerir.
E se você suprime os alimentos, você verá que é ainda mais eficaz.
Mas não faça isso durante dez dias, hein?, você não poderá manter; mesmo aqueles que têm o hábito de fazer jejuns.
Faça isso por dois ou três dias, e você verá as transformações, se você já jejuou, que serão muito mais rápidas no que pode estar deficiente, ainda, em você, quer seja uma doença, emoções, mental ou, mesmo, percepções que você não tem, ou percepções que o incomodam.
Você verá que você se tornará mais forte, mais luminoso e mais íntegro também, no que você é.

Você vê, efetivamente, que as necessidades fisiológicas são profundamente transformadas, quer seja para o sono, quer seja para a própria atividade de todos os dias, quer seja para seu humor, quer seja para o que o incomodava anteriormente e que, agora, faz apenas superficialmente ou, ao contrário, se você resiste, faz-lhe ainda mais mal do que antes.
Mas a solução está em você.
Ela não está em um alimento, ela não está em seu cônjuge.
E tudo o que permite aumentar sua Autonomia e sua Liberdade deve ser privilegiado.
Aproveite disso, enquanto ainda há tempo.

E, depois, isso lhe permitirá, também, se há uma defasagem entre a Ascensão, propriamente dita, quer seja nos Círculos de Fogo ou alhures, a intervenção dos irmãos Arcturianos ou Vegalianos ou Andromedianos na Terra permitirá a você manter-se sem sofrer, se não há sincronia total.
Mas nós fazemos de modo que haja uma sincronia total para todo mundo, é claro.

Então, sim, o jejum curto total é importante durante este período.
Aliás, você está no período da quaresma, eu o lembro, hein?, você está antes da Páscoa; não há melhor período do que agora.
E depois, se você constata que tem distúrbios digestivos, faça, também, o teste do jejum, você nada arrisca.
O que é que você quer arriscar?
Uma doença?
Morrer?
Mas é uma chance inesperada.
Questão seguinte.

Questão: há uma ligação entre a eletro-sensibilidade e a químico-sensibilidade?
Se sim, qual é e como sair disso?

Então, eletro-sensível, eu posso compreender.
Químico-sensível, isso quer dizer o quê?
As pessoas que têm, por exemplo, intolerâncias ao glúten...?

Questão: sim, ao glúten, por exemplo.

Então, a ligação entre a eletro-sensibilidade e a químico-sensibilidade?
Não há.
Não há qualquer relação.
A químico-sensibilidade depende, em primeiro lugar, de sua estrutura física, através da hereditariedade também, transgeracional também, mas, também, sua evolução vibratória.
Porque, efetivamente, até certo limiar da elevação vibratória, há uma intolerância que se desenvolve, de maneira quase constante, junto aos irmãos e irmãs ditos esclarecidos em relação ao glúten.
Eu o lembro de que o glúten faz parte...
É o glu (cola), é o que isso quer dizer, é o que cola.
E que esse glu, ele se deposita não, unicamente, no corpo físico, mas, também, ao nível do que é nomeada a Gota Vermelha e a Gota Branca, ou seja, sua parte do Coração do Coração.
E que esses alimentos, e não apenas os alimentos, tudo o que você tem como adjuvantes, como aditivos, tudo o que tem na química moderna da agricultura é feito para bloquear sua consciência.
É preciso estar consciente disso, não é?
Mais do que nunca.
E eu não falo de vaporizações no céu, eu não falo de pesticidas, eu não falo de condicionamentos, da irradiação dos alimentos.
Tudo isso é uma realidade, é claro.

A qualidade nutritiva dos alimentos nada mais tem a ver com o que era há ainda vinte anos.
A quantidade de calorias, o sabor, tudo isso você sabe, você o verifica por si mesmo, quando come uma maçã que é biológica e uma maçã que não é biológica.
Mas isso não é suficiente.
Porque não há apenas os poluentes do solo.
Há, também, os poluentes do ar, que são vaporizados, entre outros, há os campos elétricos, há as perturbações do que foi nomeado, e a destruição do que havia sido nomeado de linhas de predação.
Tudo isso se reforça, progressivamente e à medida que a Terra libera-se e que vocês se liberam; progressivamente, a energia da contra-liberação, se posso chamá-la assim, ou seja, as energias de confinamento, faz-se cada vez mais abrupta.

Você constata isso, aliás, através do que eu nomeei, durante anos, as duas humanidades, e a separação das duas humanidades.
Há irmãos e irmãs que estão na negação total do confinamento da Terra, na negação total da presença dos reptilianos, na negação total dos poluentes.
Mas isso não é a vida, isso.
Agora, não se deve fazer disso uma obsessão, não é?
Tanto mais, eu repito, que você pode nutrir-se de outra coisa que não de alimentação para um adulto – mesmo doente – normalmente constituído.

Portanto, não há sobreposição.
A eletro-sensibilidade é uma sensibilidade que se situa ao nível do corpo etéreo, cuja retransmissão situa-se ao nível do que foi nomeado o eixo Atração/Visão, o eixo de falsificação que corresponde ao chacra do baço e ao chacra do fígado.
A químico-sensibilidade não é, verdadeiramente, a mesma coisa, mas, efetivamente, você pode constatar que, frequentemente, você é portador de ambas.
Se você tem uma delas, a outra não está longe, tampouco.
Mas há, de qualquer forma, mais químico-sensíveis do que eletro-sensíveis.
Tanto mais que – eu havia dito e eu o redigo – progressivamente e à medida que você reencontra sua eternidade, progressivamente e à medida que suas próprias camadas isolantes, e a camada isolante a mais forte, você sabe, não é o corpo etéreo, o corpo astral e o corpo mental, é o corpo causal que o encapsulou e privou da centelha divina e da centelha da alma.
E a Luz vibral, é claro, queima o corpo.

E, portanto, essa sensibilidade elétrica vai tornar-se cada vez mais perceptível, mesmo se você não seja afetado.
Do mesmo modo que você vê os dragões, os elfos, os gnomos etc., as fadas, do mesmo modo que muitos de vocês percebem, de maneira fugaz ou mais constante, nossas Presenças ao seu lado esquerdo, do mesmo modo, é a mesma coisa para isso.
Vocês se tornam, todos, não, unicamente, eletro-sensíveis, mas hipersensíveis aos seus próprios males.
Mas vocês têm, em si, a capacidade total da Graça; é agora a ocasião, aí também, de pôr isso em prática.

E não confunda a nutrição vibral e a nutrição prânica.
Você sabe que, por exemplo, os xamãs, os místicos podem absorver o prana de um alimento e desidratá-lo, como o faria uma pirâmide.
Eu não falo dessa alimentação, eu falo, verdadeiramente, da alimentação vibral que se toma no Éter e não a partir dos alimentos.
Simplesmente, ao privar-se de alimentos, você vai permitir ao chacra do baço que é obrigado, já que ele é implicado na digestão de seus alimentos físicos, como o chacra do fígado e o plexo solar no meio, tudo isso vai passar ao segundo plano e a Luz vibral, em lugar de fazer o circuito entre o baço, o plexo solar e o segundo chacra, irá transmutar, diretamente, uma vez que nada mais há a fazer ao nível do plexo solar e do fígado, e da vesícula biliar, irá liberar seu segundo chacra das últimas linhas de predação pessoais que possam restar em você, quer você tenha vivido ou não a subida total, ou não, absolutamente, da Onda de Vida.
E é a Luz que faz o trabalho, não é você.

Mas, para isso, é preciso que o baço esteja sujeito a uma alimentação que não seja “gorda”.
Você tem o direito de comer o que quiser, é claro; há, entre vocês, quem tem, mesmo, necessidade de carne, nesse momento.
É uma necessidade real e fisiológica, por uma razão que é muito simples.
Não é, unicamente, porque há uma carência em ferro, é, unicamente, porque, além da poluição energética da carne e do sofrimento animal, entretanto, o animal, antes de ser abatido, incorporou, ele também, a Luz vibral.
E essa Luz vibral, do mesmo modo que vem envolver as moléculas, vai envolver o núcleo de ferro da hemoglobina, como vocês dizem, e vai tornar as moléculas dos glóbulos vermelhos e o DNA em outras células, muito mais ativas.
O que permitirá a multiplicação facilitada de suas fitas de DNA que permite, eu o lembro, passar de duas para doze fitas de DNA.
É nessa fase final, e aproveite deste período mágico que se situa antes da Páscoa, mas faça-o, não importa quando.

E, em um jejum curto, não há qualquer risco de carência.
Ao contrário, você vai aumentar, se posso dizer, sua taxa vibratória, para aqueles que se interessam por isso.
Você vai fazer desaparecer o que pode restar de resistências ou de interferências entre sua pessoa, seu efêmero e a Eternidade e o corpo de Existência, que nada tem a ver, eu o lembro, com as estruturas de casulos sutis, que estão bem além, não é?
Corpo de Existência que estava no Sol e que, agora, imprime-se, se posso dizer, e entra em sintonia com suas estruturas efêmeras de modo, eu diria, cada vez mais adaptado.
Mas essa adaptação à Luz cria, como você constata, uma forma de desadaptação à vida comum privada de Luz, quer seja ao nível do sono, do apetite, da memória e de tudo o que faz o efêmero, de fato.

É assim que você desaparece, a maior parte, cada vez mais facilmente.
Então, é claro, o desaparecimento pode ser incômodo, quando isso sobrevém, quando você havia previsto fazer outra coisa.
Mas, novamente, aí também, será que você está submisso à sua pessoa ou será que você jurou lealdade, inteiramente, à Luz vibral?
É isso que isso lhe dá a ver.
Como em suas relações, como no que lhe acontece no que você faz hoje.
Não há melhor possibilidade de reequilíbrio do que esse, porque a Inteligência da Luz é, eu diria, cada vez mais estrondosa ou, mesmo, perturbadora.
Mas perturbadora para você, como pessoa, mas não para você no que você é, de toda a eternidade e no que se desenrola na Terra.
Mas cabe a você fazer sua própria experimentação, se posso dizer.

E se eu não respondo à questão, é preciso me dizer, hein?
E, se eu respondi a essa questão, então, podemos passar à seguinte.

Questão: aí, você parece dizer-nos que o evento final sobrevirá antes do verão?

Mas isso já foi dito por Anael.
Não há qualquer razão para que isso mude.

Questão: mas você havia dito, também, que em 7 de janeiro aconteceria alguma coisa, e em 2011, também, havia uma cenoura e uma vara.

Não há mais cenoura e vara, eu o disse na última vez.

Questão: então, eu me pergunto se você mente para nós, ou não?

Então, eu já disse, e Anael também, eu creio, que a Luz não mente, jamais, mas a Luz é ambígua.
Ela é ambígua segundo sua compreensão e sua interpretação.
Porque, enquanto a pessoa está ainda presente, mesmo se você é liberado vivo – há, ainda, uma pessoa, é claro – essa pessoa está sujeita à compreensão, à interpretação e, sobretudo, à projeção.
Agora, eu havia dado uma data limite.
O segundo cometa – e não Nibiru – passou no tempo e na hora, na hora quase, mesmo, eu diria, ao nível da visibilidade.
Mas, é claro, essa segunda Estrela não é Nibiru, mas faz parte do sistema complexo de Hercobulus.
Agora, será que, ao colocar essa questão, é você que espera ou aguarda alguma coisa?

Lembre-se de que sua única função não é de esperar o fim para escapar de não sei o quê, mas viver, já, seu fim pessoal, neste período após a atribuição vibral, através de suas peripécias de vida, através de suas peripécias interiores, através de tudo o que se desenrola em sua vida.
Tudo é oportunidade de superação e de Liberação.
Não fornecendo um trabalho ou um esforço, mas, como foi dito, vendo-o.
Não há necessidade de subterfúgios, você não deve fugir e é preciso ser justo consigo mesmo, não interpretar, não projetar, não ficar com os créditos para si.

O outro deve ser mais importante do que você, é o único modo de provar a ele seu amor.
Não é dando-lhe dinheiro ou apertando-o em seus braços.
Não é, unicamente, evitando dizer o mal de quem quer que seja, mas é colocando-se, e compreendendo – e vivendo – que o outro é você.
Sobretudo aquele que você mais detesta, é ainda mais você.
Quando você tiver, realmente, vivido isso, nada mais você esperará.
Eu não posso dizer melhor do que eu disse em dezembro.

Agora, a Ascensão começou.
Você a vive a título individual.
E a liberação coletiva, eu o convido a não acreditar em nós, mas a olhar, realmente, o que acontece na sociedade, ao nível das estruturas arcaicas, das estruturas de dominação, de predação.
As linhas de predação coletivas, elas já foram, ao nível pessoal, dissolvidas para aqueles que viveram a Onda de Vida em 2012.
As linhas de predação coletivas, elas já se desagregaram em 2012, e vocês estão em 2016, portanto, vocês podem pensar que o que mantém esse mundo é apenas o hábito, nada mais.

Não há mais, como dizer..., ajustes da velocidade de Nibiru em função da Terra, em função da egrégora coletiva da humanidade.
Aliás, seus cientistas sabem e dizem isso, ela acelera cada vez mais.
Aliás, eles estão perdidos, os pobres, porque eles não podem compreender como algo está em um lugar, a um dado momento, evolui em tal velocidade, e reencontra-se atrás ou, por vezes, mais próximo.
Isso não obedece às leis físicas, astrofísicas que vocês conhecem.
É a mesma coisa quando você vê um meteorito: você tem a impressão de que ele está à sua frente, bem ao seu lado, ele está, talvez, a centenas, ou mesmo milhares de quilômetros.
Tudo depende da luz e do tamanho e do barulho, é claro.
As Trombetas estão cada vez mais presentes.

Portanto, nós não mentimos.
Mas reaja a si mesmo.
O que é que você vive desde dezembro?
Você desaparece, cada vez mais rapidamente, quer você queira ou não.
E, mesmo quando você volta, o mundo está aí.
Mas você vê bem como vai a marcha desse mundo, é preciso estar na negação para não vê-lo.
Agora, se você espera uma data com um ponto final, eu o lembro de que ninguém conhece nem a data nem a hora, mesmo Cristo.
A própria Fonte tem uma ideia, o Arcanjo Metatron também, e eu havia dito que havia períodos propícios.
Mas, ao nível da Estrela que anuncia a Estrela, e a Estrela, que não é aquela que foi nomeada por São João «Absinto», no Apocalipse…

Porque, aí, as chuvas meteóricas ligadas à manifestação, aos seus olhos de carne, do Arcanjo Miguel, que vem concluir o que começou, já, desde as Núpcias Celestes, que se concluiu, interiormente, em 2012, e que desembocou na manifestação nesse mundo, já, desde 2014, na sua atribuição vibral, que se refina, pouco a pouco, quer você queira ou não, quer você viva as vibrações ou não, quer você goste disso ou não.
É similar para toda a vida na superfície deste planeta.
Os seres da natureza são cada vez mais vistos, cada vez mais há trocas que se fazem com eles.

E aquele que vive totalmente imerso em sua eternidade, no vibral, se quiser, na Luz vibral, não se importa com os sinais visíveis no céu, porque ele já os viveu em si.
Só aquele que está, ainda, limitado em seu acesso à própria eternidade, mesmo se ela se faz por momentos, vai duvidar, cada vez mais.
Aliás, eu o lembro de que a negação será tal, para uma grande parte da humanidade, que, mesmo quando houver os sinais no céu, mesmo quando houver as Trombetas, mesmo quando houver o Apelo de Maria, eles continuarão na negação.
Nem todo mundo vai cair em êxtase no momento da estase, em todo caso, nos primeiros tempos.

Portanto, não há qualquer mentira.
Nós lhes temos dado provas suficientes de todas as estruturas, não eu, mas, por exemplo, Um Amigo, quando ele lhes deu o Yoga da Unidade.
Nós temos atraído sua atenção a estruturas que nenhum de vocês conhecia à época, porque não as viviam.
E vocês veem, hoje, irmãos e irmãs que vivem a ativação dessas estruturas sem, mesmo, saber a que isso corresponde.
Portanto, tudo isso foi bem programado, preparado, em realização, mas não procure a hora, você o saberá, breve, o suficiente.
Simplesmente, na cronologia que foi dada pelo Arcanjo Anael e por mim mesmo, o que está em uma ordem cronológica precisa, ou seja, linear no tempo, será cada vez menos linear no tempo.
Haverá uma espécie de empilhamento dos instantes presentes e do tempo, quando tudo vai resolver-se no que vocês nomeiam o tempo zero.

Lembre-se de que o elástico, ele estica, ele estica.
Haviam-lhes dito que, quanto mais ele estica, mais vocês tinham a oportunidade de preparar-se e afinar, se posso dizer.
Mas você acredita que aqueles que estão na negação total, exceto a Graça Mariana de último minuto, vão acolher esse processo com alegria?
Eu não acredito.
E é o que eles têm a viver.
Eles serão confrontados ao efêmero e à dureza do efêmero.
Isso não quer dizer que esses seres – isso nada quer dizer, mas... – sejam menos evoluídos, mais abertos ou menos abertos do que você, isso quer dizer que o programa de vida deles, inscrito na alma, necessita disso.
Nada há de bem, nada há de mal, cada ser é livre para viver o que ele tem a viver.
Agora, o momento coletivo, temido ou esperado, ele não depende mais nem da Terra nem de vocês, nem de nós, nem mesmo de Nibiru.

É preciso encontrar o momento de ressonância o mais adaptado.
Portanto, você conclui, com isso, e nós concluímos, há muito tempo – e nós já o havíamos sugerido, se posso dizer – que o mecanismo de basculamento, o último basculamento dos polos e de sua consciência produzir-se-á quando um conjunto de circunstâncias for reunido.
Todas as circunstâncias são reunidas, sem exceção.
Isso teria podido ser em dezembro, isso pode ser imediatamente, pode ser amanhã, mas, em todo caso, isso se desenrolará no espaço de tempo previsto.

Mas não faça planos sobre o cometa, como se diz, esperando escapar de suas obrigações, do fisco, ou gozar na vida.
É diferentemente mais importante sentir-se, hoje, eu diria, ainda mais responsável do que você é e do que você faz em sua vida, calcando, se posso dizer, seu comportamento na demanda da Graça, na demanda da Luz e do estado de Graça.
Se você está, realmente, aí dentro, não há mais qualquer data a procurar, porque tudo está aí, sob os seus olhos.
É claro que, quando você acorda pela manhã, ou que você sai de seu contentamento, o mundo está aí, mas ele está, cada vez mais, ao mesmo tempo rígido e ao meso tempo flexível, cada vez mais permeável à Luz e, por alguns ângulos, cada vez mais na resistência à Luz, como cada um de vocês.
E é o que se joga, e vocês são o teatro das operações, se posso dizer, nesse corpo.

Lembre-se: quando você sabe, por exemplo, que se ensina a um irmão ou uma irmã que ele(a) vai morrer, porque ele tem uma doença que o condena a morrer em dois meses, em seis meses, pouco importa a data.
Essa pessoa tem vontade de viver, não porque ela tem medo da morte, necessariamente, mas porque é preciso arranjar as coisas e aproveitar, como vocês dizem, os últimos momentos.
Mas razão a mais, hoje, aproveite para estar ainda mais vivo do que de hábito, você não vai pôr-se na cama antes do Apelo de Maria, de qualquer forma.
Você está aí para irradiar o que você é, na eternidade, e você não tem necessidade de palavras.
Faça o que você tem o hábito de fazer, ou faça o que a Luz pede-lhe para fazer, através dos eventos ou dos não eventos.

Mas nada mais veja de seu simples ponto de vista, como pessoa.
Se você compreendeu isso, se você se inclina não mais no que nós dizemos ou no que você vibra, mas na objetividade concreta, material, física, dos eventos, quaisquer que sejam, ao nível da sociedade, ao nível das guerras, você vê, efetivamente, que tudo isso está a caminho – e, mesmo, chegou.
O problema é que o que vocês chamam de mídias, mídia de massa, o coletivo humano global, não aquele dos despertos, dos Liberados ou dos abertos, mas global da Terra, não pode considerar como você a negação ou a raiva, ou a recusa, ou a negociação, de que falou Sri Aurobindo, em relação às etapas do Choque da Humanidade.
Mas o Choque da Humanidade, vocês estão completamente dentro.
E o Choque da Humanidade é, de qualquer forma, preliminar ou, em todo caso, concomitante com o Apelo de Maria.
E quanto mais você avança nesse tempo linear – que parece esticar para alguns, ou encurtar – mais todos os elásticos vão soltar, ao mesmo tempo.
Portanto, você pode imaginar que, se você não tem a luz interior, você deverá resolver alguns antagonismos.
Eu falo para o coletivo da humanidade, eu não falo para inúmeros de vocês que estão aqui.

Não se esqueça de que o ego considera-se como imortal.
E que o ego espiritual considera-se como imortal, através da reencarnação.
Mas não é isso a Liberdade, não é isso a imortalidade.
Isso nada tem a ver, mesmo, com vocês e conosco.
Isso nada tem a ver com os Anciões, com as Estrelas, os Arcanjos, que são apenas manifestações em uma forma mutável, da própria Luz.
E o querido Bidi já voltou, há vários meses, para completar o que ele havia dito há alguns anos.

Então, viva.
Fique atento ao que demanda a Luz, ao que demanda seu corpo.
Mas fique tanto mais atento ao que demanda a Luz.
E não há cinquenta mil modos de ali chegar.
Eu falei do jejum curto, eu falei, também, e falarei de não mais atribuir crédito às suas emoções.
Seus pensamentos, aliás, não são seus pensamentos, mesmo quando você está em meditação ou em alinhamento ou na Infinita Presença.
Você vê, efetivamente, que há coisas que emergem e, se você não se interessa por elas, pelo princípio da Atenção e da Intenção, elas se dissolvem.
As imagens, as formas, também, desaparecem e você não fica, mesmo, mais, com o grande branco do Si, o esplendor do Si, mas você penetra, real e concretamente, a Morada de Eternidade, que é a sua e que é a nossa, de todos e cada um, quer se queira ou não.

Portanto, a Luz não pode mentir, há apenas a noção de ambiguidade.
Mas, quando eu disse que a Luz é, por vezes, ambígua, é o reencontro entre a Luz e seu efêmero que cria, eu diria, essa noção de ambiguidade.
Não é a própria Luz, é a interação entre o Eterno e o efêmero.
O Abandono à Luz e a vivência da Luz, tal como havia sido explicado há numerosos anos e, agora, é a lei de Graça, nós o dissemos todo o ano anterior e, em especial, no que foi chamado de «as Publicações ou Notas de fevereiro» , há apenas um ano.
Aí, você teve, e eu o convido, aliás, mais a reler, como alguns o fazem, ou a escutar o que foi dito há anos, porque isso toma todo o sentido agora.

Quando nos anos anteriores, com outras pessoas, eu já falei, com pessoas que se chamavam, em especial, OM, era eu que falava.
Eu havia dito, já, eu havia falado de todos os eventos que iam desenrolar-se, nos anos 95-2000, bem antes de tudo o que se disse depois.
Eu já havia evocado tudo isso.
E, é claro, houve projeções e interpretações.
O que eu digo agora, hoje, que eu já disse no ano passado, é que isso aí está.
Isso não depende nem de vocês nem da Terra, mas, simplesmente, de todas as circunstâncias astrofísicas que estão a desenrolar-se nesse momento.
Não é mais a Terra; a Terra está liberada, ela decidiu ascensionar.
O núcleo cristalino já está liberado há anos.
Inúmeros de vocês são liberados, real e concretamente, há anos.
Então, eu concebo que isso possa ser difícil a ser confrontado à humanidade adormecida, sobretudo, se está próximo de você.
Mas é preciso ir adiante.

Então, não se preocupe mais com a data limite, ela foi dada, a cronologia segue seu ritmo.
Não se esqueça, também, de que há uma sobreposição, eu diria, dos diferentes ciclos temporais, que conduz a esse funil de passagem, que é o Apelo de Maria.
Mas tudo será sincrônico.
Tudo o que se mantém, ainda, em pé, na superfície dessa Terra, será varrido de um golpe, e de um único.
Quanto mais o elástico estica, mais ele se torna forte.
Era necessário, para que o máximo – e eu o havia dito também – de irmãos e de irmãs pudesse descobrir ou pressentir sua eternidade, mesmo sem a vibração, mas, hoje, e eu o disse em dezembro, e eu o repito, tudo está consumado.
A Liberação da Terra, que lhes prometeu sua Liberação, a Ascensão individual para aqueles que a vivem, e o evento final.

Mas lembre-se, também, de que a Terra de terceira dimensão deixará o lugar – eu falei disso em 2010 – a uma Terra de quinta dimensão; é um parto.
O que você percebe com seus olhos, os seres da natureza que você vê, que você sente, com os quais você interage, seus alinhamentos, seus desaparecimentos, seus distúrbios digestivos, suas mudanças alimentares, suas mudanças de região, todas as suas mudanças que sobrevêm são apenas isso – são destinadas apenas a facilitar sua Ascensão pessoal.
E você está vivendo isso, cada vez mais.
E, é claro, enquanto o sapo não está cozido, o sapo não sabe que está cozido; ele morre sem saber que morre.
À época, eu dizia que era preciso soltar os amendoins do frasco para tirar a mão desse frasco.
Eu disse, depois, que não havia mais frasco.
Mas não há mais amendoins, tampouco, e não há mais mão.
São apenas resíduos, se posso dizer, do hábito, que mantém o mundo, nada mais e nada menos.

Isso quer dizer o quê, também?
Isso quer dizer que nem vocês nem nós dominamos nem controlamos o que quer que seja, já que nosso trabalho, de nós, Melquisedeques, Estrelas, Arcanjos, os Conclaves, tudo o que existiu durante esses anos, não tem mais necessidade de nós.
Do mesmo modo, você não tem mais necessidade de si mesmo.
Então, eu sei que isso pode parecer difícil a aceitar, mesmo para aqueles que desapareceram, apreender e compreender que tudo isso foi apenas um jogo.
Um jogo que lhe permitiu aproximar-se da Verdade, para que você pudesse viver em toda autonomia e liberdade sua verdade; isso foi realizado.
E não se preocupe com aqueles que estão na negação.
Não se preocupe, tampouco, com aqueles que nada veem vir ou consigo mesmo, porque o Apelo de Maria vai recolocar os contadores a zero, se posso dizer.

Então, viva.
Viva, ame, faça o que a Luz pede a você, faça o que lhe dá prazer.
Autocure-se, faça jejuns, ore, faça o que você quiser.
É claro, inúmeros de vocês, como eu o disse, interessam-se pelo que pode acontecer, mas, se você olha objetivamente, se olha, unicamente, sua pequena vida, você se diz: «Bah, eu continuo aí, eu continuo a trabalhar, eu continuou com necessidades de dinheiro, eu continuo com necessidade de minha companheira ou de meu companheiro. Eu tenho necessidade de viver.».
Sim, é claro, mas você vê, efetivamente, que há outra coisa que está aí, cada um de maneira diferente, com mais ou menos intensidade.

Agora, se você está enredado ou incomodado pelo tempo que se escoa, isso quer dizer o quê?
Que você não está, ainda, suficientemente estabilizado em sua eternidade, mesmo se é liberado vivo e viveu a totalidade da Onda de Vida.
Você não está aí para você agora, você não está aí para os outros, você está aí para viver a verdadeira vida, aqui mesmo, nesse mundo, durante o colapso dele.
Eu não sei se fui claro o bastante.

Agora você vai ver isso passar de verde para maduro.
Eu falei do prazo da segunda Estrela.
Eu falei, hoje, da quaresma.
No ano passado, houve bonitos meses, não é, com muitos eventos.
Este ano há o mês de março, há o mês de Maria, há algumas egrégoras de festas ditas religiosas que são, antes de tudo, festas astronômicas, antes de serem festas religiosas, hein?, quer seja o solstício de verão, o solstício de inverno, a primavera etc.

Então nós, o que é que nós fazemos, tanto Anciões, como Estrelas, como Arcanjos?
Nós fazemos como vocês.
Nós estamos cada vez mais alinhados no Absoluto e na verdade do Absoluto.
O que quer dizer que, mesmo se você tenha a impressão de que você troca conosco e que isso chega pelo exterior..., quando nós dissemos, há anos, que nós estávamos no interior de vocês, o único mundo que existe são vocês.
O jogo social e o jogo da relação fazem-no crer que há «o outro», faz crer que há Maria, faz crer que eu estou aí.
Mas não há mais eu do que você aqui.
Há apenas o Amor, e o Amor nada tem a ver com pessoas.
O Amor é.
Além de toda forma e, eu diria, mesmo, além de todo confinamento pelos maus rapazes.
É isso a Liberdade.
Isso não é para acreditar, é vivê-lo.

E a partir do instante em que você o vive, mesmo se você está, como dizer..., interessado pelo que se desenrola na Terra ou nos céus, você não está mais impaciente, você não está mais na expectativa.
Você permanece na alegria, porque sabe que sua verdadeira nutrição é a alegria de quem você é e, certamente, não a destruição final da matriz de 3D dissociada.
Ela já está registrada oficialmente, para inúmeros de vocês.

Eu diria, fazendo um jogo de palavras que, para o efêmero, a Eternidade está longe.
E eu diria que, para o efêmero, também, a Eternidade está muito longe, sobretudo, nos últimos momentos.
Porque é como quando você vê uma linha de chegada e que você corre cada vez mais rapidamente, esperando repousar, você vê a linha de chegada que se desloca, progressivamente e à medida que você corre.
Mas isso não é linear, não é mais linear.
O tempo não é mais linear.
A gravidade, a gravitação não é mais linear.
Quantos de vocês têm vertigens?
Quantos de vocês, mesmo muito jovens, esquecem-se dos nomes, esquecem-se dos conceitos, esquecem-se do que estudaram ou, ao contrário, descobrem novas coisas, novos talentos?
Tudo isso vocês vivem.

Então, agora, sim, a Terra de 3D continua aí, mas a Terra de 5D já está aí, ela também.
É preciso apenas que a preeminência da Eternidade seja tal, que não haja mais qualquer lugar para o efêmero.
Naquele momento, você estará em estase.
Maria vai avisá-lo, você sabe.
Mas atenção, ao observar os sinais da Terra ou seus sinais interiores, para não ficar tributário de algo que você situe no futuro.
Porque, aí também, de algum modo, é uma resistência, porque você se projeta através disso, quer você queira ou não, liberado ou não, aliás.
De algum modo, sua consciência dirige-se a algo que você vive, no entanto, no interior, mas que não chegou ao nível coletivo, e que, no entanto, é manifestado, uma vez que a Liberação é efetiva.
Há um momento coletivo.
Esse momento coletivo, todos os profetas, todos os místicos falaram-lhes disso.

Então, é claro, se se toma Bença Deunov, Orionis, ele havia dito, em sua vida: «Virá um Fogo do céu e tudo será regenerado em um instante.».
É claro que isso está escrito.
Não há qualquer meio de derrogar, exceto para aqueles que vocês poderiam chamar não os ursinhos, ah, os ursinhos fofinhos, vocês dizem.
São aqueles que projetam um mundo melhor, no qual «todo mundo é belo, todo mundo é gentil».
Isso não é possível, na 3D dissociada.
Isso, em contrapartida, já existe para alguns de vocês, porque sua consciência, mesmo se esse corpo efêmero está aí, já passou à 5D ou à 3D unificada.
Aqueles que estabeleceram relações de amor, por exemplo, com a natureza, com irmãos e irmãs, com eles mesmos.

Portanto, é a pessoa, o que pode restar de efêmero que, por vezes, manifesta-se, e pode não duvidar, mas estar impaciente ou irritada, talvez.
Mas não há mentira alguma.
E, aliás, mesmo se isso esteja registrado oficialmente, eu deveria dizer-lhes que aqueles de vocês que são liberados vivos e que se mantêm, frequentemente, nessa liberdade interior, não se importam com o evento final, nem mesmo com o Apelo de Maria, porque, para eles, isso já está registrado.
Eles o viverão como todo mundo, mas não se preocupam mais do que isso.
Porque, se você passa seu tempo a procurar sinais nas mídias, nos aspectos científicos ou em si mesmo, você não vive.
Você está voltado para si mesmo, portanto, para o efêmero.
Aproveite, eu diria, plenamente, sua eternidade, o que quer que lhe peça a vida.

Outra questão.

Questão: tendo em conta as datas limites, pode-se daí concluir que se está nos cento e trinta e dois dias?

Então, segundo o quadro cronológico que lhes deu Anael, os cento e trinta e dois dias começam apenas após o Apelo de Maria.
Parece-me, vocês não ouviram Maria, exceto, talvez, ao nível individual, ao nível de suas comunhões, mas não houve Apelo coletivo, ainda.
Há as Trombetas que aparecem em alguns lugares da Terra, de maneira cada vez mais intensa e flagrante, há os meteoritos que são cada vez mais intensos e visíveis, mas o apelo de Maria não ocorreu.
Você, talvez, viveu-o a título individual, quando Maria já o chamou por seu nome, há numerosos anos.
Uma vez basta.
Depois, bem, há apenas que viver.

Então, os cento e trinta e dois dias começarão, de maneira definitiva, a partir do primeiro dia das Trombetas.
Mas eu não falo das Trombetas em um lugar ou em outro, isso deve ser em toda a Terra ao mesmo tempo.
Mas não em um continente ou em outro, porque, aí, se você olha as informações, você verá que os territórios nos quais elas são ouvidas não são mais limitados como anteriormente, a alguns quilômetros ao redor do lugar no qual eles foram gerados pelo atrito do céu e da Terra, mas essas zonas podem estender-se sobre várias centenas de quilômetros ao mesmo tempo, no mesmo dia e na mesma hora.
Portanto, isso ganha, mas não é, ainda, coletivo.
Quando nós falamos de Trombetas, não são as Trombetas cada vez mais frequentes em qualquer lugar, são as Trombetas por toda a parte ao mesmo tempo.
E isso, você sabe, é ligado à chegada de Nibiru, e de tudo o que acompanha Nibiru, no caso, os irmãos intergalácticos, no caso, as embarcações da frota Mariana que estão posicionadas, isso lhes foi dito, para a maior parte delas, de maneira invisível, ou seja, na Terra de 5D, acima de alguns lugares estratégicos.

São os últimos véus que caem.
A título individual, muitos de vocês não têm mais véu algum.
Como eu dizia, podem restar hábitos ou, ainda, algumas crenças, é tudo.
Agora, a Terra de 5D nasceu; simplesmente, a Terra de 3D não foi, ainda, desagregada.
Mas você pode constatar que há uma preparação maciça, há diminuições da gravidade em alguns lugares, que não são ligadas, por exemplo, a chuvas ou a ventos, mas há montanhas inteiras que desmoronam.
Isso é o desaparecimento local da gravidade, porque a última camada isolante foi perfurada.
A Luz adamantina acumula-se, cada vez mais, na superfície da Terra e em vocês.
Agora, eu repito, não faça projetos em relação a uma data limite, que se situaria, por exemplo, em 15 de agosto.
Os cento e trinta e dois dias começarão a partir de agora e, em todo caso, antes que o ano seja concluído, é evidente.
Mas ninguém conhece a data nem a hora.
Nem nós, nem vocês, nem a Terra, nem o próprio Nibiru.
Porque há entre vocês quem já captou Nibiru, há, mesmo, eu creio, há alguns anos, quem canalizou Nibiru.

Se você está tomado pelas datas, diga-se que é a pessoa que está tomada pela data, não o que você é.
Sobretudo que, em relação a uma data, mesmo quando houver o Apelo de Maria, a partir do início das Trombetas por toda a parte na Terra, há os que estarão, como eu disse, ainda na negação, e que nada verão.
Nem todo mundo tem..., nem todos os irmãos e irmãs do planeta têm os mesmos futuros nem a mesma evolução, é isso a Liberdade.
Há apenas um suporte de vida ilusória que ele não existirá mais.
Mas a vida continuará a existir, quer você seja Absoluto na 3D unificada, quer você deixe esse corpo ou que você se sirva de seu corpo, uma vez que você nada é de tudo isso.

E lembre-se de que quanto mais a Luz trabalha você, mais ela lhe mostra coisas, mais você cresce em Alegria.
Quem não está na Alegria é a pessoa.
Quem está na Alegria é sua eternidade, e isso deve traduzir-se aqui, no efêmero desse mundo.
A Ascensão não passa alhures; é uma transmutação total de sua matéria.
Quer você tenha necessidade dessa matéria ou não, aliás, porque os mecanismos vibratórios de sobreposição do corpo de Existência, de transferência de consciência no corpo de Existência são, muito precisamente, o que lhes permite viver isso, sua eternidade.

E, é claro, eu lhes disse, nos meses de dezembro e novembro, que havia, efetivamente, a cenoura e a vara.
Mas se não houvesse cenoura e vara, se não houvesse a esperança da Liberdade..., quantos de vocês já haviam parado?
A perseverança é algo que faz falta a muitos seres humanos.
Isso não é um problema de vontade, é claro, nem um problema de ética, nem de integridade, é apenas um problema de atenção e de intenção.
Você mesmo vê, quando você está com irmãos e irmãs que não vibram, que nada vivem, isso acontece a você, em sua família, perto de você ou em reuniões, em saídas, você vê bem que esses dois tipos de funcionamento nada têm a ver um com o outro.
Vocês são seres humanos, todos os dois, vocês têm o mesmo coração e, no entanto, o que é manifestado não é a mesma coisa.

Portanto, não há mais que procurar datas.
É nesse sentido que tudo o que eu lhes havia dito e o que havia dito Anael, nessa cronologia, está absolutamente exato.
Eu havia dado uma data de probabilidade; essa data de probabilidade, nada aconteceu, pelo menos de visível exteriormente, mas será que isso o reforçou no que você é na eternidade, ou será que isso o afastou de sua eternidade e recolocou no efêmero?
É nisso que você vê onde você está.
Quais são os medos que estão, ainda, em você?
Quais são as coisas que você não viu e que a Luz ilumina, liberado ou não, que vibra ou não?
Não para ter a impressão de que é preciso, ainda, purificar ou transformar coisas, mas, eu repito, para ajustá-los ao mais próximo da Eternidade, no momento vindo.
Todo o resto são disparates, e todo o resto permite-lhe experimentar, se posso dizer, mesmo na ilusão, as alegrias da Eternidade.

Mas preste atenção com sua consciência e sua própria atenção, para não entrar, como em 2012, em uma expectativa ou uma esperança.
É claro que as coisas teriam podido acontecer em outros tempos.
Elas teriam podido acontecer, por exemplo, como foi dito por Orionis, quando ele foi Miguel de Nostradamus, que havia falado do ano de 1999.
É claro, isso teria podido acontecer em 2012.
E aí, isso acontecerá agora.
Mas isso já aconteceu, ao nível de sua eternidade, que veio com você, com a revelação de Cristo, a revelação da vibração, de sua Presença, do Si, da Existência ou de seu próprio desaparecimento no Absoluto.

Mas a data continuará, em um sentido linear, apenas uma questão de pessoa.
Em contrapartida, há ciclos astrofísicos, nós o dissemos, são todos os cinquenta e dois mil anos.
Mas que representa..., e aí, eu serei severo com vocês, eh…, as Núpcias Celestes ocorreram, a liberação da Terra está registrada oficialmente desde 2012, mas o que você espera, ainda, para ser o que você é?
Você acredita escapar das ilusões, das resistências, no momento do Apelo de Maria, mesmo se alguns de vocês caírem, naquele momento, mesmo não abertos, absolutamente, em um êxtase total, porque reconhecerão a mamãe do céu?

Felizes os corações puros, felizes as crianças, eu sempre disse, por exemplo, para não se preocupar com as crianças, mas, sim, consigo mesmo.
As crianças serão, naquele momento, seus maiores guias, sobretudo aqueles que estão, ainda, abaixo de quatorze anos.
Portanto, atenção para não criar, você mesmo, mesmo através dessa alquimia entre o efêmero e o Eterno, algo que se situe em um tempo ulterior.
Aliás, todos os seres que passaram nessa Terra, não, unicamente, os Melquisedeques ou as Estrelas, todos os seres que viveram processos de liberação, todos disseram que o tempo não existia.
O tempo é uma construção holográfica ligada ao confinamento.
Tudo se desenrola ao mesmo tempo.
A própria ideia da sucessão linear do tempo decorre, diretamente, da gravidade e do confinamento.
De nada mais.

Então, é claro, é difícil a compreender, quando estamos encarnados nessa Terra, porque há, é claro, contingências: o nascimento e a morte, já.
Mas terminou.
O fim não é a morte, é o que crê a pessoa, e é no que acreditará, naquele momento, aquele que permanecer na pessoa.
Mas não espere o fim para ser livre.
A autocura, o jejum, a dança do Silêncio, o reencontro com os Elementos, todos esses elementos que lhes foram dados há dezesseis ou dezoito meses, eu diria, permitem-lhe, real e concretamente, ajustá-lo ao mais próximo de sua eternidade.
Então, não perca tempo a esperar, seja o que você é já, e viva.

Aliás, nós sabíamos, pertinentemente, antes, mesmo, da reunião do conselho intergaláctico dos Melquisedeques – porque nós temos, alguns de nós, o hábito de liberação de mundos, antes daquele desse Sistema Solar – que sempre reencontramos, como vocês dizem..., os mesmos «padrões», os mesmos comportamentos: a expectativa, a esperança, a fé, a caridade, mas, o mais importante, é o Amor.
Lembre-se do que foi dito nas escrituras, mesmo se elas tenham sido alteradas, se posso dizer: o que quer que você viva, o que quer que você manifeste, se você não é o Amor, isso para nada serve.
Isso quer dizer que você não está, ainda, em sua eternidade.
E como você pode amar, quando você diz, por exemplo, mal de alguém, qualquer que seja, quer seja seu marido ou o pior dos inimigos?
É isso, também, que é preciso reajustar.
Não é mais tempo de ofender, não é mais tempo de julgar.
Porque, lembre-se: na medida com a qual você julga, você se julgará a si mesmo, no momento vindo.
Não há ninguém para julgar você.
Hein?, eu o lembro de que o inferno é na Terra, mesmo se a vida seja magnífica, não alhures.
Não há inferno, não há paraíso.
Há apenas a verdade da Vida e do Amor.
Todo o resto não dura.

Mas eu terminarei por essas palavras: o fim é longo, sobretudo na extremidade.
É tanto mais longo, quer você esteja na pessoa ou no efêmero, quanto mais se aproxima do evento, mais isso lhe parecerá muito longo.
Você constatou, aliás, que o tempo encurta ou estende-se.
Você faz alguma coisa, dez horas passaram.
Ou então, ao inverso, por momentos, o tempo parece ter parado.

Do mesmo modo que, se você está em um lugar no qual a microgravidade modifica-se, você vai sentir o quê?
Não mudanças de humor.
De repente, você vai sentir-se muito pesado.
E, em outros momentos, você vai sentir-se muito, muito leve.
E eu não falo de dissociação astral ou de falta de ancoragem na terra.
São modificações da gravidade que fazem isso.
Vocês têm, todos, por momentos, a impressão, quer seja ao acordar ou não importa quando, de ser esmagado, de pesar três toneladas, e, em outros momentos, de ser muito leve, sem poder controlar o processo.
É a mesma coisa para aqueles que têm os sons nos ouvidos; há dias, está muito, muito próximo da tonalidade das Trombetas ou do Apelo de Maria.
Tudo isso não depende de você, nem mesmo de suas resistências, é esse ajuste final, extremamente fino, que se produz, ou não, para cada um, mas que está a caminho.

Outra questão.

Questão: na Bíblia, Jesus diz que a grande tribulação será encurtada por causa dos escolhidos...

Perfeitamente, é exatamente isso.

Questão: … isso concerne aos cento e trinta e dois dias?
Da tribulação da guerra de Gogue e Magogue, citação de Marcos: «Sim, se o Eterno não tivesse encurtado os dias, nenhuma carne seria salva, mas por causa dos escolhidos que ele escolheu, ele encurtou os dias.».

Perfeitamente.
Mas o que é encurtado são as tribulações, mas não o fim.
As tribulações, quanto mais vocês avançam nos dias, mais o elástico vai voltar rapidamente, e mais, é claro, os cento e trinta e dois dias parecerão..., como vocês estarão, para a maior parte, ou mortos, ou alhures, ou transferidos a lugares, ou em seu corpo de Existência, o tempo não lhes aparecerá do mesmo modo.
Exceto para aqueles que estão na resistência ou que decidiram viver o Juramento e a Promessa, fechados em concepções errôneas e em vivências errôneas.
Mas, para todos os outros, efetivamente, os dias serão abreviados e, no entanto, todo mundo viverá o mesmo evento.
Mas as tramas temporais de 5D, de 3D unificada, de Absoluto, dos reagrupamentos dos Círculos de Fogo não estarão no mesmo tempo.
E, isso, você não pode compreender.
Só aquele que vive a Liberação e o Absoluto à vontade é capaz de compreender que o tempo é uma ilusão, porque ele o vive.

Para alguns, o tempo será encurtado, os dias serão abreviados; para outros, o tempo vai parecer ainda mais longo.
E ele será mais longo, porque os cento e trinta e dois dias contados na Terra, que correspondem, também, ao que havia sido dado em outro ciclo de três anos e meio de que eu havia falado – de 21 de dezembro de 2012 até o início deste ano, isso dá três anos.
Dois tempos, um tempo, a metade de um tempo, ou seja, três anos e meio, eu já havia dito isso; vocês estão dentro.
Do mesmo modo que o tempo é o mesmo para todo mundo, de momento, a percepção do tempo é diferente para cada um.
Você sabe, em suas vivências, há os que estão sempre atrasados, outros, sempre adiantados.
A um dado momento, no mesmo lugar de vida, durante as tribulações, cada um evoluirá em um espaço de tempo e de vida que lhe será próprio.

Eu o lembro de que a Terra deve parar de girar durante três dias e duas noites, ou dois dias e três noites, depende em qual sentido se toma, e que é nesse período, após o Apelo de Maria, que a última reversão ocorrerá, desembocará em sua evolução.
Quer seja Círculo de Fogo, quer seja evacuação pelos Arcturianos, Andromedianos, quer seja nas tribulações dos cento e trinta e dois dias, cada um estará, muito exatamente, onde deve estar, ao nível geográfico, mas, também, ao nível temporal, em todo caso, do que restará da ilusão do tempo.
Mas a frase da Bíblia é absolutamente verdadeira, e eu creio que você identificou Gogue e Magogue, é claro, uma vez que tanto os maus rapazes como as forças de Luz sabem, pertinentemente, que tudo se joga aí embaixo, ou seja, você sabe, na Síria.
Mas não unicamente.
Há múltiplas zonas de atrito na Terra, que podem apenas desembocar em uma conflagração e uma confrontação, como vocês o viveram em si mesmos, na sobreposição de seu efêmero e de sua eternidade.

Lembre-se: há muito numerosas Moradas na casa do Pai.
O único momento comum é o Juramento e a Promessa, no momento das Trombetas e do Apelo de Maria.
Mas, mesmo essa vivência, será profundamente diferente para cada um.
Alguns já viveram interiormente, nós havíamos falado disso durante o ano de 2012, no início, no momento da Onda de Vida, e mesmo um pouco antes, nós havíamos dito que alguns de vocês seriam liberados antes do fim, no momento da liberação da Terra.
Esse foi o caso com a Onda de Vida.
E depois, esses irmãos e essas irmãs aperceberam-se de que, mesmo estando liberados, o efêmero continuava aí.
É por uma boa causa, como é dito no texto que você acaba de citar.

Questão seguinte.

Questão: os cento e trinta e dois dias já começaram, ou começarão apenas após o Apelo de Maria, e a ordem dos eventos dados por Anael continua válida?

Não, aí eu já respondi, é claro, efetivamente.
A ordem cronológica, você pode pô-la em um tempo empilhado, não é?
Ele deu uma sucessão – lógica, no momento em que ele falou – essa sucessão continua a mesma, mas não, necessariamente, na mesma ordem.
O que é certo é que as Trombetas são preliminares ao Apelo de Maria, sempre nos mesmos lapsos de tempo.
E se tentará..., quem «se»?
Não nós, não vocês, mas a globalidade da Confederação Intergaláctica de Luz, a Fonte, os Arcanjos, nós, vocês, todos, nós tentaremos fazer com que haja uma espécie de sincronia total entre o Apelo de Maria e os cento e trinta e dois dias.


Mas, é claro, esses cento e trinta e dois dias de que falamos não lhes parecerão durar cento e trinta e dois dias.
Para alguns, isso durará uma hora, para outros, o ensinamento parecerá durar, efetivamente, uma eternidade.
É a consciência liberada que cria um pseudotempo nessa Terra ascensionada, mas o tempo é uma convenção.
Você sabe que esse mundo é uma ilusão; na moda, diz-se que é um holograma ou uma simulação informática, porque é o que se aproxima mais disso.
Mas o tempo não existe, real e concretamente.
Exceto para a pessoa, exceto para as estações.
Você tem a impressão de que o tempo é linear, você tem a impressão de que você nasce, de que você cresce, de que você envelhece, é perfeitamente verdadeiro para a pessoa, mas isso em nada concerne ao Espírito.
Em nada, absolutamente.

Outra questão, escrita ou oral.

Questão: surpreende você que nós continuemos aí, sete semanas após a data limite que você deu?

A data limite que eu dei era em relação ao aparecimento da segunda Estrela, não é?
A segunda Estrela, eu sempre disse que não importa qual cometa podia desempenhar esse papel.
Ora, acontece que Nibiru, Hercobulus é, também, ligado a um cometa, mesmo se não seja um cometa, porque a trajetória não é a trajetória de um planeta que gira em torno do Sol, com uma revolução solar que pode durar X ou X tempo.
Aliás, o tempo não passa do mesmo modo.
Imagine que você pudesse viver em Plutão, por exemplo, mas você não teria, absolutamente, nesse corpo de carne, o mesmo desenrolar temporal.
Você sabe muito bem que, nos cálculos de Einstein, quando você viaja na velocidade da luz, o tempo que se escoa não é o mesmo, então, você pode imaginar que, nos mundos eternos, os mundos da Eternidade e livres, o que você nomeia o tempo não pode existir.
É a pessoa que é sujeita ao tempo, e os sistemas confinados.

Eu diria – mas isso nos levaria demasiado longe – que a particularidade do tempo é ligada a uma particularidade espacial.
É a deformação do espaço que cria o tempo, tal como você o percebe na Terra.
Não se esqueça, como Bidi disse há anos, e que ele repetiu há pouco tempo: tudo isso é apenas uma cena de teatro, não, unicamente, a Terra, mas mesmo nós, onde nós estamos.
Nós aceitamos desempenhar um papel, assim como alguns de vocês aceitaram nosso convite para desempenhar um papel, é similar.
E eu diria, mesmo, que o melhor modo de apreender isso é voltar-se, cada vez mais, para seu coração, ao centro do centro; todas as respostas ali estão.
Nós viemos em apoio, como vocês estão no apoio de seus irmãos e irmãs que dormem, mesmo se eles recusem, mesmo se eles não acreditem, mesmo se eles não o vivam.

E depois, dizemos que, em relação a essas semanas que se escoaram, isso lhes permitiu ver onde vocês estão.
Porque eu vou responder sem rodeios: se você procura, ainda, uma data, você está na pessoa e em nenhum outro lugar, mesmo se tenha vivido a Onda de Vida, mesmo se você viva todos os seus chacras abertos e o Canal Mariano perfeitamente permeável.
Mas isso faz parte do jogo, aí também, de ver-se a si mesmo – talvez não no momento em que você o viva, mas, eu diria, sobretudo, a posteriori – onde você tem sido, ainda, uma pessoa, e onde você não tem sido mais uma pessoa – mesmo deixando essa pessoa viver.

O único evento coletivo na mesma linha de tempo é, eu diria, a intersecção de todos os ciclos temporais, no momento do Apelo de Maria.
É tudo.
Depois, vocês estarão, todos, mesmo aqueles que vão aos Círculos de Fogo, em tempos diferentes.
Então, é claro, isso parece absurdo e difícil ou, mesmo, impossível a viver.
Esse será, no entanto, o caso, porque vocês não vibram, todos, com a mesma origem estelar, vocês não vibram, todos, com a mesma alma, se ela está ainda aí.

Então, eu repito, aproveitem dessa suspensão que é atribuída não pela Terra, nem por vocês, nem por nós, mas pelas circunstâncias, para afinar sua eternidade e torná-la cada vez mais manifesta.
E isso não é uma técnica, mesmo se haja técnicas que lhes foram dadas e que vocês podem, amplamente, utilizar, quer seja a dança do Silêncio, os cristais, o yoga da Unidade, pouco importa.
Mas eu diria que o mais fácil, neste período preciso, é, verdadeiramente, ficar tranquilo, viver o que vocês têm a viver sem preocupar-se com o que quer que seja mais que não ser a Vida e o Amor que vocês são.
Se o Amor e a Vida que vocês são estão inteiramente presente, não pode ali haver questionamentos sobre uma data.
Porque as datas terminaram, eu bem disse isso na última vez.

O período de visibilidade de Nibiru, vocês sabem, é muito curto, e isso será possível apenas no momento em que Nibiru tiver passado de trás do Sol para frente do Sol.
Essa velocidade era diferente; ela acelerava, ela desacelerava.

Não espere o desaparecimento do mundo para desaparecer de sua pessoa.
E eu já disse, e isso foi explicado, também, parece-me, por Irmão K e por outro ancião: é o Amor que é a chave.
As vibrações foram etapas.
Você pode ter todas as vibrações, você pode ter vivido todas as liberações, você pode ter tudo compreendido, se lhe falta o Amor, isso para nada serve.
E aí, eu falo do Amor voluntariamente, e não de Luz Vibral, porque o Amor deve ser manifestado do mais baixo ao mais alto, ou seja, desde aquele que você detesta até aquele que você mais ama em suas relações ou em suas situações.
Se não há o mesmo Amor, você não está no Amor.
E isso, também, é uma lição que vai tornar-se...
Então, é claro, você tem a certeza de não mais estar confinado após o momento coletivo, mas sua evolução não é a mesma, seu caminho...
Há tantos caminhos como casas nas Moradas do Pai.

Outra questão.

Questão: Maria disse-nos que haveria um evento importante antes do Natal...

Perfeitamente.

Questão: … no entanto, eu tenho a impressão de que nada de importante aconteceu.
O que é?

Isso quer dizer que você nada viveu de importante, e eu posso garantir-lhe que muitos irmãos e irmãs, mesmo se não tenha sido um momento coletivo, viveram, mesmo se eles não tenham, ainda, se conscientizado totalmente, uma mudança, uma revolução e um paradigma total.
Qual é essa mudança total?
Para aqueles de vocês que a viveram, vocês não estão mais apegados a nada, e vocês aceitam a vida, no entanto.
Aí está a grande verdade.

Houve um desaparecimento, para inúmeros de vocês, do apego à sua própria pessoa, mesmo no efêmero.
Mas atenção, isso não é uma recusa da vida, é uma verdadeira transcendência da vida, ou seja, o corpo de Existência está inteiramente aí para esses seres.
Mas não confunda o que disse Maria para antes do Natal e o que, efetivamente, produziu-se antes do Natal.
E, mesmo se você tenha a impressão de não tê-lo vivido naquele momento, é hoje, ou seja, depois do início do ano, que você pode constatar o que mudou em você.
Olhe.
Olhe suas necessidades, quer sejam alimentares, quer sejam amorosas, quer sejam afetivas.
Outros, em contrapartida, é o inverso.
Eles estão ainda mais sobrecarregados, se posso dizer, por medo, unicamente.
E agora, há os que estão ainda insensíveis, totalmente, mas há seres que estarão insensíveis; mesmo se eles sejam obrigados a viver a estase, eles nada verão, eles nada sentirão, eles ficarão na estase e, depois, continuarão a viver a linearidade do tempo nas tribulações, como foi dito, dos cento e trinta e dois dias.

Mas esses cento e trinta e dois dias não são, em caso algum, mesmo como alguns canais puderam imaginá-lo ou crer, cento e trinta e dois dias tais como vocês os descontam hoje.
São cento e trinta e dois dias de tribulações, para aqueles que vivem as tribulações, mas, para aqueles que estão mortos ou que deixaram o corpo ou que foram levados, isso nada quer dizer, cento e trinta e dois dias.
Isso durará cento e trinta e dois dias exteriormente, para aqueles que estarão nas pessoas, mas nos Círculos de Fogo..., porque há os que devem ter-se colocado questões, «o que é que se vai comer», «onde é que se dorme»… nós jamais dissemos que esses cento e trinta e dois dias durariam cento e trinta e dois dias nos Círculos de Fogo, isso vocês não podem compreender.
Isso poderia durar o equivalente a uma hora, o equivalente a uma eternidade, em termos temporais.
Aí está porque eu digo que cada trama temporal e cada ciclo temporal de cada um será profundamente diferente, onde quer que você esteja localizado geograficamente.

E agora, eu vou acrescentar isso: quaisquer que sejam as circunstâncias privilegiadas que tenham emergido nessa Terra desde 1984, ou seja, mais de trinta anos agora, uma geração, será, por exemplo, se tomo Irmão K, se tomo Um Amigo, se tomo Mestre Philippe, será que eles esperaram um momento coletivo para ser o que eles eram?
Não.
E eu diria, mesmo, que hoje, contrariamente ao que eu pude dizer durante o ano 2012, se você espera, ainda, alguma coisa, é que você não viveu a totalidade do que você é.
Restam fragmentos, restam ganchos.
Mesmo se não sejam resistências, você está, ainda, submisso ao efêmero, alguns de vocês.
Eu falo da consciência, eu não falo das necessidades alimentares, de vestir-se, de dormir, de afeição e outros, eu falo da própria consciência.
Porque, à força de aguardar esse evento, ou de esperá-lo ou temê-lo, pouco importa, você despolariza sua consciência da Eternidade e do Absoluto.

Então, o cenário, ele foi dado, de uma vez por todas e, eu diria, mesmo, é aí que eu queria chegar, que, mesmo se não houvesse qualquer fim dessa 3D, imaginemos isso: nós falhamos na liberação da Terra.
Mas você, você é liberado.
Imaginemos que não tivesse havido a liberação do núcleo cristalino da Terra em fevereiro de 2012.
Muitos entre vocês, e cada vez mais, vivem as Coroas radiantes.
Isso lhe dá a certeza, no momento de sua morte, de seu desaparecimento, de não mais estar preso pelo túnel de Luz, de não mais estar preso pelos fantoches, que tomaram as máscaras de sua família ou de Arcanjos, e de cruzar tudo isso alegremente, atravessar o Sol e estar livre.
É por isso que não se deve ter crenças, em qualquer evolução que seja.
Não dê peso a qualquer imagem, não dê peso a qualquer mensagem que nós lhes damos.
Aliás, a maior parte de vocês dorme, agora.

É preciso suprimir todas as muletas, é isso, tornar-se autônomo.
Irmão K desenvolveu isso de diferentes modos, durante todos esses anos, parece-me, e em sua vida também, não?
É claro, as circunstâncias são específicas; são circunstâncias que se reproduzem, você sabe, em termos temporais, a cada vinte e cinco, a cada cinquenta mil anos, em graus menores, a cada quatro mil anos.
Mas por que alguns de vocês esperam, ainda, esse evento coletivo para perceber o que vocês são?
O que é que os impede de perceber agora?
Vocês podem viver na mesma Eternidade, quer esse mundo esteja aí por mil anos ou que ele esteja aí por um dia, uma vez que vocês estão liberados.
Portanto, eu diria, mesmo, que é uma perda de tempo, porque esse tempo que você perde a duvidar, a projetar, a procurar, é tempo perdido para o Amor que você poderia dar ao seu redor, e o Amor que você pode ser ao seu redor.
Seja o mais simples possível.
A humildade, a simplicidade, nós temos falado disso longamente também.
É preciso ir, verdadeiramente, ao essencial, agora.

Nós temos, é claro, sempre, muito prazer por estarmos juntos, e vocês também, por estarem juntos, independentemente de nós.
Mas vocês estão juntos para viver, mesmo se seja na ocasião de alguns dias, de alguns momentos.
Será que você apreende isso?
Nós não voltaremos, jamais, nas datas.
Eu lhes disse, em dezembro, que não havia mais cenoura, mais vara, e que estava em curso.
O que é que você precisa mais?
O dia e a hora do Apelo de Maria?
Ninguém conhece a data.
Mas é agora.
Eu o disse, em dezembro, e eu lhes digo, mesmo hoje, que já aconteceu.
Então, é claro, a questão que acaba de ser dita aí: «Eu tenho a impressão de nada ter vivido no Natal».
Você esperava o quê?
Ver uma embarcação Arcturiana?
Não, é sua consciência que mudou.
Objetivamente, vocês são os mesmos que antes das festas?
Objetivamente.
Então, isso pôde degradar-se, devo admitir, para aqueles que resistem, mas houve uma mudança, importante: os laços com o efêmero modificaram-se.
Eles desapareceram ou reforçaram-se.

Você vê, efetivamente, se você é impactado ou não pelo que pode desenrolar-se em seu corpo, em suas relações, ou não.
Está aí a mudança, em um sentido ou no outro, como eu expliquei.
Mas tudo isso, quer seja no bom sentido, se se pode dizer, ou no mau sentido, representa apenas uma preparação.
E aproveite desses «tempos reduzidos», nos quais tudo já está registrado, eu o repito, para amar além de toda medida.

Então, é fácil amar aqueles que se ama, mas é mais difícil amar aqueles que se detesta e, no entanto, há, também, Cristo nele, mesmo nos fantoches, mesmo nos Dracos.
Enquanto você não vê isso, você não está livre, vibrações ou não vibrações, sobretudo neste período.
Tudo isso vai aparecer-lhe como o nariz no meio da cara, se já não é o caso.
E não em muito tempo, se já não foi feito, você constatará, em si mesmo, que se você tem um pensamento que lhe atravessa, mesmo se você tem as Coroas ativas, e que, de repente, você se põe a ter um pensamento, dizer: «essa pessoa, eu não a amo», ou «eu quero dizer a ela suas quatro verdades», você vai aperceber-se de que é a você que você faz mal e, certamente, não ao outro.
Portanto, tudo o que o afasta mais, eu mesmo encontrei uma frase para isso, há alguns meses: «É aquele que diz que é».
Lembre-se: é exatamente isso.

Tudo o que você vê no exterior apenas pode estar presente em você.
Se você vê a violência, se você vê a estupidez, é que ela está em você.
Nenhum outro lugar, uma vez que o outro está em você, seja lógico.
O outro não é você enquanto você considera e vive que você é uma pessoa, mesmo se você crê em Cristo, mesmo se você pregue a fraternidade.
Aí, o que se pede a você, o que a Luz pede a você, não nós, é claro, é a autenticidade, a lucidez.
Perdoem-se.
Como Cristo disse: «Pai, perdoe-os, eles não sabem o que fazem.».
Perdoe-se a si mesmo, perdoe ao outro, ame seu pior inimigo, melhor do que seu amigo, ele tem mais necessidade.
Aí está a graça da Luz.
E você verá, por si mesmo, se já não foi feito, que você não terá mais qualquer expectativa em relação a um evento inscrito com uma data limite, que é real, eu não vejo como poderia ser de outro modo.

Aliás, colocaram-me a questão, há dois meses, de saber se os maus rapazes não iam encontrar parada; mas eles encontram todos os dias, as paradas.
Mas qual importância têm essas paradas em face da evidência da Luz e do Amor?
Sua única força, eu o disse, é o Amor.
O Amor à frente, o Amor atrás, o Amor à esquerda, o Amor à direita, o Amor amanhã, o Amor ontem, porque você pode, também, perdoar o passado, você pode, mesmo, agir em seu próprio passado, o objetivo não é de ensinar-lhe isso.
Alguns de vocês descobriram isso.
O tempo é maleável, você pode jogar no tempo sem dificuldade alguma, a partir do instante em que você não é mais uma pessoa – não unicamente – você não é mais, unicamente, essa pessoa, mas você é, realmente, a Eternidade.
Ora, a nova Matriz Crística, tal como foi apresentada por Cristo, o Coro dos Anjos e o Espírito do Sol – vocês, talvez, leram no ano passado, ouviram, vibraram – é exatamente isso.

Olhe entre as Estrelas, Ma Ananda Moyi, quando ela vivia os êxtases, isso podia durar meses, ou mesmo anos e, para ela, não havia tempo.
Ela estava, no entanto, plenamente presente.
Ao olhar da pessoa, ela estava ausente, mas se as pessoas tentassem levantá-la, elas não podiam levantá-la.
Ela estava fora do tempo e, portanto, fora do confinamento, mesmo estando presente.
O que é que o impede, hoje, de viver o mesmo?
Vocês têm, todos, em vocês, Vovô, vocês têm, todos, em vocês, Maria, é o que vocês são – mas não unicamente.
Não confunda a História, a História histórica, se posso dizer, desses personagens, mas a matriz que eles portam – a matriz de Amor incondicional de Maria, a matriz de KIRISTI, Cristo.
E, para isso, você não tem necessidade de representar-se em uma reunião ou em um discurso, você tem apenas necessidade de reconhecer essa evidência, se já não foi feito.
E você verá que, naquele momento, nada mais em sua vida, aqui mesmo ou alhures, colocar-lhe-á questão, porque tudo se tornará muito evidente.

Eu posso apenas redizer que você está vivendo sua liberação coletiva, com um ponto de encontro de todos os ciclos temporais, que é o Apelo de Maria.
O tempo escoa, já, diferentemente, como eu disse.
Para alguns de vocês, não há mais qualquer espécie de importância ao nível dos ritmos, outros entre vocês têm necessidade de ritmos, de deitar-se a tal hora, de comer a tal hora.
Mas tudo isso não são resistências, são hábitos, nada mais e nada menos.

Ora, quando o Sol levantar-se do outro lado que habitualmente, aí também, ele se levantará não no mesmo lugar; o tempo será diferente, a geografia da Terra também, é claro.
Mas isso você vive, olhe ao seu redor, tudo o que desmorona, tudo o que se desagrega, os animais que partem, tudo o que se desenrola na Terra não é uma ilusão, parece-me.

Então, é claro, você poderá discutir, dizendo: «mas isso pode durar, ainda, anos, ou mesmo toda a vida».
Mas eu lhe respondo: «qual importância para aquele que está liberado?»
Nenhuma.
Entretanto, eu não posso dizer-lhe isso, isso seria mentir-lhe, porque o evento coletivo, efetivamente, ocorrerá, e em um futuro próximo, ou mesmo muito próximo, ou mesmo iminente... mas ninguém conhece a data.

E pode-se dizer que o que se prepara, falou-se de Gogue e Magogue, ou seja, a Síria, o que quer que se diga nos termos pomposos nesse momento, de querer a paz, mas não é verdade, não há qualquer paz possível nesse mundo, você sabe bem disso.
A única paz possível está em você, no Amor que você põe por toda a parte, não há outra paz.
Nem com o dinheiro, nem com a afeição.
A paz está em você, nós o dissemos e repetimos, como o mundo está em você.
Então, o que você espera para ser a paz, o Amor e o mundo?
A Luz nada mais pede a você.

Há cada vez mais os que dormem aí, não é hora da pausa, no entanto...

Ah, é hora da pausa, então, é tempo.
Nós fazemos um momento de pausa e não terminamos e, talvez, mesmo, voltarei outro dia, o dia todo, porque é muito interessante o que nós discutimos hoje.
Eu diria que é a discussão final, de algum modo.
É o momento do balanço, como o balanço anual das empresas, vocês sabem, fazem-se contas, mais/menos...
Mas é preciso amar sem contar.

Então, todo o meu Amor acompanhe-os, e eu lhes digo até não muito tempo.

Obrigado por sua escuta.





Mensagem de O.M.AÏVANHOV
Março de 2016





Agradecimento especial:
Traduzido para o Português por Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails