terça-feira, 22 de dezembro de 2015

ASCENSÃO - O.M.AÏVANHOV - DEZEMBRO DE 2015

Rendo Graças ao autor desta imagem




O.M.AÏVANHOV
PARTE 2 - DEZEMBRO DE 2015




ASCENSÃO


Bem, caros amigos, ainda sou eu.

Como sempre, não é?

E eu me regozijo por encontrar-me, ainda uma vez, entre vocês, e passar, desta vez, como estrela final, após terem atuado as estrelas americanas.

Então, eu venho para responder a tudo o que pode restar em vocês de interrogações, que lhes concernem, que concernem ao período de falsidade que nós vivemos, todos juntos.

Então, eu os escuto, e eu lhes transmito, de maneira permanente, todas as bênçãos e toda a minha fraternidade.

Quer as questões sejam pronunciadas oralmente ou escritas, isso não faz qualquer diferença.

Questão: durante a presença de Cristo, eu senti uma bola de luz entrar em minha garganta e em meu pé esquerdo.

O que era?

Por que o que era?

Isso pode ser, simplesmente, uma energia específica.

Questão: perdão, a questão foi: «Quem era?».

Ah, se é «quem era?», já é melhor.

Porque «quem era?», é, já, uma projeção ao imaginar uma consciência específica.

Durante o quê?

Questão: durante a presença de Cristo.

Durante a vinda de Cristo.

Então, é claro, isso corresponde, também, e sobretudo, porque isso concerne à garganta, não é?, o chacra laríngeo corresponde ao limite do corpo causal, é esse corpo que é dissolvido, no momento em que a alma reverte-se e dissolve-se, ela mesma.

Portanto, você, talvez, recebeu um impulso Crístico ligado à liberação do corpo causal, ou seja, à Liberdade, simplesmente, veiculada pela Presença de Cristo ou pelos numerosos Anjos do Senhor que acompanham, agora, as intervenções Dele.

Terminei de responder.

Questão: Sereti disse que o Manto Azul da Graça manifestar-se-ia, de maneira visível, em 8 de dezembro.

De qual maneira?

De todas as maneiras possíveis.

Aqueles que acolhem o Manto Azul da Graça viverão, eu diria, uma pequena morte e as primícias da Ressurreição.

Em contrapartida, aqueles que estão revestidos do Manto Azul da Graça – porque é para todo mundo – e que não estão prontos ou que o recusam, isso arrisca dar coceira, se posso dizer, ou, mesmo, desencadear movimentos específicos ao nível do ego.

Portanto, é um dia significativo.

Não esperem ver uma embarcação de Sírius em seu céu, mesmo se isso continue possível.

O importante é o que vocês viverão, aliás, foi-lhes dito que isso devia viver-se na intimidade consigo mesmos, o que quer que vocês fizessem.

Mesmo aqueles que fazem outra coisa, e que fazem, por exemplo, coisas estúpidas em alguns países, serão impactados, eu diria, pelo Manto Azul da Graça.

Mas esse impacto não será, necessariamente, alguém que vá cair de joelhos e reconhecer Maria e a Graça do Amor, naquele momento.

Ao contrário, pode ser o oposto: formas de loucura, se posso dizer, da pessoa que está na resistência e que está hermética, de momento, à Luz.

É um último empurrão, se posso dizer, antes do aparecimento de tudo o que lhes foi descrito, quer seja por Maria ou, ainda, por Orionis.

Então, não esperem ver o Manto Azul voar nos ares, porque ele vai depositar-se sobre vocês.

É claro, inúmeros de vocês já o viveram, esse Manto Azul da Graça, sentiram-no, perceberam-no.

Mas, aí, eu repito, como foi dito, isso toca a carne, entra nas fibras as mais íntimas do corpo físico, de todos os casulos de Luz, mas, também, da consciência.

Então, como fica a consciência em relação a isso?

É mais a questão que se quer colocar.

Como isso será visível?

Será visível de maneira individual, mas tocará o conjunto do coletivo humano em encarnação.

Quanto àqueles que não…, que não são humanos-alma, ou seja, os portais orgânicos e tudo isso, arrisca fazer-lhes cócegas de modo um pouco mais virulento, e desestabilizar os modos de funcionamento desses seres, se é que se pode chamá-los de seres.

E todos aqueles que estão na resistência e na oposição consciente à Luz vão desiludir-se, porque eles acreditavam ter estabelecido o reino de Satã e, obviamente, esse reino de Satã não pode durar eternamente e, ainda menos, mais de certo tempo, em termos terrestres.

Cristo disse, Sereti também, que os tempos estavam inteiramente consumados, é a verdade.

E o 8 é o sinal interior, qualquer que seja o modo de acolher ou de rejeitar isso, de entrar, efetivamente, na atmosfera, eu diria, do Evento.

O Evento corresponde ao conjunto de coisas que lhes foram descritas, e que sofrem certa elasticidade e uma ordem que pode ser diferente, na cronologia que lhes foi comunicada, não é?, com o Arcanjo Anael, em especial, que lhes deu uma espécie de panorama temporal do que ia desenrolar-se.

O 8 de dezembro, dia especial, que remonta a bem antes da festa nomeada – no Ocidente, em todo caso – «a Imaculada Conceição»; em todo caso, no mundo Ocidental cristão-católico, é inscrito em todos os calendários, a Imaculada Conceição, não é?

Mas é algo de muito mais antigo e arcaico que remete – sem entrar nos detalhes, porque nós não temos o tempo e, depois, isso não serve para grande coisa – que remete aos aniversários cíclicos de possibilidades de Ressurreição, que sobrevêm a cada fim de ciclo ou a cada passagem, eu diria, de Nibiru, ou de Hercolubus, como vocês quiserem.

Portanto, é uma data decisiva, se posso dizer, na qual o Eterno, a Eternidade toma a dianteira sobre o efêmero e, sobretudo, sobre as forças satânicas, ou seja, opostas à Luz.

E, é claro, conforme onde vocês estejam, segundo quem vocês são, segundo as condições que vão produzir-se em sua consciência, para vocês, nesse dia, vocês perceberão os frutos disso, vocês perceberão, também, para outros que estão na resistência, o atrito.

Portanto, isso concerne, essencialmente, a uma visibilidade interior que, eu posso dizer, não poderá ser ignorada, mesmo se não seja identificada pelos maus rapazes, mesmo se haja uma recusa total.

É algo que toca o coletivo, mas não de maneira visível.

O que se torna visível é o estado de sua consciência e o estado da Graça em vocês, simplesmente.

Vocês podem encadear, hein?, faz-se uma pausa para o Coro dos Anjos, veremos isso ao final.

Questão: de qual evento específico Maria quis falar, quando ela disse «isso acontece hoje, amanhã, ou antes do Natal, em todo caso»?

Ela falava de eventos, tais como lhes descreveu Anael, mas não, necessariamente, na ordem em que falou Anael.

Isso pode ser, ao mesmo tempo, o desencadeamento, se posso dizer, da revolta das forças opostas à Luz, de modo extraordinário, como o Apelo de Maria ou como um evento maior, para o conjunto da humanidade, quer concirna ao céu, com o que se aproxima, ou concirna à Terra, em seus diferentes componentes.

Mas é um evento que lhes anunciará, a vocês, o que está se desenrolando, qualquer que seja a forma que ele tome.

É claro, se é a visibilidade da segunda Estrela, a questão não se coloca, mas pode ser, também, um evento de natureza a provocar, como dizer…, uma ruptura nos modos de funcionamento da sociedade atual, por toda a parte no mundo.

É um evento significativo, isso é certo.

E da natureza desse evento, em relação aos marcadores, se posso dizer, da época que vocês vivem, na qual os tempos conjungam-se de diferentes modos, na qual a Eternidade desperta, na qual as forças são desmascaradas em sua oposição à Luz, é um conjunto de eventos, ou um evento preciso, que se refere, diretamente, à abertura do sétimo selo, à sétima Trombeta.

Portanto, ele pode tomar, efetivamente, diferentes formas, quer seja ao nível astronômico, quer seja ao nível terrestre, quer seja, em todo caso, em qualquer coisa que for, manifestamente, um evento que não poderá deixar impassível quem quer que seja.

Eu repito, esse evento não é, necessariamente, o Evento; ainda uma vez, é algo que resulta e que decorre, eu diria, do que vai acontecer, diretamente, no 8, para cada um de vocês.

E, é claro, vocês sabem muito bem que o mesmo evento não é vivido do mesmo modo, qualquer que seja a distância, qualquer que seja o humor, se posso dizer, mas que depende de seu ponto de vista.

Mas, para aqueles que são os mais atentos aos sinais, tanto interiores como exteriores, isso não poderá dar dúvida alguma.

Mas, eu repito, parece-me que Maria situou isso, como ela disse, entre imediatamente e antes do Natal, é claro.

Questão: ela falava de Seu Apelo, portanto, o problema é saber se é um Apelo individual ou coletivo.

Oh, o Apelo individual já ocorreu, para muitos; outros vivem-no, ainda agora, mas o Apelo coletivo, eu os lembro, é ligado a quê?

À estase, aos três dias de trevas.

Portanto, se querem, ela falou que isso será antes do Natal, mas o que há antes do Natal?

Um dos eventos que lhes foi anunciado pelo Arcanjo Anael, há alguns dias.

Eu repito, a trama temporal terminou, portanto, nós temos uma visibilidade, de onde estamos, o que permitiu, aliás, às embarcações de Sírius, e de dimensões muito elevadas, virem posicionar-se, diretamente, no limite da atmosfera terrestre.

É, justamente, em relação a um evento que vai produzir-se, mas não mais que vocês, nós não sabemos, exatamente, a cronologia.

Nós sabemos que isso está se atualizando, foi oficializado na matéria, uma vez que o Verbo fez-se carne e, portanto, a Luz está encarnada agora, na totalidade, o que explica, aliás, tudo o que vocês podem ver por toda a parte, não, unicamente, como manifestações de Luz, mas como manifestações, também, da sombra, que se debate nessa Luz.

Portanto, o Evento poderá ser, efetivamente, o Apelo coletivo de Maria, mas eu os deixo contar os dias, porque, no 8, há algo de especial, não é?, que é o Manto Azul da Graça, em seguida, há certo número de dias, e eu havia dito, em minha primeira intervenção na «estrela americana» e já, há pouco mais de um mês, a correlação existente entre os doze últimos dias do ano, os doze dias antes do Natal, que os levam à noite do 8 ao 9, não é?, e, também, nos doze primeiros dias do ano e os doze últimos dias do ano.

E, nesse lapso de tempo, produzir-se-ão, porque já estão oficializados no plano etéreo, e, aliás, o fato de que esteja realizado ao nível etéreo corresponde, precisamente, ao que vai desenrolar-se no 8, vivido de modo individual, mas coletivo.

Portanto, não projetem outra coisa do que se terem prontos para qualquer eventualidade.

Interiormente, não é?

Não é questão de fechar as janelas, de acender as velas e pôr-se na cama e esperar.

É questão de viver, mas estarem prontos, e estarem prontos é uma preparação interior.

E eu não quero dizer, com isso, que tudo deve estar alinhado, que vocês devem, já, ter desaparecido, que vocês vivem o si; isso quer dizer, simplesmente, que sua atenção e sua vigilância devem ser extremas nesses dias.

Como lhes disse o interveniente de antes, não é uma questão de estarem alinhados, de reunirem-se, é uma questão de estarem à escuta, fundamentalmente, de tudo o que vai produzir-se, em vocês, primeiro, mas, também, nas declarações e nos eventos nessa Terra.

Aí, vocês terão, sobretudo, eu diria, as reações da sombra, em sua estrutura e sua organização.

Pouco importa, mas vocês o identificarão individualmente, ao seu modo.

O período de que eu falei, dos doze dias antes do Natal, cobre, também, é claro, o solstício de inverno, que é extremamente importante.

Eu os lembro, aliás, de que as profecias antigas, e o que eu já disse nos anos 2005 e 2006, eu disse que o Evento produzir-se-ia, um dos eventos produzir-se-ia por uma noite de grande frio.

Mas para quem?

Para aqueles que estão no polo sul, para aqueles que estão no Ocidente, no hemisfério norte, ou seja, em pleno inverno, mesmo se não seja, ainda, o inverno oficial.

Portanto, isso faz parte, também, dos sinais terrestres, no Ocidente, nas zonas habitadas, de um lado ou do outro do Atlântico, que será, portanto, percebido, e vocês serão informados disso.

Mas a informação a mais importante está, certamente, em vocês.

Aliás, muitos de vocês, mesmo através dos seres da natureza, aqui ou alhures, começam a viver coisas que muitos de vocês poderiam chamar de novas ou inéditas.

Portanto, há uma espécie de convergência que não é uma convergência harmônica, é por isso que não lhes foi dito para juntar-se e reunir-se e pôr-se em alinhamento, mas estar nesse estado de acolhimento e de vigilância interior ao que vocês vão viver.

Quer seja para o 8, ou nos períodos de probabilidade que eu dei.

Isso será, de qualquer modo, uma surpresa.

Então, por definição, uma surpresa, quando vocês são crianças, vocês esperam a surpresa de Natal, por exemplo, vocês ficam todo excitados, mas vocês não sabem o que se vai oferecer-lhes.

Vocês sabem, simplesmente, e nós o dissemos, que algo vai ser-lhes oferecido.

Mas isso participa, de maneira verídica e indiscutível, dos eventos que se desenrolam agora.

Questão: como isso vai acontecer para os mortos?

Eu nada compreendi.

Eu compreendi, perfeitamente, o que você disse, mas o que há por trás disso?

Questão: os mortos…

Eu já exprimi, há muito, muito tempo, que ou os mortos estariam prontos para serem liberados e para viver a afetação, já, da atribuição vibral, ou seja, ou deixar esse plano, ou reencarnar, muito rapidamente, para fazer parte do espetáculo final, ou, eventualmente, serem dirigidos aos Círculos de Fogo.

Aqueles que não estavam prontos deviam esperar, eu já disse isso há vários anos, em estado de estase, de catatonia, se preferem, ao abrigo das forças Arcônticas, para viver a estase do outro lado do espelho, se posso dizer, dessa Terra, no momento dos eventos.

Portanto, cada um irá para onde deve ir, é claro, nada há de novo.

Eu havia dito, há muito tempo, que os mortos que não estivessem prontos para serem liberados deviam esperar, como dizer…, por um processo de catatonia astral, no momento oportuno.

Mas, para eles, o tempo não existe.

Coloraram-nos em suspensão, devido às condições da penetração da Luz, ao nível das camadas isolantes as mais distantes.

Portanto, não há que se colocarem questões para os mortos.

Eu os lembro de que são vocês os mortos, na superfície dessa Terra.

Questão: dada a iminência dos eventos atuais, você poderia dar-nos alguns conselhos para estarmos prontos?

Mas eu creio que é o que vocês têm feito, já há tempos imemoriais.

Isso faz dez, trinta anos, para alguns.

Vocês não podem estar em melhor lugar do que aquele no qual estão agora.

É, sempre, o ego que lhes sussurrará: «o que eu posso, ainda, fazer?».

Então, eu responderia: «Esqueça-se de si mesmo».

Ocupe-se de seu coração, não se ocupe mais de seus traseiros, escute seu coração.

Quando eu digo escutar o coração é, verdadeiramente, posicionar-se, em verdade, no coração.

Se você não sente as vibrações, ame – e não se preocupe com o resto.

É o ego que crê que há, ainda, algo a preparar.

Aliás, era previsível, porque os primeiros anos em que eu intervim, eu falei, já, desses eventos e dos sinais que seriam os marcadores, em todo caso, para os países ocidentais e, sobretudo, para a França e, também, para o Brasil, que haveria eventos de natureza social e coletiva.

Parece-me que vocês entraram, efetivamente, nisso, não é?

Portanto, a melhor das preparações é, sobretudo, ser, não é fazer dupla barricada ou imaginar fazer algo mais do que estarem presentes a si mesmos – não se deixando levar por reações de medo ou pensar que vocês não conseguem; isso nada quer dizer.

Aliás, eu creio que Sereti disse-lhes para viverem seu dia normalmente, mas, simplesmente, em um estado de vigilância e de alegria, o que quer que se desenrole em seu emprego do tempo desse dia, e dessa noite, aliás.

Nós lhes dissemos, uns e os outros, que eram os tempos.

O tempo chegou.

Não há mais tempo, vocês veem isso nas sincronias.

Vocês veem isso pelas novidades que vive sua consciência, às quais vocês não tinham acesso há ainda um mês, ou dois meses, ou três meses.

Vocês veem, efetivamente, que as coisas modificaram-se.

Alguns de vocês, que faziam tournicoti-tournicota, foram lembrados pela Vida para viverem sua encarnação na materialidade a mais comum.

Outros, enfim, descobriram, efetivamente, o Amor incondicional, de diferentes modos.

Portanto, tudo isso, se querem, não são processos coletivos, como tudo o que foi descrito até o presente, com as Coroas, com a Onda de Vida, o Canal Mariano; é a realidade da co-criação consciente.

Vocês veem que os mecanismos de sincronia ou de coisas improváveis produzem-se; havia os bugsna matriz, mas há, também, os bugs da continuidade de sua própria consciência comum.

Vocês veem, efetivamente, que seu mental não funciona mais como antes, quer ele esteja presente, quer ele os domine ainda ou não, uma vez que ele mesmo perde-se sozinho.

Vocês veem, por vezes, alguns, a dificuldade para manter um pensamento coerente, ou para atualizar o que você pensou como uma decisão de fazer isso ou aquilo – e que isso desaparece, totalmente, de sua consciência, qualquer que seja sua idade.

Eu diria que é, como vocês dizem, um Alzheimer espiritual.

Portanto, tudo isso é bem real, isso toca sua vida comum, não é?

Não é uma viagem ao Sol ou após o Sol, são reencontros no interior de si, mas, também, com os irmãos e as irmãs, que desembocam em oportunidades sempre mais fortes de abrir-se, de deixar cair as barreiras, as resistências, as incompreensões.

Há uma multidão de pequenos sinais que se reproduzem a cada dia, com outros novos, a cada vez.

São os momentos nos quais vocês entram na interrogação interior, não é uma interrogação para uma questão, como vocês me colocam, mas é um elemento de surpresa que é, por vezes, desconcertante ou feliz, pouco importa.

Vocês veem que a natureza, e o natural de sua encarnação, habituais na Terra, modificam-se, profundamente, de qualquer forma, de onde quer que vocês partam e onde quer que vocês estejam.

Há uma espécie de saída – e isso foi dito por Cristo – da linearidade do tempo.

Os tempos sobrepõem-se, eles desaparecem.

Um minuto pode parecer-lhes uma hora, e uma hora pode parecer-lhes um minuto.

Seu corpo, mesmo físico, pode dar-lhes a viver processos específicos que vão e que vêm; você tem uma dor em uma Porta ou em um lugar do corpo que, no dia seguinte, desapareceu.

Você tem montes de coisas assim, que vêm confundi-lo da rota comum do tempo.

É por pequenos toques, mais ou menos iterativos.

Não há um único entre os irmãos e as irmãs da Terra que, aliás, escutam-nos, que nos leem ou não – coloquem as questões ao seu redor, coloquem questões sobre as coisas que nós lhes temos dito, que vocês verificaram por si mesmos, perguntem, por exemplo, a tal ou tal irmão que nada vive, se ele não ouve sons, se ele não sente pressões ao nível da cabeça.

Então, ele vai dizer: «eu tenho enxaqueca» ou «eu tenho zumbidos».

Coloquem questões sobre os sonhos das pessoas, sobre o fato de que elas veem coisas invisíveis, ou que não existem para elas.

Vocês não são os únicos que têm vivido e seguido processos vibratórios ou de Despertar, isso concerne a todos os humanos da Terra, mesmo aqueles que nada conhecem e ainda de nada fazem ideia.

Simplesmente, pode-se dizer que, no 8, terá havido um pontapé no sacrum, digamos.

Eu não disse nos traseiros, hein?, eu disse no sacrum.

Algo que abala o equilíbrio estabelecido, qualquer que seja esse equilíbrio – e, no entanto, não é um desequilíbrio, exceto para aqueles que se oporão, é claro, é algo de novo.

Eu diria, se eu fosse poeta, que é um fragmento do desconhecido que vem para o conhecido.

É, diretamente, oriundo da fusão dos planos, da fusão das dimensões.

Se as embarcações de Sírius, que apenas podiam ficar ao redor do Sol há ainda algum tempo, como a Confederação Intergaláctica e a Frota Mariana, se Sereti diz que eles estão em embarcações-mãe, ao redor da Terra, é que há uma razão, não?

Eles não estão aí para fazer turismo, eles estão aí para precipitar-se na armadilha da encarnação.

Portanto, não procurem saber o que será vivido porque, mesmo nós, nós não o sabemos.

Nós sabemos, simplesmente, que um dos eventos, na cronologia anunciada, produzir-se-á, é uma certeza.

Mas mantenham consciente no espírito que, mesmo se fosse um evento de natureza humana, muito grave, no sentido da pessoa, vocês viveriam, dele, a contrapartida, no plano da Luz, como sempre.

Então, não se surpreendam.

Estejam prontos para serem surpreendidos pelo que se produzirá, mas não o antecipem.

O único modo de antecipá-lo é cultivar o que há aí, no meio de seu peito; todo o resto é a agitação mental.

E, eu repito, não é um dia no qual vocês devam permanecer fechados em sua casa ou proteger-se de não sei o quê.

Lembrem-se: Sereti disse para viver o que vocês tinham a viver e, simplesmente, ficarem atentos, mais do que qualquer outro dia, porque vocês sabem que a consciência…, a energia segue a consciência.

Portanto, se vocês se colocam na vigilância interior específica, o que quer que vocês estejam fazendo como obrigações ou como deveres naquele dia, vocês estarão disponíveis, também, porque o tempo está abolido, se posso dizer, ou, em todo caso, está profundamente anormal.

Nós sempre dissemos que ninguém conhece a data nem a hora, há, simplesmente, sintomas, da Terra, do céu, de vocês que, efetivamente, mostram que isso aí está, nós aí estamos, vocês e nós, que isso aí está não é mais, unicamente, iminente, como foi dito pouco antes, está em curso.

Não em outra dimensão, não nos planos sutis, mas no plano da Terra, portanto, na consciência comum também.

É esse mecanismo que é importante a viver, não é a própria natureza do Evento ou dos eventos prováveis, alguns, nesse lapso de tempo, é tudo.

E lembrem-se de que, mesmo nesses momentos, mesmo no Apelo de Maria, mesmo no aparecimento da segunda Estrela, quanto mais vocês estão ao mais próximo de seu coração, menos há questionamentos, menos há medos, menos há necessidade de preparar o que quer que seja.

E vocês são convidados a ir, cada vez mais, ao seu coração, isso foi dito, também, por outros intervenientes.

Basicamente, vocês serão confrontados entre o que se nomeia o exterior e o interior; ora, como o exterior e o interior fundem-se também, é o mesmo processo que a fusão do efêmero e do Eterno, do corpo de Existência da Terra – que está em fase de Ascensão – e de seu corpo de Existência, e do corpo físico da Terra e seu corpo físico.

E não é mais a atitude interior que é importante, não refletir para saber qual é a natureza do Evento.

Nós não podemos ser mais precisos.

Questão: é melhor evitar, no 8, estar em uma grande cidade?

Mas você estará onde deve estar.

Se seu caminho é o de desaparecer em uma vaporização nuclear, mas é magnífico!

O que é que você quer preservar ainda?

Eu creio que, qualquer que seja o modo pelo qual isso foi dito e repetido, há, ainda, os que creem em quimeras.

O destino da Terra está inscrito, já que ela está realizando sua Ascensão; vocês sabem o que isso quer dizer, de qualquer forma?

Enquanto vocês estiverem sob a terra, como aqueles que vão enterrar-se, quer vocês estejam em uma cidade ou em pleno deserto, ou no alto de uma montanha, isso nada muda.

O que é que você quer preservar?

«Aquele que quiser salvar a vida, perdê-la-á», está, no entanto, muito claro.

Então, se você imagina evitar qualquer deslocamento, fechar-se em uma cama ou em um buraco naquele dia, eu posso dizer-lhe que você tem tudo errado.

O momento em que será preciso, verdadeiramente, preocupar-se em estar, eu diria, em um lugar agradável, é, unicamente, quando vocês virem ou ouvirem o sinal do céu ou as Trombetas.

E, portanto, quando tiver havido o Apelo de Maria, aí sim, será preciso mover os traseiros.

Mas disseram, simplesmente, para mover o coração, para o 8.

Aliás, vocês podem estar certos de que o 8 não é o Apelo de Maria, porque o prazo é demasiado curto agora.

E sim, restam seis dias.

Então, por que você quer preparar outra coisa que não seu coração?

E seu coração, ele é o mesmo, quer você esteja em casa, quer esteja na atividade profissional ou que isso se desenrole durante o sono.

E depois, não vá assustar aqueles que estão próximos, nós o dissemos também, isso para nada serve agora.

Ir ver, com um grande sorriso, alguém que está na força da idade, que está muito ocupado com a própria vida, dizendo-lhe «é o Apelo de Maria, é o fim do mundo», você vai ver como ele vai recebê-lo.

Aqueles que deviam ser tocados pela Luz, pela Graça, pelo Amor foram; os retardatários o serão, no 8, mas para nada serve prevenir quem quer que seja.

O melhor modo de prevenir é comportar-se estando em seu coração, e eu lhe garanto que, se você está em seu coração, com o Manto Azul da Graça, com as Coroas ativadas ou uma das Coroas, se você está recoberto do Manto Azul, se você percebe ou percebeu a Onda de Vida, isso basta, amplamente.

O outro será tocado pelo que ele deve ser tocado, e não pelas projeções que você faça do que quer que seja.

Lembrem-se de que, coletivamente, o conjunto da humanidade, apesar da privação cada vez mais evidente de sistemas de controle de mental humano, no qual tudo é iluminado, no qual tudo o que devia ser revelado revela-se, de múltiplos modos, o importante é o quê?

É como vocês estão, interiormente.

E vocês não podem mudar ninguém, interiormente.

Não é a informação ou, mesmo, a realidade formal, na qual você vai dizer, porque você o viu: «vai produzir-se tal coisa, tal dia, tal hora».

O que é que você acredita que isso vai fazer?

Nada, absolutamente.

Aqueles que estão prontos estarão, talvez, ainda mais prontos, e aqueles que recusam ver continuarão a não ver.

É a mesma coisa que se produz quando você tem um irmão humano que morre e que se reencontra no astral, a continuar a fazer as mesmas coisas como se ele continuasse na matéria.

Foi assim até agora.

Então, o que é que você espera mudar com palavras, quaisquer que sejam essas palavras e qualquer que seja, eu diria, a exatidão do que você recebeu ou percebeu?

É seu coração que é importante.

Não é o que você diz, não é, mesmo, o que você faz, é seu estado de ser.

Caso contrário, você será muito mal recebido pelas palavras; eu insisto nisso.

Sobretudo agora, que isso se realiza sob os seus olhos.

Não creia que eles estarão na aceitação, assim.

Ou eles estão na negação e não o escutarão, ou a raiva será dirigida contra você.

Para que isso serve?

Fiquem, vocês mesmos, no coração, e calem-se.

Não aqui, hein?

É preciso continuar, mas eu falo em geral, eu penso, sobretudo, naqueles que teriam o impulso para ir prevenir os amigos, a família, vocês vão passar, ainda mais, por loucos.

Porque eles vivem, já, mesmo se não o vejam, situações muito tensas, ao nível social, e não, unicamente, em alguns países, mas por toda a parte porque, inconscientemente, mesmo se não tenha subido à consciência, é algo que está inscrito no inconsciente deles, então, não vá acrescentar doença à doença, mas ponha ali o Amor, ponha ali sua Presença, seu coração amoroso.

Evitem, mesmo, uma focalização da consciência deles, desses próximos, em qualquer evento que, mesmo para vocês, é o mais feliz; vocês não sabem se, para ele, é o mais dramático que há.

É preciso, de qualquer forma, habituar-se que alguns irmãos e irmãs não procuram qualquer Luz.

Porque eles têm um programa de vida que não faz deles degenerados do Espírito, mas a liberdade deles não é a sua.

Aí sim, eu redigo: ocupem-se de seu coração, de nada mais.

Vocês veem que, mesmo quando houver o Apelo de Maria, mesmo quando houver a visibilidade da segunda Estrela, mesmo quando houver eventos geofísicos, há os que continuarão a viver como se nada fosse.

É uma negação.

E, se eles estão na negação, para nada serve fazê-los entrar na raiva, caso contrário, vocês não terminam mais, e vocês se desestabilizarão, vocês mesmos, e perderão, mesmo, a credibilidade que podem ter – sobretudo, se é verdade.

Dizer a verdade não é algo que seja aceito.

Olhe todas as coisas que se produzem ao nível espiritual, nas quais, quanto mais se avança em seu tempo, mais há os que veem, já, o futuro com o NESARA (Ndr: National Economic Security and Reformation Act): não há mais dívidas, não há mais necessidade de dinheiro, amem-se uns aos outros, nessa Terra.

E, se é o que se previu, sonhado ou imaginado, vocês não poderão, por palavras nem, mesmo, pelos eventos visíveis, transformar o que quer que seja.

Em contrapartida, se você está, realmente, no coração, então, aí sim, mas não passará pelo filtro do mental, isso será, diretamente, vibral.

Não se esqueça de que você está na co-criação consciente, e que ela emana de você, mesmo se você não tenha, ainda, a atividade do Verbo Criador há, de qualquer forma, a consciência que segue os seus pensamentos e os seus dizeres.

Então, com qual direito você vai violar a liberdade do outro, considerando-se como um informante ou um salvador?

Aí, eu o convido a dar um passo para trás e ver, real e concretamente, o que isso quer dizer.

Porque, se você está, totalmente, no coração, quer seja ao nível de seu comportamento, mesmo humano, quer seja ao nível vibral, portanto, que toca a supraconsciência, não são palavras que vão mudar o que quer que seja.

Faz dois mil anos que Cristo anuncia isso, faz dois mil anos que os profetas previnem vocês dessa escatologia final.

Dizer a verdade é uma coisa, mas assumi-la é outra coisa.

Portanto, sejam vocês mesmos, quer seja naquele momento, quer seja quando da passagem da segunda Estrela, quando do Apelo de Maria ou de qualquer evento que se produza no físico, seu físico ou o físico ao seu redor, ou o físico global.

Disseram-lhes que não havia outra escapatória que não o coração.

Mas não o coração condicional, aquele que vocês poderiam ter com o ser amado, com a família, com os próximos, porque, se mesmo vocês, vocês são e vivem esse Amor incondicional, vocês não podem pretender que o outro esteja, também, no Amor incondicional.

Ele é o que ele é, vocês são o que vocês são, e respeitem isso.

Nós dissemos que a atribuição vibral estava terminada.

Nós dissemos, também, que haveria as últimas graças, o Manto Azul da Graça, o 8 de dezembro, o Evento, o Apelo de Maria, a visão dos sinais celestes, tudo isso são sinais de Graça, mesmo se sejam sinais de terror para o ego.

Tanto melhor, porque o ego aterrorizado, ele se desvanece.

E, no limite, o importante não é qualquer evento que seja, é a finalidade do evento, qualquer que seja.

Mas vocês sabem bem que a finalidade não é a mesma para cada irmão e cada irmã; a Liberação é um fato adquirido, mas a evolução é profundamente diferente.

Por que você quer colocar todo mundo, seus próximos ou o conjunto da humanidade no mesmo cesto?

Eu falei, longamente, de duas humanidades, você vê isso, todos os dias.

Mas a Luz é Liberdade, então, em nome de que você quer interferir na liberdade do outro?

Ame-o, e nisso, você não tem necessidade de palavras ou de informações, ou de explicações.

Seja, cada vez mais, você mesmo, entre, cada vez mais, no Coração do Coração.

Nós lhes demos, verdadeiramente, uns e os outros, os últimos elementos, se querem, que não são, propriamente ditos, ensinamentos, mas colocação na prática, de coisas simples: a respiração, o Kriya Yoga, a hiperventilação etc. etc.

Se você faz isso, não tenha qualquer inquietação, porque não é você que fica inquieto, é a pessoa.

Não vá adotar estratégias, se posso dizer, de derivação.

Você sabe, é muito conhecido, há pessoas a quem se anuncia que elas têm uma doença que vai pôr em jogo o risco de vida, muito rapidamente, e essas pessoas, de repente, descobrem-se na vida, houve um choque, de repente, elas têm vontade de fazer o que jamais fizeram, elas vivem a urgência.

Então, deixe viver a urgência a cada irmão e irmã, em função do que ele vive naquele momento, e não do que você vive, mesmo com sua Onda de Vida, seu Canal Mariano e todas as Presenças vibrais presentes em você.

Mais do que nunca, isso é importante, hein?

Fiquem na relação de amor e não na relação de pessoa, que arrisca induzir coisas detestáveis, tanto para o outro como para você, aliás.

Você sabe, é terrível ter razão nesse mundo.

Porque aquele que diz a verdade não procura ter razão, ele procura, simplesmente, dizer a verdade, é independente dele; ele não encontra qualquer vantagem ali.

A única verdade é aquela do coração, e ela é atemporal, qualquer que seja a natureza dos eventos que estão aí.

Vocês não desapareceram, todos, pelo menos?

… Silêncio…

Nós já esgotamos todas as questões?

Aproveitem, porque é a última oportunidade de serem tagarelas, hein?

Questão: dizem-nos para nada fazer, nada dizer…

Para estarem, vocês mesmos, no coração.

E, se eu ouço «como fazer?», há pontapés nos traseiros que se perdem.

Questão: justamente, você poderia ajudar-nos como ficar no coração?

Mas eu já disse isso milhares de vezes: desapareça da impressão de ser uma pessoa.

Um coração não se preocupa com a pessoa, você ou o outro; não há «você ou o outro».

Não é uma conduta moral «estar no coração», não é uma atitude ou um comportamento de silêncio com um grande sorriso feliz e entendido; isso quer dizer ser o mais simples possível.

Não tente imaginar estratégias mentais, relacionais ou outras.

O coração não tem necessidade de sua pessoa; e você é esse coração.

O que quer que você vá, com sua pessoa, em função do que você vai dizer, do que vai praticar, isso vai mudar alguma coisa?

Não.

Portanto, o único conselho, efetivamente, é ser.

Ser vivo.

Não julgar, não projetar, não imaginar.

Portanto, eu não posso dar mais coisas.

Eu digo apenas, antes que você tinha, por exemplo, a autocura, você tinha o Kriya Yoga, você tinha a ativação das Coroas, se você as sente – portando sua consciência acima, isso basta, amplamente – não há mais necessidade de nada.

Se você pensa que é preciso outra coisa, é a pessoa que pensa isso, mas não seu coração.

Seja como uma criança.

Na humildade, na simplicidade, na transparência, no não julgamento, na não projeção.

Não faça de nada, algo que lhe concirna.

Isso poderia assemelhar-se a, como se chama isso…, aos acordos Toltecas; aplique os acordos Toltecas, mais do que nunca.

Então, se você tem necessidade de respirar, respire; se você tem necessidade de cantar Opo-machin, cante Opo-machin; se você quer acender uma vela, acenda uma vela; se você quer fazer dez Pai Nosso e uma Ave Maria, faça-o, se quer repetir um mantra, faça-o.

Mas isso será apenas uma ocupação para encontrar o coração, é tudo.

Eu o lembro de que o coração não tem necessidade de você como pessoa.

Você é o coração.

Seja, simplesmente, plenamente vivo, a cada minuto, plenamente presente.

Não fique imaginando, projetando, cogitando.

Viva, com intensidade, cada minuto como se fosse o último – é, aliás, o caso.

Sejam inteiros e verdadeiros.

Não se percam nas palavras, não se percam na necessidade de informar ou de manterem-se informados; de qualquer modo, isso estará em todas as rádios, portanto, não vale a pena.

Questão: pareceu-me ver sardas nos Vegalianos, é exato?

Então, aí, cara amiga, isso quer dizer que os Vegalianos apresentaram-se nus, não é bem isso.

A menos que ele lhe tenha mostrado apenas uma parte de sua anatomia…, mas eu não quero detalhes.

A questão era o quê, exatamente?

Questão: os Vegalianos têm sardas?

Não são, absolutamente, sardas, hein?, eles não têm a mesma estrutura de pele.

Mas, efetivamente, para a sua visão humana, isso poderia ser verrugas, como vocês dizem.

Porque, eu a lembro de que os Vegalianos, você os vê brancos com cápsulas escuras sobre os olhos.

É a combinação de Luz que permite a eles evoluir aqui.

Então, se você o viu sem a combinação, isso quer dizer que você deslocou até a casa dele.

Você não quer que eu lhe dê o nome dele, quer?

Questão: eu pensei muito nisso…

Eu perguntaria quem é que se permitiu levá-la à casa dele.

Isso pode criar problemas diplomáticos, hein?

Não, eu estou brincando, é claro.

Questão: estar no coração deveria bastar-se, por si só, no entanto, o patriarca de Vega disse para fazer a saudação de Órion quando dos reencontros que se poderia ter.

Ele falava de reencontros humanos.

Eu não vou tirar você das onomatopeias como banana, não é?

Mas não são reencontros humanos.

Será que você viu extraterrestres, ainda, na rua?

Não.

Questão: é necessário fazer a saudação de Órion, no momento final?

É muito simples.

Se você se sente no coração ao ter um reencontro como esse, e que alguém, com uma aparência sinistra, e que lhe faça eriçar os pecos dos braços, eu o aconselho, de qualquer forma, a fazer a saudação de Órion, naquele momento.

Dizem-lhe para estar no coração, sim, no desenrolar de sua vida comum, mas há circunstâncias, que é esse momento preciso – que ainda não chegou, eu lhes assinalo – que necessitará…

De qualquer modo, se você está no coração, você sentirá pelo vibral, diretamente.

Mas, se você está no coração como ideia, mas você não tem acesso à vibração, ao vibral, será melhor fazer a Saudação de Órion.

E não se esqueça de que reencontrar um extraterrestre, fora alguns que se divertem a recebê-los em casa, bem, é, de qualquer forma, um choque, um choque enorme, são formas que vocês não conhecem.

Imagine que você encontrasse, na rua, uma aranha de um metro e meio de altura, de cor violeta; você vai dizer «eu fico no coração», mas o reflexo de sobrevivência, mesmo se a pessoa tenha superado, eu creio que as pernas vão tomar a dianteira, não é?

O coração estará, ainda, à frente das pernas, elas estarão do outro lado.

Aí, eu falei, anteriormente, de seu ambiente.

Agora, quando você reencontrar…, aliás, se eles estão nus, e que eles têm outros objetivos, não é?

Que não é sexual, eu não disse isso, mas que é de desvendar-lhe o que é, é diferente.

Sobretudo, os Vegalianos, eles não se preocupam com essas histórias aí… de sexo.

De qualquer modo, lembrem-se: vocês estarão, a maior parte de vocês, invisíveis.

Ou vocês terão deixado esse corpo, e isso será um alimento envenenado para os Dracos, ou vocês estarão blindados, se posso dizer, por seu corpo de Eternidade e, portanto, invisíveis para eles.

Você os verá.

Agora, se há, em você, um reflexo de sobrevivência, sobretudo, se você porta o corpo físico, e que o reflexo de fuga produza-se, ou os arrepios de horror, porque há, de qualquer modo, formas que são da Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres, mas que são tão afastadas, eu diria, das linhagens estelares, tais como você pode vê-las, dos animais que você conhece que, aí, arrisca colocar – apesar do Amor total que você vai sentir – as pernas, elas vão, de qualquer forma, ter vontade de mudar de setor, se posso dizer.

Portanto, nesses casos, sim, há um sinal de reconhecimento, que é uma onda de forma, como foi explicado.

Mas não é o mesmo gênero de reencontro, não é?

Questão: se encontramos extraterrestres «não gentis», a saudação de Órion faz eles fugirem?

Ah sim!

É um sinal de reconhecimento da Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres, que eles são incapazes de reproduzir, porque isso é uma tortura no coração deles.

Portanto, vocês mesmos, reproduzirem isso em face de um indivíduo desse gênero, isso vai torturá-lo.

Questão: isso arrisca fazê-lo fugir?

Bem, sim, isso o tortura, é ele que vai fugir correndo, muito rapidamente, ou fugir voando, muito rapidamente, isso depende.

Ou fugir mordendo, isso depende qual tipo de animal você encontra.

Tudo é possível, tudo.

Mesmo o impossível torna-se possível.

Questão: eu senti, subitamente, uma grande lufada de Amor, e eu ouvi a palavra Hercobulus.

O que é isso?

Hercobulus, é o quê?

Ele era chamado «o grande Destroyer», por quê?

Porque ele destruía o que era limitado, ele tentava restabelecer a Unidade.

Portanto, é uma força de Amor, o que quer que isso provoque ao nível da Terra.

Você sabe, se as embarcações de Sírius, da Fraternidade azul de Sírius está aí, é que eles estão certos do golpe deles.

E nós também, aliás, agora.

Portanto, é claro que vocês vão viver, cada vez mais, lufadas de Amor ligadas a esse planeta, e eu creio, mesmo, que entre os antigos «Coletivo do Um», há quem tenha recebido mensagens de Hercobulus – da consciência de Hercobulus – que eram, aliás, muito corretas.

Portanto, é uma experiência antecipativa, eu diria, do que chega.

Questão: os movimentos de Li Shen podem ajudar neste período?

Sim, se você consegue ficar suficientemente estável para fazê-los.

Eu o lembro de que a Terra oscila, e vocês também, vocês sentem oscilações interiores, por momentos.

Vocês veem, efetivamente, que seu corpo não ocupa o mesmo espaço, eu diria, mesmo, que as percepções do limite corporal podem ser difusas agora.

É perfeitamente lógico, vocês perdem tudo: a cabeça, o corpo; resta apenas o coração.

Era o quê a questão?

Questão: os movimentos de Li Shen…

Sim, é claro, assim como a respiração.

Mas eu creio que será mais rápido respirar muito rapidamente, sobretudo, se você foge de alguma coisa, do que fazer os movimentos harmoniosos de nosso querido Li Shen.

Ao nível da hiperventilação, é preferível correndo.

Não, estou brincando…

Questão: por que as raças extraterrestres não livres viriam à Terra, ao mesmo tempo que aqueles da Fraternidade Galáctica, sabendo que é perigoso para elas?

Perigoso por qual razão?

Questão: perigoso para a Luz?

Sim, mas é um espaço de resolução, justamente, da confrontação aparente sombra/Luz, confinamento/Liberdade, portanto, elas vêm, elas também, recuperar o que elas têm a recuperar.

Eu os lembro de que eles estavam em dimensões – a maior parte – intermediárias, seja 3D, seja 4D, mas não unificadas.

Mas eu lhes disse, também, que os Vegalianos não veem o que não é luminoso, os anjos tampouco.

Não nos vendo, eles não nos veem e nós não os vemos.

Vocês sim, vocês estão na passagem.

Portanto, é preciso, efetivamente, compreender que há os que vêm recuperar coisas…, das quais vocês não têm mais necessidade.

Questão: eles não têm medo das embarcações de Luz?

Eu creio que se os Arcontes tivessem medo, não teria havido seis ciclos antes de poderem ser liberados nesse Sistema Solar.

Contrariamente à humanidade, eles não conhecem o medo, eles se nutrem de seu medo.

Mas, se o medo nutre-os, é que, para eles, não é um veneno, é uma nutrição, as emoções; mas eles não têm emoções e, no entanto, eles se nutrem disso.

Eles são ávidos, mesmo, do medo, portanto, não há razão alguma para que eles tenham medo, nem de nós, nem de vocês.

Simplesmente, se você está no coração, eles não o verão.

Questão: se bem compreendi, nossos Anjos da Guarda vão, em breve, estar desempregados?

Perfeitamente.

Vocês não têm necessidade de maus anjos, nem de Anjos Guardiões, vocês têm apenas necessidade de ser o coração, é tudo.

E, além disso, nós estamos em vocês.

Se vocês têm medo, ponham Miguel à frente, Miguel atrás, Miguel à esquerda, Miguel à direita, Miguel embaixo, Miguel em cima.

Aí, vocês estão blindados.

Porque, aí, a codificação vibratória não é mental, é uma codificação de Luz.

E eu penso que, nesses momentos, de qualquer modo, para muitos de vocês, eu não vejo o que poderia fazer o medo, a partir do instante em que a alegria for experimentada com o Apelo de Maria, vocês estarão, também, sem medo.

Questão: ter-se-ia podido pensar que a experiência do confinamento era uma experiência isolada.

Por que há outros sistemas solares confinados?

Ah sim?

Quem pensa que é isolada?

Questão: ter-se-ia podido pensar.

E por que se teria podido pensar isso?

Questão: uma experiência basta.

Em que você se baseia, fora o que há na cabeça, para imaginar isso?

Qual elemento vivido permite-lhe afirmar isso?

Ou discutir isso?

Nós, é da vivência…, não para mim, mas para as histórias de diferentes sistemas solares confinados.

Mas como você pode imaginar, estando confinada aqui, ir conhecer os outros confinamentos?

Questão: qual é a finalidade dessas experiências?

Mas não há nenhuma, é todo o problema.

É uma aberração, é tudo.

Aliás, Bidi matou-se em repetir-lhes, durante quanto tempo, que esse mundo era uma total trapaça?

A alma, ela acredita que vai evoluir, que vai crescer na Luz, que vai aperfeiçoar-se.

Sim, é claro, é o próprio princípio do confinamento, ou do que os fantoches disfarçaram chamando-o «a Queda».

Mas não há queda, o Espírito sempre foi livre.

Então, você imagina, você está no corpo de uma pessoa, você tem feito um caminho espiritual, e você crê que deve progredir.

Mas o progresso concerne à pessoa, mas não ao que você é.

E eu concordo totalmente, a experiência do confinamento – contrariamente ao que teria podido pensar, no plano histórico, Lúcifer – não fez crescer a Luz, isso fez crescer o medo.

Então, é claro, haverá muitas pessoas, irmãos e irmãs bem intencionados, que vão falar-lhes de carma, que vão falar-lhes de desenvolvimento pessoal, e tudo mais.

Elas estão, elas também, fechadas no confinamento.

Vocês não têm, ainda, a possibilidade de apreender, integralmente – mesmo se sejam liberados vivos – essa noção de confinamento.

Nós o temos explicado, de diferentes modos, mas vocês compreenderão isso, verdadeiramente, quando não forem mais limitados por um corpo.

Vocês o compreenderão não pela via do cérebro, mas, diretamente, em sua vibração.

O confinamento produziu-se segundo uma sequência específica de circulação de uma embarcação, que se chama, também, Nibiru, mas que é uma embarcação de sucata, que se desloca de mundo em mundo.

E, quando o laço foi lançado em torno de um sistema solar…

O laço é um movimento que remete a outro sistema solar, que toma velocidade e que vai a outro sistema solar.

É uma contaminação de próximo em próximo, não geograficamente, mesmo ao nível espacial, mas ao nível dimensional.

Mas isso recorre a coisas que, talvez, os cientistas poderiam explicar-lhes, mas, eu repito, seriam apenas explicações ou uma validação que seria, unicamente, empírica ou calculada, ou «matematizada», mas que não reflete, em nada, a verdade.

Aliás, Bidi disse: quando vocês vivem a Liberação, vocês ficam totalmente refratários, se posso dizer, a essas noções de sistemas solares, de dimensões, de entidades de Luz, de entidades Arcônticas e tudo isso.

Vocês não são refratários, não porque vocês não o veem ou não o vivem, uma vez que vocês estão em um corpo, mas, quando vocês tenham encontrado a totalidade de quem vocês são, tudo isso nada é, é o cinema.

Mas fizeram-nos esquecer-se de que era o cinema, simplesmente.

Questão: esse Sistema Solar é o primeiro a ser liberado dessa maneira?

Dessa maneira, isso quer dizer o quê?

Questão: como isso vai produzir-se, proximamente.

Não, isso se fez da mesma maneira em outros sistemas solares, felizmente.

Simplesmente, ajusta-se, a cada vez, segundo as experiências cronológicas, se posso dizer.

É por isso que nós gostamos muito de recrutamento, porque vocês não acreditam que eu vou voltar, ainda, a outro sistema solar, refazer o mesmo circo, hein?

E vocês tampouco, aliás, para a maior parte.

Eu creio que há os que vão dar grandes bananas [gesto ofensivo com o braço, manguito, em Portugal], como nos fez Bidi.

Questão: a Liberação da Terra vai servir de jurisprudência para os outros mundos a liberar?

A jurisprudência, com os Arcontes, é outro assunto, hein?

Eles são muito perversos, mas nós também, na Luz.

Hein, lembrem-se, a Luz não mente, jamais – mas, por vezes, é equívoco, eu tenho que admitir, sobretudo, a assinatura abaixo da folha de contrato.

Portanto, é claro que a experiência de cada sistema solar que é liberado é importante.

E, aliás, nossos irmãos arcturianos vigiam para que nada se perca do que é importante.

Importante no sentido materialidade confinada.

Questão: há, verdadeiramente, aranhas enormes que fazem parte da Federação de Luz?

De momento, eu não vi, mas por quê?

Você sabe, a vida é muito surpreendente.

Uma consciência pode ser um átomo, pode ser um Triângulo, então, por que não uma aranha?

Bom, eu sei, no inconsciente humano, a aranha dá medo, é por isso que eu tomei esse exemplo, aliás.

Há insetóides, disseram-no, à época, também.

Encontrar-se em face de uma espécie de louva-deus de dois metros de altura, que se tem em pé, isso tem o que dar medo, mesmo se você sinta o coração.

Nessa dimensão eu falo, hein?, na qual vocês estão.

Questão: essa bola metálica, que foi enviada às profundezas de nossa galáxia e que vai de um mundo a outro, não será, jamais, destruída?

Ela não vai voltar?

Em geral, isso não é possível, porque é como no bilhar, se quiser: é preciso bater na bola no lugar certo para enviá-la, como se diz, «ad patres».

De fato, não se envia ad patres, muda-se sua rota e muda-se sua direção.

A Luz não destrói, jamais, o que quer que seja, não é possível, caso contrário, entra-se no jogo deles.

Então, há dados muito precisos, irradiações que vocês nomeiam cósmicas, que vieram bater na bola, como uma bola de bilhar, mas de um quarto, para que ela mude de direção.

Foi algo de muito fino que se produziu, em 15 de agosto de 2009.

Portanto, a cada vez, se quiser, é como se houvesse um circuito impresso, que é obrigado a ser seguido pelos elétrons; aí, é a bola que segue circuitos impressos.

Se o circuito impresso é interrompido, a bola, ela consegue o quê?

Ela dá meia volta, ou enviam-na alhures, onde não há riscos, porque eles apenas podem confirmar sistemas carbonados, não sistemas de sílica ou, por exemplo, dimensões muito mais altas.

Aí, o metal, as forças gravitacionais não têm qualquer efeito.

Isso tem efeito apenas nos sistemas nos quais há sóis que são separáveis por atrações gravitacionais diferentes das condições normais de experimentação de mundos carbonados.

Mas isso não pode existir em outras dimensões.

E, mesmo ao nível carbonado, muito em breve, assim que tivermos aniquilado todos os circuitos, não haverá mais qualquer possibilidade do que quer que seja como confinamento.

Questão: isso arrisca confinar outro sistema solar?

De quê?

Questão: a embarcação que foi banida.

Não, certamente não, porque nos oitenta e alguns sistemas solares, mais da metade foi liberada.

Dizem-me que se está em cinquenta e dois.

Portanto, se quiser, você vê, em relação às últimas vezes em que eu havia dito o número, há um ano, eu creio, ou mais, talvez, eram quarenta e alguns, quarenta e sete ou quarenta e três, eu não me lembro mais.

Mas isso quer dizer o quê?

Que não há possibilidade nova de confinamento de um sistema solar carbonado que seria livre.

Eles têm que vir ver do lado de Vega da Lyra, reservam a eles um super acolhimento.

Aí, não serão mais partidas de bilhar, se eles vêm a Vega, será o agitador.

Isso vai fazer como no bilhar elétrico, você sabe, a bola que se move por toda a parte.

Vai-se jogar no fliperama com eles.

Questão: Há seres nessa bola?

No interior, sim.

No interior sim, é claro, e eles deixaram vestígios, são aqueles a quem chamaram os Annunakis, que nada têm a ver com os Nephilim, com os pseudo anjos decaídos.

É melhor do que Star Wars, hein?

Questão: esses Annunakis, esses Arcontes, eles são, igualmente, oriundos do que está antes do Verbo e antes da Luz, o que se chama o Absoluto?

Perfeitamente, nenhuma consciência pode ser isenta dessa mesma origem.

Questão: então, o Absoluto, o que é antes da Luz, poderia parar todos esses jogos?

Mas por que você quer que se pare, que a Fonte interrompa a experiência de consciência?

A experiência de consciência, ela é sem fim; a única coisa que é contrária à Luz é o confinamento.

Mas vocês verão, por si mesmos, vocês serão livres de ir passear e de ser o que quiserem.

Porque vocês consideram, a partir de seu ponto de vista, aí onde estão, liberados ou não liberados, que o Absoluto é um lugar ou um espaço, concorda?

É o que está na base de todos os mundos e de todas as dimensões.

Sem Absoluto e sem Luz não há qualquer vida possível, mesmo para aqueles que os privaram da Luz, mesmo se eles se nutram, agora, de medos e de emoções.

Se não houvesse Luz neles, eles não estariam, mesmo, vivos, no sentido «manifestação da consciência».

É um ato voluntário que eles fizeram.

Nenhum outro mundo, exceto os mundos «distos», como nós os chamamos, ou seja, os mundos carbonados, pode ser confinado.

Porque a estrutura e a organização da consciência não é, absolutamente, a mesma no carbono e além.

Os últimos seres livres que houve sobre a Terra, e deus sabe que houve, há vinte milhões de anos, foram os famosos Nephilim, os Gigantes, que iam e vinham a partir da morada de Eternidade deles a essa morada limitada, em toda liberdade.

Mas tudo provém do Absoluto.

Eu os lembro, de qualquer forma, que aqueles a quem se nomeia os Arcontes ou os Dracos são seres extremamente importantes na experiência da própria consciência, qualquer que seja a dimensão.

Portanto, não imaginem que haja um castigo com um deus vingador ou uma luz vingadora que vá precipitar esses seres no inferno.

A Luz não pode fazer isso, é impensável.

Sem isso, não haveria respeito da liberdade de criação.

A criação é infinita, ao nível da consciência, mas é o mesmo Absoluto.

Restam dez minutos.

Então, nós vamos fazer um pouco de silêncio, e vamos instalar-nos no coração, além das histórias de Arcontes, de Arcanjos e de velhos anciões, ou de pessoas humanas, ou de manchas de leopardo na pele.

Então…, bem, eu nada mais tenho a dizer.

Então, eu lhes transmito as minhas bênçãos, ao mesmo tempo permanecendo em vocês ainda dez minutos, nove agora.

Então vamos.

… Silêncio…

Bem, caros amigos, eu lhes restituo a sua liberdade.

Até mais tarde.




Mensagem de O.M.AÏVANHOV
Dezembro de 2015





Agradecimento especial pelo trabalho excepcional ao longo do Processo:
Traduzido para o Português por Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com.br
Áudio:
http://mensagensdeamor.brluz.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails