domingo, 11 de outubro de 2015

A ÚLTIMA RONDA DOS ARCANJOS (VII) - ARCANJO METATRON - OUTUBRO DE 2015 - COM ÁUDIO


Imagem Amor Por Gaia




ARCANJO METATRON
OUTUBRO DE 2015




A ÚLTIMA RONDA
DOS ARCANJOS
(VII)


Ehyeh Asher Ehyeh…

Eu sou Metatron.

Eu saúdo, em vocês, a Chama da Eternidade.

Além de minha Presença, pela Graça do Espírito do Sol, em cada um de vocês, tanto aqui como por toda a parte nessa Terra.

Eu lhes proponho, antes de exprimir o que eu tenho a transmitir-lhes, um momento de Graça e de Silêncio.

… Silêncio…

Eu venho, neste dia, como a cada dia a partir do início de seu novo mês.

Aqui, nesse país e nessa Europa, eu instalo a minha Presença, a cada dia, às 16 horas, em seu Templo, como nos templos os mais sagrados da Terra, constituídos pelos seis Círculos de Fogo.

Assim, revela-se a Jerusalém Celeste, invisível, ainda, aos seus olhos de carne, mas perceptível no plano vibral, assim como as repercussões em suas estruturas.

Eu venho completar e concluir a Ronda dos Arcanjos, do mesmo modo que o Conclave Arcangélico não é mais de utilidade, a partir do instante da Liberação da Terra.

Hoje, a partir da liberação de sua Chama eterna pelo processo ascensional coletivo e individual em curso, nós viemos, nós, Arcanjos, desvendar-nos e revelar-nos no interior de sua Presença.

Presença igualmente ativa não, unicamente, nos Círculos de Fogo, nomeados, doravante, «a Jerusalém Celeste», mas em um conjunto de irmãos e de irmãs humanos, presentes aqui ou alhures, para aperfeiçoar os preparativos do conjunto das forças da Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres que preparam o advento.

Assim, cada estrutura, cada consciência, cada grupamento, que vem de inumeráveis universos e multiversos são, doravante, instalados nessa Terra e em vocês, no limite da visibilidade de seus olhos de carne.

Nós intervimos, uns e os outros, qualquer que seja nosso status dimensional, em sua realidade, ao mais próximo de vocês, ao mais próximo de seu ambiente, ao mais próximo de sua Eternidade, assinando, assim, o decreto de realização da Ascensão coletiva nesses tempos, que veem, assim, a consumação das profecias, a consumação da Liberação da Terra e desse Sistema Solar, em sua inteireza.

A potência da Luz disponível em suas Chamas eternas, como na superfície desse mundo, torna possível, assim como vocês têm constatado, de maneira imediata, a co-criação consciente.

É, portanto, de seu dever de Chama eterna juntar-se ao espaço sagrado de seu coração, tão frequentemente e tão longamente quanto necessário, porque vocês vão perceber que a única nutrição possível da Vida situa-se, doravante, em seu coração e não mais, absolutamente, em um elemento exterior, qualquer que seja.

Há, portanto, de modo concomitante, uma fusão do conjunto de estruturas interdimensionais, que realizam a fusão de seu corpo efêmero com seu corpo de Existência, aqui mesmo.

Inúmeras manifestações, ligadas a esse processo, estão, agora e já, presentes ao nível de mecanismos que se tornam visíveis e que não são explicadas por qualquer causa física ou qualquer ação física.

A irrupção da Luz, de maneira tangível e visível por um número cada vez mais importante de consciências na superfície desse planeta, pode-se traduzir apenas por duas possibilidades: o crescimento do Amor ou o crescimento do medo.

Assim, é-lhes dado a ver, onde quer que seja na superfície desse planeta, os resultados de um ou o outro dos posicionamentos.

No crescimento do Amor há a Paz, no crescimento do medo há a guerra.

Isso se traduz tanto em suas estruturas como na estrutura social, nomeada país.

O que se desenrola, portanto, a partir de hoje e a partir do início desse mês de outubro, na superfície dessa Terra, nada mais tem a ver com as decisões pessoais ou coletivas dos indivíduos, dos países ou de grupos, quaisquer que sejam, o que põe fim, de algum modo, aos últimos resíduos de egrégoras ligadas às últimas forças de predação.

Isso induz, é claro, certo número de manifestações, sensíveis e visíveis, tanto em vocês como ao seu redor.

É no cenário desses eventos, que começaram a partir de 30 de setembro e 1 de outubro, deste ano, que vocês perceberão que há apenas duas fontes de nutrição: aquela tomada no exterior de vocês e aquela que vem, diretamente, de seu coração eterno, impessoal e, portanto, de seu Espírito de Verdade, o que prepara, assim, o que eu nomearia o parto da humanidade e do Sistema Solar em sua nova dimensão.

Assim, como disseram outros Arcanjos: «Vigiem e orem», no sentido de não redimir o que quer que seja, mas para instalar-se, de maneira cada vez mais tangível, no coração, mesmo nesse mundo, porque, como vocês sabem, e, talvez, vivam, a única porta de saída é o coração, não haverá outra, preparando, assim, a iminência do Apelo de Maria, a iminência dos sinais celestes e dos sinais terrestres anunciados há tempos imemoriais.

Não é mais tempo de procurar resolver o que quer que seja no efêmero, mas, bem mais, deixar florescer e crescer a Eternidade em vocês e ao seu redor, coisa que vocês não poderão realizar por qualquer vontade, por qualquer desejo, mas, exclusivamente, por sua confiança no Amor e na manifestação do Fogo sagrado do coração, tal como vocês o percebem, para alguns.

Tudo procede e tudo decorre daí, o que mostra a presunção das atitudes humanas, dos comportamentos humanos, dos comportamentos sociais em relação à verdade absoluta do Amor e da Luz, em toda manifestação de vida ou de consciência.

Assim, seu Templo interior, o conjunto de suas estruturas efêmeras, físicas e sutis compreendidas, vive os últimos ajustes para a Ascensão definitiva da humanidade.

Mais do que nunca, vocês se darão conta, por si mesmos, da inutilidade de tudo o que releva da pessoa nos mecanismos de funcionamento que prevaleceram na superfície dessa Terra há tempos imemoriais.

Vocês descobrem, todos, ao seu modo e à sua maneira, a irrupção da Luz não mais, unicamente, em suas Portas, em suas Estrelas e estruturas ascensionais, mas, diretamente, em sua vida, em múltiplas circunstâncias, o que lhes demonstra, assim, o salto quântico, de algum modo, da consciência para seu novo estado de ser.

Assim, portanto, outros entre vocês desaparecem, de maneira cada vez mais evidente, mesmo se isso ocasione, eu diria, desagrados no efêmero, que os faz tomar consciência da presunção, aí também, de tudo o que concerne ao efêmero e que, de qualquer modo, de vida em vida, era chamado a desaparecer ao fim de sua vida, quando de seu último sopro.

O que se desenrola não é o fim, mas o começo de processos vividos, de momento, de maneira íntima e individual, mas concernente, desta vez, ao conjunto da humanidade, ao conjunto de estruturas criadas, em qualquer domínio que seja da vida nesse mundo.

A Jerusalém Celeste é, portanto, revelada, do mesmo modo que seu Coração Ascensional começa, ele também, sua revelação e sua Ascensão.

Cada vez mais, vocês constatarão a inutilidade de tudo o que concerne ao efêmero, tanto nos atos os mais comuns da vida ou que, até o presente, pareciam-lhes os mais vitais, como dormir, como comer, como interagir, como partilhar sua vida, partilhar suas experiências.

A hora é para a Eternidade, a hora é para o coração, expulsando tudo o que não vem do coração e tudo o que não vem da Eternidade.

Assim se realiza a preparação, tanto para vocês como para nós, do Apelo de Maria, que corresponde, como foi explicado pelo Arcanjo Jofiel, a um desenrolar minucioso e perfeitamente livre, apesar de seu aspecto organizacional presente, doravante, na superfície da Terra.

As infinitas consciências multidimensionais, que se manifestam, igualmente, ao nível dos povos da natureza, como de seus contatos transdimensionais pelo Canal Mariano ou por qualquer outro viés, põem-nos em face da realidade da Eternidade, que toma o lugar do efêmero e que vêm, de algum modo, de maneira natural e espontânea, a partir do instante em que vocês não resistem, à dissolução desse efêmero, de maneira evidente, concreta e palpável.

A cada Apelo da Luz, convém, doravante, tornarem-se disponíveis para atualizar e provar seu posicionamento na Eternidade ou no efêmero, porque será cada vez mais difícil manter, ao mesmo tempo, o que corresponde ao efêmero e o que corresponde à Eternidade.

Assim, portanto, cabe a vocês seguir as linhas de menor resistência, as linhas de evidência da Luz, em qualquer circunstância que seja, quaisquer que sejam suas vontades, quaisquer que sejam suas afinidades residuais no efêmero.

Lembrem-se de que, durante esse processo e até o Apelo de Maria, e no período que seguirá, cada um de vocês, onde quer que esteja, na superfície desse mundo ou alhures, terá que manter esse estado de Graça de maneira a mais espontânea e a mais natural possível.

Saibam, simplesmente, que a Graça toma todo o lugar em sua vida, em sua consciência e em seu ambiente, e que absolutamente nada há, para isso, a empreender no efêmero.

Eu diria mais, e bem mais, colocar-se na Presença, colocar-se na Infinita Presença ou na Coroa radiante do coração, quer vocês a percebam ou não.

Assim, as injunções da Lua tornar-se-ão cada vez mais potentes e presentes, o que lhes permite, literalmente, guiar-se, alinhar-se, em ressonância com a Eternidade de seu corpo de Existência.

Quaisquer que sejam as consequências, o que quer que se desenrole no que está desaparecendo, não atribuam mais importância, exceto, é claro, ao que corresponde às suas obrigações, em qualquer domínio que seja.

Mas mantenham presente no espírito que, mesmo nesses casos, a primazia da Eternidade atingirá vocês, de maneira clara à consciência, percebendo, enfim, para inúmeros de vocês, a futilidade de tudo o que concerne ao efêmero e, mesmo, que concerne ao seu corpo, sua vida, sua família ou seu país.

Assim se revelam as condições ótimas do ato final da cena da Terra, neste período.

Cada vez mais, o Apelo da Luz surpreenderá vocês, nos momentos que vocês poderiam qualificar de mais inoportunos.

Não é nada disso, porque, aí também, nos hábitos, nas funções, nas obrigações que lhes resta a realizar, a Luz, também, fará irrupção e provocará, aí também, modificações para o início e, pelo menos no início, surpreendentes, para inúmeros de vocês.

Uma vez passadas as primeiras surpresas, vocês perceberão, sem dificuldade, que o que age, em vocês, através de vocês e ao seu redor, é apenas a ação de Graça no estado de Graça que age, diretamente, nas estruturas desse mundo, residuais e efêmeras.

É, portanto, uma mudança de paradigma total e definitiva, à qual vocês são confrontados, qualquer que seja a evolução do que é efêmero, quer seja seu corpo, quer sejam seus últimos laços, suas últimas obrigações ou seus últimos aspectos ligados à moral ou às convenções desse mundo.

A convenção da Luz torna-os livres, e ela não pode tolerar o mínimo obstáculo em sua rota, porque a Luz não tem que combater, mas estabelecer-se, inteiramente, no conjunto dos campos de consciência da Terra, ao nível individual como ao nível coletivo do que corresponde à noosfera.

Isso assinala, de maneira irremediável, não mais o desaparecimento final das linhas de predação, mas o desaparecimento total de toda forma de predação, de toda forma de nocividade para com a Vida Una e Eterna.

Assim, o Amor é um decreto que não é uma obrigação, mas que é uma evidência, cada vez mais, em sua vida, não em uma projeção, não em seus aspectos pessoais, afetivos ou mentais, mas, diretamente, oriundo de seu Espírito de Verdade, do Espírito de Verdade, do Espírito do Sol, da Matriz Crística e do conjunto do que lhes falaram, até o presente, por vozes múltiplas e exteriores, mas que se realizará, cada vez mais, em vocês, de maneira espontânea, o que quer que vocês digam e o que quer que vocês façam.

Apenas, doravante, o medo será capaz de ocultar o que pode desenrolar-se, o que conduz, como eu disse, a situações contrárias ao Amor, que vocês nomeiam conflitos e guerras.

Haverá, portanto, a guerra ou o Amor.

A liberdade é inteira.

«A guerra ou o Amor» não quer dizer recusar a guerra ou aceitar o Amor, ou inversamente, mas, simplesmente, ver, de maneira completa, sem subterfúgios e sem hipocrisias, a realidade de sua atribuição vibral, a realidade de seu posicionamento e a realidade de seu Amor impessoal, encontrado no Espírito de Verdade.

Isso será, como eu disse, cada vez mais flagrante e evidente, o que quer que se desenrole na tela de sua consciência no efêmero, o que lhes permite, aí também, dar-se conta, com evidência e, eu diria, firmeza, da potência do Amor e do ridículo do poder humano.

A potência do Amor indicará a vocês e obrigará, em alguns casos, a adotar o Caminho da Humildade, o Caminho da Infância, que os despoja de tudo o que é supérfluo, mesmo o que permitiu, até o presente, elevar suas vibrações.

O único modo de elevar sua vibração, o único modo de entrar no Amor e na Eternidade será vocês mesmos, e unicamente vocês mesmos.

A partir do instante em que as Trombetas ecoarem, de maneira coletiva, no conjunto do planeta, um Silêncio far-se-á em vocês.

Vocês nada mais perceberão que não o Amor que cresce em sua Chama eterna, em seu Templo de Eternidade, em seu corpo de Existência, antes que, mesmo essas manifestações, apaguem-se, por si só, assim que o Apelo de Maria seja pronunciado.

Vocês terão, então, setenta e duas horas, para aquiescer e dizer «sim» ao Amor, «sim» a Cristo, «sim» à Liberdade, quaisquer que sejam as circunstâncias de seu corpo, quaisquer que sejam as circunstâncias, obrigações ou resistências em sua vida.

Assim, portanto, sim, vigiem e orem, não a oração que suplica ser poupado, mas a oração daquele que observa, bem além do observador, o que se desenrola na tela desse mundo e em sua tela interior.

As capacidades de visão, ligadas à reversão do Triângulo de Fogo da cabeça, serão estabelecidas de maneira efetiva e duradoura, o que lhes dá, para muitos de vocês, a capacidade de perceber bem além dos sons ouvidos nesse momento, tudo o que se desenrola ao nível dos planos invisíveis, tanto em vocês como em seu ambiente.

Os véus, portanto, e vocês compreenderam isso, cairão, de maneira total e definitiva, durante este período, o que lhes permite verificar, por si mesmos e em si mesmos, sem qualquer olhar exterior, mesmo aquele de um de seus irmãos ou de suas irmãs, mesmo aquele de um Arcanjo. Mas consigo mesmos e unicamente consigo mesmos.

Privados, assim, de toda interferência exterior e de toda alimentação exterior na Luz e na energia, inúmeros de vocês perceberão, então, a verdade de sua natureza e a potência do Amor que está em vocês, o que lhes fornece, assim como eu o disse no início de minha intervenção, todas as nutrições necessárias e suficientes para atravessar o que haverá a atravessar naqueles momentos.

Além de minhas palavras, eu deposito, em vocês, a Chama de minha Presença conjunta ao Espírito do Sol e ao Coro dos Anjos, aqui e alhures.

… Silêncio…

A partir do instante em que essa dinâmica for cumprida, vocês poderão, vocês também, quer seja de maneira anterior ao Apelo de Maria ou no momento do Apelo de Maria, exclamar: «Eu sou aquele que eu sou, Ehyeh Asher Ehyeh.».

Cercados, então, pelo Coro dos Anjos, cercados, então, pela última Trombeta, vocês cairão, então, na morte do efêmero e no êxtase da Ressurreição, como eu disse, quer seja agora ou no momento do Apelo de Maria.

Existe, portanto, uma intensa preparação, não de sua pessoa, mas da Luz, em vocês e ao seu redor, o que conduz, assim que isso lhes tenha sido anunciado, a mecanismos potentes, ligados à atividade Elementar que vem limpar, purificar e pacificar o que é destinado a desaparecer, para deixar lugar à majestade da Luz, onde quer que seja, tanto nesse mundo como na totalidade do Sistema Solar.

A longa preparação vivida pela humanidade, há mais de trinta anos, instalou, doravante, a totalidade das condições preliminares ao mecanismo global, do qual foi feita referência, amplamente, durante todos esses anos.

Lembrem-se de que vocês não terão mais, em pouco tempo, se já não é feito agora, a capacidade para utilizar-se do que vocês nomeiam seus «mentais» [sic].

Suas histórias, suas referências afetivas, suas obrigações sociais, morais ou profissionais, aparecerão a vocês como quimeras em relação à Eternidade de quem vocês são.

Isso pode representar, para alguns de vocês, uma revolução importante, maior e, no entanto, indispensável, cuja evidência saltará aos seus olhos se esse já não é o caso, o que os reajusta, então, imediatamente, em sua Infinita Presença, em seu desaparecimento e seu aparecimento, em plena Luz, em plena consciência de sua Eternidade.

Assim ressoará, em vocês, o conjunto das chaves Metatrônicas: OD-ER-IM-IS-AL, ELOHIM, NEPHILIM, o que lhes dá acesso, de diferentes maneiras, à Jerusalém Celeste, à Merkabah interdimensional e coletiva.

Cada um de vocês tomará os caminhos da Ascensão que lhes são próprios, para atualizar o que está na Eternidade aqui mesmo, na superfície desse mundo, ou, no mínimo, na borda desse Sistema Solar, para aqueles que soltarão o efêmero, inteiramente, durante este período.

Assim, eu concluo a Ronda dos Arcanjos.

Pela potência da Fonte, pela Presença de Cristo e da Nova Eucaristia, eu selo, em vocês, a atualização da Promessa e do Juramento.

… Silêncio…

Ehyeh Asher Ehyeh…

… Silêncio…

No começo, era o Verbo, e, doravante, é o começo.

A ação do Verbo Criador não mais, unicamente, em sua co-criação consciente, mas na humanidade coletiva, levanta-se, enfim.

… Silêncio…

Bem amados Filhos Ardentes do Sol, ouçam, a cada sopro nesse mundo, o Apelo invencível da Luz, o Apelo ao Amor, o Apelo à fraternidade, o Apelo à Verdade.

Então, juntos, aqui e alhures, acolhamos.

… Silêncio…

No coração do Um, no coração de cada um, levanta-se a Chama da Liberdade, a Chama de Verdade.

Eu sou Metatron, eu saúdo o que vocês são.

Ehyeh Asher Ehyeh…

… Silêncio…

Metatron saúda-os e diz-lhes até logo.

… Silêncio…

Nós nos reencontraremos em breve, para inúmeros de vocês, em minha Presença e minha Radiância, aí, onde eu me instalo, doravante.

… Silêncio…







Mensagem de ARCANJO METATRON,
Outubro de 2015





Agradecimento ao trabalho excepcional ao longo do Processo:
Traduzido para o Português por Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com.br
Áudio:
http://mensagensdeamor.brluz.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails