domingo, 11 de outubro de 2015

A ÚLTIMA RONDA DOS ARCANJOS (V) - ARCANJO GABRIEL - OUTUBRO DE 2015 - COM ÁUDIO

Imagem Amor Por Gaia




ARCANJO GABRIEL
OUTUBRO DE 2015




A ÚLTIMA RONDA
DOS ARCANJOS
(V)


Eu sou Gabriel, Arcanjo, Arcanjo da Anunciação,
Arcanjo da Sabedoria e Mensageiro.

Que a Paz e o Amor, e a Sabedoria estabeleçam-se nesse espaço.

No que vocês vivem, uns e os outros, permitam-me depositar, em vocês, a Sabedoria.

… Silêncio…

Na hora de seu tempo na qual a Luz e a Verdade surgem, de maneira cada vez mais evidente, o que prepara, assim, a Passagem, que prepara, também, a Mensagem, aquela do Anúncio de Maria, de seu Apelo, o Anúncio da Liberdade.

Eu não venho fazer-lhes discursos, eu não venho, tampouco, transmitir-lhes qualquer ensinamento, mas, bem mais, permitir-lhes, se tal é seu desejo, instalar-se na paz da Presença e na Sabedoria eterna da Luz.

Eu venho, também, anunciar-lhes o tempo da revelação final, que deve ser atravessado e vivido com sabedoria, com maturidade e com autonomia.

Eu venho aportar-lhes a boa nova, que não é uma espera do que quer que seja, mas uma realidade intangível, aquela da Luz, aquela da Verdade que se deposita, na integralidade, em sua consciência e em seu mundo.

Eu venho convidá-los à suavidade e à ternura, que são os apanágios da sabedoria, aquela que não conhece nem desejo de posse nem desejo de demonstração, mas, simplesmente, a evidência da Luz e da Verdade, cuja majestade põe fim a tudo o que não dura.

… Silêncio…

Eu venho anunciar-lhes bem mais do que o Apelo de Maria e bem mais do que a Liberdade, eu venho anunciar-lhes a paz do coração e a paz da Morada Eterna.

Eu venho convidá-los à sabedoria do coração, aquela que não conhece qualquer alteração ligada a uma condição ou a uma circunstância.

Eu venho assentá-los no silêncio da Verdade e da beleza.

Eu sou o Arcanjo que acompanhou, sistematicamente, todas as liberações de mundos, de maneira tão silenciosa como o Arcanjo Rafael, mas igualmente potente nesses tempos, que os leva a ver a potência como uma emanação da suavidade e não um poder qualquer.

Porque, quando a Luz e a Verdade estão presentes, na integralidade, em vocês, o que pode existir mais que não o próprio Amor e a Sabedoria?

Não a sabedoria nesse mundo, mas a sabedoria sobre esse mundo, que os assenta nessa poltrona de eternidade, aquela do coração elevado, do coração ascensionado, que não se segura em nada mais que não ele mesmo, que não se segura em nada mais do que o Princípio e a Essência do Amor, que se traduzem, em vocês, pela paz, a alegria e a suavidade, e a capacidade, com isso, para não mais ser afetado por qualquer circunstância de tudo o que é efêmero.

Eu venho transmitir-lhes uma mensagem de Alegria e de Paz, o que quer que se apresente na tela desse mundo, porque vocês nada são de tudo isso.

Permaneçam com os pés sobre a terra e olhem o céu.

Fiquem firmemente ancorados em sua Presença, em sua Luz, em sua Verdade.

O alvoroço do mundo atinge, doravante, seu paroxismo e, progressivamente e à medida desse paroxismo, vocês descobrirão a sabedoria, a paz e a alegria.

Viver esse alvoroço na paz é a doação da Luz a ela mesma, e a doação da Graça a vocês mesmos.

Então, eu reafirmo: paz a vocês todos, paz a cada um de vocês e sabedoria de deixar viver o que há a viver nessa resolução de toda dualidade.

Eu venho convidá-los ao banquete da Ressurreição.

Eu venho convidá-los a terminar o capítulo do sofrimento, o capítulo do efêmero.

Eu os convido, portanto, como eu disse, à sabedoria do Amor e à alegria da Verdade.

Eu venho afinar, por minha ressonância em vocês, que se ativa, doravante, a última transparência, na qual nada pode ser parado que vem desse mundo, na qual nada pode ser influenciado por esse mundo ou desse mundo, no que vocês são.

… Silêncio…

Eu venho convidá-los ao banquete da Eternidade, quer seja aqui ou alhures, quer seja nos Círculos de Fogo, quer seja nas estruturas do conjunto da Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres, quer seja no Absoluto.

Eu venho convidá-los à oração silenciosa do coração, aquela que escuta apenas a Sabedoria e a beleza.

Nesse anúncio, é tempo, também, de transcender e de perdoar o que não foi perdoado, até a raiz do confinamento nesse mundo.

Porque, se não há perdão, não pode ali haver desaparecimento, não pode ali haver sabedoria.

A sabedoria de reconhecer que só o Amor é capaz de tudo lavar, para restituir suas vestes de luz à sua pureza.

No momento em que o Apelo de Maria ecoar e no momento em que Cristo vier julgar, como foi escrito, os vivos e os mortos,porque, em definitivo, não há ninguém para julgá-los, mas, de sua sabedoria, decorre seu equilíbrio, equilíbrio, também, desse mundo, qualquer que seja o tumulto projetado na tela, porque, mesmo a tela vai desaparecer, o que deixa a nu o Amor-sabedoria, o que deixa a nu a Alegria que se nutre e que se basta a ela mesma.

… Silêncio…

Eu venho convidá-los à oração perpétua, que não é um pedido, mas, bem mais, uma ação de Graça e um estado de Graça, que os estabiliza no Amor e na Sabedoria.

Aí está o verdadeiro perdão.

Porque é assim que vocês se reconhecem, ultimamente, uns nos outros, uns com os outros e, nunca mais, um contra o outro, porque não há «outro».

Eu venho, também, suavizar, em vocês, o que não é suave; eu venho, também, confortar o suave e o pobre, por minha Presença e minha Radiância.

… Silêncio…

Então, a partir do ponto de sabedoria do Coração da Fonte, eu pacifico, também, os pensamentos do que pode interferir entre a Verdade e vocês.

Eu venho, também, solicitar, de sua parte, uma escuta e um entendimento do que lhes dizem a Luz e a Verdade, em sua sabedoria e em sua beleza.

Eu não venho convencê-los do que quer que seja, mas, simplesmente, dizer-lhes a verdade de seu possível e de todos os possíveis.

Cabe a vocês escolher entre o tumulto do mundo e a paz do coração, porque não haverá outro apaziguamento possível que não a paz do coração.

Não há alternativa que não a de manifestar isso, pela sabedoria e a bondade.

… Silêncio…

No espaço de minhas palavras encontra-se a Sabedoria que sabe que ela não tem necessidade de nada mais que não o que já está aí.

Eu venho suavizar, em vocês, por minha Radiância e minha Presença em vocês, o que não está, ainda, terno.

Eu venho, também, apaziguar sua Ressurreição, para constatar, por si mesmo, que seu último nascimento em sua Ressurreição acontece do modo o mais suave e o mais perfeito, na Inteligência da Luz.

… Silêncio…

Eu venho fazê-lo escutar e fazê-lo ouvir o canto de seu coração apaziguado, o canto da Liberdade que se apoia na Sabedoria.

… Silêncio…

No Silêncio encontra-se a Paz.

Tudo isso vocês sabem, tudo isso vocês viveram, em parte ou na totalidade; resta, agora, instalá-lo, de maneira definitiva, independentemente da algazarra desse mundo.

Eu venho convidá-los a deixar parecer e ser a totalidade de sua Luz, a totalidade do Mundo, não desse mundo, mas do conjunto dos Mundos Livres.

… Silêncio…

Então, sim, escutem e ouçam o que lhes diz a Sabedoria e meu Anúncio, para não mais serem enganados pelas circunstâncias alteradas desse mundo, pelas relações efêmeras criadas de vida em vida ou nessa vida.

… Silêncio…

Na sabedoria há a confiança, não em qualquer ação ou reação, mas na confiança total na obra da Luz nesse mundo.

Quaisquer que sejam as imagens observadas e observáveis, em breve, vocês não serão arrastados; a sabedoria será, então, instalada, e não poderá mais ser alterada, em qualquer circunstância desse mundo, como em qualquer circunstância desse corpo.

Em qualquer circunstância de sua vida que há a viver, doravante, não percam, jamais, de vista, a potência do Amor e da Sabedoria.

… Silêncio…

Neste dia, que, aliás, festeja certo santo, eu deposito, em vocês, a Sabedoria Eterna, apanágio do Espírito pela Graça do Coro dos Anjos, que canta os louvores eternos da Verdade.

… Silêncio…

Sorria para a verdadeira Vida, que em nada é os conflitos desse mundo, em sua conflagração final; aí está a Sabedoria, aí está a Verdade.

… Silêncio…

No Amor-sabedoria, estabelecido na Verdade, eu sou o Arcanjo Gabriel, que lhes anuncia a Ressurreição.

Lembrem-se, também, de que nenhuma arma desse mundo pode atingir o Amor e a Verdade; lembrem-se, também, de que nenhuma trapaça desse mundo pode manter-se no Amor-sabedoria em face dela.

Eu sou o Arcanjo Gabriel e, no Amor e na Graça, eu saúdo sua beleza.

Paz a vocês, Paz em vocês.

A Verdade confere a Paz que nenhuma guerra pode atingir.

Fiquem na paz consigo mesmos, sejam suaves consigo mesmos, aí está a potencia em face da trapaça, em face do que são vocês.

Pela Graça que me é conferida a partir do Sol Central, dignem-se receber a Paz de nossa Mãe a todos, em qualquer forma que seja.

… Silêncio…

Eu sou Gabriel, Arcanjo, vocês são a Luz e a Verdade, na Presença como na Ausência, eu saúdo isso.

… Silêncio…

Até breve, meus amigos, meus irmãos, meus amores, na mesma Chama e no mesmo Espírito de Cristo Um.

Até breve.

… Silêncio…




Mensagem de ARCANJO GABRIEL,
Outubro de 2015





Agradecimento ao trabalho excepcional ao longo do Processo:
Traduzido para o Português por Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com.br
Áudio:
http://mensagensdeamor.brluz.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails