domingo, 11 de outubro de 2015

A ÚLTIMA RONDA DOS ARCANJOS (II) - ARCANJO MIGUEL - OUTUBRO DE 2015 - COM ÁUDIO


Imagem Amor Por Gaia




ARCANJO MIGUEL
OUTUBRO DE 2015




A ÚLTIMA RONDA
DOS ARCANJOS
(II)


Eu sou Miguel, Príncipe e Regente das Milícias Celestes.

Filhos da Luz Una, permitam-me, por minha vez, por minha presença nesse lugar, nesse espaço, depositar sobre seus ombros, eu também, meu Manto Azul.

Eu venho ativar a revelação das últimas chaves Metatrônicas, aqui e agora, o que os rebatiza no espírito de Verdade, pela Graça de Cristo e pelo decreto da Fonte.

A minha presença, tanto em seus céus como em seu coração, vem abrir o céu da Terra, o que permite à Frota Mariana organizar o Apelo de Maria.

Eu venho abri-los à sua verdade última, depositando o selo de meu Fogo e de meu Manto no Templo de sua eternidade.

Minhas palavras serão, também, pouco numerosas, entrecortadas de silêncio, para digerir e fazer sua a verdade de minha Presença em sua Presença.

Amados do Um e amados da Fonte, o tempo chegou de revelar-me, de maneira visível, em seus céus e em seu coração, o que revela, através desse corpo, a chama sagrada de seu próprio sacro, o que assinala o retorno à sua eternidade, se tal é sua liberdade.

Eu venho pôr fim, de maneira visível, ao esquecimento coletivo da verdade do Amor.

Eu venho em seus céus e não mais, unicamente, em torno de seu Sol, abrir o caminho para aquele que concluirá a reversão última das consciências, assim como da Terra.

Eu venho, em seu coração, facilitar sua identidade, facilitar o Amor, facilitar o verdadeiro, mantendo não, unicamente, sua Casa limpa, mas iluminando-a com mil fogos, fogos da Ressurreição.

Nas doze chaves reveladas e manifestadas retraçam-lhe, de algum modo, em outra oitava, as doze etapas vividas quando das Núpcias Celestes, quando de nossos encontros, há anos de seu tempo.

Eu não virei mais para reuniões, porque eu me instalo, definitivamente, no coração de seu coração, após ter cruzado o céu de sua atmosfera e as barragens de sua cabeça.

Assim, agora e já, eu selo, em vocês, o sacro da Verdade, o sacro de meu selo.

Eu venho, portanto, manifestar-me a vocês, do mesmo modo que vocês reencontram os seres da natureza, os Anciões, as Estrelas e os Arcanjos, mas não mais de maneira pessoal e individual, mas na escala do conjunto de consciências dessa Terra.

Eu venho, portanto, desobstruir o caminho do Arcanjo que me segue, o anjo da Reversão e da Presença.

Eu limpo, em vocês, do mesmo modo, pelo Fogo do Espírito, o que pode restar de ancoragem ao efêmero, de ancoragem nos limites, tanto os seus como aqueles desse mundo.

Eu venho selar, do mesmo modo, a harmonia real das duas Coroas radiantes da cabeça, associadas àquela do coração, para que seu céu e sua terra façam apenas um, na verdade da consciência, para que sua cabeça e seu coração não estejam mais separados, em qualquer função que seja.

Assim se desenrola, em vocês, a Ressurreição.

Assim se desenrola, em vocês, por minha Presença em seu Céu, o selo indelével da verdade ígnea do Fogo primordial, que instala, em vocês, o estado de Graça e o estado de Verdade, no qual tudo é restituído à sua transparência, à sua luz e à sua autenticidade.

Entre cada uma de minhas palavras, como para cada Arcanjo que me sucederá, encontra-se a certeza da Presença e da Ausência.

Em cada coração dessa Terra eu acenderei o Fogo da compaixão, o Fogo do Amor, que lhes dá uma sensibilidade amplificada ao Amor de Maria, que lhes será entregue quando de Seu Apelo, momento de última Graça nesse fim da ilusão, nesse fim de toda ilusão, de sua Ressurreição, ressurreição à vida eterna, ressurreição à Vida, ressurreição ao Espírito, ressurreição à Liberdade.

Os sinais da Luz tornam-se cada vez mais evidentes e brilhantes, tanto em vocês como na superfície desse mundo, o que põe fim à angústia da morte, o que põe fim à angústia do efêmero e que revela o que vocês são, verdadeiramente, aos olhos de todos e aos olhos de cada um.


… Silêncio…

O batismo de Fogo, de maneira visível e não mais interna, mesmo na ilusão desse mundo, faz surgir, de maneira brilhante, a verdade, a transparência e a clareza do Amor.

… Silêncio…

Escutem e ouçam, no silêncio de seu coração, o estrondo do Céu e da Terra ilusórios, pondo a nu a joia.

Seu coração em fogo atiçará o estrondo do desmoronamento das ilusões e ativará, ao mesmo tempo, a plenitude do Silêncio, que revela o Amor a ele mesmo.


… Silêncio…

Joga-se, em vocês, em cada um de vocês, o último jogo das ilusões, o último jogo do desvendamento do que sempre esteve presente, apesar do confinamento, o que dá, de algum modo, um livre acesso a cada um de vocês que está no silêncio do coração, pôr fim a todos os véus isolantes e confinantes.

Eu venho, também, iluminar a finalidade do trabalho dos quatro Elementos ou quatro Cavaleiros, o que lhes dá a ver Dragões, Elfos, Gnomos e Ondinas, assim como todos os povos da natureza, que lhes dão a ver as engrenagens da ilusão desse mundo, não mais na escala individual, mas, bem mais, na escala coletiva, período vivido por cada humano encarnado, seja na Graça, seja na negação, seja na raiva.

Mas nada do que emergirá de vocês é outro que não, aí também, a ilusão do jogo da cena de teatro.


… Silêncio…

Ao Fogo do céu responde o Fogo da Terra, ao Fogo de seu corpo e de seu coração responde a Presença de Cristo, pela Graça do Espírito do Sol, enquadrado pelo Coro dos anjos.

… Silêncio…

Além disso, em vocês, como por minha presença como Miguel, Príncipe e Regente das Milícias Celestes, que apõe meu selo no céu dessa Terra, eu tomo, de maneira temporária, o papel de Príncipe e Regente das Milícias da Terra, para que os filhos do Um, ainda apreendidos pelos restos da ilusão, possam descobrir-se, sem falsa vergonha e sem pudor, em seu estado de ser real, em sua consciência real em manifestações dos Mundos Livres, aqui mesmo, nessa Terra.

… Silêncio…

Assim, o que podia restar à espreita em suas sombras residuais possíveis, como nas engrenagens ocultas desse mundo, revelar-se-á, a cada dia, um pouco mais, sob a iluminação da Luz, porque a intensidade da radiação do Ultravioleta, a intensidade da irradiação do Sol central, a intensidade de minha Presença e de sua Presença não permitirá mais, doravante, a qualquer sombra que seja, ficar à espreita em sua Presença ou nas engrenagens desse mundo, o que conclui a obra de dissolução total e irremediável das últimas linhas de predação que possam, ainda, ser manifestadas pelos jogos de crenças em um sistema de controle mental humano, no entanto, já bem distendido e bem dissolvido pelo esforço dos ancoradores e semeadores de Luz.

Assim, vocês mesmos poderão dizer, conforme os momentos: «Eu sou o anjo Miguel que é como Ele, a Fonte».

Assim, vocês manifestarão a glória de Cristo, independentemente de qualquer pessoa presente, ainda, em sua consciência, o que lhes dá acesso, se já não é o caso, à transdimensionalidade de sua Ressurreição, na superfície, mesmo, desse mundo.


… Silêncio…

Passando, também, em seu céu, eu atiçarei as brasas do fogo da ilusão, mostrando, então, a cada um, a inevitabilidade do que se desenrola, qualquer que seja o acordo ou a negação.

Assim, eu deposito, em vocês, novamente, e pela segunda vez, o selo da Ressurreição.


… Silêncio…

Eu sou Miguel, Príncipe e Regente das Milícias Celestes e Terrestres, no acolhimento de seu coração assinala-se o acolhimento de minha Presença, que sela, assim, aí também, em outra oitava, a Nova Eucaristia, sacramento perpétuo da Verdade.

Ouçam bem além de minhas palavras bem além de nossas Presenças comuns, o sentido e o peso de minhas palavras, para que se estabeleça a Verdade do Um aqui mesmo, nesse mundo.


… Silêncio…

Assim, portanto, aí estão vocês, marcados do selo da Liberação e da Ressurreição, que os inscreve, cada um de maneira individual, como testemunho e receptáculo da Verdade, mesmo nesse corpo e nessa consciência.

Dignem-se receber a minha última bênção, antes de receber a minha bênção visível aos olhos de todos.


… Silêncio…

Assim, cada um de vocês, a partir de agora, poderá dar sua paz a cada irmão e irmã reencontrada e em cada relação reencontrada.

Quaisquer que sejam as circunstâncias de guerra exterior, a paz interior virá superar tudo o que poderá atritar e opor-se ao restabelecimento da Verdade e à Ascensão.

Eu sou o Arcanjo Miguel, e eu lhes dou a minha paz.



Até logo, no Templo de seu coração.







Mensagem de ARCANJO MIGUEL,
Outubro de 2015





Agradecimento ao trabalho excepcional ao longo do Processo:
Traduzido para o Português por Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com.br
Áudio:
http://mensagensdeamor.brluz.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails